hanna thame fisioterapia animal
livros do thame

Posts Tagged ‘Ministério da Educação’

Cursos de graduação podem ofertar até 40% de aulas a distância

eadCursos de graduação presenciais poderão ofertar até 40% das aulas a distância. O limite anterior era de 20%. A medida está prevista em portaria publicada na segunda-feira (31) no Diário Oficial da União pelo Ministério da Educação (MEC). A medida não vale para cursos da área da saúde e de engenharia.

A portaria estabelece que os estudantes devem ser informados pelas instituições de ensino superior que parte do curso presencial será ministrada a distância.As instituições devem detalhar, de maneira objetiva, as disciplinas, conteúdos, metodologias e formas de avaliação dessas aulas.

Além disso, mesmo que sejam ministradas em formato de educação a distância (EaD), as avaliações e as atividades práticas exigidas devem ser realizadas presencialmente na sede ou em algum dos campi da instituição de ensino.

De acordo com a portaria, para ofertar até 40% da carga horária do curso a distância, a instituição de ensino superior deve cumprir alguns requisitos como estar credenciada junto ao MEC nas modalidades presencial e a distância e ter um conceito institucional (CI) igual ou superior a 4. O curso que terá parte das aulas a distância deve ter Conceito de Curso (CC) igual ou superior a 4. Ambos conceitos são calculados a partir de avaliações do MEC e seguem uma escala que vai de 1 a 5.

Read the rest of this entry »

MEC cria linha para candidatos do Enem denunciarem fake news

fake 2O ministro da Educação, Rossieli Soares, e a presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini, fizeram um alerta para que os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não caiam em notícias falsas, as chamadas fake news, e para que estejam atentos ao horário de verão para não perderem a prova e chegarem após o fechamento dos portões.

Segundo Maria Inês, nos últimos dias, circulou um boato de que o Enem seria adiado, o que é mentira, o exame está mantido nos dias 4 e 11 de novembro. “A fake news é uma doença social e nesse período de exame em que os participantes estão no grau máximo de ansiedade, elas atrapalham e muito”, diz.

Para se proteger, os candidatos devem se informar pelos canais oficiais de comunicação.

Candidatos podem alertar o Inep sobre notícias falsas pela Página do Participante e pelo aplicativo do Enem, disponível para os sistemas Android e IOS. Os participantes podem também entrar em contato com o Inep pelo telefone 0800-616161. Maria Inês pede que os estudantes denunciem as fake news “para que a gente possa desmentir esse tipo de notícia que causa tanto transtorno aos participantes”.

Read the rest of this entry »

Aplicação do Enem terá quatro horários diferentes

enem(Agencia Brasil) O Ministério da Educação (MEC) alerta os estudantes inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 que a partir do primeiro dia da aplicação das provas, 04 de novembro, o país terá quatro fusos horários diferentes. Devido ao horário de verão, que entrará em vigor no mesmo dia da prova, os portões dos locais de realização do exame serão abertos e fechados em horários diferentes nos estados.

O relógio deverá ser adiantado em uma hora à meia noite de sábado (3) para domingo (4) pelos estudantes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. Neste grupo de estados, com exceção de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, a abertura dos portões dos locais das provas será às 12 horas e o fechamento às 13h.

Para estudantes do Amapá, Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, os portões serão abertos Às 11h e o fechamento Às 12h, seguindo o horário local.

Read the rest of this entry »

Governadores do Nordeste questionam critérios de avaliação do Inep sobre desempenho escolar

Governadores de seis dos nove estados do Nordeste divulgaram uma carta, neste domingo (2), questionando mudanças de última hora nos cálculos do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2017, usado para avaliar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) nas escolas de ensino médio no Brasil.

O documento diz que os critérios adotados pelo instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), para cálculo da média de proficiência das redes públicas estaduais do Saeb 2017 referente ao Ensino Médio, não estavam previstos nem normatizados por lei.

A nota lembra que uma portaria do Ministério da Educação, de 27 de maio de 2017, fala de algumas mudanças positivas na avaliação, mas, em nenhum momento, a portaria prevê exclusão, no cálculo do Saeb, dos estudantes do Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado), também conhecido em algumas redes como Escolas de Educação Profissional, modalidade que responde por mais de 15% da matrícula de toda a rede em alguns estados.

Os gestores questionam ainda que o Saeb utilizou peso diferenciado por estudante de acordo com o percentual de participação da turma, tendo sido tal fato informado pela presidência do Inep a uma equipe técnica de Pernambuco. Embora o MEC tenha determinado que somente seriam avaliadas escolas com participação mínima de 80% dos alunos, na avaliação o Saeb acabou incluindo também colégios que não atingiram esse percentual.

