hanna thame fisioterapia animal
prefeitura itabuna coronavirus 155 bom petiscos livros do thame

Posts Tagged ‘Sul da Bahia’

Uesc vai lançar programa de retomada econômica da região

uesc campus

A Universidade Estadual de Santa Cruz – Uesc vai apresentar à comunidade regional, às 10 horas de terça-feira (7), o Programa de retomada econômica das regiões imediatas de Ilhéus-Itabuna, Camacan e Ipiaú, que recebeu o nome em tupi-guarani, Amana.

O programa tem o objetivo de contribuir com a retomada econômica das regiões imediatas Ilhéus-Itabuna, Ipiaú e Camacan, visando melhorar a tomada de decisões de agentes econômicos privados e públicos (pessoas físicas, gestores públicos municipais, empresas de pequeno porte, empreendedor individual, associações e cooperativas da economia popular e solidária).

O Amana é o resultado de um pedido do reitor da Uesc, professor Alessandro Fernandes de Santana, diante da crise socioeconômica em consequência da pandemia provocada pelo novo coronavírus, para que fosse elaborado, por meio da Assessoria de Planejamento – Asplan/Uesc, um programa capaz de ajudar a economia regional e recuperar a sua pujança.

Read the rest of this entry »

Testagem do Coronavírus chega ao quinto dia em municípios no Sul da Bahia

Colégio Estadual Carneiro Ribeiro, em UruçucaAs testagens para o Coronavírus em estudantes, professores e funcionários das escolas estaduais chegam ao quinto dia nos municípios de Ipiaú e Uruçuca. Em Itajuípe, o processo continua com uma busca ativa dos estudantes que não foram testados para a marcação de nova data e horários. Além de ser realizada na sede dos municípios, a aplicação dos testes chega a áreas longínquas, por meio das equipes que mobilizam estudantes nos distritos e na zona rural. Nesta segunda-feira (29), por exemplo, a ação foi realizada no Centro Regional de Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (CEMIT) do Rio de Contas, unidade da rede estadual localizada no distrito Córrego das Pedras, em Ipiaú.

 

“Foi muito importante termos esta testagem em nossa localidade, porque nem todos teriam condições de se deslocar até o centro. Testei negativo e isso me dá segurança para estar com meus familiares em casa”, contou a estudante do 1º ano do Ensino Médio, Clarisse Andrade, do CEMIT do Rio das Contas.

Read the rest of this entry »

Meio Ambiente: Sema assina acordo que beneficia a Costa do Descobrimento e Sul da Bahia

cacau cabruca

As cidades de Santa Cruz Cabrália, Porto Seguro e Ilhéus serão beneficiadas pelo acordo de cooperação técnica, assinado nesta terça-feira (23), entre a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) e a Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Anamma), para implementação de ações do Projeto Euroclima Plus. O programa propõe a qualificação da gestão ambiental em governos locais para o desenvolvimento de medidas de adaptação às mudanças do clima, previstas nos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica (PMMA).

clima 2O convênio foi firmado com a assinatura virtual do documento pelo secretário João Carlos Oliveira, representando a Sema, e do presidente da Anamma, Marçal Fortes Cavalcante. O acordo entra em vigor pelo prazo de 36 meses, podendo ser prorrogado. Participaram da videoconferência a Dra. Aline Salvador, do Ministério Público; Mario Mantovani, da SOS Mata Atlântica; Cristina Carvalho, da delegação da União Europeia no Brasil; Clarissa Amaral, superintendente de Inovação e Desenvolvimento Ambiental da Sema; e Márcia Telles, diretora-geral do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema).

“Com a parceria com a Anamma, o projeto pretende fortalecer a governança municipal e a aprendizagem através dos espaços dos cidadãos para monitorar o progresso na implantação de instrumentos e medidas de Adaptação em Ecossistemas para reduzir os efeitos das mudanças climáticas, por meio de ações do Projeto Euroclima Plus”, destacou o titular da pasta do Meio Ambiente do Estado da Bahia, João Carlos Oliveira.

Read the rest of this entry »

Festival Sabores de Itacaré Delivery começa com live show

sabores 1

O primeiro Festival Gastronômico Sabores de Itacaré Delivery começou oficialmente na noite desta sexta-feira e vai até o dia 14 de junho trazendo uma série de novidades, serviços e pratos deliciosos, com preços acessíveis, que podem serão entregues nas casas dos consumidores. A abertura foi com uma live show com a apresentação de toda a programação do festival, divulgação dos estabelecimentos e pratos participantes, demonstração de culinária com a chef Marly Catarina e ainda show com a cantora Ronara Criola.

sabores 2O objetivo do evento é inovar, movimentar a economia da cidade, mostrar a rica culinária de Itacaré e promover a interação entre profissionais da gastronomia local e população. O Festival Gastronômico Sabores de Itacaré Delivery conta com a participação de 25 estabelecimentos e 27 pratos especiais. A realização é da Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria de Turismo, com o apoio do Sindicato Patronal de Hospedagem e Alimentação de Itacaré, SENAC, SEBRAE e Ecoporan Hotel.

Para saborear as delícias dos produtos que fazem parte do festival basta fazer o pedido que serão entregues em suas casas, através do sistema delivery. E uma das inovações é a Live Cozinha Show, que vai trazer receitas com grandes chefs, mostrando passo a passo de cada prato. Para isso uma cozinha foi montada no Ecoporan Hotel exclusiva para a realização das lives que receberão a presença de chefs locais que mostrarão suas habilidades e ensinarão alguns de seus truques, usando como ingredientes os produtos locais e da agricultura familiar, trabalhando com o tema do Festival “Gastronomia Afetiva”.

Read the rest of this entry »

Valdelice Pinheiro e Telmo Padilha – imortais pela poética, construtores de sonhos

Efson Lima

efson limaConfesso-lhes que, uma parte significativa dos escritores sul baianos, não tive a oportunidade de conhece-los fisicamente.  Mas o destino, sempre ele,  reservou algum grau de proximidade com os escritores nascidos no Litoral Sul. Ainda na minha adolescência, os jornais regionais, geralmente em face dos aniversários de Ilhéus e Itabuna, faziam cadernos especiais comemorativos. Neles estavam a história, a economia, os dados sobre a população, traziam também os aspectos sociais, literários…

As prefeituras locais colaboravam. Lembro-me dos 90 anos de Itabuna. Não sei onde conseguiram tantos temas,  mais o Jornal Agora estava recheado de cadernos. Ousadia pura de José Adervan. O Diário de Ilhéus com seu caderno de 28 de junho provocava. Era um recado ao Agora para o dia 28 de julho. Não me pergunte qual era o melhor. Não quero confusão. Só sei que havia uma forte valorização da cultura regional, da memória. Aos poucos formos perdendo. Assim, vamos desconhecendo os construtores da nossa gente, os que desbravaram nossas terras… Mas, logo em seguida, exigimos dos jovens que conheçam a nossa História. Eles não vão, pois, a eles negamos a história e o conhecimento de sua realidade.

valdeliceOs jornais locais possibilitavam leituras sobre Jorge Amado, Hélio Pólvora, Cyro de Mattos, Odilon Pinto, Valdelice Pinheiro, Telmo Padilha…No meu caso, na escola, fui tendo meu percurso adocicado com os livros… fui saindo da escuridão e, agora, tinha meu imaginário sendo levado às obras. Um namoro à primeira vista, que permanece. Tínhamos também o vestibular da UESC, aquele que nos submetia a dois tipos de provas. Além das objetivas, uma redação e uma prova sobre os livros de literatura, quase sempre no cardápio tinha um escritor regional. Lembro-me de “Vinte Poemas do Rio” de Cyro de Mattos. No Instituto Nossa Senhora da Piedade, o professor Ramayana Vargens nos ensinava a “gabaritar”, dava-nos uma aula magna a cada dia. A Universidade buscava cumprir com o seu papel. Certa vez, a prova discursiva de história questionava-nos sobre o patrimônio regional. Lembrei de Anarleide Menezes, que diuturnamente tem empreendido esforços para preservar o patrimônio da região.

Agora, voltando para Valdelice Pinheiro e Telmo Padilha, podemos considerar que foram imortalizados pela poética e pelos sonhos que construíam ações. Nesta semana, com o fim das inscrições para o projeto Bardos Baianos – Litoral Sul, sob a organização de Ivan Almeida e publicação pela Cogito Editora, fui forçado a definir qual poeta homenagearíamos na Antologia. Foi difícil a escolha. Fiquei ansioso e joguei para o pleno, fomos na direção de Valdelice Pinheiro. Dois grandes poetas regionais. Valdelice poetisa por excelência, além de  filósofa e professora. Telmo Padilha é um poeta com inserção em outros gêneros. Ambos, cada um ao seu modo, guardiões de bons sentimentos e responsáveis por semearem sentidos a uma geração.

telmoA poetisa Valdelice Pinheiro faleceu em 1992, a UESC produziu estudos sobre a professora Universitária, por sinal, uma das responsáveis por colaborar na implantação da Faculdade de Filosofia de Itabuna, que mais tarde se somaria a outras para formar a FESPI e, posteriormente, UESC.  Já Telmo Padilha faleceu  no ano de 1997 em um acidente de carro.  Consolidava ao tempo sua carreira de poeta  e com caráter nacional. Foi integrante da Academia de Letras de Ilhéus a convite de Adonias Filho. Telmo Padilha além de escritor foi um ativista cultural, movimentou a produção literária sul baiana. Valdelice Pinheiro estará conosco na Antologia Bardos Baianos – Litoral Sul. Telmo Padilha estará nos meus ensaios sobre a Academia de Letras de Ilhéus. Preservar a memória é um caminho para não sermos colonizados mais uma vez.

Com o processo de construção da Antologia Litoral Sul, fomos observando o quanto as terras sul baianas produzem poetas, escritores. Não é novidade. Adonias Filho já externalizava. Li pela primeira vez  essa assertiva no Diário de Ilhéus a partir dos textos da professora Maria Luiza Heine. Mas para isso, precisamos democratizar esses espaços. Precisamos estimular a escrita. Criar concursos literários. As instituições podem fomentar. Há espaços.

bardos

Cobramos muito e fazemos pouco. Enredos, imaginações e bons textos não faltam nas cabeças de nossos jovens.  Os equipamentos públicos precisam encontrar mecanismos de democratização do fazer literário. Eu consegui furar o bloqueio, mas quantos conseguem?  Até quando vamos contar com o destino? Os jovens não conhecem a História, não leem. Verdade. É verdade também que pouco faço para eles conhecerem e lerem as Histórias e suas histórias com estórias. Então, é difícil se apropriar daquilo que nego. Depois reclamo dos políticos que escolhem.

———————-

Efson Lima escreve nas horas não vagas do dia. Doutor em direito/UFBA. Professor universitário.

 

 

Forró Solidário ajudará famílias no Sul da Bahia

cesolEm meio à pandemia covid-19, a dupla Silvano e Carla resolveu realizar uma apresentação no próximo domingo (31), às 14h, numa live no YouTube que promete aquecer o clima junino nas casas dos forrozeiros e forrozeiras de plantão. O projeto tem como objetivo arrecadar um cachê solidário para os artistas e, ao mesmo tempo, ajudar instituições de Itabuna com a doação de alimentos.

As entidades parceiras que serão beneficiadas são o Centro Público de Economia Solidária (Cesol) seccional Litoral Sul e o Albergue Bezerra de Menezes, ambos de Itabuna. O Cesol realiza um trabalho de assistência técnica com mais de 1200 famílias de toda a região, envolvendo 26 municípios.

Com o distanciamento social provocado pela pandemia, muitas famílias da economia solidária e da agricultura familiar já enfrentam dificuldades para o sustento.  Poderão ser doados alimentos não perecíveis, itens de higiene e de limpeza. Todo o material será direcionado às instituições que montarão cestas básicas para doação às famílias em situação de vulnerabilidade social.

Read the rest of this entry »

Encontro discute turismo pós-pandemia na Costa do Cacau

 

eixo 4

No “novo normal”, será tendência a busca por destinos e segmentos que ofereçam segurança sanitária, sem aglomerações de pessoas,  proporcione experiências autênticas e contato com a natureza ao turista. Neste cenário, o Turismo Rural surge como estratégia de desenvolvimento do turismo na recuperação após a pandemia.

Para a Costa do Cacau, assim como para outros destinos turísticos do Estado da Bahia que possuem ofertas de recursos naturais, o momento traz uma oportunidade de melhor trabalhar o potencial desses atrativos,  através da simplicidade, belezas, riqueza cultural e tranquilidade da vida no campo.

Para enriquecer o debate, a Eixo 4 – Soluções Inteligentes convidou quatro profissionais renomados,  Claudiana Figueredo, Marita Moura, Gerson Marques e Marco Lessa, que irão abordar pontos fundamentais relacionados ao tema, enfatizando os desafios e oportunidades do Turismo Rural, que surgem com a atual crise mundial.

A Webinar será nesta terça-feira, dia 26 às 17h00, e acontecerá na Plataforma Zoom.

Read the rest of this entry »

Investimentos do Governo do Estado em equipamentos qualificam produção de cafés gourmet no sudoeste baiano

cafe gOs mais de 150 agricultores familiares, filiados à Cooperativa Mista dos Pequenos Cafeicultores de Barra do Choça e Região (Cooperbac), comemoram a instalação de equipamentos para a qualificação da produção do café cultivado no Sudoeste Baiano. A cooperativa, que produz 280 mil sacas de café por ano, agora passa a contar com uma máquina empacotadora para café expresso gourmet, empacotadora a vácuo e equipamentos para implantação do Laboratório de Análise Sensorial de Café, possibilitando à cooperativa a comercialização direta do café, com laudos próprios.

 

 

 
O conjunto de equipamentos, que tiveram investimentos de R$770 mil, do Governo do Estado, possibilita a classificação e o empacotamento do café, além de agregar valor à produção e aumentar o faturamento dos produtores em cerca de 10%, em comparação à venda do mesmo grão vendido cru.
A marca Cooperbac Premium Gourmet Café Superior 100% Arábica, registrada desde 2019, é resultado do plano de negócios elaborado após convênio firmado entre a Cooperbac e a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio do edital Alianças Produtivas, do projeto Bahia Produtiva, executado a partir de acordo de empréstimo entre o Governo do Estado e o Banco Mundial.

Read the rest of this entry »

Mercado publicitário: live debate os reflexos da pandemia no Sul da Bahia

tiaoA região sul da Bahia é uma das que mais vem sofrendo com os reflexos da pandemia do Covid-19, tendo sido Itabuna uma das primeiras cidades a terem toque de recolher no estado, em função do crescimento do número de infectados pela doença. Desta forma, a segunda edição da live #TamoJunto, promovida pelo Sindicato das Agências de Propaganda do Estado da Bahia (Sinapro-Bahia), vai abordar o mercado publicitário da região Sul frente ao cenário da pandemia do estado. A transmissão acontecerá na próxima terça-feira (dia 19), às 10h, no perfil do Sinapro-Bahia no Instagram (@sinaprobahia).

 

 

O convidado da semana será o diretor de Criação da agência Art3 Propaganda, Tião Barros, delegado Regional Sul do Sinapro-Bahia que será entrevistado pelo diretor de Relações Governamentais do Sinapro-Bahia e vice-presidente da Associação Baiana do Mercado Publicitário (ABMP), Luis Eduardo Lima, sócio e vice-presidente de Novos Negócios da agência SLA Propaganda.

luiz

Sucesso – A estreia da live #TamoJunto, na última terça-feira (dia 12), foi muito bem recebida pelo mercado e teve a participação da presidente do Sinapro-Bahia, Vera Rocha e do consultor em gestão e professor Osvaldo Matos. O tema abordado, gestão das agências de propaganda frente ao cenário atual da pandemia do novo Coronavírus, chamou a atenção dos participantes que já solicitaram a realização de outra live com o mesmo tema e convidado. Semanalmente, a live #TamoJunto trará assuntos de interesse dos publicitários e de anunciantes, abordados por especialistas nos temas.

