hanna thame fisioterapia animal
livros do thame

Posts Tagged ‘morte’

Estudante de Direito morre em acidente na BR 415

estudanteA estudante de Direito Luíse Gomes Carvalho, de 20 anos,  faleceu em acidente ocorrido nesta madrugada de segunda (19), no trecho Itabuna-Itapé da BR-415. A vítima estava em uma picape Toyota Hilux e retornava para Itabuna.

O motorista perdeu o controle da direção do veículo em uma curva. De acordo com informações, ela e os ocupantes da picape retornavam de uma festa junina em Itapé, também no sul da Bahia.

O veículo era dirigido por um primo da de Luíse. A estudante teria ido à festa apenas para acompanhar os primos, que visitam a cidade, de acordo com versões. A família de Luíse é da Igreja Batista Teosópolis. A vítima estudava Direito na FTC de Itabuna. (do Pimenta)

Itabuna: subtenente da PM morre após contrair bactéria

Luana

O 15o. Batalhão da Policia Militar em Itabuna emitiu nota lamentando o falecimento da subtenente Glacyluana Araujo Oliveira, de 39 anos,  ocorrido por volta das 6 horas da manhã desta terça-feira, 09. Glacyluana estava lotada no 15º BPM e integrava a corporação há 18 anos. Segundo o comando-geral da PM, a policial apresentava quadro de saúde debilitado há, pelo menos, 10 dias, após contrair infecção provocada por  bactéria.

Luana, como era mais conhecida, estava internada desde a tarde de ontem (8), no Hospital São Lucas, em Itabuna, com infecção na garganta, que se agravou, e ela não resistiu, devido ao alto nível de leucocitose (aumento da taxa sanguínea de leucócitos acima do limite superior da normalidade). A subtenente foi diagnosticada com uma leucemia aguda.

O velório está ocorrendo no SAF, desde às 10hs, e o sepultamento ocorrerá às 16hs, no cemitério Campo Santo, em Itabuna.

Laudo confirma que ossada é da menina Gabrielly

“Temos todo o aparato de inteligência da polícia nos auxiliando e, em breve, solucionaremos este caso”. A afirmação é do delegado João Uzzum, responsável pela 1ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), de Feira de Santana, e foi dita, na manhã desta quarta-feira (26), depois de revelar, durante coletiva de imprensa, que uma ossada encontrada às margens da Avenida Eduardo Fróes da Mota, em Feira IX, era da garota gaby, de 7 anos, desaparecida desde 21 de janeiro deste ano.

João Uzzun destacou que a Força Tarefa criada para apurar o crime já tem uma linha de investigação, mas que não iria adiantar nada para não atrapalhar o trabalho que vem sendo realizado com muita dedicação e afinco desde que o caso chegou até à Polícia Civil. O laudo confirmando que o material encontrado era de Gabrielly foi elaborado pela Coordenação de Genética Forense do Departamento de Polícia Técnica (DPT). A família já havia sido informada antecipadamente sobre o resultado dos exames.

De acordo com o delegado, os exames foram feitos a partir do crânio da garota, uma vez que o restante do material encontrado no local apresentava aspecto de que teria sido queimado. Exames detalhados vão dizer se esses fragmentos seriam também de Gabrielly. O ponto exato onde foi encontrada a ossada estaria a aproximadamente cinco quilômetros do condomínio Solar da Princesa, no bairro Gabriela, onde a vítima residia. O material genético do crânio e da mãe da garota foram enviados à Salvador há cerca de um mês para análise e o resultado foi 100% compatível.

Responsáveis pela morte de PM em Ilhéus são capturados

Interceptado enquanto fugia para Salvador em um ônibus da empresa Águia Branca, Danilo José Silva Santos foi detido na madrugada desta segunda-feira (24), acusado de participar da morte do soldado PM Tyrone Tomas de Aquino, ocorrida no domingo. Equipes da 7ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Ilhéus), da Companhia Independente de Policiamento Especializado/Cacaueira e das 68ª, 69ª e 70ª Companhias Independentes da PM capturaram Danilo quando o coletivo passava pelo município de Gandu.

Danilo apontou Fabrício Santana Caetano, como autor dos disparos, além de acusar a participação de Fabrício Magno de Santana e de outra pessoa de prenome Everton. Em liberdade provisória concedida pela Justiça, Fabrício Santana foi preso em casa, também em Ilhéus. Embora negue a participação no crime, ele indicou o esconderijo de uma arma calibre 380, que teria sido utilizada no crime. Após encontrada debaixo da cama de um imóvel abandonado, no bairro da Conquista, a pistola foi encaminhada para o Departamento de Polícia Técnica que atestará sua utilização no crime.

Ainda em depoimento, Danilo afirmou que a morte do policial foi encomendada por Adailton Soares dos Santos, detento do Conjunto Penal de Itabuna, pelo valor de R$ 2 mil e um quilo de maconha. Outro suspeito de participação, Pippou Cleber Machado dos Santos, também foi preso com um repórter calibre 38. O envolvimento dele ainda é investigado.

Morre o engenheiro Zildo Guimarães

zildo

O engenheiro agrônomo e empresário Zildo Guimarães faleceu, vítima de infarto, dentro do próprio veículo, nesta manhã de sexta (17), próximo à Ponte do São Caetano, na região central de Itabuna. O engenheiro tinha 65 anos.

Servidor da Ceplac, Zildo começou a se sentir mal e estacionou o veículo, momentos após sair de uma lotérica. O Samu 192 foi acionado, mas não houve tempo para reanimação.

Fundador do Agora, José Adervan morre aos 74 anos

adervanO jornalista e um dos fundadores do Jornal Agora, José Adervan de Oliveira, faleceu na tarde deste domingo (12), no Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna, após lutar contra câncer de próstata.

O corpo do jornalista está sendo  velado no SAF de Itabuna, na Juca Leão, ao lado do Grapiúna Tênis Clube, a partir das 20 horas deste domingo. O enterro está previsto para as 16 horas desta segunda (13), no Cemitério Campo Santo, em Itabuna. Adervan deixa viúva, Ivone, e as filhas Andréa, Fernanda e Roberta.

Bancário aposentado, Adervan fundou o Jornal Agora, na década de 80, com o também jornalista Ramiro Aquino. Inicialmente semanal, a publicação passou a ter edições diárias, de terça a sábado. Pela redação, passaram nomes como Antônio Lopes, Maurício Maron, Walmir Rosário, Ricardo Ribeiro e Kleber Torres.

À frente do Agora, foi ousado. Investiu por muitos anos em cadernos especiais para revelar o potencial da agricultura, do comércio e da economia sul-baiana. Ou abrir espaço para a cultura, com o Caderno Banda B. Os aniversários de Itabuna sempre eram marcados por edições especiais com a nossa história e as perspectivas para a economia.

O jornal era uma das suas razões de vida. Uma outra era a política. Adervan tinha militância desde os tempos de juventude e foi um dos fundadores do PSDB itabunense. Em 2008, disputou a Prefeitura de Itabuna pelo PSDB, tendo a médica Zina Macedo (PSDB) como vice. Também presidiu o diretório do partido. A política era um dos assuntos principais de sua coluna no jornal.

Marco Wense, que por muitos anos escreveu sobre política em sua coluna no Agora, assim se expressou em um aplicativo de mensagens:

“O jornalismo político fica mais pobre. Adervan era apaixonado pelo fascinante mundo do comentário, da análise e da opinião, seja na sua coluna nas páginas do Agora ou em qualquer outro lugar”.

E completa:

“Lá, em um lugar chamado de eternidade, vai se encontrar com [Eduardo] Anunciação. E o óbvio ululante, é dizer que vão conversar sobre política, política e política”. (do Pimenta)

 

Professora da Uesc morre em acidente na rodovia Ilhéus-Olivença

proga uesc
A professora da Universidade Estadual de Santa Cruz, Arlete Vieira da Silva, faleceu durante um acidente na noite de ontem na rodovia BA 001 (Ilhéus-Olivença). O Fiesta em que Arlete viajava com passageira colidiu de frente com um Fiat Uno, durante uma tentativa de ultrapassagem.

Além da professora, morreram no acidente o motorista do Uno, Alipio Hage Neto, e o condutor di Fiesta, ainda não identificado. Uma criança sobreviveu e está internada  no  Hospital Regional Luiz Viana Filho..

Alunos, colegas e amigos, por meio das redes sociais, lamentam a morte da professora, tida como uma pessoa de conduta honrável, e de caráter exemplar.

Assim falou Francisco…

papa

A morte de Dona Marisa não será em vão

Leandro Fortes, no Diário do Centro do Mundo

lula e marisaA morte de Dona Marisa Letícia é o triunfo físico da narrativa de ódio reinaugurada pela direita brasileira, a partir da vitória eleitoral de Dilma Rousseff, em 2014, contra as forças reacionárias capitaneadas pela candidatura de Aécio Neves, do PSDB.

Em sua insana odisseia pela retomada do poder, ainda quando o TSE contabilizava os últimos votos das eleições presidenciais, Aécio e sua turma de mascarados se agregaram, não sem uma sinalização evidente, aos primeiros movimentos da Operação Lava Jato e com ela partiram, sob os auspícios do juiz Sergio Moro, para a guerra de tudo ou nada que se seguiu.

Foi esse conjunto de circunstâncias, tocado pela moenda de antipetismo e ódio de classe azeitada diuturnamente pela mídia, que minou a saúde de Dona Marisa, não sem antes submetê-la ao tormento da perseguição, do constrangimento, da humilhação pública, da invasão cruel e desumana de sua privacidade.

A perseguição ignóbil ao marido, Luiz Inácio Lula da Silva, aliada à permanente divulgação de boatos sobre os filhos, certamente contribuíram para que Dona Letícia, a discreta primeira-dama nascida na luta e na construção dos Partidos dos Trabalhadores, tivesse a saúde atingida.

Para atingir Lula, a quem não tiveram coragem de prender, o esgoto da mídia e seus serviçais da política envenenaram a nação com ódio, rancor e ressentimento, nem que para isso fosse preciso atingir a vida de toda a família do ex-presidente.

Nem que para isso fosse preciso levar à morte uma mulher digna, honesta e dedicada aos seus e ao País.

Não sem antes vazar as imagens de sua tomografia cerebral, como um troféu grotesco de certo jornalismo abjeto oferecido às hienas que dele se alimentam.

Todos sabemos os nomes, os cargos, as redações e as togas de cada um dos responsáveis pela morte de Dona Marisa.

Não esqueceremos.

Herdeira do Grupo Águia Branca morre em incêndio em São Paulo

abranca

Uma das herdeiras da Águia Branca,  um dos maiores grupos de transporte do país, Liliane Chieppe, de 54 anos, faleceu em um incêndio na própria residência, no Jardim Paulista, zona oeste de São Paulo (SP), ontem à tarde (30).

Liliane era filha de Vallecio Chieppe, fundador e ex-presidente do Grupo Águia Branca, que tem sede no Espírito Santo e atua há mais de três décadas no sul da Bahia, onde adquiriu a extinta Sulba. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo atingiu o apartamento onde Liliane estava, por volta das 14h.

Ela foi socorrida e levada para a Santa Casa de Misericórdia, depois encaminhada para o Hospital das Clínicas. Porém, a herdeira da Águia Branca morreu antes de chegar ao pronto-socorro do hospital.

Liliane sofreu queimaduras graves e parada cardiorrespiratória, segundo o Corpo de Bombeiros. (do Pimenta)

Ramon Vane é eterno, porque a arte é eterna

Discurso do ator Ramon Vane, durante a premiação do III Festival de Monólogos de Itabuna, em dezembro de 2009, quando foi o vencedor. Ator, advogado e militante do movimento cultural, Ramon faleceu aos 57 anos.

Em 2011, em seu primeiro filme, “O homem que não dormia”, dirigido por Edgar Navarrio, recebeu o Candango de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante no Festival de Cinema de Brasilia de 2011.

Filho de Pablo Escobar contesta versão sobre morte de narcoterrorista

pablo

(da Agência Sputinik)A morte do maior narcotraficante da história não se deve ao mérito de seus inimigos, mas a uma decisão do próprio Pablo Escobar, que decidiu acabar com a própria vida, garantiu em entrevista exclusiva à RT o filho do lendário criminoso colombiano, Juan Pablo Escobar.

Segundo ele, a versão oficial de que seu pai foi executado pelas autoridades da Colômbia em cooperação com a CIA e o órgão para combate às drogas dos EUA (DEA – na sigla em inglês) é falsa. A morte de Escobar teria sido, na verdade, uma forma de suicídio.

pablito“Foi o grupo de mafiosos Los Pepes [que matou Escobar]. Eles contavam com a ajuda das autoridades americanas e colombianas, (…) mas estas não participaram da operação em que meu pai decidiu finalmente acabar com a própria vida” – disse Juan Pablo.

O filho de Escobar garantiu que seu pai estava ciente de todas as formas de vigilância que existiam contra ele. Assim, durante décadas, ele conseguiu se esconder com sucesso da polícia, do exército, dos mercenários da CIA e de bandidos de cartéis rivais.

De acordo com Juan Pablo, o fato de que seu pai realizou sete chamadas telefônicas no último dia de sua vida, esperando sem tentar escapar que seus assassinos o encontrassem, é a prova definitiva de que a morte de Escobar foi nada mais do que um suicídio planejado.

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
julho 2017
D S T Q Q S S
« jun    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031