WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
hanna thame fisioterapia animal

livros do thame




Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

julho 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  


:: ‘Bolsonaro’

“Tem medo das investigações que podem levá-lo à prisão”, diz Éden sobre ato de Bolsonaro

O presidente do Partido dos Trabalhadores da Bahia, Éden Valadares, criticou nesta segunda-feira (22) o ato promovido no Rio de Janeiro pelo ex-presidente, Jair Bolsonaro, para defender a anistia aos responsáveis pela tentativa de golpe no dia 8 de janeiro de 2023. No ato, Bolsonaro enalteceu Elon Musk, dono do X (ex Twitter), que atacou o ministro do STF, Alexandre de Moraes, nas redes sociais e culpou o magistrado por interferir nas eleições de 2022, quando Bolsonaro perdeu para Lula.

“O ex-presidente não aceita o resultado democrático das eleições 2022 porque foi derrotado nas urnas pelo povo, que elegeu o presidente Lula. Como rejeita a decisão dos brasileiros, incita seus seguidores a desacreditar os três poderes e pede a anistia aos responsáveis pelos atos terroristas de 8 de janeiro. Não há nenhuma ameaça à liberdade de expressão no Brasil. A única liberdade que está ameaçada é a de quem cometeu crime, de quem elaborou, apoiou ou participou da tentativa de golpe. Depois de tantas provas envolvendo-o e a seus apoiadores, apesar das suas frágeis negativas, Bolsonaro tem um encontro marcado com a Justiça e é isso que o assusta”, criticou Éden.

:: LEIA MAIS »

“Vitória da democracia”, diz Éden sobre inelegibilidade de Bolsonaro

O presidente do Partido dos Trabalhadores da Bahia, Éden Valadares, comentou nesta sexta-feira, 30, sobre a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que tornou o ex-presidente Jair Bolsonaro inelegível por oito anos pela prática de abuso de poder e uso indevido dos meios de comunicação nas eleições majoritárias do ano passado. Com o voto da ministra Carmen Lúcia, a corte já formou maioria pela inelegibilidade, por 4 a 1.

 

“Vitória da democracia. Democracia é o império da Lei e ninguém está acima dela. Hoje a Justiça brasileira deu um forte exemplo para aqueles que tentam ofender ou atacar o Estado Democrático de Direito: não ficarão impunes”, afirmou Éden.

 

Em 2022, Jair Bolsonaro Bolsonaro se reuniu com embaixadores de diversos países no Palácio da Alvorada, em Brasília, para desacreditar o sistema eleitoral brasileiro sem nenhuma prova. O encontro com autoridades estrangeiras foi transmitido pela TV oficial do Governo Federal.

Suíca rebate deputado bolsonarista do RS: “Engula o veneno e respeite os baianos e nordestinos, seu cretino”

“Engula o veneno que sai da sua boca e respeite os baianos e nordestinos, seu cretino. Precisa de mais conhecimento para vir falar da nossa história de luta, nossos escritores, artistas e a imensa contribuição para que hoje você tenha direito a se pronunciar”. A fala é do vereador de Salvador Luiz Carlos Suíca (PT) ao rebater o deputado federal bolsonarista Mauricio Marcon (Podemos-RS), que durante uma live comparou a Bahia com o Haiti, afirmando que o estado nordestino é “sujo e pichado”.

 

O infeliz comentário aconteceu de forma crítica, após fazer análise da votação expressiva que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teve durante as eleições presidenciais de 2022 ao ganhar para Jair Bolsonaro (PL) nos dois turnos com votação expressiva no Nordeste. Para Suíca, o bolsonarista precisa de “mais educação e conhecimento histórico sobre o estado baiano”. A fala tomou sites da região nordestina e deixou o deputado federal isolado. “É muito difícil perceber que na política existem cretinos de todos os tipos e cor. Esse branco moralista é xenofóbico e descompreendido”, sintetiza o edil petista.

:: LEIA MAIS »

Jerônimo Rodrigues condena novo ataque de Bolsonaro à Educação: “representação do desprezo”

O candidato a governador Jerônimo Rodrigues (PT) condenou o mais novo ataque do presidente Jair Bolsonaro (PL) ao Ensino Superior brasileiro e ao sistema educacional em geral, com o corte de R$ 2,4 bilhões do orçamento do Ministério da Educação (MEC). O petista avaliou que o mais novo ataque reforça a urgência e necessidade de eleger o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no segundo turno.

“O mais novo corte no orçamento do MEC, afetando diretamente o Ensino Superior Federal, é a representação clara do desprezo do atual presidente ao Brasil ao sistema de educação, as universidades brasileiras, alunos, professores e todos os brasileiros. Não houve durante todo o seu mandato o mínimo compromisso com a educação, pelo contrário, apenas descaso, suspeitas de corrupção e ataques. A educação brasileira está sendo atacada para manutenção do orçamento secreto do Bolsonaro. Cada nova atitude do presidente reforça a necessidade e a urgência de trazermos Lula de volta neste segundo turno. O Brasil precisa da volta da esperança, do compromisso com a Educação, com os professores, os alunos e todos os brasileiros”, afirmou Jerônimo.