 

Corpo de Bombeiros entrega 5 mil frascos de álcool em gel para colégios do Sul da Bahia

BombeirosO Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA) entregou nesta terça-feira (28), ao Núcleo Territorial de Educacional (NTE) Litoral Sul, em Itabuna, 5 mil frascos de álcool em gel (500 ml). A ação foi realizada por equipes do 4° e 5° GBMs, localizado e em Itabuna e Ilhéus. O material é fruto de uma parceria das secretarias estaduais do Planejamento (Seplan), da Educação (SEC), de Desenvolvimento Rural (SDR) e de Desenvolvimento Econômico (SDE).

“Nossa tropa, assim como equipamentos e viaturas estão à disposição dos cidadãos, também para as ações de combate à Covid-19. Estamos seguindo todos os protocolos de segurança e passando para a população a importância dos cuidados. Além disso, iniciamos a campanha Quarentena Solidária, onde arrecadamos, em todos os quartéis do estado, alimentos não perecíveis e materiais de limpeza para doação”, explicou o comandante-geral do CBMBA, Coronel BM Francisco Telles.

Além dos 5 mil frascos (500 ml) de álcool em gel entregues pelos bombeiros, o Governo do Estado entregou no sul da Bahia, na última segunda-feira (27), outros 3 mil litros de álcool 70%, 8,2 mil máscaras de TNT e 2 mil máscaras acrílicas de proteção facial do tipo Face Shield, para utilização em unidades de saúde, além de 5 mil máscaras de tecido para estudantes da rede estadual.

Read the rest of this entry »

Governo do Estado amplia número de leitos de UTI no Hospital da Costa do Cacau e reforça ações de enfrentamento à pandemia da Covid-19

hospital hrccPara enfrentar o avanço acelerado do novo coronavírus no Sul da Bahia, o Governo do Estado está reforçando e ampliado a estrutura de atendimento da população. Na manhã desta terça-feira (28), durante entrevista à TV Santa Cruz, o secretário da Saúde (Sesab), Fábio Vilas Boas, anunciou a implantação de 41 novos leitos de UTI no Hospital Costa do Cacau, que já contava com 30 leitos em funcionamento.
“A região Sul da Bahia vive uma situação muito preocupante, com um taxa de contágio muito maior que no resto da Bahia. E em função desse crescimento, o Governo do Estado está dobrando o número de leitos de UTI para atender ao crescente número de infectados”, afirma o secretário.
santa casa itabunaAlém do Hospital da Costa do Cacau, a estrutura de atendimento da região conta com 10 leitos de UTI no Hospital de Ilhéus. Em Itabuna, a Santa Casa de Misericórdia oferece dez leitos adultos no Hospital Calixto Midlej, três leitos infantis de UTI no Hospital Manuel Novaes; além de 40 leitos clínicos.
Ilhéus aguarda ainda o credenciamento de mais 13 leitos no Hospital São José e outros 30 na montagem de um hospital de campanha.

Já Itabuna, terá a habilitação do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, que poderá ofertar até 21 leitos de UTI e 38 clínicos.
Unidades de Retaguarda
ACC845AE-8779-4142-A7B8-9AB0F2CEDA37Na segunda-feira (27), graças a uma parceria entre o Governo do Estado e a prefeitura de Ilhéus, entrou em funcionamento a Unidade de Atendimento Covid-19 no Centro de Convenções da cidade para acolher, estabilizar e encaminhar pacientes suspeitos de infecção. Com 22 leitos, o espaço irá receber casos leves de pessoas com suspeita de infecção e pacientes que apresentam a progressão dos sintomas, como falta de ar.
O Centro foi adaptado para operar 24 horas por dia com uma equipe de 20 profissionais de saúde, entre médicos, técnicos de enfermagem, enfermeiros, maqueiros, serviços gerais e atendimento.
Os pacientes que apresentarem evolução dos agravos vão ser regulados pela Central Integrada de Comando e Controle da Saúde do Estado da Bahia para um dos hospitais de referência.
Em Itabuna, a o Centro de Triagem foi instalado da UPA no bairro Monte Cristo, com 10 leitos clínicos que podem se tornarem semi intensivos e três de estabilização, com cerca de 80 profissionais de saúde, 25 diariamente. A UPA do bairro Fonseca também está sendo estruturada para funcionar como centro de triagem.
Entrega de equipamentos de proteção
130357F6-31EF-46EE-9F38-4747F5036820O Governo do Estado entregou para a região, 5,5 mil litros de álcool 70%, 8,2 mil máscaras de TNT e duas mil máscaras acrílicas de proteção facial do tipo Face Shield, para utilização em unidades de saúde, além de cinco mil máscaras de tecido para estudantes. Os materiais foram entregues para a Prefeitura Municipal de Ilhéus, Santa Casa de Misericórdia (Itabuna), Hospital de Base (Itabuna), Hospital Regional Costa do Cacau (Ilhéus) e Núcleo Territorial de Educação (NTE) de Itabuna.
Bombeiros militares especialistas em defesa química, biológica, radiológica e nuclear (QBRN) estão fazendo a descontaminação de estruturas e ambientes do Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus.

Os livros e seus fazedores – uma ode a liberdade

Efson Lima

 

efson limaDia 23 de abril se comemora o Dia Mundial do Livro e também dos Direitos do Autor.  Poderia ser mais uma data, mas lembrar o dia do livro se tornou uma data obrigatória para quem cultiva a liberdade. Para além da liberdade, também é uma data muito especial para a cadeia do livro, para o processo criativo, para a economia, para a cultura… A importância é enorme, desde quando Gutemberg inventou a imprensa, certamente, o fato possibilitou uma proliferação de informação sem precedente, então, os interessados podiam consultar as fontes.  Por óbvio, a oralidade continuou, mas os registros foram sendo feitos e difundidos na sociedade. O homem não seria o mesmo, encontrava outros ares. Os limites passaram a ser a  capacidade de imaginação.

É  natural que as rupturas com o passado nem sempre acontecem com um passe de mágica. É um fazer, é um construir permanente com idas e vindas. As transformações decorrem dos valores  que são cotejados pela sociedade. Nem sempre a transfiguração é momentânea.  O bom (nem sempre) é que essas modificações nos atingiram com o passar do tempo, alcançaram também as terras sul baianas com o colonizador.

Uma mudança pode levar a outra. Assim, alcançamos o século XX, que foi fértil para as tipografias, para o surgimento de livros. E nas terras do cacau, elas ajudaram a  consolidar a expressão “nação grapiúna”. Deram vozes aos escritores regionais, permitiu que Adonias Filho informasse ao mundo que além de cacau, aquela civilização  dava frutos em forma de escritores. Afinal, a terra era fértil de escritores ( continua), mesmo os não nascidos eram/são contaminados pela fecunda literária. Portanto, sempre que posso insisto na terminologia da região literária e/ou em Ilhéus como uma cidade literária.

jorge tocaiaEstou a ler,  neste período,  “ Terras do sem -fim “  e “Tocaia Grande”  para desenvolver melhor essa ideia das terras da literatura, afinal, temos a literatura do cacau.  Estas são apenas duas obras de Jorge Amado, que sem dúvida, foi o nosso escritor maior. Mas temos tantos outros que moraram ou passaram por essa região:  Milton Santos, o já evidenciado Adonias Filho, Sosígenes Costa, Hélio Pólvora, Telmo Padilha, Valdelice Pinheiro e Euclides Neto – este com diversos livros sobre o homem do campo.  Fazedores de livros. Temos também os atuais: Cyro de Matos e Aleilton Fonseca, ambos pertencente à Academia de Letras de Ilhéus e da Academia de Letras da Bahia. Escritores que ultrapassam as barreiras desta região, possuem a capacidade de transportar nossas ideias, nossas identidades por meio dos livros. Somos gratos!  Eleva-nos a categoria de civilizados.

Temos escritores mais novos, tais como Geraldo Lavigne, Luh Oliveira, Pawlo Cidade, este por sinal, abrilhantou-nos com uma live no Facebook sobre processos criativos ao narrar sobre seus processos,  estimulando mais de uma dezena de pessoas a se lançarem ou aperfeiçoarem a escrita. Não só basta escrever, desperta a solidariedade mesmo que a escrita tenha um traço de produção individual. Pawlo tem 17 livros publicados e alguns no forno. Em breve, vamos saboreá-los. Afinal, ler é um ato gastronômico contínuo. Vão também nesta senda e brilhando: Marcus Vinicius Rodrigues que estar sempre a nos abraçar com o mar;  Tom S. Figueiredo – um escritor premiado e com uma produção diversificada; e Fabrício Brandão com  a Revista  Diversos Afins e com as  suas levas, ficamos curiosos, periodicamente, por elas. Certamente são muitos outros escritores. É uma mina constante o sul da Bahia.

noraSe o início do  Século XX possibilitou as nossas caminhadas com a literatura impressa, foi também no final daquele século que surgiu a Editus, no berço da UESC. Por vezes, essa editora pode  passar despercebida até mesmo entre os sul baianos. Não sei exatamente quantos escritores e autores regionais já foram publicados por ela, mas sem dúvida alguma, foi importantíssima, pois, mesmo diante da crise do cacau, ela conseguiu manter viva a  chama da escrita. Foram textos científicos, ensaios… literários, textos sobre a história regional, foi esse ambiente que permitiu a ideia circular. Estimulou a escrita. Lembremos que o acesso massivo à internet  só veio acontecer de forma tardia no Brasil e no sul da Bahia não foi diferente [sou um daqueles que só consegui pilotar um computador já em Salvador (2007), mesmo assim, coletivo, na Residência Universitária].

Portanto, reconhecer o trabalho da EDITUS é primordial. Sabemos também que as instituições podem surgir, mas pessoas precisam liderar, ser jeitosas, responsáveis e acreditar naquilo que estar a gerenciar sem deixar de olhar a bússola que, por vezes, parece não nos levar a lugar algum. Então, tem-se uma figura feminina, a senhora Maria Luiza Nora, conhecida como Baísa. Não a conheço e o que sei dela são pelos livros e por sua produção. Mas posso dizer que é a “fazedora de livros”, a fazedora de escritores regionais.

Estava a ler sobre o professor Ruy Póvoas, eis que encontro o artigo “A Obra de  Ruy Póvoas: Percurso Editorial” da fazedora de livros sobre o papel que exerceu para que conhecêssemos as produções do professor Ruy, especialmente, a partir de 1996. Lendo o livro“ Crônica da Capitania de São Jorge dos Ilhéus”, de João da Silva Campos, na semana passada, verifiquei que lá estava como Diretora da Editus, Maria Luiza Nora; e  Maria Schaun, assessora na Editus e responsável por cuidar da 3ª edição do título em tela. Papéis importantes no processo de editoria.  A capa do livro é primorosa. Então, os livros também permitem resgatar nossas histórias. Refletir é uma das condições humanas. Assim, verificamos acertos e erros. Avancemos!

paulo cidadeA publicação de autores regionais e as temáticas da região contribuíram para consolidar a produção literária; a produção científica e a sua difusão. Tão cara aos dias atuais e tão exigível pelas as agências de pesquisa. Pouco se falava, mas já se cumpria a missão na UESC ao seguir as diretrizes da professora  Renée Albagli, reitora na época, quando criou a Editus e traçou como um dos objetivos: publicar e incentivar autores regionais e novos autores.

Assim sendo, temos a EDITUS que vai brilhando com outras lideranças e cumprindo com sua missão institucional, fomentando e apresentando novos escritores. A EDITUS com a Academia de Letras de Ilhéus promovem o concurso literário Sosígenes Costa, permitindo que os escritores baianos se inscrevam e passem pelo processo de editoração, sem falar na premiação em espécie e a promoção do Festival Literário de Ilhéus.

Vivam os fazedores de livros: os autores, as editoras, os revisores e toso o pessoal que trabalha com esse ofício. Temos  as livrarias e seus livreiros. Surgiram as plataformas virtuais que continuam a massificar e a aproximar mundos tão distantes e grandes, que parecem pequeno.

Os livros transportam ideias, pensamentos. Eles são feitos porque somos livres para pensar, para idealizar. Cultivar boas imaginações. Os livros carregam  ideias políticas, defendem igualdade, semeiam a fraternidade. Permitem florescer rosas, apesar de os espinhos nascerem também. Mas, vamos tomando os cuidados que não nos machucam. O libertário consegue conviver com os diferentes, com o que pensa o ditatorialmente. Mas aquele que pensa ditatorialmente não consegue conviver com o libertário e muito menos com o diferente.  Quando os libertários assim não fazem, recebem críticas e considerações irrepreensíveis são feitas. É o demarcador da democracia.  Afinal, no papel e nas artes podem caber tudo, mas os nossos atos e gestos não comportam atitudes intolerantes, não permitem o cultivo dos atos antidemocráticos. Os livros são luzes, mesmo que alguns insistam em pôr fim a claridade.

Penso que o excerto do discurso de posse de Adonias Filho, na Academia Brasileira de Letras, sintetiza o culto pela liberdade e pelos valores de um Estado Democrático de Direito: “Seria imperdoável não mover o tempo, fazendo-o recuar, retomando o passado como a demonstrar que a infância não morre. O menino está deitado na terra, sombras na roça de cacau, os homens cortam os frutos. O agreste de Ilhéus, Itabuna e Itajuípe, em todas as aventuras do povo do sul da Bahia, chega pelas vozes que narram. Heróis que se isolam, o sangue escorre na fala, o menino escuta. A saga é violenta, guerra e ódio, também piedade e amor, a carga humana pesa como o chão de árvores. Ouviu, o menino ouviu. E quando o romancista se debruça para escrever – sem reinventar a fábula regional, sem trair as vozes, sem esquecer as figuras – é o menino quem na verdade escreve. Esses livros, porém, tempo imóvel em minha vida, não se fariam em um país sem liberdade.”

No mundo cada vez mais virtual o suporte para o livro tem mudado bastante. Temos sido seduzidos pelo ebook, mas os processos de criação  continuam com traços assemelhados. Não se busca o papel, mas carecemos de suportes como notebooks, desktops, smartphones. Além dos autores entram em ação outras pessoas que são importantíssimas pela qualidade e estética do livro: o designer, os diagramadores, os revisores… é uma cadeia de profissionais que vai se somando.

O cultivo aos livros em uma sociedade pode dispor sobre o grau de evolução desta civilização. Pode se verificar o acesso desta nação aos recursos culturais. Meu amigo e minha amiga, pode também dizer a respeito de como valoramos o Estado Democrático de Direito. Defender a existência de livros, a circulação e o acesso deles é assegurar a vida humana na sua completude de liberdade. É possibilitar o pleno funcionamento da República de Cidadãos. Vivam os fazedores de livros! Viva a liberdade! Nenhum livro a menos!

OBS: A ideia para escrever esse texto partiu da live feita por Pawlo Cidade, escritor, realizada no domingo, 19/04/2020, iniciada às 15 horas, com duração de uma hora

 

Efson Lima – doutor em direito/UFBA. Coordenador-geral da Pós-graduação, Pesquisa e Extensão da Faculdade 2 de Julho e do Laboratório de Empreendedorismo, Criatividade e Inovação ( LABECI).  Escritor. Das terras de Itapé/Ilhéus. efsonlima@gmail.com

 

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
julho 2020
D S T Q Q S S
« jun    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031