WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
hanna thame fisioterapia animal

prefeitura itabuna sesab bahia livros do thame




Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

junho 2024
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  


:: ‘Vania Fagundes’

Minha infância tem cheiro de cacau

 

Vânia Fagundes

 

Chamávamos de armazém o depósito onde as sacas de cacau eram empilhadas umas sobre as outras.

Àquela época, meu pai gerenciava uma empresa de importação e exportação de cacau. O que para ele era trabalho, para mim e o meu irmão era só diversão.

Nos sábados passávamos horas brincando de subir nas sacas até chegar ao topo delas. Parecíamos gatos praticando escaladas.

Saltávamos de uma pilha para a outra com tamanha destreza que nunca nos estropiavamos no chão. Acho que o nosso anjo da guarda sempre nos dava uma forcinha.

O empregado do armazém se via doido com a gente. Meu pai não podia ver as nossas peripécias pois o seu escritório ficava do outro lado da rua.

Dávamos cabriolas duplas e triplas, saltávamos de uma lateral para a outra, sempre competindo para ver quem era o melhor.

O cheiro forte da amêndoa escura dominava todo o ar do armazém. Até quem passava pela calçada sentia o aroma inconfundível do cacau.

Voltávamos para casa com as roupas impregnados daquele cheiro forte que ainda hoje mora em minhas lembranças.

Dente Mole e Abençoada

Vânia Fagundes

 

Estrada de  Camamu. Destino Barra Grande, praia de Taipu de Fora. Sem poeira, porém com muita  lama. Chegamos ao pedágio. Coisa nova por aqui. Uma pequena fila de carros. Vidro do motorista aberto, somos saudados por um funcionário antes de chegarmos à cabine.

 

O motorista indaga:

– E aí, cara, o site não explica como funciona direito. Vocês cobram pelo carro e o motorista?! A gente pretende ir à Vila algumas vezes.

Boca bem aberta, uma cadência ao falar.

– Rapaz, é o seguinte: abençoada não paga (eu me senti a tal abençoada); criança com dente mole também não. Validade de 30 dias.

Quatro passageiros, uma abençoada e um dente mole

Apenas dois pagantes, além do carro. Dúvida Tostines: carro anda sem motorista?!

Seguimos. Paramos em um supermercado para nos abastecer. Dois saltam do carro. Dente mole e abençoada ficam. De repente o Dente mole fala.

– Vó, tô soltando muitas bufinhas. E o meu dente não tá mole.

A visita

Vania Fagundes

Deve ser perseguição. Estava eu agorinha mesmo, passeando, lépida e fagueira pelas redes sociais, deitada em meu confortável sofá, quando, de repente, não mais que de repente, um barulho me chama a atenção.

Volto o meu olhar para a janela frontal e a vejo. Ela é grande, cascuda e volumosa. Certamente parente muito próxima daquela que me visitou na semana passada. Me levanto sorrateira, pois não quero assustá-la. Abaixo por um instante o meu olhar e o fixo na sandália pousada sobre o tapete. Olho para cima novamente.

 

Atônita, percebo que ela havia sumido do meu campo de visão. Chego perto do local onde eu a tinha avistado. Sandália na mão, penso em um décimo de segundo o que devo fazer. Jogar a minha arma (a sandália) sobre a criatura? E se ela se voltar contra mim? Oh, dúvida cruel.

Resolvo fechar a janela, pois assim ela não entrará em casa. Nesse momento me vem à lembrança que o meu quarto fica próximo, e que lá também tem uma janela. E se ela entrar por lá e me atacar nos braços de Morféu?

Sigo em direção ao quarto e também fecho a janela. Faz um calor horrível. Ligo o ventilador. Meu marido desce e conto-lhe o acontecido.

Parêntese: eu preciso dizê-lo o porquê de tudo fechado. Conto tudo. Ele, vendo o meu temor, com o seu humor pra lá de sarcástico me diz: – só um míssel de Trump para matar essa sujeita ou então chame Bashar al-Assad.

Não consegui conter o riso.

 

A lista

Vânia Fagundes

 

Entro em um supermercado o maior e o único climatizado da cidade. Imediatamente me ligo na música que está tocando. Pego um carrinho, mas já não sei se canto, se danço ou se compro.

 

Resolvi fazer as três coisas ao mesmo tempo. Afinal sei quase todas as músicas da MPB dos anos 1980 que estavam rolando na playlist.

 

Não ligo para o que os outros pensem ou achem da situação inusitada, afinal dei férias ao meu juízo, lembram-se?

 

Uma moça olha para mim e ri. Digo para ela que eu estava feliz porque não estava tocando nenhuma música gospel, pois quando eu quero escutar esse estilo musical, passo na igreja (que frequento muito raramente) para escuta-la.

Não sei porque, mas está na moda por aqui em Ipiaú, cidade onde moro, muitos estabelecimentos comerciais tocarem apenas esse estilo. Credo!

Volto a minha atenção para a minha lista de compras que trago nas mãos, ela é relativamente pequena. Toda semana a minha funcionária coloca uma listinha em cima da bancada da cozinha.

Às vezes finjo não vê-la. Hoje eu fiz uma proposta para ela: “o que você acha de comermos dia sim e dia não, assim começaremos uma dieta juntas?”

Ela riu muito, mas não aceitou o que propus, obviamente.

Voltemos para o supermercado onde continuo a dançar e a cantar. Chego na balcão do açougue, confiro mais uma vez o que vem a seguir na tal lista e leio, bacon e “corno”, pelo menos foi o que eu li.

Peço ao atendente: “moço, por favor, me dê 250 gramas de bacon”. E pergunto rindo assim que recebo o que havia pedido: “aqui vende corno?”

Ele me olha com um olhar atravessado e nada responde. Insisto mais uma vez, e mostro a tal lista, e como vejo que ele não vai me responder digo:

-Deve ter bastante, mas não estão à venda, né?

Caminhos e Destinos

Vania Fagundes

 

Seus passos eram firmes. Parecia estar fugindo de algo. Dos seus cabelos escorriam gotas da chuva que desabava de um céu cinzento, pesado. Seus ombros se curvaram mais ainda. Nuvens cada vez mais escuras se formavam.

 

O sobretudo que lhe cobria o corpo frágil, não impedia que seus ossos tremessem. Um vento gelado assobiava fazendo rodopios. Fazia muito tempo que não via algo igual. Apressou o ritmo das passadas. Precisava chegar logo ao seu destino. Seus pés esmagavam as folhas que jaziam no chão.

 

A noite se fez presente antes mesmo de o dia acabar. Pensara que tudo poderia terminar diferente, quando deparou-se com a velha porta verde escuro. Parou.

 

Pareceu hesitar, embora soubesse que o caminho escolhido não permitia voltar. Então, com a não trêmula tateou o bolso esquerdo e alcançou a chave. Um cheiro de ferro velho lhe subiu às narinas.

 

 

A fechadura rangeu quando sentiu as duas voltas se completarem. Um frio percorreu-lhe a espinha. Entrou no cômodo úmido, procurou o lampião e, acendendo-o, iluminando o ambiente.

 

Então, seus olhos puderam enxergar, e viu que tinha percorrido o caminho certo.

 





WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia