WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
hanna thame fisioterapia animal

universidade lasalle livros do thame




Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

outubro 2022
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  


:: ‘jorge amado’

Jorge Amado 110 anos: programação especial segue até o fim do mês no Centro Histórico de Ilhéus

jorge 110A Secretaria Especial de Cultura (Secult) dá continuidade à programação alusiva aos 110 anos de Jorge Amado. Até o dia 30 de agosto, o público poderá participar de diversas atividades, em espaços espalhados pelo Centro Histórico de Ilhéus. As ações incluem contação de história, recital, palestras, apresentações musicais e de dança, oficina de artesanato, capoeira e passeio ciclístico.

Confira a programação completa. Clique aqui.

O escritor foi o brasileiro com mais adaptações literárias para filmes, novelas, séries e peças teatrais. Na Casa Jorge Amado estão preservados os romances e a memória do autor, que apresentou ao mundo a rica cultura da nossa gente. Entre as suas principais obras, estão Capitães da Areia, Gabriela Cravo e Canela, Dona Flor e seus Dois Maridos e Tieta do Agreste.

Pimenta Fogo de Gabriela traz a marca da morena amadiana que enfeitiçou o mundo

Pimenta Gabriela (4)A sensualidade de Gabriela, com seu cheiro de cravo e canela, enfeitiçou o mundo através do romance de Jorge Amado, uma das obras mais lidas, traduzidas, filmadas e ‘noveladas’ do escritor grapiúna. O livro fez do Vesúvio, um dos pontos turísticos do Sul da Bahia (a cena de Gabriela no telhado mostrando o que era possível mostrar faz parte da antologia da tevê brasileira), que sob nova direção merece ser recomendado, e originou até uma versão praiana, com direito a  magnífica vista do mar de São Jorge dos Ilhéus.

Pimenta Gabriela (6)

Fonte inesgotável de inspiração, a morena amadiana agora empresta seu nome a uma pimenta tipicamente caseira, a Fogo de Gabriela, produzida em Olivença, recanto ilheense famoso pelas belíssimas praias, uma igreja secular e a pela tradicional Puxada do Mastro de São Sebastião.

 

Vejam o texto completo em

 

www.cacauechocolate.com.br

110 anos de nascimento do nosso AMADO JORGE! Jorge Leal Amado de Faria

uesc jorge 3

uesc jorgePor Alessandro Fernandes

 

alessandroNa data em que a Bahia e o Brasil comemoram os 110 anos de nascimento do saudoso escritor Jorge Amado, cuja história está intrinsecamente liga à identidade cultural da Região Cacaueira baiana, nós, da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) nos associamos a todos os que reverenciam o legado desta personalidade que tanto contribuiu para o nosso desenvolvimento.

 

Nascido em Itabuna, em 10 de agosto de 1912, e falecido em Salvador, em 2001, aos 88 anos, Jorge Amado mantém-se presente em 49 livros, muitos dos quais recordistas em vendas ainda hoje e na memória de nossa região.

 

Um dos maiores escritores brasileiros de todos os tempos. Sua obra foi a mais adaptada para o cinema e a televisão, incluindo sucessos como Gabriela, Dona Flor e Seus dois Maridos, Tiêta do Agreste e Tenda dos Milagres. Escreveu 49 livros, que foram traduzidos em 80 países. Sua obra aborda temas sociais, políticos, culturais, religiosos e econômicos. Jorge Amado descreveu de forma singular a região cacaueira do Sul da Bahia e a sociedade grapiúna, em obras como: Cacau (1933), Terras do Sem Fim (1943), Gabriela Cravo e Canela (1958), O Menino Grapiúna (19810), Tocaia Grande (1984). Foi ocupante da  cadeira 23 da Acadamia Brasileira de Letras, sendo eleito em 6 de abril de 1961. Em 1984, sua obra foi reconhecida com o Prêmio Camões.

Jorge Amado (1)

Na política, foi eleito pelo PCB (Partido Comunista Brasileiro) deputado federal mais votado de São Paulo na década de 1940, conviveu com diferentes governos autoritários. Foi censurado na ditadura militar e tendo livros queimados pelo Estado Novo, de Getúlio Vargas e teve que ir para o exílio político na Argentina e no Uruguai entre os anos de 1941 e 1942, quando viajou longamente pela América Latina.

 

Jorge Amado sempre foi uma presença afirmativa na gênese da Fespi , origem nossa Universidade. Com o seu apoio, a Faculdade de Direito de Ilhéus se instalou no imóvel onde residiu a sua família, hoje, Casa de Cultura Jorge Amado, um dos mais emblemáticos atrativos turísticos da cidade de Ilhéus.  Sob a liderança de um dos nossos fundadores, professor Soane Nazaré de Andrade, Amado se integrou a luta para implantação da Federação da Escolas Superiores de Ilhéus e Itabuna.

 

Jorge Amado é honrosamente homenageado pela nossa Universidade Estadual de Santa Cruz -Uesc, que colocou o nome do autor em um dos seus pavilhões e também em um dos seus auditórios.

 

Salve o nosso Amado Jorge!

Campus Professor Soane Nazaré de Andrade, 10 de agostos de 2022

 

Alessandro Fernandes de Santana

Reitor da Universidade Estadual de Santa Cruz

Jorge Amado, Menino Sergipano?

Daniel Thame

livro DT 1A seca de 1909 dizimou a pequena cidade de Estância, no sertão sergipano. A seca e suas consequências – fome, miséria e morte – não eram novidade para os sertanejos, conformados com os desígnios de Deus naquela natureza morta que sugava gente viva, ano a ano, como se castigo divino fosse.

E era castigo mesmo, não necessariamente divino, mas os homens e mulheres humildes se apegavam à fé, à crença inabalável de um mundo melhor, depois da morte, lá bem acima do céu.

E, no céu, o que eles enxergavam a olhar para o alto não eram os santos, anjos, arcanjos e querubins da fé cega, mas o sol a queimar como chama do inferno. Ironia e heresia.

O sertanejo sempre foi, antes de tudo, um forte, diz o adágio popular.

Mas como não fraquejar vendo a plantação minguar, o gado mirrar, o solo se transformar numa massa disforme e sem vida?

Como não entrar em desespero vendo a fome se aproximar, os filhos pequenos a clamar por um pouco de farinha, um feijão ralo, um copo de água?

Jorge.Amado_Como não sentir uma dor no peito vendo a mulher, antes formosa, se transformar num fiapo de gente, agarrada à Bíblia e à devoção aos santos que, apesar de tantas orações, tanta penitência, não mandavam uma mísera gota de água do céu? Ao contrário, empurravam as nuvens e a chuva para bem longe, lá pro mar distante, onde uma água a mais, uma água a menos não faria falta.

-Não dá mais, a gente vai morrer aqui, vendo tudo se acabar, disse o marido à esposa…

-Deus vai prover na hora certa. Temos que ter fé, respondeu a esposa, como se nascer, sofrer e morrer fosse a ordem natural das coisas.

No colo da mulher, o filho do casal, de um ano de idade, mais um na loteria de vida e morte, com imensas chances de morrer antes de dar os primeiros passos na terra arrasada.

-Não adianta esperar por Deus. A gente tem que ir embora daqui. Chega de tanto sofrimento. A fala do marido agora era de resolução.

-E a gente vai pra onde? Pobre é pobre aqui ou em qualquer lugar do mundo, a mulher era pura resignação.

:: LEIA MAIS »

Jorge Amado: obra de autor segue viva em Ilhéus

jorge amadoQuem não conhece o famoso cabaré das obras de Jorge Amado, o Bataclan? Famoso lar das moças de Maria Machadão, nos contos como Gabriela Cravo e Canela, o lugar ainda existe e é uma referência para quem visita Ilhéus, mas com uma proposta muito mais leve e familiar. Se antes era frequentado pelos coronéis da região, agora o espaço é uma agradável cafeteria e restaurante, perfeito para quem é admirador dos textos do autor baiano.

 

 
O Cabaré Bataclan tem uma grande surpresa aos fãs do livro: uma réplica do quarto de Maria Machadão é mantido pelo local, e atrai milhares de visitantes curiosos para viver de perto os contos. Ainda funciona um salão para exposições e até shows de teatro.

 

 
Além do famoso point, Ilhéus ainda mantém outra lembrança dos tempos de Jorge Amado. O Bar Vesúvio, com mais de 100 anos de história, faz parte do patrimônio cultural da cidade, e um dos lugares mais procurados por moradores e turistas. De lá, saiu a inspiração de muitas passagens das histórias do autor.

 

 

:: LEIA MAIS »

Festividades marcam comemoração dos 206 anos de Ferradas, onde nasceu Jorge Amado

ferradasA Prefeitura de Itabuna vai promover festividades nesta quarta-feira, dia 27, para marcar os 206 anos do distrito de Ferradas, adiada do dia 19 de outubro. Nascida no século XIX, como aldeamento dos índios Guérens, Camacans e Pataxós e de outros tribos do sul da Bahia, a localidade, a 12 quilômetros do centro da cidade também é local de nascimento dos escritores Jorge Amado e Gustavo Velôso e do poeta Telmo Padilha.

jorge em ebookFerradas concentra a riqueza histórica, cultural, econômica e social grapiúna, a partir de relatos do frei capuchinho Ludovico de Livorne com seus superiores na metrópole, em Lisboa, entre 1818 – 1848. Na festejada “Crônica da Capitania de São Jorge dos Ilhéus”, escrita em 1936 e reeditada pela Editora da Uesc (Editus, 1ª edição, janeiro 2006), João da Silva Campus dá destaque ao vilarejo imperial, como local de ressocialização dos índios desgarrados no mundo colonial e imperial.

A PROGRAMAÇÃO

Na quarta, a programação se inicia às 7 horas, com um Aulão Funcional, ministrado pelo professor Danilo Cezar, seguido de Funciofut (Funcional com Futebol para Crianças) e brincadeiras e jogos recreativos sob a coordenação da Secretaria de Esportes e Lazer. A partir das 9 horas, em seis estandes começa o atendimento das demais secretarias municipais num dia intenso de atividades.

A Secretaria da Agricultura e Meio Ambiente (Seagrima) vai promover a distribuição de 700 mudas de frutíferas (açaí, cupuaçu e goiaba paluma) e essenciais florestais (ipê amarelo, etc.). Uma equipe de agrônomos e técnicos em agropecuária da Seagrima dará as orientações de plantio e manejo.

:: LEIA MAIS »

Itabuna: Manoel Porfírio quer explorar Jorge Amado comercialmente: ‘potencial turístico’

por Andreyver  Lima

manoel-jorgeO vereador Manoel Porfírio (PT), afirmou nesta quarta-feira (20), que Jorge Amado deveria ser explorado comercialmente, como uma alternativa turística para Itabuna. A declaração foi dada durante discurso em homenagem pelos 206 anos de Ferradas, onde nasceu o escritor.

O líder do governo Augusto Castro na Câmara argumentou que, embora Jorge não tenha crescido em Ferradas, foi berço de um dos maiores nomes da cultura brasileira no mundo.

“Fizemos uma sessão especial em comemoração ao aniversário de Ferradas, que não é bairro é distrito da cidade, que completou mais um ano de idade e nessa sessão especial destacamos a importância de explorar mais o nome de Jorge Amado como produto.” disse.

A fala pode gerar a iniciativa positiva de valorização cultural, aliado ao turismo. Em Ferradas está a ‘Casa de Jorge Amado’, um dos mais importantes espaços de preservação da história do escritor. O local é museu e centro cultural.

Câmara saúda os 206 anos de Ferradas, berço de Itabuna

ferraNascido quase um século antes de Itabuna, o hoje distrito de Ferradas fará 206 anos na próxima terça, 19/10. O Legislativo itabunense promoveu sessão especial nessa quarta, 13/10, a pedido de Manoel Porfírio (PT), para saudar o aniversário do berço de povoamento do município. “Itabuna nasceu em Ferradas, distrito cheio de história que continua visionário, olhando para o futuro e puxando nosso crescimento”, enfatizou o petista.

Endossando o histórico da sessão, diversos vereadores sublinharam o peso cultural e socioeconômico de Ferradas: do modelo de aldeamento pertencente a Ilhéus à rota estratégica do comércio, passando pelo cultivo pioneiro do cacau até despontar como celeiro da literatura nacional com o poeta Telmo Padilha e o escritor Jorge Amado, ambos mundialmente reconhecidos.

:: LEIA MAIS »

Jorge Amado: um eterno imortal, diplomata da nação grapiúna

jorge (3)

Efson Lima

 

efson lima Jorge Amado,  nosso autor sulbaiano mais destacado da literatura nacional, completa 109 anos neste 10 de agosto de 2021. Imortalizado na Academia de Letras de Ilhéus, Academia de Letras da Bahia e Academia Brasileira de Letras, ele permanece vivo na literatura mundial. Certamente, ele continuará povoando nossas cabeças, nossos imaginários e seduzindo milhares de pessoas para a literatura, assim como eu fui atraído pela obra Capitães da Areia, Gabriela, Cravo e Canela entre outros clássicos.

Em Ilhéus, Jorge Amado se somou a Abel Pereira,  Nelson Schaun, Wilde Oliveira Lima e Plínio de Almeida, os quatro últimos foram membros da Comissão de Iniciativa, para fundarem a Academia de Letras de Ilhéus em 1959.  Na Academia de Letras de Ilhéus, o escritor pertenceu a cadeira de n.°13, cujo patrono Castro Alves o influenciou na produção literária.  A cadeira de n.°13  também acolheu  a sua companheira, Zélia Gattai e, agora, tem como titular o escritor Pawlo Cidade.

jorge (1)Para Academia Brasileira de Letras, Jorge Amado foi eleito, em 6 de abril de 1961, para a cadeira n.° 23, que tem por patrono José de Alencar e  primeiro ocupante Machado de Assis. Jorge Amado foi um crítico das academias, mas na fase adulta fez revisão de seus posicionamentos, como assinalou em seu discurso de posse na ABL: “Chego à vossa ilustre companhia com a tranqüila satisfação de ter sido intransigente adversário dessa instituição, naquela fase da vida, um que devemos ser, necessária e obrigatoriamente, contra o assentado e o definitivo, quando a nossa ânsia de construir encontra sua melhor aplicação na tentativa de liquidar, sem dó nem piedade, o que as gerações anteriores conceberam e construíram.” O tempo é senhor de nossas razões. E como é.

No início deste texto, eu disse:  “nosso autor”, força de expressão para ressaltar a origem. O escritor pertence mesmo é ao mundo. É símbolo de nossa terra, nascido em Ferradas, em Itabuna, não só se imortalizou, mas imortalizou-nos na literatura universal. As suas obras de cunho regionalistas conseguiram ter sentido no Chile, na França, em Portugal, na Itália, na antiga URSS. Conseguiu orgulhar a nação grapiúna e colocar a literatura brasileira em um patamar privilegiado. Acabou não sendo agraciado com o Prêmio Nobel, mas seu nome sempre foi forte candidato. Por sua petulância, acabou sendo preterido.

:: LEIA MAIS »

Nos 109 anos de Jorge, Gabriela contempla o Amado da janela (foto: Eufrásio Pereira de Souza Junior)

Nos 109 anos de Jorge, Gabriela contempla o Amado da janela (foto: Eufrásio Pereira de Souza Junior)





WebtivaHOSTING // webtiva.com.br . Webdesign da Bahia