hanna thame fisioterapia animal
prefeitura itabuna coronavirus 155 livros do thame

Posts Tagged ‘Mata Atlântica’

Pesquisa analisa potencial de planta da Mata Atlântica para tratamento da leishmaniose

planta

A riqueza da flora nacional é tanta que nela se pode encontrar várias espécies de vegetais que fornecem alimento, tempero e remédio. Uma das investigações científicas apoiadas pelo Programa de Iniciação à Pesquisa, Criação e Inovação (PIPCI) em 2018 busca encontrar um fármaco eficiente e com menos efeitos colaterais para tratar a leishmaniose visceral, uma das Doenças Tropicais Negligenciadas que mais afeta populações de baixa renda no mundo – e para as quais há mais necessidade de remédios.
planta 2O trabalho consistiu na bioprospecção, que pode ser entendida como a pesquisa por diversos tipos de elementos (como compostos químicos, genes e enzimas, por exemplo) de origem vegetal e animal que tenham potencial econômico para fazer parte de produtos. É uma atividade que pode ter ligação com saberes tradicionais: o uso popular de folhas de uma planta para tratar uma enfermidade é um indício para uma pesquisa que pode resultar na criação de um novo medicamento, por exemplo.
O professor Sebastião Rodrigo Ferreira, do Campus Paulo Freire (Teixeira de Freitas) da Universidade Federal do Sul da Bahia,  contribuiu com informações sobre os objetivos e o status da pesquisa que coordena junto com a professora Gisele Lopes de Oliveira. O plano de trabalho Bioprospecção de compostos de plantas da Mata Atlântica com potencial para aplicação no tratamento das leishmanioses foi contemplado com uma bolsa de Iniciação Tecnológica (IT) no edital gerido pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPPG/UFSB) em 2018.

 

Read the rest of this entry »

A invenção do Chocolate da Mata Atlântica

Gerson Marques

 gerson marquesFazer chocolates é uma atividade muito nova para nos do Sul da Bahia, o antigo modelo exportador de matéria prima, com base monocultural, ficou congelado por mais de um século, travando alternativas e oferecendo um certo conforto, que mais tarde se mostraria insustentável.

Neste sentido, existe um fator positivo com a crise da vassoura, como ensina os orientais, as crises são o fim e início ao mesmo tempo, depende de seu ponto de vista, ou como se comporta perante a adversidade.

A busca por alternativas que viabilizasse saídas para um quadro de insustentabilidade econômica da atividade agrícola do cacau, foi sem dúvidas o fator motivador e indutor para o surgimento da chocolataria no Sul da Bahia.

chocolate do sul da bahiaMas, como se faz chocolates? Está era a pergunta a ser respondida anos noventa, no mundo até então, prevalecia a escola Suíça, com forte tradição no chocolate ao leite, traduzido para o Brasil, em chocolates com baixo teor de cacau, baixa qualidade e muitos aditivos suspeitos, fidelizando consumidores de doces, com o nome chocolate entrando como fantasia.

A falta de tradição e conhecimento sobre a produção de chocolates, era uma dificuldade que parecia intransponível apontando para um mar de desafios pela frente.

Também nos anos noventa, surge na Califórnia-EUA, um movimento de inovação do chocolate, comandado por chefs de culinária que resolveram reinventar o chocolate com base na seleção de amêndoas de alta qualidade e diminuição ou eliminação do leite na fórmula de seus inventos, este movimento ficou logo conhecido como “been tô bar”, foram fundamentais no desenvolvimento de uma linha de máquinas e equipamentos, de pequeno porte que viabilizaria o surgimento da micro e pequena fábrica de chocolate, coisa impensável pouco tempo antes.

Read the rest of this entry »

Foto: José Nazal

Uma das maiores riquezas de Ilhéus e também do Sul da Bahia, o Parque Natural Municipal da Boa Esperança, área de Mata Atlântica no perímetro urbano da cidade. Conta  com 437 hectares, mas  está sendo ampliada para 456 hectares.  A área foi adquirida pelo município para instalação da represa da Esperança, que abasteceu a cidade entre os anos de 1942 a 1972.  Nessa mata, os pesquisadores Carl Friedrich Philipp Von Martius e o Príncipe Maximiliano de Wied encontraram uma espécie endêmica de flor e a batizaram de 'Goethea', numa homenagem ao grande literato alemão Goethe.

Uma das maiores riquezas de Ilhéus e também do Sul da Bahia, o Parque Natural Municipal da Boa Esperança, área de Mata Atlântica no perímetro urbano da cidade. Conta com 437 hectares, mas está sendo ampliada para 456 hectares. A área foi adquirida pelo município para instalação da represa da Esperança, que abasteceu a cidade entre os anos de 1942 a 1972.
Nessa mata, os pesquisadores Carl Friedrich Philipp Von Martius e o Príncipe Maximiliano de Wied encontraram uma espécie endêmica de flor e a batizaram de ‘Goethea’, numa homenagem ao grande literato alemão Goethe.

Viagem ao Sul da Bahia marca fim de curso do Comando de Operações Especiais

coe 1

O cenário de Mata Atlântica será o último desafio enfrentado pelos vinte policiais civis que permanecem na 7ª edição do Curso de Operações Táticas (COT) da Coordenação de Operações Especiais (COE) da Polícia Civil. O grupo viajou, na manhã desta segunda-0feira (13), para o município de Uruçuca onde viverão a experiência. A atividade marca o início da contagem regressiva de aproximadamente um mês para término do curso.

coe 2 Antes de pegar a estrada, o grupo realizou o treino diário de funcional com peso e uma corrida de seis quilômetros, na parte interna do Aeroporto Internacional de Salvador. “Ficaremos uma semana, no Parque Estadual Serra do Conduru, encarando as dificuldades impostas pela Mata Atlântica, colocando em prática as noções de rapel, patrulhamento rural, progressão na água, entre outros ensinamentos”, explicou o coordenador da COE, André Viana, destacando o apoio da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Cacaueira.

O delegado lembrou que a turma começou com 60 policiais e já passou por treinamentos em áreas de caatinga e chapada. “Vamos ao máximo do ser humano, no limite. Como sempre falamos, policial de unidade especial precisa ser testado fisicamente e mentalmente. Esses homens sairão daqui completamente transformados”, ressaltou Viana. (Fotos: Alberto Maraux)

Bahia tem força-tarefa em defesa da Mata Atlântica

mata atlanticaA Secretaria do Meio Ambiente do Estado (Sema) deu início, em Porto Seguro, no Sul da Bahia, a uma força-tarefa em defesa da Mata Atlântica. O secretário do Meio Ambiente, Geraldo Reis, técnicos da Sema e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) realizaram, na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB),  reunião de articulação institucional, mobilização e discussão de ações para proteção do bioma, apontado pela Fundação SOS Mata Atlântica como um dos principais alvos de desmatamento no país entre 2015 e 2016.

Em resposta ao relatório da SOS Mata Atlântica, que sinaliza a perda de 7 mil hectares de florestas na região, as instituições presentes formaram uma comitê gestor para planejar e executar em conjunto ações de monitoramento, fiscalização e ações estruturadas. “Assim que as informações foram divulgadas, tivemos a preocupação de convocar imediatamente a reunião, aglutinando todas essas instituições aqui, porque todos nós temos algum nível de responsabilidade com o problema e reconhecemos sua gravidade e urgência”, disse o Geraldo Reis. “Não podemos deixar de ressaltar que a questão ambiental é de responsabilidade dos três poderes e de toda a sociedade”.

O secretário sinalizou ainda que, segundo dados do Sistema Estadual de Informações Ambientais (SEIA), a grande maioria das áreas desmatadas não tem autorização de supressão do Inema. “A Sema e o Inema devem concluir nas próximas três semanas os estudos com base nas imagens do relatório da SOS Mata Atlântica para identificar com mais segurança as causas e o histórico dessas áreas, documento que servirá para apoiar as ações de fiscalização em campo”.

Read the rest of this entry »

Sema articula força-tarefa de combate ao desmatamento ilegal na Mata Atlântica

semaA Secretaria do Meio Ambiente (Sema) inicia, na próxima terça-feira (6), em Porto Seguro, uma força-tarefa de combate ao desmatamento ilegal da Mata Atlântica, no Sul e Extremo Sul da Bahia. Na oportunidade, serão alinhadas as primeiras ações da operação planejada da Sema e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) na região, com a participação de gestores e técnicos dos órgãos ambientais, incluindo as Unidades Regionais do Sul e Extremo Sul e os setores de fiscalização.

Também participam representantes do Ministério Público, da Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (Coppa), das Delegacias de Proteção Ambiental da região e secretarias municipais de Meio Ambiente. “Esta é uma ação emergencial que será acompanhada de um planejamento estratégico que a Sema e o Inema estão definindo para o combate ao desmatamento ilegal na área. Nos próximos dias, estaremos avaliando uma solução tecnológica para o monitoramento florestal, primeiro passo para dar mais eficácia às ações de fiscalização”, disse o secretário do Meio Ambiente, Geraldo Reis, durante reunião realizada com as equipes da Sema e Inema na quarta-feira (31).

Read the rest of this entry »

Estudante da UESC discute estoques de carbono na Mata Atlântica

carbonoO estudante de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação da Biodiversidade, da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) Ramiris Moraes, teve seu trabalho premiado na primeira edição da School of Advanced Science on Nitrogen Cycling em São Paulo. Em seu trabalho discutiu como a perda de floresta pode alterar a dinâmica de nutrientes na Mata Atlântica.

O pôster apresentado sugere que a porcentagem de floresta numa determinada área é um forte descritor das mudanças no estoque de carbono.  Na ocasião, o doutorando mostrou que as áreas com elevado índice de desmatamento perderam aproximadamente 80 % dos seus estoques de carbono, comparadas com áreas mais conservadas.

O trabalho ainda alertou para a possibilidade de essa alteração afetar o carbono do solo, o que seria mais um fator de emissão de CO2 para a atmosfera. Durante o evento, foram apresentados 105 trabalhos de estudantes de vários países, dentre os quais apenas seis receberam o referido prêmio.

Biblioteca Municipal de Ilhéus recebe exposição de artista plástica suíça Geraldine Belmont

suiça 3A Biblioteca Municipal Adonias Filho, em Ilhéus, recebe, na quinta-feira, dia 9, às 19h, a abertura da exposição MUT, da artista plástica suíça Geraldine Belmont. As obras estarão disponíveis para visitação gratuita do dia 10 ao dia 18 de junho, de segunda à sexta, das 9h às 18h e aos sábados, das 8h às 12h. O evento é uma realização da Ativa Idéia Produção Cultural e Comunicação com apoio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult).

Com quatro séries de sete obras apresentadas para exposição, com um total de 23 obras, todas no papel, usando tinta ou aquarela, a artista Geraldine resgata a beleza, harmonia e leveza em assuntos e objetos que o público normalmente desprezaria. São eles urubus, insetos e cenas pós-apocalípticas, que constituem o universo dessas obras e oferecem um conteúdo crítico junto a uma representação estética.

suiça 1Geraldine explica que a escolha pelo nome MUT representa a sua proposta artística, inspirado em um dos nomes da deusa egípcia e simboliza os valores maternais. Rainha das deusas, associada a todas as águas, de quais nascem toda forma de vida, e o seu símbolo é o urubu, que aparece cobrindo a cabeça da deusa nos hieróglifos. Da mesma forma que um alquimista procura transformar ferro em ouro, a artista busca transformar o hediondo em maravilhoso.

 Geraldine Belsuiça 2mont – Chegou ao Brasil em 2004, com o objetivo de desenvolver trabalhos relacionados à proteção do meio ambiente (Mata Atlântica), especialmente em relação aos resíduos sólidos. Trabalha em Ilhéus e região (Marau, Itabuna, Itacaré, Una) há 12 anos e, pela primeira vez desde que se mudou para o município, Geraldine expõe seus trabalhos artísticos, inspirados do seu trabalho ambiental e da riqueza da biodiversidade oferecida pela Mata Atlântica.

Ana Karina e a magia da Mata Atlântica

ana 2

A artista plástica Ana Karina Moreira Dias está expondo no Espaço Cidadelle, na rodovia Jorge Amado, km 24, sete trabalhos em tela onde revela a sua paixão pela vegetação natural da Mata Atlântica às margens da estrada e pelos seus personagens. A exposição vai até 7 de outubro, das 8 às 17 horas.

Nas obras da artista estão exibidos temas como “No acostamento”, “Dia de chuva”, “No ponto da UESC”, “Carroça”, “Tarrafa”, “Orquídeas” e “Encontro”, nomes atribuídos por Karina às sete telas que estão expostas.

A artista

ana 1Ana Karina nominou a sua mostra como “Rodovia Ilhéus-Itabuna” e é uma apaixonada pelas cores e pela energia que a tinta acrílica canaliza e que são reproduzidas em seu trabalho. Ela também trabalha com aquarela e mosaicos.

A pintora estudou com o artista Waldo Robatto em Salvador, pelos idos do ano 2000 e logo no primeiro ano deste século ela fez estudos com o pintor americano Bruce Collins, no Boston Art Post Road, em Massachusetts, nos Estados Unidos.

Sul da Bahia: policia ambiental apreende caminhão com madeira retirada da Mata Atlântica

Uma equipe da Delegacia de Proteção Ambiental, comandada pelo delegado Eduardo Barcelos, se deslocou até  de Santa Luzia, no Sul da Bahia, para investigar retirada ilegal de  madeiras da Mata Atlântica. Os policiais apreenderam um caminhão baú, conduzido por  Lourival Moreira de Medeiros, residente em São Paulo, com aproximadamente 13 metros cúbicos de madeira, que estava escondida  embaixo de uma carga de papelão para enganar a fiscalização.

 A madeira é do tipo vinhático e seria transportada para a cidade de São Paulo. Por causa do peso da carga que estava transportando, o caminhão teve que ser rebocado por um trator para sair de uma parte da estrada, que liga Una a Santa Luzia, para ser levado a Ilhéus. Uma equipe da DPA está em Santa Luzia, para identificar a fazenda de onde saiu a madeira e os responsáveis pela extração ilegal.

O caminhão ficou retido em Ilhéus,juntamente com a madeira.

Serrarias interditadas por crime ambiental na Bahia

Um esquema de compra e venda ilegal de madeira proveniente da Mata Atlântica nativa foi descoberto no município de Jiquiriçá, resultando na interdição e na autuação de duas serrarias naquela região, segundo informou, nesta quinta-feira (5), o delegado Alex Wendel, titular da Delegacia Territorial (DT) de Jiquiriçá. Dois procedimentos criminais, relativos a crimes ambientais também foram instaurados na unidade policial.

Primeiro alvo da operação conjunta da DT/Jiquiriçá, da Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (COPPA) e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), uma serraria instalada na Rua dos Prazeres tinha pranchas de vinhático e sucupira preta, consideradas madeiras de lei. O proprietário do estabelecimento, Erasmo Alves Teixeira, não apresentou nenhum documento comprovando a origem das madeiras, nem a licença ambiental, sendo conduzido para a delegacia, onde foi ouvido e liberado.

 Na segunda serraria, na localidade Casa da Farinha, também havia vários tipos de madeira extraídas da Mata Atlântica nativa, como vinhático, camaçari, sucupira, louro, ingaçú e baçoré. O proprietário, conhecido pelo apelido de “Van”, não estava no local, mas três funcionários encaminhados para a delegacia atestaram a atividade ilícita no estabelecimento. Segundo informaram, as madeiras costumavam chegar à serraria durante a noite, sendo descarregadas dos caminhões rapidamente para não chamar atenção.

Nesta serraria foi descoberto ainda um sistema de monitoramento com câmeras, com infravermelho, além de vários livros de contabilidade, relativos a transações comerciais do estabelecimento. “Todo esse material foi apreendido para ser analisado detalhadamente”, informou o delegado Alex Wendel, que tambémapreendeu todo o maquinário das duas serrarias, inúmeros motores, serras, eixos, lixadeiras, correias, bem como madeiras diversas.

O Inema multou os proprietários das serrarias, além de lacra-las oficialmente.  A quantidade total de madeira encontrada naqueles locais está sendo calculada.  A população das cidades do Vale do Jiquiriçá pode para denunciar  crimes ambientais e outros delitos na região através do e-mail: denunciaanonimapc@yahoo.com.br . O nome e o endereço do denunciante serão preservados.

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
junho 2020
D S T Q Q S S
« mai    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930