livros do thame

Posts Tagged ‘Pau Brasil’

Bandidos roubam caminhonete de agricultor familiar em Pau Brasil

carro roub

O agricultor familiar Jailson Silva teve seu carro roubado na região do Taquari, zona rural de Pau Brasil, no Sul da Bahia. Ele e a esposa foram abordados por dois marginais e ficaram duas horas sofrendo ameaças.

 

O veículo, uma caminhonete de placas  OUV 2976, é utilizado para transporte da produção de Jailson até as feiras livres.

 

Qualquer informação pode ser fornecida através dos fones 73 8177 1651 ou 8159 1023

Wagner recebe reivindicações dos pataxós hã hã hãe

O governador Jaques Wagner se reuniu nesta quarta-feira (22), na Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), com os índios Pataxó Hã Hã Hãe, do município de Pau Brasil, no extremo sul, que solicitaram equipamentos para resfriar o leite produzido nas aldeias, reforma da escola e iluminação pública. Do encontro também participaram os secretários Cezar Lisboa (Relações Institucionais) e Almiro Sena (Justiça, Cidadania e Direitos Humanos).

Todas as reivindicações serão atendidas, segundo Lisboa, que enfatizou o encontro do governador, no início deste mês, com representantes de outras 21 tribos indígenas. As comunidades foram beneficiadas nas áreas de educação, saúde, moradia, estradas e assistência técnica para a agricultura familiar.

ÍNDIO NÃO QUER APITO, ÍNDIO QUER CASA

Cem famílias da aldeia indígena Caramuru Catarina Paraguaçu assinaram, em Pau Brasil, contratos para construção de unidades habitacionais rurais. Os empreendimentos Aldeia Indígena Caramuru São Lucas I e Aldeia Indígena Caramuru São Lucas II, fazem parte do Programa nacional de Habitação Rural (PNHR) e beneficiarão, cada um, cinquenta famílias. A área de 54 mil hectares, está localizada nos municípios de Pau Brasil, Camacan e Itaju do Colônia no sul da Bahia.

 Propostos pelas ONGs Ação Cidadania – AGIR e Agência para desenvolvimento regional – OIKOS, os empreendimentos possuem cronograma habitacional de seis meses para construção em regime de mutirão assistido. Serão 100 unidades habitacionais tipo rurais, térreas, com dois quartos, sala, sanitário, cozinha, serviço, e varanda com área construída de 46,66m². Cada empreendimento terá um investimento de R$ 1.300.000,00, sendo que destes, R$ 1.250.000,00 será destinado à construção de 50 casas e R$ 50.000,00 para assistência técnica e trabalho técnico social. As 100 famílias beneficiadas foram indicadas pelas entidades organizadoras.

 Compareceram ao evento, além de Marcus Vinícius Nascimento, superintendente regional da Caixa para o sul da Bahia; o Sr. Wilson Jesus de Souza, representante da FUNAI – Fundação Nacional do Índio, e o Cacique Gerson Pataxó. O Cacique Gerson agradeceu o empenho das entidades e da Caixa para a realização deste projeto. Em sua fala, o superintendente da Caixa ressaltou o caráter social da missão do banco e disse “se sentir privilegiado em ver os recursos chegando à área rural e para todos os brasileiros”.

Polícia desarticula quadrilha de pistoleiros no Sul da Bahia e esclarece assassinatos de evangélica e de vereador

Uma série de prisões e uma cadeia de crimes elucidados. Este foi o resultado da Operação “Brasilis”, desencadeada na Região Sul da Bahia pela Polícia Civil de Itabuna, sob o comando do coordenador Regional da 6ª Coorpin, o delegado Moisés Damasceno.

A operação que ainda resultou na apreensão de oito armas de fogo foi realizada durante vários meses com o apoio do Centro de Operações Especiais (COE), da Polícia Civil de Linhares, no Espírito Santo, e também da Polícia Militar do município de Governador Lindenberg (ES).

Informações apuradas pelo  repórter Oziel Aragão, da Rádio Difusora, dão conta de que a quadrilha de pistoleiros era especializada na prática de assassinatos tendo diversas motivações, entre elas, política, vingança e tráfico de drogas. Os crimes em sua maioria, aconteceram nas cidades de Camacan e Pau Brasil, na Bahia, e Vitória, no Espírito Santo.

Prisões

Na operação foram presos os pistoleiros: Olvídio Santos Sampaio, preso pela Polícia Militar de Camacan; Reginaldo Amaral Santos, preso pela Polícia Civil de Porto Seguro; Wesley Serafim, detido no município de Governador Lindenberg (ES) e Reverson de Jesus Sampaio, preso em Linhares (ES).

