WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
hanna thame fisioterapia animal

livros do thame




Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

fevereiro 2023
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728  


:: ‘pesquisa’

Site disponibiliza pesquisa sobre a região cacaueira da Bahia

A história sociocultural da região baiana que tem como seu eixo histórico os municípios de Ilhéus e Itabuna, contada pelo Projeto Histórias Grapiúnas – Pesquisa, está disponível ao público por meio do site www.historiasgrapiunaspesquisa.com.br. Contando com patrocínio da Bahiagás, através do mecanismo estadual de fomento à cultura (FazCultura), o projeto lança um olhar crítico sobre a idealização de uma civilização cacaueira, batizada de Grapiúna no início do século XX. Esta região, em sua construção histórica oficial, foi erguida com base na política do coronelismo e na economia do cacau.

O site conta com publicações de artigos e dissertações, acervo de filmes, indicações de sites e acervos online relacionados à pesquisa, além de uma minissérie no podcast Enfiados na Lama – tudo isso buscando valorizar investigações e narrativas sobre o desenvolvimento histórico e cultural desta região e sua constituição em relação às referências afro-brasileiras, indígenas e populares. “Fizemos um levantamento aprofundado e crítico da história oficial da região contada por um grupo de homens brancos, advindos do sertão sergipano, que migraram para o Sul baiano com a intenção de conquistar e colonizar a terra, construindo suas riquezas através do cacau. Mas apesar do cacau, enquanto uma commodity, ter sido o responsável pelo repentino desenvolvimento econômico da região, as influências afro-brasileiras, indígenas e populares em sua tradição cultural e artística também contribuíram para este feito”, revela o cineasta e coordenador do projeto, Carlos Ortlad.

Por isso, o projeto de pesquisa ressalta a importância da valorização da identidade desses povos. “Entrevistamos artistas, professores, militantes e lideranças locais buscando também outras referências para compreender a origem da Região Grapiúna, advindas de quilombos, aldeias, terreiros e outras formas de organização popular”, explica o cineasta e roteirista Gabriel Galego.

 

MINISSÉRIE – Além do site, o Histórias Grapiúnas – Pesquisa também vai contar com uma minissérie do podcast Enfiados na Lama, produzida pela Carranca Produções. A minissérie foi dirigida e roteirizada por Gabriel Galego, com trilha sonora original por Geovane Alaketo, leituras dramáticas das atrizes Thali Lua e Nicole Leão e produção por Rafael Melo, Giulia Ventura e Ícaro Piton. “O objetivo da minissérie é condensar, através da linguagem do podcast, a pesquisa realizada durante o projeto. Os roteiros foram montados combinando trechos da literatura sul baiana de autores modernos e contemporâneos, com trechos das entrevistas realizadas durante a execução do projeto de pesquisa na região cacaueira”, adianta Gabriel Galego.

O Histórias Grapiúnas foi coordenado por Carlos Ortlad e Gabriel Galego, com pesquisas feitas por Lucca Fernandes, Wenderson Ribeiro e Rafael de Souza, além de consultorias com Glicélia Tupinambá, Talita Arruda e Marina Tarabay. Os web designers Guilherme Fontes e Edelsio Lima fizeram o site-acervo e a produção ficou a cargo de Felippe Calazans, Carlos Ortlad, Marcos Alves de Souza, Nahraujo e Mano.

O projeto é uma realização da FLIP em parceria com a Praça Produções Culturais e Carranca Produções, contando com patrocínio da Companhia de Gás da Bahia e do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda.

