hanna thame fisioterapia animal
bahiagas livros do thame

Posts Tagged ‘vitória’

Na véspera do BA-VI, Via Mario Sérgio é inaugurada

av 1O governador Rui Costa inaugurou, na manhã deste sábado (17), a Via Mario Sérgio Pontes de Paiva, que liga a Avenida Luis Viana Filho (Paralela) aos bairros de Canabrava, Trobogy, Nova Brasília, Pau da Lima e ao Estádio Manoel Barradas, o Barradão, melhorando a mobilidade da região.

“É uma avenida de quatro pistas, com parques, que teve obras de macrodrenagem, pista de ciclismo, e vai dar mobilidade e acesso a milhares de pessoas que moram no entorno, e também facilitar o acesso dos torcedores ao estádio. Isso aqui era um vale, sem drenagem, as pessoas viviam em condição ruim, e hoje ganharam uma moderna avenida, que vai facilitar a vida de quem precisa passar por aqui, e eu tenho certeza também, que os moradores da outra avenida, por onde passavam os carros no caminho pro Barradão, estão felizes porque vão poder entrar e sair de suas casas sem aquele engarrafamento dos dias de jogos”, afirmou o governador.

av 2Com quase quatro quilômetros de extensão, a nova via fica a 300 metros da estação Flamboyant da linha 2 do metrô. Realizada pelo Governo do Estado, através da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder), a obra reúne um investimento de R$ 40 milhões. Obras no entorno garantem a segurança da via e o bem-estar da população.
Homenagem

A Via foi batizada em homenagem a um dos maiores ídolos da história do Esporte Clube Vitória, Mário Sérgio. O ex-jogador marcou época atuando no clube rubro-negro na década de 70, quando formou trio de ataque ao lado de Osni e André Catimba. O meio-campista morreu em 2016, na tragédia no avião da Chapecoense, que vitimou 71 pessoas. Mario Sérgio integrava a equipe de uma emissora de televisão que transmitiria a final da Copa Sulamericana. A família de Mario Sérgio compareceu à inauguração.

Participaram do evento de inauguração da Via Mário Sérgio o vice-governador do Estado, João Leão; o secretário do Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner; da Comunicação, André Curvello; de Desenvolvimento Urbano, Jusmari Oliveira; do Trabalho, Renda, Emprego e Esporte, Olívia Santana; da Casa Civil, Bruno Dauster; da Promoção da Igualdade Racial, Fabya Reis; da Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Carlos Martins; do Meio Ambiente, Geraldo Reis; da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura, Vitor Bonfim; e o secretário da Administração do Estado, Edelvino Góes. (fotos  Manu Dias/GOVBA)

BAVI de torcida mista contará com 400 policiais militares

bavi 2O tradicional clássico do norte-nordeste terá a presença das duas maiores torcidas da Bahia. Essa foi a definição na reunião de planejamento estratégico de policiamento do clássico BAVI, realizada na tarde de quinta-feira (15), no auditório do Instituto Anísio Teixeira (IAT). O jogo, que acontece às 16h deste domingo (18), no Estádio Manoel Barradas (Barradão), contará com 400 policiais distribuídos entre a parte interna e entorno do estádio.

Organizada pela Polícia Militar e sob a coordenação do tenente coronel Saulo, comandante do Batalhão Especializado em Policiamento de Eventos (Bepe), a reunião contou com as presenças dos representantes de ambas as torcidas, Transalvador, Guarda Municipal, Federação Baiana e dos principais comandos especializados e táticos como Batalhão de Choque, Operação Gêmeos, Companhia Independente de Policiamento Tático (CIPT)/Rondesp, Esquadrão de Montada e Esquadrão Águia.

bavi

O responsável pelo planejamento operacional, tenente coronel Saulo, fez questão de salientar a importância do retorno do clássico com torcida mista. “Nós já temos um alinhamento junto ao Ministério Público e sempre fazemos essa reunião para alinhar nossa conduta e emprego policial, buscando garantir a segurança total para todos os torcedores. Com a torcida mista poderemos ver o retorno da família aos estádios, e isso já é um diferencial”, destaca.

 

Nova Avenida Mário Sérgio homenageia um dos maiores ídolos da história do Vitória

 

Além de toda comunidade esportiva que frequenta o Barradão, formada por clubes de futebol, torcida e a imprensa especializada, moradores de bairros populares localizados na região do miolo da capital como, por exemplo, Nova Brasília, Trobogy, Canabrava e Pau da Lima, também aguardam com expectativa a entrega, no próximo  sábado (17), de mais uma obra de mobilidade urbana: a  Avenida Mário Sérgio, realizada pelo Governo do Estado, através da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder).

Via barradão

Via barradão

Com quase quatro quilômetros de extensão, a Avenida Mário Sérgio liga a Avenida Luis Viana Filho (Paralela), ao lado da via de acesso ao Trobogy e a 300 metros da estação Flamboyant da linha 2 do metrô, à Rua Artêmio Castro Valente, nas imediações do Estádio Manoel Barradas (Barradão). O investimento total é da ordem de R$ 40 milhões, com recursos financiados pelo  Governo do Estado junto ao BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Social e ao Ministério do Turismo, e ainda recursos próprios destinados às desapropriações e às melhorias na infraestrutura do entorno.

Um dos maiores ídolos da história do Esporte Clube Vitória, Mário Sérgio, e considerado um dos grandes jogadores do futebol brasileiro, vai batizar a nova via. O ex-jogador que marcou época atuando no rubro-negro formando um trio de ataque ao lado de Osni e André Catimba, foi morto em 2016, na tragédia no avião da Chapecoense, que vitimou 71 pessoas.  Mario Sérgio integrava a equipe de uma emissora de televisão que transmitiria a final da Copa Sulamericana.

Mário Sérgio tornou-se ídolo do Vitória na década de 70. Ele jogou pela equipe por quatro anos, formando um trio de ataque histórico, com Osni e André Catimba, sendo premiado com a Bola de Prata nos campeonatos brasileiros de 1973 e 1974.

 

O futebol entre o mágico e o trágico

Última rodada do Brasileirão 2017 tem drama que separa magia e tragédia por meros segundos. E uma inesperada epopéia catarinense…

Inúteis campeões

 

Daniel Thame

 

dt panamáComeçam nessa semana os campeonatos estaduais Brasil afora. Houve um tempo, e já faz muito tempo, em que ganhar um campeonato Carioca, um Paulista, um Mineiro, um Gaucho, um Baiano e até um Piauiense era motivo de orgulho e de festa para os torcedores dos times campeões.

No Rio de Janeiro, comemorava-se a Taça Guanabara, que não passa do 1º turno do Carioca e o  Carioca propriamente dito. Dois campeonatos em um, duas torcidas fazendo festa, quando o mesmo time não faturava os dois turnos.

Lembro-me dos corintianos ensandecidos num Morumbi lotado numa note de quarta-feira, celebrando a conquista do Paulistão de 1997, num dramático 1×0 contra a Ponte Preta, pondo fim a um jejum de 23 anos. O gol de Basilio colocou o mediano jogador na eternidade.

Ou, na década de 90, de um gol de falta magistral de Petckovic aos 44 minutos do segundo tempo, dando ao Flamengo um título que os vascaínos, jogando pelo empate, já festejavam.

Ou então de BA-Vis memoráveis nos anos os 70 e 80, tempos de Douglas, Osni, Beijoca, Mario Sérgio, Sapatão, etc., em que títulos valiam caminhadas de agradecimento ao Senhor do Bonfim e agrados aos orixás, afinal estamos na Bahia de todas as crenças
vaziosEsses tempos, definitivamente fazem parte do passado.

De uma década para cá, os campeonatos estaduais bem definhando ano a ano, perdendo totalmente a importância e atraindo cada vez menos torcedores.

A  maioria dos jogos são disputados em estádios praticamente vazios e apenas os clássicos e as decisões conseguem atrair o torcedor e ainda assim muito mais por conta de rivalidades históricas.

Ganhar um campeonato estadual já não é mais motivo para foguetório. Certo, é bom pra quem ganha e gera uma ou outra crise pra quem perde (no caso dos times grandes) e acaba ai.

Em sendo assim, qual o motivo de se manter os estaduais, em detrimento de um calendário menos extenuante ou mesmo de copas regionais, como a Copa do Nordeste, que acabam estranguladas em meio a jogos intermináveis?

O motivo é que as federações precisam fazer média com os times que, brindados com migalhas, acabam perpetuando dirigentes invariavelmente incompetentes, para dizer o mínimo. Mero jogo de interesses, em que os chamados grandes times aceitam ir para o sacrifício, porque também tem lá seus interesses.

E segue o  jogo (e bota jogo nisso!) até que se conheçam os inúteis campeões.

