hanna thame fisioterapia animal
livros do thame

Posts Tagged ‘morte’

Morre o engenheiro Zildo Guimarães

zildo

O engenheiro agrônomo e empresário Zildo Guimarães faleceu, vítima de infarto, dentro do próprio veículo, nesta manhã de sexta (17), próximo à Ponte do São Caetano, na região central de Itabuna. O engenheiro tinha 65 anos.

Servidor da Ceplac, Zildo começou a se sentir mal e estacionou o veículo, momentos após sair de uma lotérica. O Samu 192 foi acionado, mas não houve tempo para reanimação.

Fundador do Agora, José Adervan morre aos 74 anos

adervanO jornalista e um dos fundadores do Jornal Agora, José Adervan de Oliveira, faleceu na tarde deste domingo (12), no Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna, após lutar contra câncer de próstata.

O corpo do jornalista está sendo  velado no SAF de Itabuna, na Juca Leão, ao lado do Grapiúna Tênis Clube, a partir das 20 horas deste domingo. O enterro está previsto para as 16 horas desta segunda (13), no Cemitério Campo Santo, em Itabuna. Adervan deixa viúva, Ivone, e as filhas Andréa, Fernanda e Roberta.

Bancário aposentado, Adervan fundou o Jornal Agora, na década de 80, com o também jornalista Ramiro Aquino. Inicialmente semanal, a publicação passou a ter edições diárias, de terça a sábado. Pela redação, passaram nomes como Antônio Lopes, Maurício Maron, Walmir Rosário, Ricardo Ribeiro e Kleber Torres.

À frente do Agora, foi ousado. Investiu por muitos anos em cadernos especiais para revelar o potencial da agricultura, do comércio e da economia sul-baiana. Ou abrir espaço para a cultura, com o Caderno Banda B. Os aniversários de Itabuna sempre eram marcados por edições especiais com a nossa história e as perspectivas para a economia.

O jornal era uma das suas razões de vida. Uma outra era a política. Adervan tinha militância desde os tempos de juventude e foi um dos fundadores do PSDB itabunense. Em 2008, disputou a Prefeitura de Itabuna pelo PSDB, tendo a médica Zina Macedo (PSDB) como vice. Também presidiu o diretório do partido. A política era um dos assuntos principais de sua coluna no jornal.

Marco Wense, que por muitos anos escreveu sobre política em sua coluna no Agora, assim se expressou em um aplicativo de mensagens:

“O jornalismo político fica mais pobre. Adervan era apaixonado pelo fascinante mundo do comentário, da análise e da opinião, seja na sua coluna nas páginas do Agora ou em qualquer outro lugar”.

E completa:

“Lá, em um lugar chamado de eternidade, vai se encontrar com [Eduardo] Anunciação. E o óbvio ululante, é dizer que vão conversar sobre política, política e política”. (do Pimenta)

 

Professora da Uesc morre em acidente na rodovia Ilhéus-Olivença

proga uesc
A professora da Universidade Estadual de Santa Cruz, Arlete Vieira da Silva, faleceu durante um acidente na noite de ontem na rodovia BA 001 (Ilhéus-Olivença). O Fiesta em que Arlete viajava com passageira colidiu de frente com um Fiat Uno, durante uma tentativa de ultrapassagem.

Além da professora, morreram no acidente o motorista do Uno, Alipio Hage Neto, e o condutor di Fiesta, ainda não identificado. Uma criança sobreviveu e está internada  no  Hospital Regional Luiz Viana Filho..

Alunos, colegas e amigos, por meio das redes sociais, lamentam a morte da professora, tida como uma pessoa de conduta honrável, e de caráter exemplar.

Assim falou Francisco…

papa

A morte de Dona Marisa não será em vão

Leandro Fortes, no Diário do Centro do Mundo

lula e marisaA morte de Dona Marisa Letícia é o triunfo físico da narrativa de ódio reinaugurada pela direita brasileira, a partir da vitória eleitoral de Dilma Rousseff, em 2014, contra as forças reacionárias capitaneadas pela candidatura de Aécio Neves, do PSDB.

Em sua insana odisseia pela retomada do poder, ainda quando o TSE contabilizava os últimos votos das eleições presidenciais, Aécio e sua turma de mascarados se agregaram, não sem uma sinalização evidente, aos primeiros movimentos da Operação Lava Jato e com ela partiram, sob os auspícios do juiz Sergio Moro, para a guerra de tudo ou nada que se seguiu.

Foi esse conjunto de circunstâncias, tocado pela moenda de antipetismo e ódio de classe azeitada diuturnamente pela mídia, que minou a saúde de Dona Marisa, não sem antes submetê-la ao tormento da perseguição, do constrangimento, da humilhação pública, da invasão cruel e desumana de sua privacidade.

A perseguição ignóbil ao marido, Luiz Inácio Lula da Silva, aliada à permanente divulgação de boatos sobre os filhos, certamente contribuíram para que Dona Letícia, a discreta primeira-dama nascida na luta e na construção dos Partidos dos Trabalhadores, tivesse a saúde atingida.

Para atingir Lula, a quem não tiveram coragem de prender, o esgoto da mídia e seus serviçais da política envenenaram a nação com ódio, rancor e ressentimento, nem que para isso fosse preciso atingir a vida de toda a família do ex-presidente.

Nem que para isso fosse preciso levar à morte uma mulher digna, honesta e dedicada aos seus e ao País.

Não sem antes vazar as imagens de sua tomografia cerebral, como um troféu grotesco de certo jornalismo abjeto oferecido às hienas que dele se alimentam.

Todos sabemos os nomes, os cargos, as redações e as togas de cada um dos responsáveis pela morte de Dona Marisa.

Não esqueceremos.

Herdeira do Grupo Águia Branca morre em incêndio em São Paulo

abranca

Uma das herdeiras da Águia Branca,  um dos maiores grupos de transporte do país, Liliane Chieppe, de 54 anos, faleceu em um incêndio na própria residência, no Jardim Paulista, zona oeste de São Paulo (SP), ontem à tarde (30).

Liliane era filha de Vallecio Chieppe, fundador e ex-presidente do Grupo Águia Branca, que tem sede no Espírito Santo e atua há mais de três décadas no sul da Bahia, onde adquiriu a extinta Sulba. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo atingiu o apartamento onde Liliane estava, por volta das 14h.

Ela foi socorrida e levada para a Santa Casa de Misericórdia, depois encaminhada para o Hospital das Clínicas. Porém, a herdeira da Águia Branca morreu antes de chegar ao pronto-socorro do hospital.

Liliane sofreu queimaduras graves e parada cardiorrespiratória, segundo o Corpo de Bombeiros. (do Pimenta)

Ramon Vane é eterno, porque a arte é eterna

Discurso do ator Ramon Vane, durante a premiação do III Festival de Monólogos de Itabuna, em dezembro de 2009, quando foi o vencedor. Ator, advogado e militante do movimento cultural, Ramon faleceu aos 57 anos.

Em 2011, em seu primeiro filme, “O homem que não dormia”, dirigido por Edgar Navarrio, recebeu o Candango de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante no Festival de Cinema de Brasilia de 2011.

Filho de Pablo Escobar contesta versão sobre morte de narcoterrorista

pablo

(da Agência Sputinik)A morte do maior narcotraficante da história não se deve ao mérito de seus inimigos, mas a uma decisão do próprio Pablo Escobar, que decidiu acabar com a própria vida, garantiu em entrevista exclusiva à RT o filho do lendário criminoso colombiano, Juan Pablo Escobar.

Segundo ele, a versão oficial de que seu pai foi executado pelas autoridades da Colômbia em cooperação com a CIA e o órgão para combate às drogas dos EUA (DEA – na sigla em inglês) é falsa. A morte de Escobar teria sido, na verdade, uma forma de suicídio.

pablito“Foi o grupo de mafiosos Los Pepes [que matou Escobar]. Eles contavam com a ajuda das autoridades americanas e colombianas, (…) mas estas não participaram da operação em que meu pai decidiu finalmente acabar com a própria vida” – disse Juan Pablo.

O filho de Escobar garantiu que seu pai estava ciente de todas as formas de vigilância que existiam contra ele. Assim, durante décadas, ele conseguiu se esconder com sucesso da polícia, do exército, dos mercenários da CIA e de bandidos de cartéis rivais.

De acordo com Juan Pablo, o fato de que seu pai realizou sete chamadas telefônicas no último dia de sua vida, esperando sem tentar escapar que seus assassinos o encontrassem, é a prova definitiva de que a morte de Escobar foi nada mais do que um suicídio planejado.

Auxiliar de carpinteiro diz ter matado médico após proposta de relação homossexual

mecoO auxiliar de carpintaria Adriano Luís Correia de Jesus, 28 anos, preso pelo homicídio do médico Luiz Carlos Correia Oliveira, 62, confessou ter assassinado a vítima com três facadas no pescoço e depois ter abandonado seu corpo em um matagal, localizado na Via Parafuso. Ele já estava com um mandado de prisão em aberto.

A informação foi revelada, na tarde desta quinta-feira (27), pela diretora-adjunta do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegada Clelba Teles, que coordenou a investigação, durante apresentação do carpinteiro à imprensa. O diretor do Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML/NR), o perito médico-legal Mário Câmara também esteve presente.

O homicídio ocorreu no dia 2 de outubro, mesma data em que o médico desapareceu ao sair de casa, em Piatã, e dirigiu-se até a casa de Adriano, na Travessa 5 de Agosto, em Pau da Lima. Ali, os dois consumiram bebida alcoólica e o criminoso disse ter atacado o médico com uma faca após uma briga.

Preso na quarta-feira (26), em um canteiro de obras, localizado na Via Regional, onde vinha trabalhando, Adriano contou ter conhecido Luiz Carlos num ponto de ônibus, há três meses, e desde então se encontravam frequentemente para beber. Na ocasião, o médico disse residir em Feira de Santana e trabalhar como vendedor.

Segundo Adriano, no dia do crime o médico sugeriu que os dois tivessem uma relação íntima, o que deu início a uma luta corporal. Depois de esfaquear Luiz Carlos, Adriano livrou-se do corpo, mas permaneceu com o veículo da vítima, um Polo, de cor prata, tendo-o descartado alguns dias depois, na Via Parafuso, devido à repercussão em torno do desaparecimento.

Investigação

De acordo com Clelba, uma perícia utilizando luminol (reagente ao sangue) realizada na casa de Adriano revelou vestígios de sangue. “Um exame vai desvendar se esse sangue é da vítima”, explicou. Segundo a delegada não há dúvidas quanto à autoria do homicídio. “Foram colhidas nove amostras de material genético, para que o laboratório possa fazer a comparação e a investigação prossegue”, contou Clelba, acrescentando que mais pessoas serão ouvidas e novas diligências serão realizadas. “Aguardamos os laudos que vão confirmar a versão dada pelo carpinteiro”, completou.

O diretor do IML/NR, Mário Câmara, explicou aos jornalistas que o exame da arcada dentária, feito para identificar o corpo do médico, é reconhecido internacionalmente e tão seguro quanto o de DNA. “Como a vítima possuía um vasto arsenal de exames odontológicos, facilitou a identificação por esse método”, salientou o médico. Câmara também explicou que o avançado estado de decomposição do corpo retardou a identificação.

Adriano foi autuado por homicídio qualificado, por motivo fútil, a traição e por dificultar a defesa da vítima, e, se condenado, pode pegar de 12 a 30 anos de prisão. Com uma passagem anterior pela polícia por furto, ele foi encaminhado ao sistema prisional.

Nem a morte de Domingos Montagner escapa do ódio doentio contra Lula.

Marcos Sacramento, no Diario do Centro do Mundo

 dia-1

Existe algo de doentio no ódio contra Lula e o Partido dos Trabalhadores. Só alguém tomado por uma patologia muito severa para insinuar o envolvimento petista no afogamento de Domingos Montagner, como no post do Facebook que viralizou poucas horas após a confirmação da morte do ator.

“Pessoal, todos sabemos que a Camila Pitanga é uma militante do PT, inclusive filiada ao mesmo. Considerando os últimos fatos ocorridos em relação ao Lula … teria a atriz assassinado Domingos Montagner, o empurrando para a água para ser levado pela correnteza? Com a morte do protagonista da novela das oito, as denúncias contra Lula seriam abafadas na mídia pois sabemos como os atores da Globo são queridos pela população. (…) Deve-se investigar bastante esse caso, muito suspeito … Camila Pitanga também já declarou ser adepta do ateísmo, ou seja, não teria remorso para cometer crimes do tipo”.

dia-2

Os “fatos ocorridos” são as denúncias de Lula e da ex-primeira dama Marisa Letícia pela Lava Jato. Em nome do antipetismo, o post congrega paranoia, ignorância, fundamentalismo religioso e ausência total de empatia com os atores envolvidos no acidente.

Este não foi o único comentário absurdo. Um usuário do Twitter livrou a Camila Pitanga do envolvimento na morte do artista, mas acrescentou uma crise conjugal ao seu devaneio conspiratório. “Primeiro a Globo separa o William e a Fátima pra abafar o golpe agora some com o Domingos pra abafar a prisão do Lula”, delirou.

dia-3

Houve quem aproveitasse o choro pelo Domingos para atacar Lula e Dilma. “Podia ter morrido o Lula, a Dilma… Que fizeram mal para tanta gente, mas não, morreu o Montagner. Triste isso”.

Manifestações como essas são comuns nas redes sociais e nas latrinas que são os sistemas de comentários dos portais de notícias. Do terremoto que atingiu a Itália no mês passado à extinção do rinoceronte-negro do oeste, tudo pode ser usado como escada para atacar Lula, Dilma e o PT.

O maior indício de que a doença é perigosa são os surtos de ódio registrados fora da esfera virtual, como as agressões direcionadas a pessoas vestidas de vermelho ocorridas na época dos protestos contra a votação do impeachment de Dilma na Câmara.

Nem mesmo crianças e bebês de colo escaparam das ofensas proferidas pelos “cidadãos de bem”. A irracionalidade chegou ao ponto em que uma médica teve o despudor de se recusar a atender uma criança por ela ser filha de petista.

O que explica tanto rancor? Para o economista e ex-ministro Luiz Carlos Bresser-Pereira, há um “ódio coletivo dos ricos” contra um partido. Leonardo Boff tem opinião semelhante. Para ele, o ódio é “contra o povo pobre que foi tirado do inferno da pobreza e da fome”.

Faz sentido, mas não explica por que assalariados beneficiados pelos avanços promovidos pelos anos de governo de Lula e Dilma tenham abraçado este discurso elitista.

Os vetores dessa doença, contudo, são bem conhecidos: Globo News e seu time de comentaristas, Jornal Nacional, Veja, Diogo Mainardi, Reinaldo Azevedo, Augusto Nunes e demais sicários da mídia corporativa.Como os mosquitos Aedes aegypti, eles invadem os lares e infectam os incautos com o vírus do ódio seletivo.

Cenas de desespero: a novela da vida real

Video gravado às margens do Rio São Francisco mostra desespero da atriz Camila Pitanga por não conseguir salvar Domingos Montagner.

Domingos Montagner morre aos 54 anos

dom-1

Ultimas fotos do ator, com moradores e policiais (reproducao Facebook)

Ultimas fotos do ator, com moradores e policiais (reproducao Facebook)

O Corpo de Bombeiros de Sergipe  confirmou a morte de Domingos Montagner. Reginaldo Dória, comandante que operava buscas no local informou ao EXTRA que o corpo do ator foi encontrado sem vida. Ele estava preso às pedras, em Canindé de São Francisco, na divisa dos estados de Alagoas e Sergipe, após afogamento no Rio São Francisco.

Depois de gravar cenas da reta final da novela “Velho Chico”, o ator aproveitou a folga junto com a colega de elenco Camila Pitanga, seu par romântico, para dar um mergulho no rio. A correnteza levou o artista, que desapareceu nas águas por volta das 14h30. Segundo informações do coronel Fábio Fonseca Rolemberg, Camila se desesperou, gritando pelo nome do amigo.

— Ele estava tomando banho de rio com a atriz Camila Pitanga quando a correnteza o levou — disse o militar. A equipe ficou em estado de choque e todas as gravações foram canceladas na hora

De acordo com os bombeiros, o corpo de Domingos Montagner estava a 18 metros de profundidade e a 320 metros do local onde o ator foi visto pela última vez. Ele estava preso entre duas pedras. O corpo foi retirado da água e será levado para o IML.

O ator, de 54 anos, deixa a mulher, a atriz e produtora Luciana Lima, e três filhos: Leo, 11 anos, Antônio, 7, e Dante, 4. (Globo.com)

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
março 2017
D S T Q Q S S
« fev    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031