A junção de fatores como baixa participação e adoção de peso diferenciado traz risco de maximizar o desempenho nas escolas que possam adotar práticas de seleção ou que não obtenham boa participação de seus estudantes.

Por fim, a carta dos governadores reclama que a Nota Técnica Inep, que determina esses novos critérios, foi divulgada no dia 29 de agosto, justamente após a realização do cálculo e trazendo inovações não previstas na portaria que regulamentou a realização da avaliação.

Assinam a carta os governadores Rui Costa dos Santos (Bahia), Camilo Sobreira de Santana (Ceará), Ricardo Vieira Coutinho (Paraíba), Paulo Henrique Saraiva Câmara (Pernambuco), José Wellington Barroso de Araújo Dias (Piauí) e Robinson Mesquita de Faria (Rio Grande do Norte). Os outros três governadores da região devem assinar o documento nas próximas horas.

Joana Angélica Guimarães é empossada reitora da UFSB

reitora da UFSB joana guimarãesA professora Joana Angélica Guimarães da Luz foi empossada reitora da Universidade Federal do Sul da Bahia pelo Ministro da Educação, Rossieli Soares da Silva, em solenidade oficial ocorrida no MEC na manhã de hoje (20), em Brasília.  Joana Guimarães foi eleita pela comunidade acadêmica com 64,82% dos votos, em consulta realizada no mês de novembro de 2017. É a única mulher negra reitora em exercício em uma universidade federal brasileira neste momento, conforme informação da Assessoria de Políticas Públicas da Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES), que engloba 63 Universidades.

“Atualmente, o quadro de dirigentes que fazem parte da Andifes é composto por 29% de reitoras, um total de 19 mulheres à frente de Universidades Federais, das quais apenas uma é negra, havendo duas ex-reitoras negras”, destacou a Assessoria de Políticas Públicas da Entidade. Esse número reflete a realidade da presença deficitária das mulheres nos altos cargos públicos e também na ciência brasileira. Embora sejam maioria como estudantes e até bolsistas de graduação, a presença das mulheres vai diminuindo ao longo da carreira acadêmica pelo predomínio de valores machistas. Isso se agrava no caso das mulheres negras, pois ocupam os piores lugares na sociedade.

A professora Célia Regina da Silva, do Programa de Pós-Graduação em Ensino e Relações Étnico-Raciais do Campus Jorge Amado, informa que, “de um universo de aproximadamente 60 mil professores universitários, nós, mulheres negras, somos apenas algo em torno de 260. Se a gente for contar na UFSB, o número de pesquisadoras negras é muito inferior ao número de não negras.”

Read the rest of this entry »

MEC define posse da nova reitora da UFSB

angelicaO Ministério da Educação (MEC) agendou para a próxima quarta-feira, 20, às 11 horas, em Brasília, a cerimônia solene de posse da Reitora da Universidade Federal do Sul da Bahia, professora Joana Angélica Guimarães da Luz. A nomeação foi assinada pela Presidência da República no dia 24 de maio de 2018. A professora Joana Guimarães foi eleita pela comunidade acadêmica com 64,82% dos votos, em consulta realizada no mês de novembro de 2017. Foi vice-reitora na gestão anterior, que permaneceu pro tempore do início das atividades da instituição até a consulta.

Desde então, a reitora eleita exerce o cargo na condição de “Reitora em exercício”. A posse define um momento importante para a Universidade, com a efetivação no cargo de uma representante eleita democraticamente. A Reitora já estará em Brasília para participar, entre os dias 18 e 20 de junho, do Seminário Internacional e IV Encontro dos Bacharelados e Licenciaturas e de Reuniões da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes). No retorno da capital federal, conforme protocolo, a Reitora dará posse ao vice-reitor, Professor Francisco Mesquita, em cerimônia agendada para o dia 5 de julho de 2018, na Reitoria da Ufsb.

Inadimplência do FIES dobra desde 2014

fiesO Ministério da Educação está com um aumento contínuo da inadimplência dos ex-estudantes após um período de crescimento de novos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), de 2011 a 2014. De acordo com dados obtidos pelo G1 por meio da Lei de Acesso à Informação, a taxa de inadimplência dobrou de 18,9%, entre dezembro de 2014, para 41% em março de 2018, período mais recente das informações repassadas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

No mercado, um devedor é considerado inadimplente quando está há pelo menos 90 dias sem pagar o débito, o que, era o caso de 249.433 estudantes em março. A parcela de devedores representa 41% das 612.225 pessoas financiadas pelo Fies que passaram pela fase de financiamento e a fase de carência (período em que o valor foi inteiramente financiamento, mas o devedor ainda não precisa começar a pagar de volta), e entraram na fase de amortização.

Apesar do problema, o governo ainda não definiu as regras do Programa Especial de Regularização do Fies, que já estava incluído na MP do Novo Fies, aprovada no Senado em novembro do ano passado.

Ao G1, o FNDE afirmou que “ainda não há qualquer contrato vinculado a esse Programa” por causa da falta de regulamentação.

MEC autoriza curso de Medicina em Itabuna

A Faculdade Santo Agostinho (Fasa), que oferecerá 85 vagas no curso de Medicina em Itabuna, obteve o credenciamento do Ministério da Educação (MEC). A Portaria foi divulgada na edição do Diário Oficial da União.

O credenciamento tem validade por 3 anos. O campus da Fasa funcionará na Avenida J.S. Pinheiro, bairro Nova Itabuna, próximo ao trevo das rodovias 101 e 415. O curso foi criado no âmbito do programa federal Mais Médicos, em 2015.

Com o credenciamento, a Faculdade Santo Agostinho poderá realizar o primeiro vestibular.

MEC: UESC é a melhor entre as universidades estaduais e a segunda na Bahia

DCIM100MEDIADJI_0065.JPGA Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) é a primeira, entre as universidades estaduais avaliadas pelo Ministério da Educação. O MEC, através do Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais Anísio Teixeira (Inep), divulgou, os Indicadores de Qualidade da Educação Superior do ano de 2016. Na Bahia, onze universidades foram avaliadas de acordo com Índice Geral de Cursos (IGC), e a Universidade Federal da Bahia (Ufba) alcançou nota mais alta, com 3,6627.

Em segundo lugar e a primeira entre as estaduais baianas  vem a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) com 3,2309, seguida da Universidade Federal do Oeste Baiano (Ufob), com 3,0714. Seis instituições, ao todo, todas de ensino público, atingiram a faixa 4 do indicador – desempenho considerado bom.

As cinco restantes ficaram na faixa 3 do indicador. A Universidade Salvador (Unifacs) foi a instituição privada mais bem colocada com nota de 2,6529. A outra instituição particular da lista, a UCSal, ficou em último lugar entre todas as universidades avaliadas no estado, com 2,2324.

O IGC é calculado com base na média de três conceitos no último triênio: Conceito Preliminar de Curso (CPC), Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) dos cursos das instituições avaliadas e o dos conceitos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) dos cursos de mestrado e doutorado.

Qualidade

A avaliação do Conceito Preliminar de Curso (CPC), que avalia a qualidade dos cursos de bacharelado e graduação tecnológica, leva em conta quatro critérios: os professores (corpo docente); o desempenho dos formandos no Enade; o que a graduação agregou ao aluno e, por fim, a opinião dos alunos sobre o curso. As notas variam entre 1 e 5.

Este ano, as graduações avaliadas foram de Agronomia, Biomedicina, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Serviço Social e Zootecnia. Além delas, também foram analisadas a situação das graduações tecnológicas de Agronegócio, Estética e Cosmética, Gestão Hospitalar e Gestão Ambiental.

Na Bahia, apenas dois cursos dos 221 avaliados atingiram a nota máxima (5) no CPC de 2016. Isso corresponde a 0,9% do total, menos da metade da média nacional. Em todo o país, só 1,9% dos cursos de graduação alcançaram nota 5.

As notas máximas na Bahia foram para cursos da mesma instituição, em Feira de Santana, a Uefs. Tanto a graduação em Nutrição quanto o bacharelado em Educação Física são da Faculdade Nobre (FAN).

Na UESC foram avaliados os cursos de Medicina Veterinária com (4), Medicina (4), Agronomia( 4), Biomedicina (4) e Enfermagem (3)

 

Confira o ranking das instituições de Ensino Superior:

Read the rest of this entry »

Programas de pós da graduação da Uesc melhoram na avaliação do MEC

Adélia Pinheiro

Adélia Pinheiro

Quatro programas de Pós-graduação da Universidade Estadual de Santa Cruz-Uesc mantiveram ou aumentaram seus conceitos, atingindo 5 na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), vinculada ao Ministério da Educação, entre 2013 e 2016.

Trata-se dos programas de Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente, Ecologia, Conservação da Biodiversidade, Zoologia e Genética e Biologia. A avaliação é feira periodicamente, com a participação da comunidade acadêmica, por meio de consultores.

Esta avaliação, além de ser fundamental à manutenção do funcionamento dos programas, é um indicador de qualidade, embasando as políticas governamentais e institucionais para o crescimento qualitativo e quantitativo dos cursos.

Os cursos de pós-graduação da Uesc obtiveram avanços nesta primeira etapa da avaliação, como os de Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente, Ecologia e Conservação da Biodiversidade e Zoologia, que saíram do conceito 4 para 5.

Outros cursos mantiveram o mesmo patamar, como o de Genética e Biologia Molecular, nível de mestrado e doutorado, que possui conceito 5. Um dos diferenciais foi a reserva de um período para análise exclusiva dos mestrados profissionais.

O Mestrado Profissional em Formação de Professores da Educação Básica foi avaliado com conceito 4 e os demais mantiveram suas avaliações. A professora Adélia Pinheiro, reitora da Uesc, diz que “o Programa de Genética nos dá sinais que pode chegar ao conceito 6 nas próximas avaliações”.

“Temos o Programa de Ecologia alcançando o conceito 5 e que esperamos na próxima avaliação 6 e ainda Zoologia alcançando 5. O bom resultado não ocorre ao acaso. É o resultado do esforço e do comprometimento dos professores, técnicos e estudantes”.

Brasil: um em cada dez universitários estuda Direito

devogdos

O Ministério da Educação divulgou no início do mês o Censo da Educação Superior de 2015, que mostra que um em cada dez universitários do Brasil está assistindo a uma aula de Direito nos bancos da faculdade. São 853.211 estudantes distribuídos em 1172 cursos, o que faz do Direito a opção de ensino superior mais popular do país.

No ano passado, exatos 105.324 novos bacharéis foram despejados no mercado. Todo o grupo classificado pelo Ministério da Educação de “Engenharia, produção e construção”, que inclui Arquitetura e as mais diversas engenharias, formou praticamente o mesmo número de pessoas. Medicina gradua apenas 17.123 estudantes enquanto jornalismo, com um mercado em eterna crise, forma 7.399 profissionais.

Não é exagero dizer que o Brasil é o país dos bacharéis – e dos advogados também. A Ordem dos Advogados do Brasil já registra 995.905 advogados em seus quadros. Isto significa que a cada mil habitantes, cinco são advogados.

Embora no último exame da ordem, no estado de São Paulo, apenas 5.064 dos 28.165 candidatos inscritos tenham sido aprovados, o número de advogados não para de crescer.

Advogados no mundo

O Brasil é o terceiro país do mundo com mais advogados em números absolutos. Perde apenas para Estados Unidos, com 1,3 milhão, e Índia, que possui 2 milhões de operadores do Direito – muito embora a ordem dos advogados local estime que 30% não atue na área ou, pior, ostente um diploma falso na parede. (do site Jota.Info/Noticias Jurídicas)

MEC divulga primeira lista de aprovados no Prouni

O Ministério da Educação divulgou nesta segunda (25) a primeira chamada de pré-selecionados para o Programa Universidade para Todos (Prouni). Os candidatos podem conferir os resultados no site http://siteprouni.mec.gov.br/, na central de atendimento (0800-616161) e nas instituições de ensino que integram o programa.

Nesta edição, foram ofertadas 203.602 bolsas de estudo em universidades particulares, segundo o MEC – uma queda de 4% em relação ao ano passado, quando houve 213.113 bolsas no sistema. Já o número de cursos com bolsas disponíveis subiu de 30.549 para 30.931.

O candidato que foi convocado deve comprovar, até o dia 1º de fevereiro, as informações apresentadas no momento da inscrição. Cabe ao estudante verificar no site da universidade em que foi aprovado quais os horários e o local para a conferência dos dados. A perda do prazo ou a não-comprovação de informações acarretam a reprovação do candidato.

Se não houver abertura de turma no curso/turno em que o estudante foi selecionado, ele será reprovado e poderá tentar concorrer à chamada seguinte. Ou seja: só haverá bolsa para os cursos nos quais haja número suficiente de matriculados para a formação de uma classe inicial.

Algumas faculdades, além de exigirem a apresentação de documentos, também submetem os estudantes a um processo seletivo próprio, que não pode ser mais rigoroso do que o vestibular regular. Instituições de ensino que organizarem essa seleção extra não têm o direito de cobrar taxas. Elas  devem explicar formalmente aos candidatos todos os detalhes do processo em até 24 horas a partir da divulgação da primeira chamada.

Read the rest of this entry »

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
janeiro 2019
D S T Q Q S S
« dez    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031