Com as prisões, foram  esclarecidos  dois homicídios de grande repercussão no sul da Bahia. As vítimas foram a empresária Kátia Cristina Lima dos Santos, executada em 27 de dezembro de 2010, em Camacan, e o vereador Valderlins Pinheiro Matos, o Pinho, de Pau Brasil, morto no dia 1º de fevereiro de 2012. No caso do vereador  o empresário Marcos Santos Rocha, também de Pau Brasil, é acusado de ser o mandante do homicídio.

O pistoleiro Wesley Serafim, conforme a polícia, foi o autor dos disparos que mataram a empresária de Camacan, executada com três tiros após sair de uma igreja evangélica. O marido dela, Edvan Ribeiro dos Santos, também preso, é acusado de ser o mandante do crime.

Vítimas

O saldo de assassinatos praticados pela quadrilha chega a dez: Arnaldo Cardoso da Silva, morto na cidade de Santa Luzia; Anilton Teófilo da Silva, assassinado na localidade de Pau Feio, município de Camacan; Adinailton Miranda, executado no distrito de Jacarecy, município de Camacan; Alzenir Nery dos Santos, morto na cidade de Santa Luzia; Joaldo Santana, conhecido como Raimundo e morto em Santa Luzia; Nailton Santos dos Anjos, morto também em Santa Luzia; Mário César Oliveira; Kátia Cristina dos Santos, assassinada em frente a igreja Assembleia de Deus em Camacan; Edilson Rodrigues da Silva, o Dito, morto dentro de um ônibus em Itapebi, e por fim o vereador e presidente da Câmara de Vereadores de Pau Brasil, Walderlins Pinheiro Matos.

STF JULGA A FAVOR DOS PATAXÓS NO SUL DA BAHIA

54 mil hectares  são dos pataxós

Acabou agora o julgamento da questão da disputa de terras entre pataxós hã hã hãe e fazendeiros no Sul da Bahia. Por 7×1, o Supremo Tribunal Federal acatou a ação que determina a nulidade aos títulos de posse e a concessão de uma área de 54 mil hectares em Pau Brasil, Camacan e Itaju do Colônia aos índios.

Os produtores rurais que estão fora da área demarcada pela Funai não serão atingidos. O STF determinou ainda a indenização aos fazendeiros que terão que deixar suas terras, por conta dos benefícios realizados.

A Fundação Nacional do Índio (Funai), autora da ação, dizia que produtores ocupam de forma irregular as terras da União habitadas pelos índios pataxó hã-hã-hãe. Os agricultores, contraditavam, afirmando que são legítimos possuidores dessa área e que os pataxós e outras tribos nunca a ocuparam.

 O julgamento põe fim a uma disputa que já dura mais de três décadas. Resta saber se será suficiente para devolver a paz a uma área em permanente tensão.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL JULGA QUESTÃO DAS TERRAS INDIGENAS NO SUL DA BAHIA

O Supremo Tribunal Federal está julgando neste momento a questão da disputa entre índios e pataxós e fazendeiros pela posse de uma área de 54 mil hectares em Pau Brasil, Camacan e Itaju do Colonia, no Sul da Bahia.

O julgamento começou há cerca de 40 minutos e a relatora do caso, ministra Carmen Lucia, votou pela nulidade dos títulos de posse concedidos aos fazendeiros e medição da área a ser entregue aos pataxós.

Acompanhe o julgamento ao vivo na TV Justiça

http://www.tvjustica.jus.br/assista_online.php

 

Força Nacional reforça segurança em área de conflito entre índios e fazendeiros

Um novo efetivo da Força Nacional de Segurança Pública desembarcou em Ilhéus, no Sul da Bahia, para intervir nos conflitos entre índios e fazendeiros da região. Eles já foram encaminhados para as cidades de Camacã e Pau Brasil, principais zonas de disputa por terras.

De acordo o delegado do Comando de Operações Táticas (COT) da Polícia Federal, Carlos Farias, o novo efetivo conta com 85 policiais federais. A primeira tropa do COT que saiu de Brasília para Ilhéus chegou na Bahia no último dia 22.

Segundo uma estimativa da Fundação Nacional do Índio (Funai), cerca de 65 fazendas já foram tomadas pela população indígena desde o início do ano, quando a disputa de décadas se acirrou. Informações do Correio da Bahia.

PF resgata corpo de homem morto em confronto com índios pataxós

clima de guerra começa a fazer vítimas

Agentes da Policia Federal resgataram o corpo de Júlio César Passos Silva, de  31anos , na fazenda Santa Rita, em Pau Brasil, no sul da Bahia . Júlio foi morto com um tiro cabeça, no final da tarde de sexta-feira (20) em confronto com índios Pataxós hã-hã-hãe que tentavam ocupar a propriedade onde ele trabalhava como segurança. “Pedimos providências as autoridades por que isso é o início do derramamento de sangue que pode acontecer”, diz Miguel Arcanjo, Presidente do Sindicato Rural de Pau Brasil.

No mesmo confronto, o índio Ivonildo dos Santos, 29, foi atingido na coxa esquerda e passa bem depois de uma cirurgia realizado no Hospital de Base Luis Eduardo Magalhães em Itabuna, para onde foi encaminhado. O corpo de Júlio já apresentava estado de decomposição e foi levado por uma funerária para o Departamento de Polic ia Técnica de Itabuna (DPT) para ser periciado.

O chefe da Funai em Pau Brasil, Wilson de Jesus Souza, diz que espera o final das investigações das autoridades para esclarecimentos sobre a morte, bem como o índio que foi baleado.

AGENTES DA POLICIA FEDERAL REFORÇAM SEGURANÇA EM ÁREA DE CONFLITO ENTRE ÍNDIOS E FAZENDEIROS

Cerca de agentes da Polícia Federal, deslocados de Brasília, vão  reforçar a segurança na área do conflito entre índios e fazendeiros no Sul da Bahia. Eles fazem parte do Comando de Operações Táticas e estão atuando em Itaju do Colônia, Pau Brasil e Camacan, cidades onde a disputa pela posse de terras criou um clima de guerra.

A PF também deve convocar agentes de Salvador, caso a situação  não se normalize. Indios e fazendeiros se acusam mutuamente por atos de violência que incluem agressões, troca de tiros, depredação de propriedades e roubo de gado.

CONFLITO EM PAU BRASIL: PATAXÓS SUSPEITOS DE INCENDIAR CAMINHÃO DE GADO

Índios pataxós Hã-hã-hãe são suspeitos de incendiar caminhão que transporta gado, na manhã sábado no município de Pau Brasil.

Segundo o site Tempo Jornalismo, as primeiras informações dão conta que o caminhão estava entrando na propriedade do fazendeiro Raimundo Alves, quando os indígenas surpreenderam, atiraram nos pneus, obrigaram o motorista descer, jogaram gasolina e atearam fogo.

O caminhão estava sendo conduzido pelo motorista Raimundo de Jesus Santos, 57 anos, que levava doze vaqueiros para ajudar a retirar da fazenda Monte Alegre 960 cabeças de gado estão em poder dos índios.

Antes do episódio, foi feito acordo com o proprietário do rebanho, informando que os indígenas entregariam o gado em seu poder na manhã deste sábado, mas eles descumpriram o acordo e incendiaram o cainhão que teria ido buscar o rebanho.

De acordo com o site, os índios que participaram do ataque são da região conflituosa em Pau Brasil e são liderados pelo cacique Nailton.

A polícia civil disse que irá apurar o fato.

“Marcha pela Paz” em Itajú do Colônia

Diante da intensidade dos conflitos entre índios e fazendeiros nas últimas semanas, familiares das vítimas do confronto e demais representantes da sociedade de Itajú do Colônia estarão realizando nesta quarta-feira (18), a partir das 8;00 horas a “Marcha pela Paz”, que percorrerá as principais ruas da cidade e se concentrará na praça Santo Antônio, localizada  no centro.

A manifestação tem o intuito de conscientizar a comunidade em conflito sobre a importância do restabelecimento da paz e segurança na cidade.

ÍNDIO É ÍNDIO, FAZENDEIRO É FAZENDEIRO E BANDIDO É BANDIDO

Nesta disputa pela posse de terras que está espalhando o terror na zona rural de Itajú do Colônia e Pau Brasil, no Sul da Bahia, tem fazendeiros querendo se manter numa terra que não invadiram nem ocuparam ilegalmente e tem índios lutando por uma terra de onde seus avós e pais expulsos décadas atrás e que julgam um direito histórico.

Mas também tem muito bandido se aproveitando da situação para saquear fazendas, roubar gado e cometer outras barbaridades, sempre andando em bandos e muito bem armados.

Entre índios e fazendeiros, que prevaleça o diálogo.

Pra bandido, o negócio não é dar terra.

É botar na  cadeia mesmo.

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
dezembro 2014
D S T Q Q S S
« nov    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031