WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
hanna thame fisioterapia animal

livros do thame




Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

dezembro 2022
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


:: ‘Ministério da Agricultura’

Ministério da Agricultura declara quarentena ao Amazonas para conter a monilíase do cacaueiro

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou nesta terça-feira (22) a Portaria nº 703 em que declara os municípios de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Marechal Thaumaturgo e Porto Walter no estado do Acre e todo o estado do Amazonas, como área sob quarentena para a praga quarentenária ausente Moniliophthora roreri, causadora da doença conhecida como Monilíase do Cacaueiro.

A declaração implica na proibição do trânsito de materiais vegetais (frutos, plantas) hospedeiros da praga (espécies do gênero Theobroma e Herrania) para as demais unidades da Federação.

Essa é uma medida cautelar, que visa prover o suporte legal necessário às ações de fiscalização do trânsito de vegetais, executadas pelas agências estaduais de Defesa Agropecuária, com o objetivo de evitar a dispersão da praga para as áreas ainda indenes (onde não há presença da doença) do país, principalmente para as regiões produtoras de cacau e cupuaçu.

:: LEIA MAIS »

Novo foco de praga que atinge cultivo de cacau e cupuaçu é detectado no Amazonas

 

Cacau atingido pela moniliase (foto MAPA)

Um novo foco da praga Moniliophthora roreri, causadora da doença conhecida como Monilíase do Cacaueiro, foi detectado no município de Tabatinga, no estado do Amazonas, na região da tríplice fronteira entre o Brasil, Colômbia e Peru. Dessa vez, o caso foi detectado em comunidades rurais ribeirinhas.

A suspeita de ocorrência da praga foi verificada durante ações de monitoramento realizadas por equipe de técnicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), com o apoio da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), e confirmada por meio de análise laboratorial realizada pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de Goiânia (LFDA/GO).

A monilíase é uma doença devastadora que afeta plantas do gênero Theobroma, como o cacau (Theobroma cacao L.) e o cupuaçu (Theobroma grandiflorum), causando perdas na produção e uma elevação nos custos devido à necessidade de medidas adicionais de manejo e aplicação de fungicidas para o controle da praga.

:: LEIA MAIS »

Edital irá selecionar empresas para produzir bioinsumo contra a vassoura-de-bruxa na produção de cacau

 

Com objetivo de facilitar o acesso e a utilização do Bioinsumo Tricovab® pelos produtores de cacau das regiões brasileiras, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), publicou o Edital de Oferta Tecnológica n° 01/2022.

O Edital é uma forma de selecionar empresas para produzir e comercializar, com exclusividade, o produto Tricovab®, recomendado para o controle do fungo causador da vassoura-de-bruxa do cacaueiro, praga que mais prejudica as lavouras de cacau no Brasil. Além disso, o edital busca promover ações visando o co-desenvolvimento do produto em parceria com a Ceplac, conforme condições estabelecidas no documento.

O estudo para desenvolver o Tricovab® foi iniciado em meados de 1990 por pesquisadores da Ceplac, em um grande esforço para aprimorar o controle do fungo da vassoura-de-bruxa sem resíduos químicos, possibilitando seu uso na cacauicultura orgânica. O Tricovab® é comprovadamente eficaz, inibe o crescimento do fungo da vassoura-de-bruxa em 99% no solo e em 57% na copa das árvores.

:: LEIA MAIS »

Inscrições abertas para Simpósio sobre Sistemas Agroflorestais com Cacaueiro

As inscrições para participar do Simpósio sobre Sistemas Agroflorestais com Cacaueiro – SSAF-Cacau estão abertas. O evento  será realizado em Ilhéus, na Bahia, entre os dias 30 de novembro e 1° de dezembro de 2022, de forma presencial. O SSAF-Cacau é realizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), e a Cooperação Brasil-Alemanha para o desenvolvimento sustentável (GIZ).

O objetivo desse Simpósio é promover a troca de experiências e conhecimentos sobre os aspectos tecnológicos e de sustentabilidade (econômica, social e ambiental) de sistemas agroflorestais com cacaueiro, como modelo de agricultura sustentável recomendado para esse cultivo.

Com entrada gratuita, 200 participantes, entre produtores, pesquisadores, professores das ciências agrárias e ambientais, profissionais ligados a todos os segmentos da cadeia produtiva do cacau e alunos de pós-graduação poderão inscrever-se no site oficial do evento. O Simpósio também será transmitido ao vivo na data.

A realização desse evento conta com a participação de vários parceiros: Sociedade Brasileira de Sistemas Agroflorestais – SBSAF, Associação das Indústrias Processadoras de Cacau – AIPC, Centro de Inovação do Cacau – CIC, Cocoa Action Brasil, Embrapa, UFSB (Universidade Federal do Sul da Bahia) e UESC (Universidade Estadual de Santa Cruz), além de renomados palestrantes especialistas no assunto de diversas instituições colaboradoras.

:: LEIA MAIS »

Ministério da Agricultura firma Memorandos de Entendimento com países da América Latina para desenvolvimento da cadeia produtiva do cacau

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), visitou instituições de ciência e tecnologia do Peru e Equador especializadas na cultura do cacau. Os objetivos são desenvolver ações para combater e prevenir a entrada da doença Monilíase do Cacaueiro no Brasil, por meio do envio de clones (materiais genéticos de cacau) selecionados dentro do programa de melhoramento da Ceplac, bem como aumentar a produção e produtividade da cultura no território brasileiro.

“Queremos estabelecer e conduzir ensaio inicial de avaliação de variedades de cacaueiro para resistência à Monilíase e desenvolver variedades melhoradas resistentes às principais doenças desta cultura. O propósito final é reduzir os riscos de danos para a cacauicultura nacional com a possível introdução da Monilíase no país e ampliar sua sustentabilidade”, destacou o diretor da Ceplac, Waldeck Araujo, que representou o Ministperio na viagem.

 

Vejam o texto completo em:

 

www.cacauechocolate.com.br

ANPC conquista vitória na luta pela política do preço mínimo do cacau

A SPA-Secretaria de Política Agrícola, vinculada ao MAPA- Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, publicou nesta quinta feira (08), a portaria de nº 36, que informa o percentual do bônus de desconto, referente ao PGPAF, a ser concedido no pagamento de parcelas ou na liquidação das operações de crédito rural do Pronaf, para produtos que tiveram preço de mercado inferior ao preço de garantia.

 

A medida faz parte da luta pleiteada pela ANPC – Associação Nacional de Produtores de Cacau, que oficializou junto à CONAB, no dia 01 de agosto, o pedido para que fosse estabelecida a política do preço mínimo do cacau (Processo n. 21000074374/2022-55). Para a presidente da associação, este é o caminho mais justo para que o cacauicultor retome o fôlego em sua produção. “Esta é mais uma vitória da ANPC  e de toda cacauicultura brasileira.  Lutamos muito, plantamos a semente do trabalho, da justiça e agora estamos finalmente colhendo os resultados. Nossos cacauicultores merecem que o Estado tenha atenção e respeito pelo que plantamos e colhemos”, disse

Vanuza Barroso

, que aguarda, junto aos associados, o encaminhamento da portaria para o Ministério da Economia e posterior publicação no Diário Oficial. “Somente após esse trâmite entrará em vigor essa política”, concluiu Vanuza, em comunicado oficial aos associados da ANPC.

 

A ANPC vem se destacando na luta em defesa da cadeia produtora do cacau. A união de produtores e ativistas da causa . Para Hugo Kaufmann, cidadão entusiasta da cacauicultura e apaixonado pela mata e pelo chocolate que é produzido na região cacaueira da Bahia “ A ANPC foi imprescindível na representação junto ao CONAB E e ao MAPA e isto é resultado de um empenho que vem sendo mostrado por Vanuza que defende as pautas de real interesse para o produtor de cacau, que é o elo mais frágil da cadeia de valor do cacau. Pautas que vão desde a regulação  do preço do cacau bulk, a segurança fitossanitária tão fragilizada pela NR 125, que lutamos para uma readequação, e tenho certeza será a próxima conquista para os associados da ANPC”, concluiu Kauffmann que além de  produtor de cacau e  consultor para fabricação de chocolate e produção de cacau fino.

:: LEIA MAIS »

Tecnologia auxilia produtores na identificação de novas doenças e pragas no cacaueiro

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), lançou nesta semana o Sistema de Identificação das Pragas do Cacaueiro. A inovação vai auxiliar os produtores rurais tradicionais, agricultores familiares e empresas agrícolas, indústrias, associações e cooperativas de cacau a identificar previamente pragas que podem assolar a cadeia produtiva da cultura.

O sistema é um marco importante de modernização de tecnologia aplicada, pois funcionará de forma digital, facilitando o encaminhamento de áudios, imagens e vídeos da plantação ou dos frutos. Com a nova tecnologia, pesquisadores da Ceplac poderão analisar as informações enviadas pelos produtores, realizar o diagnóstico mais preciso e até mesmo deslocar-se ao local para inspeção, quando necessário.

