hanna thame fisioterapia animal
livros do thame

Posts Tagged ‘ONU’

Aqui não, ONU!

lula onu

Rui celebra manifestação da ONU a favor de Lula

WhatsApp Image 2018-08-17 at 16.08.19 (1)
“Quero, no meu coração, que, independentemente da situação política de cada município, o que interessa é que o Nordeste se una neste momento. Mesmo que nesse ou naquele município tenhamos diferenças, precisamos nos unir pra que o Brasil volte a crescer.” A declaração é do candidato à reeleição, Rui Costa, hoje pela manhã (17), em Caém, segunda parada no roteiro da Correria pela Bahia, que até domingo vai passar por 16 cidades dos territórios de Piemonte da Diamantina, Piemonte do Itapicuru e do Sisal. O percurso foi iniciado em Jacobina e agora segue pelos municípios de Saúde, Pindobaçu, e Antônio Gonçalves, fechando o dia com um ato público em Senhor do Bonfim, na Praça Antônio Gonçalves.
WhatsApp Image 2018-08-17 at 16.08.20O chamamento de Rui teve inspiração na notícia recebida mais cedo, em manifestação da Organização das Nações Unidas – ONU pronunciando-se oficialmente para afirmar que Lula tem direito a ser candidato a presidente da República. O fato reforça para o mundo inteiro a certeza de que Lula é um preso político, e que a única razão para ele estar hoje preso é porque lidera as pesquisas eleitorais. “Tem gente que acha que o Brasil deveria ser para meia dúzia de pessoas, e não para 200 milhões de brasileiros. Tem gente que não gosta que o presidente da República ajude o Nordeste. Tem gente que não gosta que o presidente da República ajude os pobres”, discursou Rui, na Correria pela Bahia.
Alegando “dano irreparável aos direitos” de Lula, previstos no artigo 25 do Pacto, o Escritório do Alto Comissário de Direitos Humanos da ONU alertou que “conforme a regra processual no. 92, o Comitê requisita ao Estado-Parte a adoção de todas as medidas necessárias para assegurar que o requerente usufrua e exerça todos os seus direitos políticos enquanto está na prisão, na qualidade de candidato nas eleições presidenciais de 2018, o que inclui o acesso adequado à imprensa e aos membros de seu partido político; requisita também que o Estado-Parte não impeça o autor de concorrer nas eleições presidenciais de 2018 até que todos os recursos impetrados contra a sentença condenatória sejam julgados em processos judiciais justos e a sentença esteja transitada em julgado.”

Pesquisa mostra que extrema pobreza no Brasil voltou a patamares de 12 anos atrás

do Instituto Humanitas Unisinos

pobrezaAo deixar em 2014 a relação de países que têm mais de 5% da população ingerindo menos calorias do que o recomendável, o Brasil atingiu um feito inédito: saiu do Mapa da Fome da ONU. Mas, após três anos do feito, um relatório de 20 entidades da sociedade civil, publicado em julho do ano passado, alertava sobre os riscos de o país retornar ao mapa indesejado.

O economista Francisco Menezes, pesquisador do Ibase (Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas) e da ActionAid Brasil, fez parte da equipe que elaborou o relatório.

Menezes também especialista em segurança alimentar conta que no final deste mês um novo documento atualizado da sociedade civil será lançado. E alerta: “A nossa nova advertência já leva a quase uma certeza”. Essa quase certeza, ele diz, é de que o Brasil voltará ao Mapa da Fome. “Toda a experiência sempre mostrou que os números da extrema pobreza com os números da fome são muito próximos.”

Read the rest of this entry »

ABI Nacional apresenta projeto de revitalização dos jornais impressos ao secretário de Comunicação da Bahia

abi andre

O secretário de Comunicação Social da Bahia, André Curvello, recebeu nesta quarta-feira (20/09/2017) o representante da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), jornalista Fábio Costa Pinto, o deputado estadual Marcelino Galo (PT/BA) e o jornalista Paulo Amâncio.

Na oportunidade, foi apresentando projeto desenvolvido pela ABI, em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) com a finalidade de revitalizar os jornais impressos.

respeita

Cuba é o terceiro país do mundo com mais mulheres parlamentares

cuba par

Cuba aparece em 3º. lugar no mundo em presença de mulheres no Parlamento, segundo o informe anual elaborado pela União  Interparlamentar (UIP) e a Entidade das Nações Unidas para Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres, da ONU.

O Mapa das  Mulheres na Política  2017  foi apresentado na sede da ONU, em Nova York (EUA), durante encontro da Comissão  sobre a  Condição Jurídica e  Social da Mulher.

Em 3º. Lugar na lista, com 48,9% de mulheres parlamentares, Cuba só é superada Ruanda (61,3%)  e  Bolivia (53,1%) e a frentes de países altamente desenvolvidos, como Suecia (6º. lugar), Alemanha (23º lugar), Suiça (35º.) e Estados Unidos (104º.lugar 104).

O Brasil  ficou na 154 ª posição entre os 174 países pesquisados.

A humanidade falhou

aleppo-2

Hanan Amin Alkaram

Fale sobre Aleppo. Chore por eles como você chorou por Paris. Chore por eles como você chorou por Nova York. Fale sobre eles. Nosso silêncio está matando-os. São pessoas, PESSOAS. Eles não são importantes porque são árabes? Porque eles são sírios? Será que sua vida importa menos do que a vida de um francês ou um americano?

aleppo-3Pessoas de Aleppo estão postando suas mensagens de despedida na internet como um massacre final sendo esperado para acontecer a qualquer momento em breve e estamos silenciosos.

Ficamos em silêncio por mais de cinco anos. Algumas crianças em Aleppo não conhecem a vida sem guerra. Imagine viver em uma cidade de ruínas e ter que temer por sua vida a cada instante.

Hospitais, igrejas, casas, restaurantes são bombardeados no aleppo-1cotidiano e centenas são mortos todos os dias. No entanto, estamos em silêncio. Lembre-se delas. Honre-os. Nós permitimos que um genocídio em massa acontecesse diante de nossos olhos por anos.

A mídia fechou os olhos para isso. Este é um dos maiores genocídios desde o holocausto e o mundo está vendo as pessoas morrerem em silêncio. Não só morrendo mas também, sendo exterminados, retaliados e estuprados!

Fale sobre Aleppo, por favor.

#prayforAleppo”

Cooperação internacional entre ONU e Bahiafarma

onuUma reunião entre representantes do Governo da Bahia, da Bahiafarma e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), marcou o início da cooperação internacional entre a Organização das Nações Unidas (ONU) e o laboratório público baiano na luta contra o avanço global da epidemia de Zika. 

O encontro, realizado na sede do Pnud, em Genebra (Suíça), foi agendado pelos diretores da organização, interessados em conhecer melhor os testes rápidos de diagnóstico de infecção por Zika vírus desenvolvidos pela Bahiafarma e a possibilidade de aplicação do dispositivo em áreas onde já há surtos da doença ou há muito risco de que eles ocorram. 

“Devemos assinar em breve, no Brasil, um memorando de entendimentos para formalizar o acordo e dar início aos trabalhos de cooperação”, afirma o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas. “Existe o interesse imediato de aquisição dos testes para uso em áreas onde os surtos de Zika já são realidade, sobretudo em países carentes, como Cabo Verde e Guiné-Bissau.”

Também presente na reunião, o diretor-presidente da Bahiafarma, Ronaldo Dias, destaca que a disponibilidade de testes rápidos para diagnóstico de infecção por Zika vírus seria um novo suporte do Pnud para países que já são beneficiados com ações semelhantes no trato com outras enfermidades. “São países para os quais o Pnud já usa fundos internacionais para aquisição de testes de diagnóstico de malária, por exemplo, que teriam o auxílio ampliado para a Zika”, explica.

O secretário e o executivo seguem de Genebra para Copenhague (Dinamarca), onde se reúnem, nesta sexta-feira (18), com diretores do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Bloqueio dos EUA a Cuba sofre golpe histórico na ONU

 

onuCom o apoio de 191 dos 193 países membros da ONU e duas abstenções, a Assembléia Geral aprovou hoje uma nova resolução que exige o suspensão do bloqueio dos Estados Unidos a Cuba. A novidade neste ano foi as abstenções dos Estados Unidos e seu fiel aliado Israel que sempre votaram contra nas 24 sessões anteriores. Alguns minutos antes do voto, a representante permanente norte-americana, Samantha Power, adiantou a inédita postura de Washington, seguida de aplausos.

Power admitiu a condenação esmagadora ao bloqueio e o fracasso dessa política, e manifestou expectativas de que a mudança de posição na Assembleia ajude na melhoria das relações bilaterais.

A iniciativa adotada apela ao respeito no planeta aos princípios e propósitos da Carta da ONU, que estabelecem a solução pacífica de controvérsias, a amizade e a cooperação entre os países, o respeito à soberania e a não ingerência nos assuntos internos.

Além disso reflete a preocupação pelo componente extraterritorial do bloqueio – aplicado mediante a Lei Helms-Burton (1996) – e o impacto das sanções no povo cubano e sua vigência, apesar da rejeição da comunidade mundial.

cubandeiraO texto reconhece os progressos nas relações entre Havana e Washington, a visita do presidente norte-americano, Barack Obama, a Cuba e sua vontade de trabalhar pela eliminação do bloqueio, um assunto que passa pelo Congresso, ao se converter em lei em 1996 com a citada Helms-Burton.

Na segunda de suas duas páginas, a resolução solicita aos países a abster-se de promulgar medidas contrárias à Carta das Nações Unidas, e a aboli-las o mais rápido possível, em caso de executá-las.

Pelo segundo ano consecutivo, a votação na Assembleia Geral transcorreu em um cenário diferente, depois da retomada de vínculos diplomáticos entre Havana e Washington, em julho de 2015, e o reconhecimento por Obama da necessidade de eliminar o cerco.

No entanto, Cuba, na voz de seu chanceler Bruno Rodríguez, e vários países recordaram durante a sessão que o cerco econômico, comercial e financeiro, bem como seu componente extraterritorial, seguem em plena aplicação.

Rodríguez reconheceu os avanços nas relações, mas enfaizou que o povo cubano e seu desenvolvimento continuam sob o impacto do bloqueio.

Em sua intervenção, o diplomata assinalou também que a abstenção de Washington seguramente ajudará na melhoria dos vínculos, ainda que tenha reiterado que devem julgar-se os atos e não as palavras, e estes demonstram a vigência das unilaterais sanções.

 

Dilma na ONU: faltou dizer ao mundo que o Golpe é Golpe. Simples assim.

dilma PNU

Na cerimônia de assinatura do Acordo de Paris, sobre Mudanças Climáticas, na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta sexta-feita (22), a presidente Dilma Rousseff fez um breve referência ao golpe que está em curso no Brasil.

“Não posso terminar a minha fala sem mencionar o grave momento que vive o Brasil. O Brasil é um grande país, com uma sociedade que soube vencer o autoritarismo e construir uma pujante democracia, um povo trabalhador que tem grande apreço pela liberdade, que, acredito, saberá impedir quaisquer retrocessos. Sou grata a todos os líderes que expressaram a mim sua solidariedade”, disse ela ao final do discurso.

Antes, na maior parte do tempo, a presidente falou sobre questões ambientais, tema central do encontro. A abordagem de Dilma sobre o Golpe foi considerada tímida, perdendo uma grande chance de reverberar na ONU o verdadeiro atentado a democracia que estão ocorrendo no Brasil.

Em suma, dizer com todas as letras que o Golpe é Golpe. Simples assim.

O discurso (principais trechos)

Read the rest of this entry »

Iluminação especial homenageia aniversário de 70 anos da ONU

onu 2Quem passar pelo Complexo Viário do Imbuí vai notar que todas as lâmpadas estão especialmente acesas, em azul, para homenagear o aniversário de 70 anos da Organização das Nações Unidas (ONU). A iniciativa faz parte da campanha ‘Iluminando o mundo com o azul da ONU’, na qual monumentos históricos e grandes edificações ao redor do mundo receberão a mesma cor.

Na capital baiana, os viadutos seguem azuis até a próxima segunda-feira (26) e, no dia do aniversário da organização, no sábado (24), também vão estar com a mesma cor o Farol da Barra, a Arena Fonte Nova e o Elevador Lacerda.

Além de Salvador, três cidades brasileiras foram escolhidas – São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro – para participar da campanha que reúne cerca de 50 países e mais de 160 monumentos emblemáticos, entre eles, o Empire State Building, em Nova York, a Torre de Pisa, na Itália, a Casa da Ópera de Sydney, na Austrália, e as Pirâmides de Gizé, no Egito.

No estado, a ação é coordenada pelo Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores na Bahia (Erebahia), com apoio do governo estadual, Prefeitura de Salvador e a Marinha do Brasil.

Ideais

onu 1Segundo o chefe do Erebahia, Adré Misi, a ideia da campanha é chamar a atenção das pessoas para a importância da organização. “Conscientizar os povos sobre a importância da atuação da ONU, promovendo os ideais que inspiraram sua criação – a busca pela paz e segurança internacional, a cooperação para o desenvolvimento econômico e social, e a promoção dos direitos humanos”.

O Brasil está entre os 51 Estados-membros fundadores da ONU, que assinaram a carta em junho de 1945. Atualmente apoia as campanhas e projetos e participa ativamente da elaboração de iniciativas que promovam os ideais da Organização das Nações Unidas. Somente este ano, o País fez parte da elaboração dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que terminou em setembro, e em dezembro participa da Convenção sobre Mudança do Clima, em Paris.

Obama e Raul Castro defendem fim do embargo a Cuba

obama e raul(da Agência Lusa)- O presidente norte-americano, Barack Obama, reuniu-se hoje (29) com o presidente cubano, Raúl Castro, em Nova York, paralelamente à Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), onde os dois defenderam a suspensão do embargo a Cuba.

Sorridentes, eles deram um aperto de mão no início da reunião, na sede da ONU. Foi o segundo encontro depois do de abril, no Panamá, durante a Cúpula das Américas.

Os Estados Unidos e Cuba iniciaram em dezembro de 2014 uma aproximação, acabando com mais de meio século de tensões herdadas da guerra fria. As relações diplomáticas foram restabelecidas em julho. O presidente cubano, de 84 anos, exigiu na ONU o fim do embargo econômico norte-americano imposto ao seu país há mais de 50 anos, afirmando que esse embargo é prejudicial “aos interesses dos cidadãos e das empresas norte-americanas”.

Os Estados Unidos aliviaram as restrições comerciais sobre Cuba, sem acabar com o embargo. Obama é a favor da medida, mas a oposição no Congresso, onde os republicanos são maioria, continua contra a aproximação com Cuba.

“A mudança em Cuba não ocorrerá da noite para o dia, mas estou confiante de que a abertura favorecerá as reformas e melhorará a vida dos cubanos”, disse o presidente norte-americano nessa segunda-feira, em discurso na Assembleia Geral da ONU.

 

 

 

 

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
novembro 2018
D S T Q Q S S
« out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930