O postulante petista ao Palácio de Ondina afirmou que irá atuar para garantir que o ex-presidente Lula conquiste ainda mais votos na Bahia na disputa do segundo turno. O candidato avaliou também que os ataques de Bolsonaro ao Ensino Superior brasileiro ocorrem em um momento de desespero por conta da derrota que sofrerá no dia 30 de outubro.

 

:: LEIA MAIS »

Ainda não foi a tragédia, foi só mais um anuncio

ernestoPor Ernesto Marques

ernesto marquesPosterguei a escrita de um texto com a previsão do óbvio: mais dia, menos dia, teríamos vítimas da intolerância para enterrar. É devastador ser obrigado a admitir que palavras reunidas no texto mais contundente e profundo que se possa escrever sobre o pino da granada puxada em Foz do Iguaçu, são, a esta altura, completamente insuficientes.
Não apenas porque não trarão Marcelo Arruda de volta para a família e para a cidade que o tinha como bom filho. Família…
O mais devastador é saber da possibilidade, quase certeza, de lágrimas em torrentes. Futuras e bem próximas. Basta dar uma espiadinha básica no que se diz nas bolhas da intolerância armada, onde moderados patridiotas, relativizam o absurdo. Os moderados relativizam. Outros, não se sabe se maioria ou minoria, festejam e glorificam a barbárie.

Mas não é necessário visitar as tais bolhas, basta ver as declarações do “mito”. Dispensar o apoio de quem pratica violência contra opositores seria até um avanço, considerando que o inominável já recomendou metralhar petistas. Nas palavras do presidente da República, nenhum respeito a quem morreu.

Pior: o “mito” autoproclamado defensor dos profissionais da segurança mostrou mais uma vez que antes de gostar de armados, ele gosta dos “seus” armados. Depois de assassinado por um insano açulado pelo discurso do ódio, o guarda civil Marcelo Arruda é moralmente morto pela maior autoridade do país, ao ser nivelado ao celerado que o matou diante da filha recém-nascida.
Mas o “mito” vai mais longe. Mente, escarra na história e contamina o sangue derramado com seus perdigotos.

Metade do cinismo asqueroso dissimula o discurso da violência numa condenação tíbia. A outra metade da dose cavalar de cinismo é investida para açular a tribo a subir ainda mais o tom na disposição para o ódio.
Ingenuidade esperar ou pedir que o outro lado, em luto, não lute e simplesmente ofereça a outra face, oferecendo também outros corpos como alvos da disposição permanente para a violência. Nunca foi assim e, sejamos francos, nunca será.

 

:: LEIA MAIS »

“Não posso concordar em tirar dinheiro da saúde, segurança e educação para garantir altos lucros de companhias de petróleo”, diz Rui Costa, ao avaliar como irresponsáveis as medidas do governo Bolsonaro sobre combustíveis

Divulgação (4)A declaração do governador da Bahia foi dada em audiência com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, nesta quarta-feira (8/6), em Brasília. Rui avalia que a proposta do presidente da República, Jair Bolsonaro, para diminuir o preço dos combustíveis “quebrará” os estados, se aprovada pelo Congresso Nacional, e que se trata de uma artimanha com fins eleitoreiros.

No início desta semana (6/6), o presidente Bolsonaro anunciou que espera a aprovação da proposta de emenda constitucional (PEC) que autoriza os estados a zerarem o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que incide sobre o óleo diesel e o gás de cozinha (GLP) e aguarda ainda a aprovação do projeto de lei que limita a alíquota do ICMS sobre combustíveis, energia, gás natural, comunicações e transportes coletivos. Esse projeto (PLP18), já aprovado pela Câmara e recém-chegado ao Senado, prevê que a alíquota do ICMS para os setores mencionados, como combustíveis, seja fixada em um patamar máximo de 17%.

Rui Costa explica que essa equação não fecha e causará uma tragédia na prestação de serviços públicos e no pagamento de servidores em todos os estados brasileiros. “A Bahia teria de abrir mão de R$ 5 bilhões. Como posso concordar com isso? Eu tenho que pagar salário de policial, de professor, comprar remédios para os hospitais todo mês. Sem essa receita, a conta não fecha. E o governo federal sabe bem disso”.

:: LEIA MAIS »

Jerônimo critica pré-candidatos de Bolsonaro na Bahia: “silêncio diante da fome é covardia”

jer e lulaO pré-candidato a governador do Estado pelo PT, Jerônimo Rodrigues, demonstrou indignação diante dos números apresentados, nesta quarta-feira (8), pela Rede Penssan (Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional), ao apontar que atualmente 33 milhões de pessoas passam fome no Brasil e mais da metade (58,7%) da população brasileira vive com insegurança alimentar. Os números correspondem a quase o dobro dos registrados em 2020.

“O governo da fome fez o Brasil retroceder 30 anos em apenas 3 anos e meio. Hoje, 33 milhões de pessoas não têm o que comer no nosso país, mesmo patamar de 1993. Isso é inaceitável, é um absurdo. Essa situação causa indignação a mim e a Lula”, lamentou Jerônimo, em publicação no Twitter.

O pré-postulante petista também criticou o silêncio dos dois pré-candidatos na Bahia: um, o ex-ministro responsável justamente pela pasta que cuida dos Programas Sociais do Governo Federal e, o outro, dirigente do União Brasil, partido que deu total sustentação às políticas bolsonaristas no Congresso Nacional.

:: LEIA MAIS »

´É a nossa turma de Lula e do outro lado a turma de Moro e Bolsonaro”, afirma líder do governo no Legislativo baiano sobre saída do PP da base de Rui Costa

Deputado Rosemberg Pinto_foto_divulgação_Ricardo Figueredo ASCOMO deputado estadual Rosemberg Pinto (PT), líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), afirmou, nesta quinta-feira (17), que a saída do PP da base governista foi verticalizada em relação aos prefeitos pepistas e justifica que a maioria dos gestores do partido seguirão com o governador Rui Costa e o pré-candidato ao Palácio de Ondina, Jerônimo Rodrigues, por afinidade ao projeto com Lula e pela atenção que recebem da gestão estadual.

“O PP tomou uma decisão, na minha opinião, de cúpula e verticalizada, sem combinar com os prefeitos e prefeitas. É por isso que a maioria dos prefeitos estão anunciando a manutenção na base do governo e apoio ao pré-candidato Jerônimo Rodrigues, são escolhas que na minha opinião não envolveram a base do PP, mas não sou eu quem tem que fazer esta avaliação, porque eu sou do PT, não sou do PP”, afirmou.

Para o parlamentar, Rui Costa inovou com o fortalecimento dos consórcios municipais e, deste modo, dividiu tarefas e fortaleceu municípios e seus gestores em áreas como saúde e infraestrutura. “Os prefeitos mantém apoio ao governador Rui Costa pelo cuidado que ele sempre teve com os gestores, tem respeitado, recebido e montou, inclusive, diversos consórcios municipais para dividir o poder e fazer com que as ações chegassem com mais facilidade às cidades, em áreas como saúde e infraestrutura, que resultou nesta aproximação e fidelidade”, argumenta.

:: LEIA MAIS »

Valmir compara valores dos combustíveis e culpa Bolsonaro pela dificuldade que vive o povo brasileiro

O deputado federal Valmir Assunção volta a criticar o governo de Bolsonaro - FOTO Divulgação-siteOs valores dos combustíveis no Brasil não param de subir no governo Bolsonaro. Essa responsabilidade é atribuída à atual gestão pelo deputado federal Valmir Assunção (PT-BA), que compara os preços de gasolina, gás de cozinha e da cesta básica com o salário mínimo em vigor e aponta para a dificuldade que o povo brasileiro vive atualmente. Nesta quarta-feira (16), o parlamentar voltou a criticar a política econômica engendrada pelo ministro Paulo Guedes e diz que o governo federal está comprometido com acionistas e com o capital financeiro internacional.

 

“Estamos relacionando o preço do combustível com o dólar, por isso o preço sobe toda semana. Responsabilidade de Bolsonaro que mantém a mesma política estabelecida pelo golpista Michel Temer quando assumiu o governo com o impedimento da presidenta Dilma. O Congresso Nacional precisa assumir o controle e parar de afagar Bolsonaro. Precisamos resolver o problema, Bolsonaro não resolve porque está sob interesse dos grandes acionistas e do capital financeiro internacional. E tem acordo sendo fechado com os Estados Unidos para mandar óleo bruto mais barato para baixar o preço da gasolina lá, mas não faz isso aqui no Brasil”, sintetiza Valmir.

:: LEIA MAIS »

“Com fé no Senhor do Bonfim, vamos derrotar os vírus que causam dor ao Brasil, diz Robinson, em referência a Bolsonaro e Coronavírus

ralmeida bonfimNo segundo ano consecutivo sem a tradicional caminhada até a Igreja do Bonfim por causa da pandemia, o deputado estadual Robinson Almeida (PT) publicou, nas redes sociais, a recordação da última lavagem, em 2019, e disse que em 2023, “com fé em nosso Senhor do Bonfim”, o Brasil vai se livrar de Bolsonaro e do Coronavírus.

“Dois vírus que causam tanta dor e sofrimento ao povo brasileiro”, enfatizou o deputado na publicação, com uma foto do senador e pré-candidato ao Governo da Bahia Jaques Wagner (PT).

O Padre Edson Menezes, reitor da Basílica Santuário Senhor Bom Jesus do Bonfim, realizou uma missa, transmitida pela internet, em homenagem póstuma às vítimas da Covid-19. Desde o início da pandemia, o Brasil perdeu 620.371 vidas para a doença. A média móvel de infecação pelo vírus aumentou, no país, 328% nos ultimos 8 dias. O dado coincide com o surgimento e circulação da cepa ômicron. Ontem, o presidente Jair Bolsonaro minimizou a nova variante e sugeriu que a ômicron pode ser “bem-vinda”.





WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia