hanna thame fisioterapia animal
universidade lasalle livros do thame

Posts Tagged ‘Marco Lessa’

Região do Xingu recebe pela primeira vez o maior evento de cacau e chocolate da América Latina

Lucas CCravado às margens do Rio Xingu, o município de Altamira recebe pela primeira vez uma edição do maior evento de cacau e chocolate da América Latina, o Chocolat Festival. Batizado de Chocolat Xingu, o festival acontece entre os dias 30 de junho e 3 de julho no Centro de Eventos de Altamira, reunindo especialistas, produtores e consumidores de cacau e chocolate de origem.

 

“A região da Transamazônica, com Medicilândia, e os municípios banhados pelo Xingu formam um imenso polo produtor de cacau de origem brasileira de qualidade. Já tivemos seis edições do Chocolat em Belém, nada mais justo levarmos o evento até a fonte de toda a sua riqueza”, comenta o empresário Marco Lessa, CEO do Chocolat Festival.

 

A programação começa na quinta-feira (30), a partir das 19h, com a abertura da Feira do Chocolate. Às 19h30 tem a aula de abertura do Cozinha Show com o chef Lucas Corazza, jurado no programa Que Seja Doce, do GNT, especialista em chocolate e formado na França. Na sequência, no Auditório Sustentabilidade, às 21h, acontece a coletiva de imprensa de lançamento do evento com as presenças da prefeitura de Altamira, governo do Estado do Pará e Marco Lessa, CEO do festival.

 

Programação de sexta-feira

Read the rest of this entry »

É de Cacau&Chocolate

Henrique Almeida conversa com Marco Lessa, o criador do Chocolat Festival, durante o Origem Week em Salvdor

Marco Lessa e a retomada Chocolat Festival

´Ponte’ Bahia-Portugal abre novos mercados na Europa

ML e DT

O site Cacau & Chocolate inicia hoje, em parceria com a TV Cacau, uma série de entrevistas realizadas durante o Chocolat Festival em Ilhéus.

 

O festival marcou a retomada dos eventos de promoção e divulgação do cacau e do chocolate do Brasil, com destaque para o Sul da Bahia.

 

A entrevista de abertura é com Marco Lessa, idealizador e coordenador do Chocolat Festival, que em 2022, além das edições em Ilhéus, Belém do Pará e São Paulo, deverá ter sua primeira versão internacional em Portugal, país em que Marco Lessa divide seu tempo e seus projetos com o Brasil, abrindo mercados para o chocolate e outros produtos baianos e brasileiros na Europa.

 

Veja a entrevista em

 

www.cacauechocolate.com.br

Edição de Natal recebe 25 mil visitantes e marca retomada do Chocolat Festival no Brasil

Chocolat Festival Bahia 2021_Fotos Jesus Santos_Divulgação (1)

A retomada do Festival Internacional do Chocolate e Cacau – Chocolat Festival após dois anos sem eventos – por conta da pandemia – foi marcada por uma edição especial de Natal em Ilhéus, na Bahia, entre os dias 16 e 19 deste mês de dezembro. O Festival reuniu 120 expositores, entre marcas de chocolate bean to bar, tecnologia e arte, além de promover atrações culturais com apresentações de música, dança, teatro e circo. Cerca de 25 mil pessoas visitaram a exposição durante os quatro dias do evento, que chegou a movimentar R$ 5 milhões em negócios sem considerar acordos para negócios futuros, como distribuidores e redes. “Essa edição especial de Natal superou todas as nossas expectativas, apesar do tempo curto que tivemos para preparar um evento de excelência. Mas tínhamos um compromisso em atender ao pleito das pessoas. Em 2019 tínhamos 80 marcas de chocolate no Sul da Bahia e hoje já são mais de 100. Portanto, mesmo nesse período de hiato, houve iniciativas. O Festival Internacional do Chocolate e Cacau é a grande vitrine e grande exposição do cacau e do chocolate do Sul da Bahia para o Brasil e para o mundo”, destacou Marco Lessa, empresário e organizador do evento.

 

Chocolat Festival_Foto Jesus Santos_DivulgaçãoUma das grandes atrações do evento, o chef paulista Lucas Corazza trouxe para a sua aula-show uma receita diferente de brownie com ganache, caramelo e nibs de cacau e celebrou a retomada. “O retorno dos eventos, é uma coisa muito feliz para mim porque é o espaço que eu tenho de conseguir colocar aquilo que eu divulgo em redes sociais, meu posicionamento em relação ao doce, literalmente na boca das pessoas. Esse é o poder do cacau brasileiro. Esses são os sabores que a gente é capaz de imprimir através dele. E é por isso que é importante não só falar dele, mas experimentar”. Outro destaque da Cozinha Show foi a chef baiana Tereza Paim, que também exaltou o cacau. “Eu acho o Festival de Chocolate um evento de cunho mundial, e que vai cada vez mais, levando o chocolate brasileiro para o mundo, e fazendo essas relações. Mostrando que o Brasil produz cacau, mas também faz chocolate. Ampliando essas possibilidades de criação em volta do cacau. A gente olha cinco anos atrás, ninguém sabia o que era mel de cacau. Hoje o Brasil inteiro está tomando mel de cacau, e já começou a exportar. Então é mais produto derivado do cacau que vai saindo. Isso é emprego, é renda, é desenvolvimento”, ressaltou Tereza.

Chocolat Festival Bahia 2021_Fotos Jesus Santos_Divulgação (2)

O Chocolat Festival é também um espaço de oportunidades, como comentou a expositora e crocheteira de Canavieiras Chirley Matos, criadora da marca Crochir. “Estou muito feliz em participar do evento pela primeira vez, aqui em Ilhéus. Agradeço muito ao apoio do SEBRAE. Me senti muito valorizada por meu trabalho ter sido escolhido para fazer parte do stand de Canavieiras”.

Read the rest of this entry »

Ilhéus: Pessoas carentes serão beneficiadas com 350 kg de chocolate doados pelo Festival

arvore 1A secretária de Desenvolvimento Econômico e Inovação da Prefeitura de Ilhéus, Soane Galvão, juntamente com Rubenilton Silva, secretário de Promoção Social e Combate à Pobreza, receberam do Chocolat Festival 2021, uma árvore de natal feita com 350 kg de chocolate, de quase dois metros de altura, pelas mãos do empresário Marco Lessa, da MVU Promoções e Eventos. Esculturada ao longo dos quatro dias no maior evento de Chocolate e Cacau do Brasil, a árvore de chocolate foi criada pelo campeão mundial de la Pâtisserie (2015), o paulista Abner Ivan, e será desconstruída para fazer o natal de centenas de famílias carentes, mais doce.

arvore 2“Com essa árvore, vamos dar sabor e alegria às pessoas atendidas por instituições de caridade, por meio da secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza. E esse é o espírito natalino que queremos transmitir, com muita solidariedade, amor, esperança e muito chocolate”, declarou Soane Galvão, que agradeceu à Marco Lessa pela doação e desejou um feliz natal e boas festas de ano novo a todos.

No ato de doação, o empresário Marco Lessa destacou que a árvore simboliza a retomada e renascimento do festival do chocolate, com muitas toneladas de amor. “Um grande desafio fazer esse evento em tão pouco tempo. Se não houvesse o apoio do governo do Estado da Bahia, da Prefeitura, outros patrocinadores e parceiros como os expositores, e a cidade abraçando, não teria acontecido. E essa árvore simboliza muito isso. A gente fica muito feliz, porque além de impactar na vida de tanta gente, produtores de cacau e chocolatiers, é um momento especial e delicado para as famílias carentes”, declarou Lessa, acrescentando que a doação também simboliza a importância da continuidade da assistência social e apoio às pessoas vulneráveis e pobres. “Essa arvore tem quase meia tonelada de chocolate e muitas toneladas de amor. Isso é o que mais importa”, disse.

Read the rest of this entry »

Chocolat Festival em Ilhéus terá Tunel Cabruca e Árvore Gigante de Natal

choc 1Com entrada gratuita e uma programação variada, a 12ª edição do Festival Internacional do Chocolate e Cacau, edição Bahia, que tem o apoio do Governo da Bahia, começa nesta quinta-feira (16) e segue até domingo (19), no estacionamento do Centro de Convenções da cidade de Ilhéus, no Sul da Bahia. O evento – considerado o maior do setor no Brasil – irá trazer grandes nomes da culinária nacional e local, exposição cultural, fórum, feiras, atividades para as crianças, além de experiências sensoriais, espaços de alimentação voltados para toda a família e atrações musicais, além da grande novidade de Natal que acontecerá no espaço Ateliê do Chocolate, onde o chef paulista Abner Ivan montará, ao vivo, uma gigante árvore de Natal, com mais de dois metros de altura e 350 kg do mais puro chocolate.

 

Maro Lessa

Maro Lessa

Realizado desde 2009  pelo empresário Marco Lessa o Chocolat Festival , é considerado o maior evento de chocolate de origem do Brasil e reúne toda a cadeia produtiva da planta, passando pelo fruto ao produto final. Durante a programação, entre cursos, palestras e workshops, são colocados em destaque os derivados do cacau, as manifestações culturais, artísticas, econômicas e sociais que compõem o cultivo, o beneficiamento e a comercialização do produto agrícola.

 

O Chocolat Bahia 2021 é realizado pela MVU Promoções e Eventos e conta com o apoio financeiro do Governo da Bahia através do Fundo de Cultura, da Secretaria Estadual de Cultura e da Secretaria Estadual da Fazenda.

 

Veja o texto completo em

www.cacauechocolate.com.br

Chocolat Festival Ilhéus

Chef prepara árvore de Natal com 350 kg de chocolate e mais de 2 metros de altura para o Chocolat Festival em Ilhéus

choc fest

A comemoração antecipada do Natal em Ilhéus, no Sul da Bahia, já tem data marcada: será entre os dias 16 e 19 de dezembro no 12° Festival do Internacional do Chocolate e Cacau. O evento, que acontecerá no estacionamento do Centro de Convenções da cidade, já divulgou a corrida por um recorde, a produção e exposição de uma árvore de Natal feita com 350kg de chocolate, medindo mais de dois metros de altura.

choc fest 2O responsável pela façanha será o chef Abner Ivan, diretor executivo do Clube dos Padeiros e Confeiteiros do Brasil (Cpac Brasil). Ele foi Campeão da Coupe du Monde de la Pâtisserie 2015, categoria Chocolate etapa Brasil, e finalista da Word Chocolat Masters, etapa Sul Americana 2014/2015. Paulista, de 33 anos e com experiência internacional, Abner vai substituir a tradicional estrela, que costuma ocupar o topo da árvore, por uma flor de cacau e as conhecidas bolas natalinas por miniaturas coloridas de cacau.

Para Marco Lessa, organizador do evento, a ideia da árvore nestas proporções é inédita no Brasil e o investimento na escultura de chocolate revela o interesse dos idealizadores do festival em marcar uma espécie de recomeço, após tantas perdas provocadas pela pandemia da Covid-19. Lessa afirma que “o Natal é a segunda ‘Páscoa’ para o mercado do chocolate e as nossas marcas de origem mereciam essa oportunidade, além de marcar a retomada do turismo e dos eventos do setor”.

Read the rest of this entry »

Marco Lessa aposta no mercado europeu para a expansão do chocolate do Sul da Bahia

lessa 2O empresário Marco Lessa fez um balanço sobre as expectativas do mercado do cacau e do chocolate brasileiro no mundo. Durante entrevista ao comunicador Vila Nova, direto de Portugal, Marco contou sobre a missão do cacau no Brasil, quando visitou as principais cidades produtoras para planejar novas edições do Festival Internacional do Cacau e chocolate.

A expedição foi para Urubici, em Santa Catarina, famoso por abrigar o local mais frio do Brasil; Altamira, no Pará, atualmente o maior produtor de cacau do país, além de Linhares, principal cidade cacaueira do Espírito Santo. “ A intenção é aproximar os centros produtores de cacau do todo país. Discutimos de praga até mercado” , contou ele.

Marco também contou motivado sobre o Salon do Chocolat de Paris, encerrado na última semana, que o surpreendeu pois marcou o retorno de eventos sensoriais.Além disso, para ele que coordenou o stand que promovia o Brasil, o evento foi um espaço privilegiado para aumentar a inserção dos chocolates finos do Brasil no mercado europeu.

Lessa atualmente reside em Portugal e durante o bate -papo falou que Portugal pode ser a porta de entrada para que o chocolate do sul da Bahia avance na Europa. “Portugal tem muito o que crescer na Bahia e a Bahia pode crescer muito com Portugal”, afirmou. Clique e ouça na íntegra a entrevista com Marco Lessa.

Marco Lessa, o Hiperativo do Cacau

Marco Lessa

Por Cléber Isaac Ferraz

 

cleberJá a algum tempo sem publicar continuo escrevendo minhas crônicas e o livro está pronto; era pra ser lançado em 2020 nos meus 50 anos (pandemia adiou, porque se não for com aglomeração e furdunço não tem minha cara).

São 50 crônicas que contam meio século de minha história; que carrega em si peculiaridades óbvias já explicitadas no título – são em essência “causos” cujo sujeito é hiperativo (o que gera alta produtividade de eventos) e baiano, o que gera cenários lindos e contexto cultural peculiar; além claro personagens de novela.

A crônica 51; é a mais importante porque leva nome de cachaça ; foca-se no único ser humano mais baiano e mais hiperativo que eu; que mereceria não uma crônica mas um livro inteiro.

Nasceu em junho de 70, ano e mês que Pelé era tricampeão mundial com o mais belo futebol arte da história, ou seja já nasceu com o Brasil vitorioso e em festa.

Marco Lessa não é da Bahia mas “das Bahias “ (são cinco*) e como sabemos que baiano não nasce, estreia, seu primeiro palco foi a “Bahia do Sertão”.

Região catingueira, árida na geografia e verdejante nas pessoas; região que gerou João Gilberto; Glauber Rocha; Ivete Sangalo; Targino Gondim, Elomar e Xangai.

Infância e adolescência padrão; saudável filho de bancário jogando bola e estudando “na marra” mas passando de ano.

Com 20 e poucos anos, se muda para a “Bahia do Cacau”, por uma sincronicidade do cosmos, exatamente quando a rede globo estava produzindo a magnífica novela “Renascer” que tem como pano de fundo a cultura do cacau, com grande elenco (Antônio Fagundes; Marcos Palmeira, Adriana Esteves entre outros ícones) e ele passa a trabalhar na produção com diversas funções operacionais; entre elas de escalar figurantes.

Mal sabia a Globo; que ela estava dando o primeiro palco para uma estrela; o menino baiano Marco.

Participar de uma grande produção global e entrar no universo explicitamente “jorge amadiano” da novela; desbloqueou a criatividade e mostrou para um menino catingueiro o poder da arte em sua manifestação mais impactante naquele momento; uma novela da globo nos anos 90 tinha o poder de um Mark Zuckerberg hoje.

Imagine pegar um menino que passou infância e adolescência em Guanambi** e dar lhe essa vivência, de participar ainda que em função secundária, de uma produção com a força e poder da rede Globo ?

Claro que endoidou a criatura; azar o dele; sorte da região; que na época vivia seu momento mais depressivo por causa da vassoura de bruxa que matou muitos pés de cacau e a criatividade de muitos jovens que aos 20 começavam sua vida profissional ao meio de uma situação triste em seu entorno.

Acredito que muitos “Marco Lessas” tiveram carreiras medíocres apesar de talentosos; por não terem força para superar esse momento.

Mas para nossa sorte, Marco Lessa com 23 anos tinha endoidado e doido tem mais força que gente normal; entrou em delírio; não com droga nem 51, mas com a visão prática que ARTE se materializa com planejamento e CAPITAL.

E CAPITAL por sua vez sua vez, pode vir da ARTE – formando um circulo virtuoso.

Delirava ao entender que o cotidiano da Bahia retratado com técnica e talento encanta plateias do Brasil e do mundo; pois a novela chegou a bater 85% de audiência e foi exportada para 20 países.

Ele participou disso; não é que ele leu sobre isso; ele estava lá.

O coitado se lascou; aos 20 e poucos anos ao ver isso tudo; não se recuperou mais nunca, e o infeliz não foi para as drogas; foi pior…virou publicitário e produtor de eventos.

Ser publicitário/produtor tem muitas semelhanças com ser drogado; gera picos de ansiedade; enxerga o que ninguém está vendo, fica imaginando coisas, e vive correndo atrás de dinheiro para suprir ,seu ciclo vicioso; e como os drogados tem amigos artistas e anda com todo tipo de gente, péssimas companhias como eu.

Entre 1993 (ano da novela) e 2009 o menino perdido já tinha feito os mais icônicos shows e eventos da região cacaueira ( Legião; Paralamas; Elba, Alceu, Djavan etc) atendia as maiores empresas aqui instaladas ( shopping center Shopping Jequitibá ; indústrias de computador).

Na vida pessoal já e era casado com Luana que além de bonita ; gente boa; empreendedora; boa mãe ; era filha do então dono do Vesuvio o que da ainda mais charme a relação, o cara literalmente conquistou “corações e mentes” da região, só para citar a banda Titans – que ele também trouxe para Ilhéus claro.

Mas aí em 2009, com quase 40 ; ele já podia se aquietar para curtir uma de suas melhores criações – João Lessa seu filhote nascido em 2006.

Maduro e tranquilo podia curtir com mais quietude as próximas décadas, até se aposentar com a serenidade exemplar de seu pai; que fez carreira no Banco do Nordeste, e apenas gerenciar a consagrada agência M21, disparado a que mais ganhara prêmios no interior da Bahia até então.

Só que não – SQN como dizem os millenials.

A doença ? da hiperatividade não deixa ; azar dele sorte nossa.

Com quase 40 a alma de Marco Lessa , catingueiro da beira do mar, inventa o Festival Internacional do Chocolate da Bahia porque sua missão não estava cumprida.

A região cacaueira que tanto lhe dera; tinha que ser retribuída com um evento que ajudasse a sua economia a sair da atividade primária da Agricultura, e gerar mais riqueza .

Para explicar em números : 1 kg de cacau vale 10 reais , um kilo de chocolate fino vale 300 reais, chegando a 1000 reais, em 2009 o sul da Bahia não tinha nenhuma fábrica de chocolate fino; apesar de plantar cacau desde 1850.

O Festival Internacional do Chocolate da Bahia e o povo bom dessa terra mudaram essa história; menos de 10 anos depois já eram mais de 70 marcas, e Lessa foi considerado uma das 100 pessoas mais influentes do agronegócio pela imprensa nacional, mas essa parte fica para o capítulo 52; até lá !

* São pelo menos 5 Bahias : Bahia do Cacau, Bahia do Recôncavo; Bahia sertaneja; Bahia soteropolitana e Bahia do extremo sul (território que já foi até questionado e disputado pelo Espírito Santo e Minas )

** Guanambi no sudoeste da Bahia apesar de ser rica pelo agronegócio; tem vivência e ritmo típicos dos polos rurais sem fervilhar cultural e artístico, em especial nos anos 70/80 quando Lessa viveu

 

—-

 

Cléber Isaac Ferraz  é empresário/visionário e grapiuna ancorado nas terras mágicas de Itacaré entre o mar, a mata atlântica e, claro, o cacau

 

Expedição promove setor de cacau e chocolate em seis estados

marco lessaFoi iniciada nesta semana  uma expedição dos organizadores do Chocolat Festival por seis estados brasileiros a fim de promover o cacau e o chocolate produzidos no país, bem como planejar novas edições do evento. Entre os municípios interessados em realizar o festival estão Urubici, em Santa Catarina, famoso por abrigar o local mais frio do Brasil; Altamira, no Pará, atualmente o maior produtor de cacau do país, além de Linhares, principal cidade cacaueira do Espírito Santo.  “Além desses três estados, iremos nos reunir com autoridades locais na Bahia, São Paulo e em Brasília para firmarmos protocolos de intenções e iniciarmos o planejamento das próximas edições, previstas para o início de 2022”, declara Marco Lessa, idealizador do evento e quem está à frente da expedição.

 

Lessa foi eleito em 2015 e 2018 uma das 100 personalidades mais influentes do agronegócio no Brasil pela Revista Dinheiro Rural por conseguir agregar, valorizar e divulgar a cultura do cacau e a produção artesanal de chocolate de origem brasileira. O Chocolat Festival – Festival Internacional do Chocolate e Cacau é considerado o maior evento do setor na América Latina e acumula 19 edições presenciais já realizadas entre Bahia, Pará e São Paulo. Os interessados no segmento podem acompanhar a missão através das redes sociais, nos perfis @chocolat.festival, @marcolessa360 e @grupom21 do Instagram.

Marco Lessa, líder do Grupo M2 destaca oportunidades de negócios entre Bahia e Portugal

marco lessaA Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil|Bahia está iniciou uma série de entrevistas com os seus associados. E agora no mês de julho trouxe o empresário Marco Lessa.

Considerado  associado destaque, Marco Lessa  é empresário e publicitário há 30 anos, lidera o Grupo M21, que reúne empresas como ChOr Chocolate, MVU Empreendimentos e M21 Comunicação e  é  do Chocolat Festival – o maior evento do gênero na América Latina.

Marco Lessa foi escolhido pela revista IstoÉ uma das 100 personalidades mais influentes do Agronegócio do Brasil e, recentemente, contou sua trajetória de sucesso na Live 51 Tons de Inspiração, momento em que partilhou com o público a sua história, iniciada no Sul da Bahia, em comemoração ao seu aniversário.

Marco falou a Câmara da consolidação de seus negócios, em variadas áreas de atuação, e que está a um passo da exportação para o mercado europeu, programada para o próximo ano.  Read the rest of this entry »

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
julho 2022
D S T Q Q S S
« jun    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31