 

É gol- Com Neymar em tempos de seca, Messi tem permitido que o brasileiro cobre os pênaltis no Barcelona. Gênio e solidário esse hermano argentino.

É pênalti- A CBF erra até quando acerta. O Jogo da Solidariedade entre Brasil x Colômbia, com renda revertida para as vítimas da tragédia da Chapecoense, atraiu menos de 20 mil pessoas. Se fosse disputado numa capital do Sul ou do Nordeste, teria atraído pelo menos o dobro.

 

Cheirinho de porco

 

Daniel Thame

daniel-charge-cuba-zapReta final do Campeonato Brasileiro e aquele cheirinho de título alardeado pelos torcedores do Flamengo, que no auge da empolgação chegaram a transformar os aeroportos do Galeão e Cumbica numa espécie de Maracanã, vai ficando cada vez mais com cara de cheirinho de porco.

Mesmo sem jogar bem (na verdade nos últimos jogos atuando mal) o Palmeiras acumula uma série de vitórias que lhe dão uma folga sobre o Flamengo e uma folga ainda maior sobre Atlético Mineiro e Santos, os times que em tese estão disputando o título pra valer.

E mesmo o Flamengo deu uma travada no embalo em que vinha, perdendo pontos importantes e se descolando cada vez mais do Palmeiras. O empate em 2×2 contra o Corinthians, em pleno Maracanã, com um jogador a mais em boa parte do segundo tempo, custou dois pontos que podem ser fatais.

No mesmo dia, com sorte e a providencial ajuda do juiz, o Palmeiras ganhou do Sport por 2×1, num jogo em que a bola deveria acionar a Lei Maria da Penha. Mas valeram os três pontos, fundamentais para a folga do Verdão.

Enquanto isso, Atlético Mineiro e Santos patinam na própria instabilidade, embora o Galo até demonstre que pode tirar o segundo lugar do Flamengo.

pigMas, daí a tirar o primeiro lugar do Palmeiras vai uma distância muito grande. E bota muito grande nisso.

Vendo o título de binóculos (melhor seria dizer, de telescópio), Botafogo, Corinthians, Fluminense e Atlético Paranaense brigam duas vagas (ou três a depender de quem ganha a Copa do Brasil) na inchada Libertadores 2017.

Briga feia também na luta pelo rebaixamento. América MG e Santa Cruz parecem irremediavelmente condenados á degola. Restam duas vagas na guilhotina, com Figueirense, Vitória, Internacional, Coritiba e Sport lutando para salvar o pescoço. Cruzeiro, Chapecoense e São Paulo correm riscos mínimos de cair.

Emoção, alegria e decepção, esses coisas que tornam o futebol tão fascinante, não vão faltar próximas de decisivas rodadas.

-0-0-0-

É gol- Carlos Alberto Torres não foi apenas um dos maiores laterais de todos os tempos. Foi também o capitão que soube como ninguém amar a Taça Jules Rimet.

Assim como o gol na final contra a Itália, obra prima que Da Vinci ou Michelangelo assinariam, o Capita é eterno.

 

 

0-0-0-

É pênalti- Triste, para os baianos, será ver o Vitória cair e ainda com o risco do Bahia, que namora a zona de classificação da Série B,  mas casar que é bom, nada, não subir para a Série A, deixando  o estado fora da elite do futebol.

`Apagado` no Santos, Neto Berola volta ao Galo

neto berolaO Atlético-MG definiu nesta quarta-feira o retorno de Neto Berola. Após passagem apagada pelo Santos, o atacante já foi inscrito pelo clube e apareceu de “novo” clube no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Berola chegou à Vila Belmiro em maio de 2015 com contrato de empréstimo de um ano. No litoral paulista, entretanto, o avante marcou apenas dois gols em 28 jogos, ambos de cabeça, contra Figueirense (Copa do Brasil) e Fluminense (Campeonato Brasileiro).

A tendência, entretanto, é que ele seja reemprestado para outro clube. Para a posição o Atlético já conta com Robinho, Clayton, Luan, Lucas Pratto, Hyuri, Carlos e Pablo.

Atualmente aos 28 anos, Neto Berola foi revelado pelo Itabuna-BA em 2007, por onde jogou até 2009. Depois, chamou atenção atuando pelo Vitória-BA e logo se transferiu para o “Galo”, que o emprestou, além do Santos, ao Al-Wasl, dos Emirados Árabes (do site ESPN)

Caixa investe R$ 83 milhões em clubes brasileiros

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta terça-feira (19), em Brasília, a estratégia de patrocínio ao futebol para 2016. O banco divulgou investimento de R$ 83 milhões em 10 clubes brasileiros. Para este ano, a CAIXA mantém os times já patrocinados, desde que tenham permanecido nas séries A e B do Campeonato Brasileiro. A novidade é a inclusão dos maiores times de Minas Gerais – Cruzeiro e Atlético Mineiro.

Segundo a presidenta da CAIXA, Miriam Belchior, os patrocínios ao futebol integram a estratégia mercadológica do banco, fortalecendo sua marca e colaborando com a profissionalização dos processos de gestão dos clubes. “O apoio ao futebol, assim como a outras modalidades esportivas, aumenta a visibilidade da nossa marca e contribui com o desenvolvimento do esporte. Os patrocínios da CAIXA ao futebol já obedecem aos critérios estabelecidos no PROFUT, além de outras exigências legais que definem a comprovação de regularidade fiscal dos clubes”, comentou a presidenta.

A lista de clubes com patrocínio máster da CAIXA inclui: Flamengo (RJ), Cruzeiro (MG), Atlético Mineiro (MG), Atlético Paranaense (PR), Coritiba (PR), Chapecoense (SC), Figueirense (SC), Sport (PE), Vitória (BA) e CRB (AL). Os contratos assinados têm vigência até 31 de dezembro de 2016. O banco mantém ainda, negociações com o Corinthians, que tem contrato vigente até fevereiro de 2016.

caixa bola

Despedida de Marcone reune craques em Itajuipe

marcone 2Grandes craques do futebol brasileiro e internacional estarão neste domingo (13), em Itajuípe, para a festa de despedida de Marcone Amaral. Criado na cidade sul-baiana, o atleta foi revelado pelo Vitória no final da década de 90 e acumulou títulos fora do Brasil, mais precisamente no Qatar, com passagens também por equipes da Itália e da Suíça.

Amigos que fizeram parte da história de Marcone no futebol são os convidados especiais da festa, que começa ao meio-dia deste domingo, com a partida entre Seleção de Itajuípe x Jogadores Profissionais. O jogo repleto de estrelas será no Estádio Humberto Badaró e para assistir basta levar dois quilos de alimento não-perecível. Como costuma fazer há vários anos, o anfitrião doará os produtos no Natal a instituições beneficentes de Itajuípe. Além do jogo, a festa será marcada por um show na Praça Régis Pacheco, a partir das 17 horas, tendo como atração principal a banda Trio da Huanna e participação dos grupos Tribal e Ki Absurdo.

marcone 1MARCONE – O jogador Marcone Amaral surgiu para o futebol no Esporte Clube Vitória, aos 19 anos. Na equipe baiana, foi o xerife da zaga entre 1997 e 2001, período em que o time conquistou três títulos baianos e duas copas do Nordeste. Posteriormente, o atleta foi transferido para o futebol europeu e, em seguida, para o Qatar, onde também brilhou e obteve importantes conquistas, como ter sido duas vezes campeão da Copa do Rei, a competição mais importante daquele país.

O Time dos Sonhos

Daniel Thame

 DT tabocas 20Quando o Barcelona de Pep Guardiola, Messi, Xavi e Iniesta encantou o mundo, vencendo duas Ligas dos Campeões, dois Mundiais de Clubes, campeonatos espanhóis, copas do Rei, supercopas e tudo o que era possível vencer, imaginou-se que era o auge daquele que muitos consideram o maior time de todos os tempos, superando os lendários Real Madri de Puskas e Di Stefano e o Santos de Pelé, Pepe e Coutinho, que brilharam intensamente nos anos 50 e 60 do século passado.

Aquele Barcelona, essência do futebol-arte e objetividade, que faz parte da História, parecia o ápice de um clube. Depois viriam a acomodação, a estagnação e por fim a decadência. Foi assim com o Real, com o Santos e outros times que tiveram fases gloriosas, embora não necessariamente geniais, como o São Paulo de Telê e o Manchester United de Sir Alex Ferguson nos anos 90.

barçaO Barcelona, símbolo de uma Catalunha orgulhosa e guerreira, que luta para se desgarrar da Espanha, não quis virar atração de museu, peça de recordação, algo que passou e deixou uma doce lembrança.

Pois não é que menos de três anos após o apogeu daquele Barcelona, o mundo assiste igualmente encantado a um novo Barcelona, ou o Barcelona de sempre, campeão europeu, campeão espanhol, dando um espetáculo a cada partida.

O Barcelona de Messi, mas também de Neymar, Luiz Suarez, do eterno Iniesta, do discreto técnico Luis Enrique, que a cada jogo oferece um novo espetáculo. As goleadas de 4×0 sobre o arquirrival Real Madri no Santiago Bernabeu e de 6×1 sobre a Roma no Camp Nou foram duas aulas de futebol, a essência de como o jogo, tão robotizado por esquemas que valorizam a força física, pode ser mágico, lúdico.

Parece não haver limites para esse Barcelona, que como diz o próprio slogan, é `más que un club`.

É o Time dos Sonhos dos que amam o futebol,

Rendidos a essa magia, somos todos Barcelona.

-0-0-0-

É gol- O Vitória, com toda justiça, está de volta à Série A do Brasileirão. Mas que monte um time competitivo em 2016, para não ficar no eterno sobe-desce.

É pênalti- Faltou futebol e sobrou correria no jogo de ida da Copa do Brasil. Vitória do Santos por 1×0 sobre o Palmeiras na Vila Belmiro e tudo aberto para o jogo de volta no Alianz Arena.

É f…- Se o time do São Paulo participar de uma campanha de doação de sangue, não arrecada uma gota.

Neymar, a boa e a má notícia

Daniel Thame

 DT tabocas 20O Brasil empatou com a desfigurada Argentina em 1×1 em Buenos Aires e passou sem sustos pelo Peru com um 3×0 em Salvador, fechando o ano em terceiro lugar nas eliminatórias para a Copa do Mundo 2018 na Rússia, atrás do surpreendente Equador e do óbvio Uruguai.

Dentro do esperado, já que nessa maratona de 18 jogos, Brasil e Argentina vão ficar com duas das quatro vagas diretas para a Copa, restando ainda uma boquinha na repescagem. Equador, Uruguai, Colômbia, Chile e Paraguai que se estapeiem por elas, posto que Peru, Bolivia e Venezuela fazem apenas figuração.

Agora vamos a boa e a má notícia.

Comecemos pela má. Neymar, ausente na derrota para o Chile e na vitória sobre a Venezuela era a garantia do toque de genialidade que faltava na Seleção de Dunga. Não foi.

Apático, individualista e com a cabeça em outro planeta, Neymar não foi nem uma pálida sombra do gênio que encanta o mundo com a camisa do Barcelona, a ponto de suprir a lacuna de ninguém menos do que Lionel Messi.

Contra o Peru, era um daqueles jogos para Neymar deitar e rolar, no embalo da torcida baiana. Foi uma decepção e pode-se dizer que ele ainda não estreou nas Eliminatórias. Entrou em campo mas não estreou. Simples assim.

A boa notícia é que o Brasil parece estar eliminando a tal ´neymardependência`, cantada em verso e prosa pela mídia. Na ausência do craque do Barça, Willian e Douglas Costa exibiram um futebol de primeira linha, com toques, dribles desconcertantes, passes precisos e gols.

Douglas Costa, que era apenas esperança, vai rapidamente se transformando em certeza, tamanha a sua evolução no Bayern de Guardiola, com reflexo positivo na Seleção de Dunga.

O Brasil por ora, não é Neymar e mais dez. É Neymar, Willian, Douglas Costa e mais oito.

Não é pouca coisa, Na verdade é muita coisa.

-0-0-0-

É gol- Cavalo paraguaio é a mãe! O Vitória está com os dois pés na Série A em 2016. O Leão ruge.

É pênalti- Cavalo paraguaio sim senhor. O Bahia tropeçou na própria mediocridade e passa mais um ano na Série B.

 

 

Cavalos baiano-paraguaios?

bahiaDepois de passar a maior parte da Série B do Campeonato Brasileiro entre os quatro primeiros colocados, que garantem o acesso à Série A em 2016, Bahia e Vitória (que chegou a liderar boa parte da competição), empacam na reta final e se complicam.

O Vitória, que nas ultimas cinco rodadas ganhou apenas um jogo, tomou de 4×0 do América MG e, embora ocupe a 3ª. colocação, precisa de pelo menos ´seis pontos nos três jogos restantes para não se complicar.vitoria

Já o Bahia, em 7º. Lugar, que conseguiu a proeza de empatar com o rebaixado ABC de Natal em plena Arena Fonte Nova, já entrou na fase de usar a máquina de calcular. Tem que vencer seus três jogos e torcer por tropeços dos adversários.

Dois cavalitos paraguaios, per supuesto?

 

cavalo p

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930