 

Acompanhe:

http://historiasgrapiunaspesquisa.com.br/

https://www.facebook.com/profile.php?id=100087492699333

 

https://www.instagram.com/weflip.co/

 

https://www.instagram.com/pracaprocultura/

https://www.facebook.com/profile.php?id=100087261025447

 

https://www.instagram.com/carrancaproducoes/

https://open.spotify.com/show/7cOKcPU6g7GcReSxC82Vua?si=2cc58efb0ccc4551&nd=1

Pesquisa aponta vitória de Jerônimo no 2º turno

Divulgada neste sábado, 15, a primeira rodada da pesquisa AtlasIntel/A TARDE nesta nova fase das eleições de 2022, aponta vitória de Jerônimo com 55% dos votos válidos, enquanto o segundo colocado, do União Brasil, aparece com 45% das intenções de votos do eleitorado baiano. A pesquisa ouviu 1.620 eleitores de 282 municípios no estado, no período de 9 a 13 de outubro e está registrada no TSE sob o número BA – 0578/ 2022. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais para mais ou para menos

 

‘Dentre todos os institutos, a AtlasIntel foi a única pesquisa a captar o sentimento que já estávamos sentindo na rua, com a população engajada, lutando e acreditando no nosso projeto. Já o grupo político da oposição, talvez por arrogância, saiu ostentando pesquisas que apontavam a vitória do ex-prefeito no primeiro turno para angariar apoios e enganar os eleitores. Primeiro veio a queda e agora o coice. A Bahia vai renovar o projeto de Lula, do 13, elegendo um gestor sério, tarimbado, um cara que tem a competência e a simplicidade como marcas de vida – e não um defensor de um projeto pautado apenas por interesses individuais para chegar ao poder’, afirmou Éden.

 

O presidente do PT baiano disse ainda que apesar da grande possibilidade de vitória de Jerônimo no segundo turno, não existe o clima de “já ganhou no grupo”. “Eleição não se ganha de véspera e temos muito respeito pelo processo eleitoral. Mas claro que a pesquisa, somada à passagem histórica de Lula pela Bahia, claro que anima. Então estamos com muita humildade, sem salto alto e com os pés no chão dialogando com a sociedade baiana para mostrar como a Bahia era antes das gestões do PT, como é agora e como irá avançar ainda mais com Jerônimo Governador. Seguiremos trabalhando para ampliar ainda mais nossa votação”.

:: LEIA MAIS »

Seminário da Fapesb debate o combate à Covid-19 através de pesquisa científica

Buscar o avanço do estado e a melhoria na qualidade de vida da população, por meio do investimento em pesquisa científica, não é nenhuma novidade para a Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb). Para mostrar na prática os resultados de investimentos recentes, a Fundação, que completa 20 anos este mês, promove, na próxima quinta-feira (12), às 14h, com transmissão pelo canal do Youtube da Secti Bahia, o Seminário de Apoio à Pesquisa Científica, Tecnológica e de Inovação para Enfrentamento à Covid-19. Na ocasião, os pesquisadores aprovados serão apresentados aos integrantes do Centro de Operações de Emergência em Saúde, da Secretaria de Saúde (Sesab), quando debaterão sobre formas e possibilidades de incorporar no SUS, as tecnologias, metodologias e resultados, frutos das pesquisas realizadas.

O diretor da Fapesb, Márcio Costa, destaca que o evento faz parte das celebrações que acontecem por todo o mês de agosto, devido ao aniversário de 20 anos da Fundação, e que além da apresentação dos resultados alcançados por cada uma das pesquisas, o Seminário vai focar em medidas práticas de como aplicar o conteúdo desenvolvido em ações concretas no Sistema Único de Saúde. “Esta é a forma mais genuína da pesquisa científica, quando vemos a possibilidade de o investimento retornar para a sociedade em forma de benefícios, neste caso, especificamente, em iniciativas que podem auxiliar a população a enfrentar uma crise sanitária de grandes proporções, como é o caso da pandemia de Covid-19. O edital, na época em que foi publicado, veio em caráter emergencial, quando a Fapesb averiguou a necessidade de mobilizar a comunidade científica para desenvolver soluções para o problema. Agora, estamos celebrando os resultados, ao buscar aplicá-los da melhor forma possível, para que o conhecimento seja aproveitado em prol da melhoria na qualidade de vida do povo baiano”.

:: LEIA MAIS »

Embrapa e Ceplac criam unidade mista de pesquisa de cacau em Ilhéus

cacau 500 1

(Dinheiro Rural)- A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) assinaram  acordo de cooperação técnica para instalação de uma Unidade Mista de Pesquisa e Inovação (Umipi), com sede no Centro de Pesquisas do Cacau (Cepec/Ceplac), em Ilhéus (BA). A Umipi Cacau vai centralizar os estudos científicos nessa área, abrangendo também os Estados do Pará e Rondônia.

A expectativa da Embrapa e da Ceplac é que a nova Umipi contribua com soluções tecnológicas para impulsionar a produção de cacau no País. O Brasil, que já foi o segundo maior produtor mundial de cacau, figura atualmente na sétima posição no mercado mundial. Grande parte dessa queda se deve à incidência, do fungo Moniliophtora perniciosa, causador da doença conhecida como vassoura-de-bruxa, na região cacaueira da Bahia.

O coordenador-geral de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Ceplac, Manfred Müller, disse no comunicado que essa doença levou a uma derrocada drástica da produção brasileira de cacau, de 450 mil toneladas na década de 1980 para cerca de 240 mil em 2019, de acordo com dados do IBGE. “A Bahia, severamente afetada pela vassoura-de-bruxa, não se recuperou até hoje e, atualmente, é a segunda maior região produtora em nível nacional, com cerca de 110 mil toneladas, atrás do Pará, que produz aproximadamente 111 mil toneladas.” Depois, vem Espírito Santo, Rondônia, Amazonas e Mato Grosso.

Pesquisa da UFMG aposta na utilização de nervos sensoriais no combate ao câncer

Grupo de pesquisadores liderados por Alexander Birbrair (ao centro, com garotinha no colo) — Foto: Arquivo pessoal/ Divulgação

Grupo de pesquisadores liderados por Alexander Birbrair (ao centro, com garotinha no colo) — Foto: Arquivo pessoal/ Divulgação

(do G1)- Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) estão à frente de uma pesquisa que aposta na ativação de nervos sensoriais presentes no nosso organismo no tratamento do câncer de pele, o melanoma. Nervos sensoriais são aqueles responsáveis por conduzir estímulos de dor ao nosso cérebro. “Estes são os nervos responsáveis pela dor que a gente sente. Quando um paciente recebe quimioterapia, os medicamentos, que são muito fortes, destroem estes nervos e causam dor nos pacientes”, disse o pesquisador do Departamento de patologia da UFMG, Alexander Birbrair.

A pesquisa, que já é realizada há três anos e deve durar pelo menos outros três, conta com parceiros nas Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Universidade do Estado de São Paulo e Universidade de Columbia, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Os estudos são financiados pelo Instituto Serrapilheira, e também têm apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig).
De acordo com Alexander Birbrair, que fez sua graduação na Universidade Estadual de Santa Cruz-Uesc, a atuação dos nervos sensoriais foi verificada após implantação de células cancerígenas em camundongos transgênicos. Para facilitar a visualização dos pesquisadores, os nervos sensoriais foram demarcados com fluorescência vermelha.

 

Em seguida, os pesquisadores fizeram a remoção dos nervos sensoriais através de dois métodos, um por procedimento genético e outro com utilização de medicamentos. O resultado foi que o tumor cresceu mais. Isso significa, segundo Alexander, que os nervos sensoriais têm a capacidade de infiltrar nas células cancerígenas e afetar seu crescimento.

:: LEIA MAIS »

Pesquisa sobre Sepse será apresentada na Alemanha

foto andrea“Sepse e disfunção glicêmica mudança para o prognóstico”, (Glycemic Dysfunction and Sepsis a change to the prognosis), é o trabalho da enfermeira e coordenadora do curso de Enfermagem da Faculdade Madre Thaís (FMT-Ilhéus) Andrea Dickie ,que vai ser apresentado durante o 3º Congresso Mundial de Sepse, que será realizado ma Alemanha, em setembro próximo.

O trabalho de pesquisa, defendido pela professora Andrea, na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em 2012, foi selecionado pela Universidade Jhons Hopkins, em Baltimore, (Estados Unidos) e será levado para o evento, promovido por universidades e indústria farmacêutica do mundo, esse ano, com o tema central: “Sepsis e Resistência Entimicrobiana – Uma Ameaça Existencial.

A sepse é um conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas por uma infecção. A sepse era conhecida antigamente como septicemia ou infecção no sangue. Hoje é mais conhecida como infecção generalizada.

O trabalho de pesquisa da professora/Ms. Andréa Dickie, tem por objetivo identificar o estímulo do Óxido Nítrico(NO) em pacientes graves e de risco portadores de sepse e disfunção glicêmica diferenciando cada um deles realizando uma avaliação das consequências e nível crítico.

:: LEIA MAIS »

Reitor da UESC avalia o ranking britânico THE: “o desafio é elevar para um nível de excelência a graduação, pesquisa e a extensão”

reitor Alessandro Fernandes blogA publicação britânica Times Higher Education (THE) divulgou, no dia 18 de fevereiro, a edição 2020 do ranking de universidades de países emergentes: THE Emerging Economies University Rankings. A Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) figura entre as mais de 500 instituições de 47 diferentes países que foram avaliadas.

No Brasil, das 296 universidades públicas somente 46 preencheram os critérios de avaliação. A UESC ocupa a 38ª posição entre as brasileiras, 6º lugar na região nordeste brasileira e na Bahia, atrás apenas da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

O reitor Alessandro Fernandes de Santana avalia como “importantíssimo para a Região em que a universidade está inserida, bem como, para o Estado da Bahia, o posicionamento da UESC neste ranking THE, mas o que realmente buscamos é suprir com competência e qualidade a sociedade baiana. Acreditamos que a UESC vai continuar avançando em suas atividades finalísticas e para isso contamos com o empenho de toda comunidade acadêmica.”

“A UESC tem se destacado – continua o reitor – tanto no cenário estadual como no cenário nacional e buscando a sua projeção no cenário internacional através de um processo de internacionalização. Atualmente, administramos 37 convênios de parcerias acadêmicas com 15 países. Contamos com cerca de 60 estudantes estrangeiros em nosso campus, seja na graduação quanto na pós-graduação. Enviamos estudantes nossos, da graduação e da pós-graduação, para outros países, em processo de intercambio acadêmico. No cenário de crise econômica, o desafio é buscarmos elevar, cada vez mais, a qualidade de ensino e ampliar a nossa pesquisa.”

:: LEIA MAIS »

Governo Federal tira extensão rural e ´limita` Ceplac a pesquisa e inovação

Decreto foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro

ceplac

Um decreto publicado no Diario Oficial da União de hoje e assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, e pelos ministros Paulo Guedes (Economia) e Tereza Cristina Correa da Costa Dias (Agricultura), a Altera a estrutura regimental e os cargos em comissão e das funções de confiança do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

O decreto atinge diretamente a Ceplac, que a partir de agora passa a propor e implementar planos, programas, projetos, ações e atividades de pesquisa e inovação referentes ao desenvolvimento da lavoura cacaueira; participar de negociações e propor a celebração de contratos, convênios, acordos, ajustes em articulação com as demais unidades do Ministério. As atividades de pesquisa deverão ser feitas através de parcerias com a Emprapa, Universidade Federal do Sul da Bahia (que ocupa uma ala no Centro de Pesquisas do Cacau), Universidade Estadual de Santa Cruz, que abriga o Centro de Inovação do Cacau-CIC, um braço do Parque Tecnológico do Sul da Bahia, o PCTSul, que teve a Ceplac como uma das indutoras do projeto,  e outras instituições.

decreto ceplac

Também caberá à Ceplac administrar os recursos provenientes do Fundo Geral do Cacau; e orientar e coordenar as atividades relacionadas às Superintendências Regionais de Desenvolvimento da Lavoura Cacaueira.