Outro benefício do sistema é que o produtor não precisará fazer o deslocamento até uma unidade da Ceplac e não haverá a necessidade de enviar amostra de materiais infectados, trazendo mais economia, agilidade ao processo e evitando, assim, a propagação de pragas em outras plantações, o que representa mais segurança para o setor cacaueiro.

vejam o texto completo em

 

www.cacauechocolate.com.br

Cacauicultura brasileira vê risco fitossanitário em importações da Costa do Marfim

cacau premiumA cacauicultura brasileira corre risco fitossanitário com a importação de amêndoas fermentadas e secas de cacau da Costa do Marfim. O produto do país africano entra no Brasil sem ser submetido a tratamento com brometo de metila contra pragas e doenças quarentenárias. Além de ameaçar as plantações nacionais da fruta, tal situação tem potencial, em caso de alguma ocorrência adversa, para propagar doenças em outras culturas, como soja, milho, arroz, feijão, cana-de-açúcar, sorgo e milheto.

O alerta é da presidente da Associação Nacional dos Produtores de Cacau (ANPC), Vanuza Barroso, ao defender a rediscussão de Instrução Normativa (IN) nº 125, de 23 de março de 2021, da Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A IN 125 eliminou a exigência de tratamento com brometo de metila para ingresso de amêndoas fermentadas e secas de cacau da Costa do Marfim no território brasileiro.

A norma do Mapa de 2021 revogou a IN nº 18, de 28 de abril de 2020. Esta exigia que as amêndoas fermentadas e secas de cacau importadas pelo Brasil da Costa do Marfim fossem tratadas com brometo de metila, na dose de 48g/m3em temperatura ambiente, com 24 horas de exposição ao gás, para o controle das pragasCaryedon serratus, Trogoderma granarium, Mussidia nigrivenella, Phytophthora megakarya e Striga spp.

:: LEIA MAIS »

Representante da Bahia é eleito na Comissão Nacional de Produção Orgânica

(do Bnews)-  A Bahia passou a contar com membro na Comissão Nacional de Produção Orgânica após processo seletivo realizado pelo Ministério da Agricultura (Mapa). A seleção escolheu representes de todas as regiões do país e o Nordeste será representado pelo engenheiro agrônomo  Thiago Guedes, que é coordenador da Comissão de Produção Orgânica da Bahia.

thiago 1O segmento é um dos que estão em fase de expansão no Brasil,  como aponta dados do Cadastro Nacional de Produção Orgânica do Mapa. O país conta com aproximadamente 25 mil produtores orgânicos,  32,44% estão no nordeste, que fica atrás apenas da região Sul, com 39,35%.

Para Thiago Guedes a demanda por estes produtos cresce em todo o país, “cada vez mais os brasileiros conhecem os benefícios do consumo de orgânicos, o que impulsiona a busca por alimentos saudáveis. O mercado brasileiro tem crescido a uma taxa anual de 20%, com expectativa de alcançar R$ 5 bilhões em 2021, apresentando cenário promissor para os próximos anos”.

Guedes destaca que é importante apoiar os atuais produtores orgânicos, com mais informação técnica para produção em campo, fortalecer redes de comercialização, ampliar o número de feiras orgânicas, investir em pesquisa integrando as redes de sistemas produtivos e inovadores, além de implantar projetos para capacitar, por meio da assistência técnica, e ampliar o número de produtores orgânicos certificados no Nordeste. Além disso, Thiago aponta para a implantação do Programa Rota do Orgânico Nordeste, que possui foco em impulsionar os investimentos no segmento orgânico, tornando-o mais competitivo.

:: LEIA MAIS »

Ministério da Agricultura declara quarentena ao estado do Acre para conter a monilíase do cacaueiro

moniO Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) declarou o estado do Acre como “área sob quarentena” para a praga quarentenária ausente Moniliophthora roreri (Monilíase do Cacaueiro), detectada pela primeira vez no Brasil em área urbana do município de Cruzeiro do Sul (AC). A medida foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (5), por meio da Portaria nº 372.

A declaração, feita para todo o estado do Acre, implica na proibição do trânsito de materiais vegetais (frutos, plantas) hospedeiros da praga (espécies do gênero Theobroma e Herrania) provenientes de todo o estado para as demais unidades da federação.

“Essa é uma medida cautelar, que visa prover um maior suporte para as ações de fiscalização do trânsito de vegetais, executadas pelas Agências Estaduais de Defesa Agropecuária, com vistas a evitar a dispersão da praga para as áreas livres do país, principalmente para as áreas de cultivo de cacau e cupuaçu”, explica a coordenadora-geral de Proteção de Plantas, Graciane de Castro.

:: LEIA MAIS »





WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia