Médico Paulo Medauar, Fabiana Souza, Alane Souza, Rita Wenceslau e Maria Luísa. Foto: Ascom.

Médico Paulo Medauar, Fabiana Souza, Alane Souza, Rita Wenceslau e Maria Luísa. Foto: Ascom.

As coordenações das UTIs 1 e 2 e do Núcleo de Educação Permanente em Saúde (NEPS) do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, se reuniram na manhã de ontem, dia 19, para discutir sobre os Processos de Trabalho em UTIs. A unidade tem como mantenedora a Fundação de Atenção à Saúde de Itabuna (FASI).

As equipes abordaram sobre as metas que devem ser alcançadas, a partir do uso constante de equipamentos de alta tecnologia, destinados ao diagnóstico e tratamento de pacientes críticos. Na oportunidade, foi elaborado um cronograma de capacitação, com ênfase na qualidade da assistência da saúde do usuário e uma gestão de qualidade do serviço.

De acordo com o coordenador médico da UTI 2, Paulo Medauar, a finalidade é obter a redução da morbimortalidade, além da recuperação e conservação do estado biopsicossocial do paciente. “Esse é um ambiente decisivo para o paciente. Requer a assistência contínua de uma equipe multiprofissional e interdisciplinar, qualificada e de uma gestão de excelência”, explicou.

A coordenadora do NEPS, Fabiana Souza, comentou que o Melhoramento de Processos é uma metodologia empregada com intuito de compreender, de forma mais detalhada, um determinado setor ou processo que está operando e “busca corrigir eventuais falhas, estabelecer uniformidade e alinhar os esforços da equipe”, completou.

A reunião sobre Processos de Trabalho em UTIs contou também com a participação das coordenadoras de enfermagem da UTI 1, Rita Wenceslau e Alane Souza, da UTI 2 e Maria Luísa, enfermeira da UTI 2.