O decreto praticamente elimina a Ceplac da extensão rural, que foi uma das marcas da instituição ao longo de quase seis décadas. A extensão deverá ser feita por órgãos como o Senar,  Bahiater,  Setaf,  universidades, e instituições privadas através de convênios.

Leia a integra do decreto em

http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/decreto-n-10.253-de-20-de-fevereiro-de-2020-244585023

 

Artigo mostra revisão da presença de camarões do gênero Palaemon no Brasil

Heleno Nazario

Uma das dificuldades permanentes na área da Carcinologia (ramo da Zoologia que estuda crustáceos, como camarões, caranguejos e lagostas, por exemplo) pode ter sido resolvida por pesquisadores brasileiros. O artigo A molecular and morphological approach on the taxonomic status of the Brazilian species of Palaemon (Decapoda, Palaemonidae), assinado pelos cientistas Fabrício Lopes Carvalho (UFSB), Célio Magalhães (INPA) e Fernando L. Mantelatto (USP) e publicado na revista Zoologica Scripta, da Norwegian Academy of Science and Letters e da Royal Swedish Academy of Sciences, apresenta uma proposta para facilitar a identificação de espécies de camarões do gênero Palaemon existentes no Brasil e confirma a existência de nove espécies, pertencentes a duas linhagens. O trabalho realizou uma abordagem interdisciplinar dentro da Biologia, integrando a análise morfológica dos animais à análise molecular de fragmentos do DNA de cada espécie.

Essa identificação e, em consequência disso, a localização geográfica dessas populações, são bastante complicadas quando o tema da pesquisa é o gênero Palaemon, um dos mais abundantes no país. As características morfológicas, isto é, a aparência de caracteres físicos nas espécies desse gênero, são tão variáveis que favorecem a identificação errada. Isso tem consequências na área de estudo e prejudica projetos de conservação e de aproveitamento comercial e sustentável.

:: LEIA MAIS »

Pesquisa aborda variável ambiental em tributos e contribuiu para PEC

Heleno Nazário

pec ufsbA Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 45/2019, que trata da reforma tributária, está em tramitação no Congresso Nacional. As mudanças no sistema tributário nacional que vão permitir a incorporação da tributação ambiental nessa mudança, inclusive em âmbito municipal, são o tema da emenda à PEC 45 apresentada pelo deputado federal Uldurico Alencar Pinto, aprovada com mais de 170 assinaturas de deputados no dia 25 de setembro deste ano. E o embasamento da proposta do parlamentar é, por sua vez, derivada dos resultados de pesquisa em nível de mestrado defendida por Vinícius Pinheiro Parracho no Programa de Pós-Graduação em Estado e Sociedade (PPGES), da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). A ideia é fornecer base legal para que as cidades possam criar os tributos ambientais, ampliando os instrumentos à disposição do Estado para a proteção dos recursos naturais e a mudança de comportamento da população e da iniciativa privada, bem como a obtenção de recursos financeiros para auxiliar no custeio de ações de conservação e recuperação.

O estudo consta da dissertação A Inserção da Variável Ambiental na Tributação de Porto Seguro – Bahia, desenvolvida por Vinícius sob orientação do professor Roberto Muhájir Rahnemay Rabbani e apresentada em 25 de abril de 2019, perante a banca composta pelo orientador, pela professora May Waddington Telles Ribeiro (PPGES/UFSB) e o professor Peter Hermann May (UFRRJ).
O advogado e mestre pelo PPGES/UFSB Vinícius Pinheiro Parracho relata mais detalhes de sua pesquisa ao UFSB Ciência.

:: LEIA MAIS »





WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia