hanna thame fisioterapia animal
livros do thame

Posts Tagged ‘racismo’

Em redes sociais, Rui Costa combate racismo e violência contra a mulher

Em suas redes sociais, o governador Rui Costa postou, nesta sexta-feira (1º), uma mensagem em que defende um Carnaval sem racismo ou violência contra a mulher. “Quero uma festa de paz, sem espaço para preconceito e de muito respeito às mulheres. Não vou admitir atos de racismo e intolerância religiosa. Não vou admitir atos de violência contra a mulher, em qualquer circunstância. Quer paquerar? Conversar pode, elogiar pode. Mas não é não e ponto final! Quem define as regras são elas. Vamos ficar atentos e denunciar qualquer situação de violência, intolerância, racismo e homofobia”, escreveu Rui.

 

Na noite de quinta-feira (dia 28), o governador participou da abertura oficial da festa, no Campo Grande (Circuito Osmar). Depois, no circuito Barra/ Ondina (Circuito Dodô), acompanhou o desfile das atrações sem corda patrocinados pelo Governo do Estado, como Bell Marques e Solange Almeida.

Enem aborda direitos humanos, racismo e manipulação na internet

enem

(Agencia Brasil)-No primeiro domingo do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), foram aplicadas as provas de linguagem, ciências humanas e redação. Alguns temas abordados foram a Declaração Universal dos Direitos Humanos, racismo, ditadura militar e violência contra a mulher.

Logo na sexta questão, a prova citou a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, Audrey Azoulay, em uma fala sobre a existência da discriminação e do ódio na sociedade. “A Declaração Universal dos Direitos Humanos está completando 70 anos em tempos de desafios crescentes, quando o ódio, a discriminação e a violência permanecem vivos”.

Read the rest of this entry »

Rede Globo afasta William Waack por acusação de racismo

waack

Um vídeo divulgado nesta quarta-feira 8 determinou o afastamento de um dos principais jornalistas da Rede Globo: o âncora William Waack, que aparece nas imagens dizendo “é coisa de preto”; episódio foi o mais comentado do mundo nas redes sociais e mostra que o racismo, crime inafiançável no Brasil, não pode ser tolerado em hipótese alguma.

“A Globo é visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações. Nenhuma circunstância pode servir de atenuante. Diante disso, a Globo está afastando o apresentador William Waack de suas funções em decorrência do vídeo que passou hoje a circular na internet, até que a situação esteja esclarecida”, disse a empresa. (Brasil 247)

 

Taís Araújo fala sobre racismo e feminismo no projeto Mulher com a Palavra

Mulher com a Palavra: Taís Araújo

O público de Salvador lotou o Teatro Castro Alves (TCA), na noite desta segunda-feira (18), para assistir ao bate papo entre a atriz Taís Araújo e a jornalista e apresentadora Rita Batista, no projeto “Mulher com a Palavra”, promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM). Taís, uma das primeiras protagonistas negras em horário nobre da TV brasileira, falou da sua história, de como se sentiu abusada quando, aos 17 anos, teve fotos nuas publicadas sem autorização, e como começou sua militância pelo feminismo e pelo movimento negro. “A gente tem a dizer muitas coisas, desde equidade na sociedade, diferença salarial, respeito, a gente tem falado do transporte público, são tantas pautas que não dá para resumir. A gente está muito aquém do que a gente deseja e do que a gente merece, eu não consigo fazer uma lista”, afirmou a atriz.

Ainda segundo Taís, sua militância nasceu da necessidade de falar e, para isso, a experiência como artista foi fundamental. “Para falar é preciso ter um mínimo de segurança, saber que você vai ser ouvido, porque senão nem força para isso você tem. Quando as mulheres tentam falar, a tendência é desqualificar essas mulheres para que elas não consigam falar. Mas eu acho que meu desejo vem da necessidade, vem da falta”, explica.

Read the rest of this entry »

Baiano de Brumado é preso por racismo contra atrizes da Globo

 

baiano 3Equipes das polícias Civil do Rio de Janeiro e da Bahia cumpriram, na manhã desta quarta-feira (16), em Brumado, mandado de prisão temporária contra Tiago Zanfolin Santos da Silva, de 26 anos, acusado de injúria racial contra atrizes e repórteres da Rede Globo de Televisão.

A ação fez parte da Operação Cyberstalking, deflagrada pela polícia fluminense em seis estados para o cumprimento de 11 mandados de busca e apreensão e quatro de prisão nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e Bahia.

O delegado Leonardo Rabelo, coordenador da Coorpin/ Brumado, disse que Zanfolin é integrante de uma organização criminosa, que, pela Internet, fez vários ataques racistas a atrizes, jornalistas e apresentadoras, como Taís Araújo, Sharon Menezes, Chris Vianna, Maria Júlia Coutinho, Xuxa Meneghel e Angélica.

baiano 2  Funcionário de uma loja de e venda e manutenção de equipamentos de informática, Zanfolin estava em casa quando foi preso e não esboçou nenhuma reação. No imóvel, foram apreendidos um notebook, uma CPU e um celular.

A investigação foi realizada pela Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), do Rio, e, em Brumado, contou com o apoio das unidades policiais da Coorpin/Brumado. Segundo o delegado Leonardo Rabelo, Zanfolin deve responder criminalmente pela prática dos crimes de injúria racial, racismo e associação criminosa.

Turista diz que gostou de Itacaré, mas reclamou que “só tem negro” na cidade

rac]

 “Meu amigo só não gostou muito, porque só tem negro em Itacaré. E aqui nossa galerinha odeia negros, ai já sabe né? Rsrsrsrs, mas eu falei para eles assim: É só não se misturar brodher, porque você fica preto! kkkkkkkk”.

Com esse e vários outros comentários ofensivos e muito palavrões, um jovem natural de Pedreiras Maranhão, causou muita revolta e comentários de moradores e Itacaré e de outras cidades da região na rede social Facebook.

Procurado pela reportagem do site Itacaré Urgente, que denunciou a atitude racista,  em seu perfil na rede social, o jovem declarou que só se manifestará sobre o assunto após consultar seu advogado.

A declaração racista gerou revolta nas redes sociais com pedidos de punição ao maranhense, a exemplo do que aconteceu com a torcedora do Grêmio, que num jogo contra o Santos pela Copa do Brasil chemou o goleiro santista Aranha de “macaco”. O time gaúcho foi excluído da competição e a torcedora responde a processo na Justiça.

 

 

Jovem negra é vítima de racismo no Facebook após postar foto com namorado branco

face brancoQuando M. D. M. R., uma jovem negra de 20 anos, colocou uma foto sua com o namorado no Facebook, ela não imaginava do que seria vítima. Ela foi atacada em uma enxurrada de comentários com ofensas racistas.

A vítima, que pediu para ser identificada apenas pelas iniciais de seu nome, mas autorizou o uso da imagem, disse ter ficado triste com a situação. Com o apoio da família e do namorado, resolveu procurar a polícia e denunciar o caso. Ela diz também ter recebido muitas mensagens de conforto. Em uma delas, um advogado de Brasília a aconselhou a procurar as autoridades.

O caso ocorreu na cidade mineira de Muriaé (a 320 km de Belo Horizonte). Segundo a Polícia Civil de Minas Gerais, um inquérito foi aberto nesta quarta-feira (27) para investigar o caso. Segundo a polícia, a jovem publicou a foto no dia 17 deste mês na rede social e surgiram vários comentários racistas. Ela procurou a polícia no dia último dia 26 para registrar a queixa.

Em um dos comentários feito na página da jovem na rede social, um internauta escreve: “Onde comprou essa escrava?”, para em seguida pedir: “Me vende ela”.A estes seguiram outros comentários: “Parece até que estão…. na senzala”; “Seu dono?”; “um branco e uma negosa (sic)”; “Tipo assim tia eu acho que vc roubou o branco pra tirar foto (sic)”.

Em entrevista ao UOL, a moça afirmou que quer que sua atitude sirva de exemplo para outras pessoas. “Achei muito triste. Na hora, fiquei surpresa com tudo o que estava acontecendo, mas depois meu namorado e minha família me deram força. Foi uma atitude corajosa minha mesmo [de ter feito a denúncia], porque muitas pessoas não têm coragem de denunciar esse tipo de crime. Acho que todo mundo deve denunciar”, afirmou, pedindo também punição aos que postaram as mensagens de cunho racista.

“Eu acho que toda pessoa sofreu algum tipo de preconceito, seja qual for, tem de denunciar à polícia. Não pode ficar impune. Eu quero que seja descoberto quem foi e que paguem pelo que fizeram comigo”, afirmou.

A moça afirmou ter desativado a página na rede social após a repercussão do caso, mas a reativou depois de ter feito a denúncia.

“Eu vou continuar com ela [a página no Facebook]. Em um primeiro momento, muitas pessoas ficaram me procurando, aí eu achei melhor desativar. Mas não por medo, só por conta disso mesmo”, disse. (com informações do UOL)

 

 

Dilma com Papa Francisco: Copa de paz e sem racismo

dilma papaA presidente Dilma Rousseff se encontrou, agora à tarde, com o papa Francisco, a quem enfatizou o desejo de que o Brasil realize uma Copa do Mundo segura e marcada pela paz. “Vim aqui porque a Copa do Mundo vai ocorrer no Brasil em julho. E eu vim dizer para o Santo Padre que nós vamos fazer uma Copa com um tema muito importante. O tema é uma Copa pela paz e uma Copa contra o racismo”, disse ela. Leia, abaixo, reportagem do Blog do Planalto:

A presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira (21) durante entrevista coletiva após encontro com o Papa Francisco, que pediu ao Santo Padre uma mensagem pela paz e contra o preconceito, que serão os temas da Copa do Mundo de 2014. Para Dilma, a presença do Papa no Brasil na Jornada Mundial da Juventude foi um momento de grande interlocução de espíritos em que o povo brasileiro mostrou sua generosidade e “abraçou” Francisco.

“Vim aqui porque a Copa do Mundo vai ocorrer no Brasil em julho. E eu vim dizer para o Santo Padre que nós vamos fazer uma Copa com um tema muito importante. O tema é uma Copa pela paz e uma Copa contra o racismo”, afirmou.

Dilma presenteou o Papa Francisco com uma bola autografada pelo jogador Ronaldo, uma camisa da seleção brasileira autografada por Pelé e uma coleção de livros sobre a história dos jesuítas no Brasil. Ela também brincou com a rivalidade entre brasileiros e argentinos no futebol.

“Fiquei muito feliz de estar aqui e necessariamente também nós falamos a respeito dessa questão que, sempre que brasileiros e argentinos se encontram e falam sobre a Copa é tocada: a questão de quem ganha a Copa do Mundo. A única coisa que eu pedi era que a neutralidade fosse mantida por parte do Santo Padre e assim a ‘Mão de Deus’ não empurrasse a bola de ninguém”.

A presidenta disse que a ida do Papa ao Rio de Janeiro na Jornada Mundial da Juventude foi um momento muito importante para o Brasil.

“Acho que o Brasil mostrou ao Papa aquilo que ele tem de melhor, que é essa imensa generosidade do povo brasileiro, aquela capacidade de acolhimento. Acho que o Brasil abraçou o Papa e mostrou também, eu acho que a contribuição do Papa é em termos dos valores que ele transmitiu naquele momento. Nós somos um Estado absolutamente laico. O Papa, como um chefe de Estado, foi recebido. Mas ele também teve esse papel inequívoco, que foi expressar valores, que são os valores da fraternidade, da solidariedade, da relação um com o outro de forma respeitosa. E mostrou a possibilidade de um grande congraçamento de pessoas com um grau de pacifismo imenso. Então foi um momento especial para o Brasil”.

Um soco na cara do racismo…

Quem é mesmo a pessoa desprezível?

Ministra vê racismo em protestos contra médicos cubanos

Ministra Luiza Bairros: racismo e preconceito contra cubanos

(da Agência Brasil)- A ministra de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros, afirmou hoje (2) que a reação contra os médicos cubanos que chegaram ao Brasil na semana passada, para participar do Programa Mais Médicos, evidencia que ainda existe racismo e que ainda se questiona o lugar que os negros ocupam na sociedade.

“Não tem como, no Brasil, pessoas brancas se dirigirem a pessoas negras chamando-as de escravas e isso não conotar racismo. Ainda mais quando se questiona o papel social dos negros, que não poderiam ocupar lugar social”, disse a ministra, durante debate sobre  direitos das minorias no programa Brasilianas.org, da TV Brasil.

Para Luiza Bairros, a sociedade brasileira ainda resiste a medidas que buscam combater as desigualdades. Por isso, disse ela, é preciso trabalhar para mudar essa característica cultural. “As manifestações de racismo correm soltas, de um modo que não víamos há muitos anos. Ao mesmo tempo, o desafio de lidar com essas manifestações requer uma mudança de mentalidade, um processo de reeducação para que a inclusão de determinados segmentos seja vista como um benefício para toda a sociedade”, acrescentou a ministra.

“Eles estavam em carro importado, só pode ter sido roubado”, diz universitária atropelada por um casal de negros

o ´desabafo´ da universitária na rede social. racismo explicito

Os comentários de uma aluna do curso de Publicidade e Propaganda da Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), pelo Twitter, revoltaram internautas e geraram uma repercussão nas redes sociais na madrugada deste sábado (31). Chamada de racista, Marina Ceresa chegou a ser repreendida pelo Centro Acadêmico da universidade e teve que se explicar em outra publicação. Tudo aconteceu quando a jovem estava a caminho da universidade quando, segundo ela, um carro com um casal negro quase a atropelou. “Acabei de quase ser atropelada por um casal de negros. Depois vocês falam que é racismo né, mas TINHA QUE SER, né?”, disse a estudante, que completou em outra mensagem: “E estavam num carro importado, certo que é roubado”.

Marina ainda fez outro comentário. “Eu não sou racista, aliás, eu não tenho preconceitos. Mas, cada vez que aprontam uma dessas comigo, nasce 1% de barreira contra PRETOS em mim”, disse. Por conta da repercussão instantânea, a universitária resolveu deletar sua conta no Twitter, mas decidiu manter ativo seu perfil no Facebook, pelo qual divulgou uma nota se desculpando pelo ocorrido. “Estou postando essa nota de esclarecimento porque eu olhei para o que eu escrevi e percebi que eu fui muito errada em colocar aquelas palavras de efeito. Eu não sou racista, não tenho nenhum tipo de preconceito. [Estou] pedindo desculpas a todos os meus amigos negros pelas palavras horríveis que escrevi, pelas brincadeiras de mal gosto que foram feitas. Espero que sejam aceitas, vocês sabem que eu não sou desse tipo. Rafinha Bastos disse que o humor não tem limites, mas hoje descobri que a “zueira” maldosa e negativa tem”, desabafou. (do Bahia Noticias)

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031