WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
hanna thame fisioterapia animal

prefeitura itabuna sesab bahia livros do thame




Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

maio 2024
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  


:: ‘André Curvello’

Com apoio do Governo do Estado, premiação de jornalismo incentiva profissionais e jovens estudantes de Comunicação

Foi lançado nesta terça-feira (7) o 4º Prêmio Abapa de Jornalismo. Esta é a 1ª vez que a Associação Baiana dos Produtores de Algodão realiza a iniciativa em Salvador. O prêmio alcança profissionais e jovens talentos, em diversas modalidades. Esta edição tem como diferencial o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria Comunicação (Secom).

O titular da Secom, André Curvello, destacou a importância deste prêmio para o setor. “Existe uma sociedade hoje que preza muito pela velocidade e termina esquecendo de preservar e valorizar. Então a gente, na Secretaria de Comunicação, vê iniciativas como esse tipo de prêmio de jornalismo uma oportunidade de estimular e qualificar as profissões, especificamente o jornalismo que tem um papel fundamental dentro de uma sociedade democrática”, disse.

O objetivo é incentivar e reconhecer o trabalho dos profissionais de imprensa e estudantes. Os artigos devem ter temas relacionados ao agronegócio, em especial o algodão. O presidente da Abapa, Luiz Carlos Bergamaschi, considera o prêmio fundamental, pois o campo produz várias informações e elas precisam ser divulgadas. “Ninguém melhor para divulgar essas informações quanto o profissional de imprensa, profissional de jornalismo. Nós entendemos que o conhecimento precisa ser desenvolvido e divulgado. Isso dá oportunidade para que as pessoas aprendam, traz desenvolvimento regional”. De acordo com ele, a relação da Associação com a imprensa é de confiança e de transparência, o que tem desenvolvido muito a região.

:: LEIA MAIS »

As câmeras corporais chegaram. É a Bahia pela paz

André Curvello

A segurança pública na Bahia trabalha dia contra a violência e as facções. Agora, inicia a implantação das Câmeras Corporais Operacionais (CCOs). Os equipamentos elevarão a qualidade e a segurança do trabalho dos agentes, protegendo tanto os policiais quanto a população.

As CCOs são um compromisso de campanha do governador Jerônimo Rodrigues e se inserem no amplo programa Bahia Pela Paz, uma iniciativa do Governo do Estado em parceria com o Tribunal de Justiça, Ministério Público, Defensoria Pública, Assembleia Legislativa e ampla participação da sociedade civil organizada.

A Bahia é o primeiro estado a implantar o uso de CCOs simultaneamente na Polícia Militar, Polícia Civil, Departamento de Polícia Técnica e Corpo de Bombeiros Militar. Na primeira fase, 448 câmeras serão instaladas em Companhias Independentes da PM nos bairros de Pirajá, Tancredo Neves e Liberdade, em Salvador, locais escolhidos com base no número de ocorrências.

As câmeras se tornam um Equipamento de Proteção Individual (EPI) para os policiais, registrando de forma transparente e inviolável suas ações. Essa medida contribui para a proteção legal e da integridade física dos agentes e da população, além de fortalecer as investigações criminais e qualificar o lastro probatório.

Elas também proporcionam transparência e qualidade na atuação dos agentes, permitindo a revisão das ações, a identificação de pontos de melhoria e o aprimoramento de procedimentos. As imagens ainda servirão como ferramenta de treinamento para novos agentes, garantindo profissionais mais preparados para lidar com diferentes situações.

:: LEIA MAIS »

Direitos humanos e a Carta de Belém

André Curvello

A proliferação de notícias falsas e desinformativas se configura como uma pandemia da era digital, com potencial destrutivo equivalente ao de um vírus letal. É crucial que combatamos esse mal moderno com a mesma urgência e determinação que dedicamos à saúde pública.

Para o secretário geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, a própria existência da humanidade está em risco. Concordo com ele.

A questão é tema de debate em todo mundo e também aqui no Brasil. A Carta de Belém, assinada por todos os secretários e secretárias presentes (24 de um total de 27) no IV Fórum do Conselho Nacional das Secretarias Estaduais de Comunicação, realizado na capital paraense, nos dias 18 e 19 de abril, marca um passo histórico na luta contra a desinformação e na defesa da liberdade de expressão.

Afinal, como disse em entrevista recente ao UOL o alto comissário das Nações Unidas para Direitos Humanos, Volker Turk: “A desinformação causa dano. Precisamos que a mentira seja algo errado de novo”.

A Carta de Belém evidencia o compromisso das secretarias estaduais de comunicação com a defesa intransigente da liberdade de expressão e dos direitos humanos, e destaca a necessidade de que essa liberdade de expressão seja exercida com responsabilidade, sempre respeitando os direitos individuais e coletivos.

Um dos principais temas da Carta é o combate à desinformação e às fake news. Cada vez mais maduro, o Conselho se compromete a trabalhar em conjunto para desestimular a produção e disseminação de notícias falsas e desinformativas em todo o país.

O Fórum reconheceu a importância das redes sociais como ferramenta para a troca de informações e o aprimoramento da prestação de serviços públicos, além de condenar a censura e defender a liberdade de expressão nas redes sociais – que devem ser usadas com responsabilidade.

O documento destaca a importância da comunicação pública para a construção de uma sociedade mais justa e democrática.
Nessa luta contra a desinformação, o jornalismo profissional se consolida como pilar fundamental da democracia. É urgente discutir a regulamentação da carreira de jornalista, garantindo melhores condições de trabalho e valorizando o papel essencial desses profissionais na produção e disseminação de informação de qualidade.

O Fórum também tratou de temas relevantes para o futuro da comunicação, como a defesa dos direitos humanos, a nova Lei de Licitações, a atuação do Governo Federal no setor, a inteligência artificial, um regramento para as redes sociais, e a COP 30 – Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, que ocorrerá em Belém, em novembro de 2025.

O Fórum fortaleceu a premissa da importância da organização da comunicação pública e sua importância social. Quem participou o fez com democracia e respeito. E é por isso que vem avançando. O próximo será em Brasília, nos dias 4 e 5 de junho. Juntos, estamos trabalhando para que evento de Brasilia seja ainda melhor.

André Curvello, secretário de Comunicação Social da Bahia

Em carta conjunta, secretários estaduais de Comunicação se comprometem com ampliação do combate às fake news

Após se reunirem, nestas quinta (18) e sexta-feira (19), em Belém, no Pará, secretários estaduais de Comunicação publicaram uma carta conjunta se comprometendo com a ampliação do combate às fake news, para a construção de uma sociedade mais justa e democrática.

Durante a quarta edição do Fórum Nacional das Secretarias Estaduais de Comunicação, os secretários e secretárias debateram e apresentaram cases e desafios da comunicação pública no país, abordando temas como a inteligência artificial na prestação de serviços públicos; liberdade de expressão; a manutenção da essência e da audiência com a evolução tecnológica; e a importância da comunicação pública alinhada à preservação do meio ambiente.


Confira, na íntegra, o documento divulgado pelo Conselho Nacional de Secretarias Estaduais de Comunicação:

:: LEIA MAIS »

Redes sociais: Censura, não. Direitos humanos, sim.

O recente embate entre o ministro Alexandre de Moraes e o bilionário Elon Musk reacendeu um debate crucial: o papel das redes sociais em nossa sociedade. É fundamental analisarmos essa questão com seriedade e sem paixões partidárias, reconhecendo a necessidade de encontrar um equilíbrio entre a liberdade de expressão e a responsabilidade com o bem-estar social. Na minha opinião, Moraes apenas cumpre o papel que lhe é atribuído, de defender a nossa Constituição.

As investidas e factóides de Musk contra ele e o presidente da República são inaceitáveis e representam um ataque direto às instituições democráticas brasileiras. Tais ações visam desviar o foco de temas relevantes e promover a desinformação, colocando em risco a paz social e a própria estrutura da nossa democracia.

As redes sociais, ferramentas com imenso potencial para conectar pessoas e compartilhar informações, têm sido utilizadas de forma perversa por muitos. A disseminação de ódio, mentiras e conteúdo prejudicial tornou-se rotina, causando danos à reputação de indivíduos, famílias e instituições.

O debate sobre as redes sociais não deve se resumir a uma disputa entre lados políticos. O foco precisa estar no conteúdo veiculado nessas plataformas e no impacto que ele gera na sociedade. É fundamental buscar soluções que promovam a responsabilidade e o respeito à vida.

Chamar de censura a criação de um regramento que humanize as redes é superficial e ignora a realidade. O que defendo é a necessidade urgente de diretrizes claras e eficazes para combater crimes de ódio, discriminação, pedofilia e outros conteúdos nocivos. Uma sociedade sem leis e sem ordem nas redes sociais é um ambiente propício para a proliferação de violência e danos à democracia.

A Europa já trilhou um caminho importante ao implementar regras para as grandes empresas de tecnologia, obrigando-as a cumprir normas que protegem os usuários e a sociedade. O Brasil não pode se furtar a essa responsabilidade.

:: LEIA MAIS »

A pandemia esquecida

André Curvello

Recentemente, veículos de comunicação publicaram e repercutiram textos baseados na delação premiada de uma empresária que, em plena pandemia da Covid-19, chegou a ser presa na Bahia por receber dinheiro público para a venda de respiradores e não entregar os equipamentos. Nessa delação, supostamente vazada, ela tenta implicar o então governador Rui Costa. O fato foi ainda mais valorizado porque hoje ele é ministro.

Sobre isso, escreveu em A TARDE o conceituado jornalista baiano Levi Vasconcelos: “Rui Costa, que nunca teve o nome associado a corrupção em tempo algum, entrar logo numa dessa seria o suprassumo da estupidez”. Levi sempre lúcido.

Não estou aqui para julgar os interesses de quem planeja ataques sistemáticos contra este ou aquele ministro ou mesmo contra o presidente Lula. Chamo a atenção destes, de que o país continua dividido e com a extrema direita muito forte tendo o bolsonarismo como seu carro-chefe. Português claro: Bolsonaro vive e existe sim.

Como titular da pasta de Comunicação do Governo do Estado testemunhei diariamente as agruras da pandemia e como as políticas de combate ao seu alastramento e minimização de danos e mortes foi implantada graças à liderança do hoje ministro Rui Costa, do trabalho incansável de profissionais da saúde e de pessoas como o secretário de Saúde Fábio Villas-Boas, posteriormente sucedido por Tereza Paim.

A propósito, nesta questão dos respiradores Rui foi intransigente contra as três empresas que tentaram lesar a Bahia e outros estados associados ao Consórcio do Nordeste, acionando a Procuradoria Geral do Estado. Tanto que duas delas foram obrigadas a devolver a integralidade dos recursos públicos recebidos. A terceira empresa chegou a ter seus sócios presos, inclusive a delatora já citada. No entanto, foram soltos logo depois.

Em março de 2020, a covid-19 chegou à Bahia, impondo um desafio sem precedentes ao Governo do Estado. Naquele momento, a incerteza pairava sobre o futuro e a necessidade de medidas eficazes para proteger a população era urgente.

Sob a liderança de Rui Costa, o Governo se mobilizou rapidamente para enfrentar a pandemia. Um planejamento estratégico foi elaborado, com foco na contenção da disseminação do vírus, na proteção da população e no salvamento de vidas. No auge da pandemia, em 2021, o Governo do Estado chegou a disponibilizar 3,5 mil leitos para pacientes da covid em toda a Bahia.

A vacinação foi considerada uma das principais armas no combate à pandemia. O Governo montou uma estrutura logística robusta para garantir que as vacinas chegassem a todos os 417 municípios do estado. Câmaras frias, freezers e ultrafreezers foram adquiridos para armazenar as doses. Seringas e agulhas, compradas em grande quantidade para garantir a aplicação das vacinas.

Para ampliar a capacidade de atendimento e oferecer suporte à crescente demanda por leitos de UTI, o Governo da Bahia investiu R$ 2,5 bilhões em obras, equipamentos e recursos humanos. Unidades de saúde foram ampliadas e reformadas, e novos leitos de UTI foram abertos, incluindo a instalação de um hospital de campanha na Arena Fonte Nova.

Essas ações no combate à pandemia foram reconhecidas por entidades nacionais e internacionais. Em 2021, o estado recebeu o Prêmio “Boas Práticas em Gestão Pública” na categoria “Enfrentamento à covid-19”.

Ou seja, o Governo da Bahia agiu de forma exemplar no combate à pandemia da Covid-19. As medidas eficazes e o planejamento estratégico implementados resultaram em um dos menores índices de mortalidade do país, salvando milhares de vidas. A Bahia se destacou, mais uma vez, como um exemplo de responsabilidade, eficiência e compromisso com o bem-estar da população.

As lições da pandemia foram esquecidas rapidamente por uma politicagem – como tal rasteira -, que mantém o Brasil sempre na fronteira com o abismo. Lágrimas esquecidas na história dão lugar ao vale tudo para abalar a República. Até quando?

André Curvello é  Secretário de Comunicação Social da Bahia

 

Cresce aprovação do governo Jerônimo Rodrigues em Salvador: já passa de 56%

Pesquisa feita em Salvador pelo Instituto Paraná mostra o crescimento da aprovação do governo Jerônimo Rodrigues. De acordo com o levantamento, realizado entre 22 e 27 deste mês, 56,3% das pessoas ouvidas aprovam sua administração, o que demonstra uma evolução em relação ao que foi apurado há um ano: 55,5%.

Em março de 2023, 8,3% dos soteropolitanos qualificavam o governo do petista como ótimo. Hoje, esse número cresceu para 12,5%, superior aos 12,2% apurados em janeiro passado. Jerônimo é aprovado por 57,2 % dos homens e 55,5% das mulheres. Entre pessoas de 45 a 59 anos, sua aprovação vai a 62,6%. Já entre os mais jovens (16 a 44 anos), Jerônimo alcança níveis de aprovação superiores a 50%.

Para o secretário estadual de Comunicação, André Curvello, a pesquisa reflete a percepção popular de que o governador Jerônimo Rodrigues prioriza o cuidado com as pessoas. “As ações para garantir saúde e educação de qualidade, tanto na capital como no interior, a queda nos índices da criminalidade, o apoio ao homem do campo, a requalificação de estradas, a ampliação dos sistemas de abastecimento, o combate à fome, as grandes intervenções em Salvador – como o VLT, a Ponte Salvador-Itaparica, o Hospital Ortopédico do Estado, apenas para citar algumas – são reconhecidas pela população “, disse.

Cartilha do Cidadão vai democratizar o acesso aos serviços do Governo do Estado

 

Para democratizar o acesso dos cidadãos às políticas públicas estaduais, foi lançada, nesta terça-feira (26), a primeira Cartilha do Cidadão. A publicação, elaborada pela Ouvidoria Geral do Estado (OGE), tem o tema “A Democracia está em sua participação!”. O ato aconteceu no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador, e contou com a participação de representantes de ouvidorias de diversos órgãos da gestão estadual.

A intenção é oferecer, de maneira didática e objetiva, orientações sobre a atuação da Ouvidoria, e como cada pessoa pode manifestar suas inquietações e proposições neste canal. Para a ouvidora geral, Arany Santana, é fundamental ampliar as formas de fazer com que os serviços do estado cheguem à população. “Para nós é muito importante, considerando que a Ouvidoria é uma ferramenta de diálogo da população com o Governo do Estado. É relevante o lançamento dessa cartilha, que vai chegar na mão da população, que precisa dos serviços”, pontuou Arany.

Por meio da leitura do material, os cidadãos e cidadãs poderão compreender qual o papel da Ouvidoria enquanto canal de comunicação com o Governo do Estado, como identificar cada tipo de manifestação e por quais meios de atendimento registrar suas reclamações, denúncias, sugestões, elogios, solicitações e pedidos de informação. Luciano Cordova é supervisor na OGE e considera que a publicação irá facilitar as ações da Ouvidoria. “É um grande instrumento para que o cidadão tenha clareza maior e todos os órgãos respondem aos seus questionamentos”, disse o supervisor.

:: LEIA MAIS »

Governo do Estado convoca mercado de comunicação para se unir no combate à dengue

O Governo do Estado, através da Secretaria de Comunicação Social (Secom), convocou as diversas entidades do setor para alinhar ações de combate à dengue. A reunião aconteceu na sede do órgão, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), na manhã desta segunda-feira (4), com o objetivo de apresentar a campanha que já está sendo realizada pela gestão estadual e propor que o mercado publicitário, associações de rádio e TV, rádios comunitárias, sindicatos, empresas públicas e privadas se unam contra a doença, que alcançou níveis epidêmicos em diversas cidades brasileiras.

“Nós convidamos representantes do mercado de comunicação para que a gente apresentasse a nossa campanha de combate à dengue e acho que conseguimos sensibilizar os líderes do setor, para ampliar a campanha e dar o fortalecimento que é necessário para o combate a doença. A dengue mata e agindo em conjunto podemos avançar. O governo estadual tem que estar de mãos dadas com a iniciativa privada, com os gestores dos municípios, com as esferas federais para que a gente tenha uma campanha forte, uma campanha de conscientização e consiga vencer o mosquito”, destacou o secretário de comunicação, André Curvello, que conduziu a reunião.

 

Ainda de acordo com titular da Secom, os agentes de comunicação deixaram alinhado que vão assinar uma campanha com diversas entidades, além de maximizar a campanha do Governo do Estado. “O objetivo é um só: ficarmos fortalecidos para poder enfrentar o mosquito”, completou.

:: LEIA MAIS »

Secretário André Curvello faz homenagem à equipe da Secom e jornalistas do Governo, no lançamento da Revista Nova Bahia

 

O evento de lançamento da Revista Nova Bahia, que registra feitos e investimentos do primeiro ano de gestão do governador Jerônimo Rodrigues, ocorrido na noite desta terça-feira (20), foi marcado por um chamamento à imprensa e sociedade baiana na causa pelo combate à dengue, e também por um gesto nobre do secretário estadual de Comunicação, André Curvello.

No momento reservado para seu discurso, o titular da pasta, que liderou o processo de concepção e produção da Revista, cedeu espaço para que parte de sua equipe transmitisse uma mensagem aos presentes.

Na ocasião, pediu licença ao governador e declarou: “gostaria que eles apresentassem essa mensagem, em nome de todos os profissionais das assessorias do Governo do Estado que, efetivamente, fizeram a Revista. Coube ao secretário, apenas, orientar e dar a sua singela contribuição. Por isso, governador, queria que eles apresentassem essa homenagem a todos os jornalistas e fotógrafos envolvidos nesse processo”.

A atitude, que revelou, além de humildade, o reconhecimento do secretário aos profissionais da Secom e das assessorias de comunicação das demais pastas, foi elogiada por Jerônimo Rodrigues e pelas pessoas que acompanharam a cerimônia.

Fotos Luís Capellão e Matheus Landim





WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia