WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
hanna thame fisioterapia animal

prefeitura itabuna sesab bahia livros do thame




Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

junho 2024
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  


:: ‘Emasa’

O que é isso, Vane?

A campanha eleitoral de 2016 ainda não começou, mas já faz vítimas. Desta vez, a combalida Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa) foi usada por bem-intencionados do Governo Vane para atacar o ex-prefeito Geraldo Simões.

A empresa interrompeu o fornecimento de água para o petista. Ao que se sabe, cortou o fornecimento sem que houvesse qualquer aviso prévio. As contas estavam todas pagas, restando pendência de fatura relativa a setembro, não quitada por erro.

A Emasa falhou na falta de aviso de corte. Poderia ter sido uma simples falha. Parece não ter sido. O corte foi registrado e fotos espalhadas via redes sociais. Quem assim agiu – depreende-se – sabia o que estava fazendo.

A bomba pela prática da “velha política” tende a cair no colo do prefeito Claudevane Leite, que começa a ser cobrado. Ele e o presidente da Emasa, Ricardo Campos, que também comandou a empresa na segunda gestão de Geraldo como prefeito de Itabuna. O que eles terão a dizer sobre o ocorrido? (do Pimenta na Muqueca. O Blog do Thame assina embaixo. Com a palavra Ricardo Campos, que serviu a dois senhores e tem a obrigação de se explicar sobre esse misto de má fé e burrice, que além da politicagem rasteira é uma afronta ao Código de Defesa do Consumidor).

Definida empresa que vai construir Barragem do Rio Colonia

barragem rc

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) realizou nesta quarta-feira (28) a licitação para a obra da Barragem do Rio Colônia, em Itapé. A licitação foi por meio do Regime Diferenciado de Contratações (RDC).

O Consorcio Metro Ltda. venceu a licitação e será contratada para concluir a obra, que começou a ser construída em 2012, mas a empresa que venceu a licitação, Andrade Galvão, cancelou o contrato.

Para a construção das obras o investimento básico, que antes era de R$ 32,7 milhões na primeira etapa, será de aproximadamente R$ 35 milhões. A previsão é que as obras devam ser retomadas ainda este ano.

A Barragem do Rio Colônia dará maior regularidade ao abastecimento da região cacaueira. Quando concluída, a barragem atenderá os municipios de Itapé e Itabuna.

 

 

 

Emasa orienta uso racional de água em Itabuna devido à estiagem

emasaO presidente da Emasa, Ricardo Campos, informou nesta terça-feira (27), que não há racionamento de água em Itabuna, embora não descarte a possibilidade de isso ocorrer se a estiagem na região se prolongar por mais tempo. Mesmo sem racionamento, orientou à comunidade para que continue usando água de forma racional, principalmente para que se evite desperdício.

Ricardo diz que é preciso que as pessoas mudem hábitos de consumo de água radicalmente e evitem principalmente, lavar carros ou calçadas com água tratada, como ocorre com freqüência em algumas áreas da cidade. “Isso é o maior absurdo diante de tantas campanhas que alertam para o grave problema da falta de água que ameaça o planeta”, afirma.

O presidente da Emasa acredita que muitas pessoas ainda não se deram conta de que a falta de água doce é uma realidade que assusta e que tem mudado a rotina de milhares de famílias em várias partes do País. Cita, por exemplo, estados como Rio de Janeiro e São Paulo que já enfrentam grave crise, por falta de água nas torneiras.

Também cita o município de Colatina, no Noroeste do Espírito Santo, onde a situação se tornou insustentável, a ponto de a prefeitura decretar situação de emergência na zona rural. Mais de 400 propriedades da região estão prejudicadas em função da seca prolongada no território capixaba.

Em Itabuna, por enquanto, somente houve a suspensão da captação de água na estação de Ferradas devido à seca do Rio Cachoeira naquela localidade. A captação no Rio Almada está sendo reforçada para amenizar os efeitos da seca e garantir o abastecimento às milhares de famílias que moram naquela região da cidade.

A Estação do Rio do Braço é responsável pela captação de 600 litros de água por segundo para atender a maioria das regiões do município enquanto a estação de Ferradas faz a captação de apenas 250 litros/segundo para abastecer os bairros Maria Matos  (Rua de Palha),  Urbis IV, Loteamento Morumbi, Brasil Novo, Jorge Amado, Ferradas e Nova Ferradas.

 

Estiagem afeta abastecimento em Itabuna

aguaA falta de chuva no sul da Bahia pode prejudicar o abastecimento de água em Itabuna. A Emasa, responsável pela captação e distribuição, confirmou que o fornecimento para os próximos meses está seriamente ameaçado.

Por causa da redução no volume de água, a empresa suspendeu a captação na estação do Rio Cachoeira, na região do bairro Ferradas. A captação está sendo feita somente no Rio Amada, que também já sofre com a estiagem.

Do Almada são captados, em média, cerca de 250 litros de água por segundo. A demanda é pelo menos três vezes maior. A recomendação é para que todos economizem água, evitando lavar calçadas, garagem e veículos.

Mesmo assim, se não chover nos próximos dias, faltará água para o abastecimento da maioria dos bairros de Itabuna, segundo a Emasa. Os bairros da região de Ferradas e Urbis 4 já estão sofrendo os efeitos.

 

Pontalzinho, bairro de Jesus, onde falta água e também falta luz

era uma vez um bairro bom pra morar...

era uma vez um bairro bom pra morar…

E triste a sina dos moradores do Pontalzinho, outrora bairro boêmio de Itabuna e hoje refém da violência.

Não bastasse a falta de água, que há três dias a Emasa não consegue resolver, os moradores da rua Henrique Alves estão sem energia desde às 7 horas na manhã de hoje. O problema é simples, a queda de uma canela, mas apesar dos inúmeros pedidos, a Coelba não se digna a a fazer a religação.

Em tempo: a agilidade que falta à Emasa e à Coelba para resolver problemas de abastecimento de água e fornecimento de energia, sobra na hora do corte em casos de atraso no pagamento.

TCM aprova as contas da Emasa

O Tribunal de Contas do Município (TCM) aprovou por unanimidade, com ressalvas, as contas da Empresa Municipal de Águas e Saneamento S/A (Emasa), relativas ao exercício de 2013. O resultado chamou a atenção dos conselheiros pelo curto prazo que a nova gestão teve para reverter à negatividade do balanço de 2012.

“Em apenas um ano, o presidente Ricardo Pereira tirou a Emasa do prejuízo de R$ 2.000.000,00 para um caixa com o lucro líquido de R$ 4.000.000,00. Esse resultado só foi possível com o empenho de toda a diretoria da Emasa, que otimizou os recursos disponíveis sem comprometer a qualidade do serviço que presta ao itabunense”, argumentou o advogado da Emasa, Jeffiton Ramos.

Na defesa, ele destacou ações efetivas como o Programa de Eficientização Energética, em parceria com a Coelba, que gerou uma economia em 2013, de mais de R$ 350.000,00 mil reais. “Um planejamento executado a rigor fez a diferença e dar subsídio jurídico perante os conselheiros do Tribunal em um pedido de aprovação das contas”, afirmou Jeffiton.

A Emasa não perdoa, corta

emasaResolver o crônico problema da falta de égua em Itabuna a Emasa não resolve.

Mas se tem uma coisa que a empresa é eficiente é o corte no fornecimento de água, maneira encontrada não apenas para fazer caixa, mas também como forma inusitada de reduzir o consumo.

Os prazos para pagamento da conta estão cada vez mais exíguos. Usuários –e eles podem ser contados aos montes no escritório da empresa no centro da cidade- se queixam que os cortes já estão sendo feitos com apenas 15 dias de atraso.

Apenas a título de comparação, a Coelba (que é uma empresa privada) não corta o fornecimento de energia com menos de dois meses de atraso.

 

Emasa: não basta assaltar, tem que esculachar

emasa 1

A direção de Emasa, a empresa de águas de Itabuna,  não se contenta em aumentar o preço da tarifa de água e esgoto de maneira extorsiva e sem qualquer aviso e adotar uma política de cortes brutal, enquanto o abastecimento é deficiente em toda a cidade.

emasa 2Clientes com contas pagas estão recebendo avisos de débito com a inevitável ameaça de corte.

Arrecadar e cortar parecem ser os mantras da Emasa presidente da Emasa, que ao lado da saúde é a grande responsável pelos baixos índices de aprovação do prefeito Vane.

Emasa: ótima pra cortar, péssima pra consertar

esgoto  2

A (in)capacidade da Emasa de fazer reparos na rede de água e esgoto é inversamente proporcional à sua eficiência em cortar o fornecimento dos consumidores em atraso.

Se cortes são feitos com uma agilidade de lince, os reparos vão no compasso de bicho preguiça.

É o caso de um esgoto estourado há uma semana na rua 13 de maio, centro de Itabuna.]

O detalhe é que  a rua fica a menos de 200 metros da sede da Emasa.

Imagine nos bairros.

A Emasa socializa a falta d´água. Já a conta é um verdadeiro assalto…

Não adianta reclamar do assalto. Não pagou, a Emasa corta...

Não adianta reclamar do assalto. Não pagou, a Emasa corta…

Calcanhar de Aquiles do governo Vane, a Emasa não se limita a fazer a população sofrer com a constante falta d´água, que atinge todos os bairros de Itabuna. Na impossibilidade de socializar o abastecimento, socializaram a escassez.

A partir deste mês, os usuários que recebem a conta de água relativa ao mês de janeiro, sentem-se como alguém que te um revólver apontado para a cabeça. Em alguns casos, o aumento em relação à conta de janeiro chega a absurdos 60%. Isso sem quea  empresa tivesse anunciado qualquer reajuste.

E não adianta reclamar, porque a política de cortes da Emasa é implacável: não pagou, cortou e ponto final.

Um verdadeiro  assalto a mão armada.





WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia