hanna thame fisioterapia animal
bahiagas livros do thame

Posts Tagged ‘Independência da Bahia’

Hino ao 2 de Julho.

Milhares de pessoas se reúnem na festa da Independência da Bahia

2 3

Cortejo 2 de Julho11A caminhada do 2 de Julho, que teve o horário antecipado pela organização neste ano, contou com a presença de organizações, manifestações culturais, gestores e representantes do Governo do Estado. Todos os anos, milhares de pessoas se concentram no Largo da Lapinha para celebrar a Independência da Bahia. De lá sai o tradicional cortejo em direção à Praça da Sé, no Pelourinho e, em seguida, até o Campo Grande, rememorando as lutas em busca da separação do Brasil do domínio português, que começaram em 1822 e alcançaram seu objetivo no ano seguinte.

2 1

Cortejo 2 de Julho6Presente nas festividades, o governador Rui Costa comentou a importância da data para a história do povo baiano e brasileiro. “Aqui se materializou a independência do Brasil, e essa paixão carrega os baianos. Num dia em que temos jogo do Brasil na Copa do Mundo, as ruas já estão lotadas desde cedo, com o povo querendo participar do cortejo. É um orgulho que está no sangue do povo da Bahia”, afirmou o governador Rui Costa.

2 2

Cortejo 2 de Julho3Durante o cortejo, figuras como Maria Felipa, Joana Angélica e Maria Quitéria, personagens centrais desta conquista histórica, recebem homenagens. No caminho, o desfile ganhou a adesão do Caboclo e da Cabocla, ícones das batalhas travadas, em direção ao Terreiro de Jesus, no Centro Histórico.

2 4

Cortejo 2 de Julho4O aposentado Gildásio Fagundes participa dos festejos há mais de 50 anos. “Para mim é uma honra, eu faço questão de vir todos os anos. Hoje eu trouxe o meu neto, porque é muito importante que os mais novos conheçam essa história de batalhas que deram a possibilidade para que nosso povo pudesse ser livre”.

Jogo do Brasil na Copa do Mundo antecipa horário do desfile do 2 de Julho

O governador Rui Costa participa, na segunda-feira (2), do cortejo cívico em comemoração aos 195 anos de Independência da Bahia. Ele chega ao Largo da Lapinha às 7h30 e, após solenidade em frente ao panteão, segue em caminhada pelas ruas do Centro Histórico de Salvador.

“A organização do evento antecipou o hasteamento da bandeira para as 7h30, para o povo baiano realizar as suas duas paixões, que são a celebração da independência da Bahia e a paixão pelo futebol”, afirmou o governador.

Ele também estará presente em cerimônia marcada para as 15h, no 2º Distrito Naval, no bairro do Comércio. Por fim, chega ao Campo Grande por volta das 16h, quando ocorre a execução dos hinos nacional e da Bahia e o acendimento da pira com a tocha, que percorreu diversas cidades do Recôncavo Baiano.

O 2 de Julho celebra batalhas históricas travadas em terras baianas até a expulsão definitiva dos portugueses.

Cachoeira se torna sede do Governo pelo nono ano consecutivo

cach 1Com direito a honras militares e desfile cívico, o município de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, se tornou sede do Governo do Estado, neste sábado (25), pelo nono ano consecutivo. A cerimônia de transferência contou com a presença do vice-governador, João Leão, dos secretários estaduais da Cultura, Jorge Portugal, e da Educação, Walter Pinheiro, dentre outras autoridades. Após passar em revista à tropa, na Praça da Aclamação, Leão presidiu a solenidade. “Este ato é uma das coisas mais importantes da Bahia, que é um celeiro de tradições. E Cachoeira é uma das cidades que despontam em primeiro lugar. Nos sentimos muito honrados de estar aqui fazendo este trabalho, levando adiante estas tradições para que isto continue”, disse o vice-governador, que também participou da Sessão Magna na Câmara Municipal.

cach 2A cidade recebe esta homenagem e reconhecimento porque, no dia 25 de junho de 1822, foi palco do Grito do Ipiranga, que resultou na libertação baiana do domínio português, em 2 de julho do ano seguinte. Para o secretário Jorge Portugal, a transferência da sede do Governo por um dia é uma forma de relembrar momentos importantes para a história baiana e brasileira. “Estamos aqui recapitulando um fato histórico, que foi quando Cachoeira tornou-se capital da Bahia por conta do sitiamento da cidade de Salvador, por Bandeira de Melo. E aí, as forças de resistência vieram pra cá formar o exército que iria libertar definitivamente o Brasil de Portugal”.

 

Vestidas especialmente para a ocasião, muitas crianças prestigiaram a cerimônia na frente da Câmara Municipal. Entre elas, Gabriel Souza, 13 anos. “Quem vem pra cá [participar dos eventos ao 25 de junho] absorve mais conhecimento para ensinar às futuras gerações”. Como de costume, o hino ao 2 de Julho foi executado pela Banda da Polícia Militar da Bahia.

Escolas estaduais recebem projeto sobre a Independência da Bahia

Durante o mês de julho, estudantes da rede estadual de ensino terão a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a Independência da Bahia, comemorada nesta quinta-feira (02/07). A Fundação Pedro Calmon realiza uma série de aulas sobre o tema em escolas da rede estadual. O projeto, intitulado “Dois de Julho em Debate”, será ministrado pelo mestre em História, Marcelo Renato Siquara Silva, e abordará as batalhas, cotidianos, atuação e as histórias dos heróis do 2 de Julho.

“A proposta é discutir a importância da construção da identidade baiana e brasileira, esclarecer o significado de símbolos que são apresentados durante o desfile e mostrar a participação popular, além de tratar da importância do momento histórico da Bahia no processo de desenvolvimento do País”, explica Marcelo, autor de livros como “O Sentinella Bahiense e o processo de independência brasileiro”, “O cotidiano da população baiana durante o processo de Independência do Brasil na Bahia” e “A luta dos baianos em favor da Independência”.

Em sua terceira edição, o projeto passará por um total de 10 escolas. “Queremos intensificar esse projeto como incentivo à inclusão, cada vez maior, do tema nos currículos escolares e livros didáticos das escolas públicas do Estado”, destaca a diretora do Centro de Memória da Bahia, Jacira Primo.

 

HINO AO 2 DE JULHO

Wagner anuncia obras na transferência da sede do governo para Cachoeira

Nesta próxima  quarta-feira (25), a cidade de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, passa a ser sede do Governo da Bahia, pelo sétimo ano consecutivo. As comemorações começam às 6h com uma salva de 21 tiros. Às 8h20 o governador concede coletiva de imprensa no Convento do Carmo; às 9h, participa do hasteamento das bandeiras do Brasil, da Bahia e de Cachoeira em frente à Câmara dos Vereadores; às 9h30, Wagner reinaugura o Cine-Theatro Cachoeirano e faz dois anúncios: a requalificação do atracadouro Baía do Iguape no Paraguaçu e a reforma do mercado municipal.

A transferência da sede do governo da Bahia para Cachoeira cumpre o que está previsto na Lei 10.695/07, aprovada pela Assembleia Legislativa da Bahia e sancionada pelo governador Jaques Wagner.

O decreto determina que todos os anos, no dia 25 de junho, a sede do governo seja instalada no município, já que, nesta data, em 1822, os cachoeiranos deram início às lutas pela Independência da Bahia, que culminaram com o 2 de Julho. Em 2014, Cachoeira comemora 192 anos de sua independência de Portugal. A cidade abrigou pela primeira vez a sede do Governo da Bahia em 2008.

 

Assembléia Legislativa da Bahia desdenha Hino ao 2 de Julho

Dorme há mais de três anos nas entranhas da Assembléia Legislativa da Bahia um projeto do deputado estadual Rosemberg Pinto (PT), que determina a execução do Hino ao 2 de Julho, o hino da Independência da Bahia, nos eventos esportivos realizados no Estado.

A proposta inclui os jogos de Bahia e Vitória no Campeonato Brasileiro e partidas do Campeonato Baiano, juntamente com o Hino Nacional Brasileiro. No Paraná e no Rio Grande do Sul, propostas idênticas já foram aprovadas e viraram lei.

Na Bahia, o nosso belíssimo Hino ao 2 de Julho permanece insensível aos ouvidos dos parlamentares.

Cachoeira é sede do governo baiano

Nesta terça-feira (25), o município de Cachoeira, no Recôncavo baiano, é pelo sexto ano consecutivo a sede do Governo do Estado. O governador Jaques Wagner despacha na cidade, onde vários serviços públicos estaduais estarão disponíveis para a população, a exemplo do SAC e Biblioteca móveis.

A Lei 10.695/07, aprovada pela Assembleia Legislativa da Bahia e sancionada pelo governador Jaques Wagner, estabelece que em 25 de junho a sede do governo seja transferida para Cachoeira, tendo em vista que neste dia, no ano de 1822, os moradores de Cachoeira iniciaram as lutas pela Independência da Bahia, culminando com a batalha final, em 2 de Julho de 1823, data magna do estado.

No início deste mês, a presidente Dilma Rousseff sancionou a lei que inclui o 2 de julho como data histórica do calendário de efemérides nacionais. “Essa é a semana da Independência baiana e brasileira e por isso o Congresso Nacional reconhece acertadamente o 2 de julho como data nacional, colocando-a na altura que ela merece”, afirmou Wagner.

A programação oficial foi aberta no início da manhã. Por volta das 8h, Wagner e outras autoridades participaram do hasteamento das bandeiras do Brasil, da Bahia e de Cachoeira em solenidade realizada em frente à câmara de vereadores do município.

As comemorações seguem com o Te Deum, missa solene celebrada na Igreja do Rosário. À tarde, a programação continua com uma sessão solene na câmara municipal e, encerrando as atividades, o desfile cívico pelas principais ruas da Cidade Heróica.

Dia da Independência da Bahia passa a ser data nacional

O Plenário do Senado aprovou, na noite de ontem (8), por meio de votação simbólica, o projeto de lei da Câmara (PLC 61/2008) que oficializa o dia 2 de julho como data histórica no calendário nacional. A matéria agora segue para sanção da presidente da República.

Na Bahia a luta pela Independência veio antes da brasileira, e só concretizou-se quase um ano depois do 7 de setembro de 1822: ao contrário da pacífica proclamação às margens do Ipiranga, só ao custo de milhares de vidas e acirradas batalhas por terra e mar emancipou-se de Portugal, de tal modo que o Hino da Bahia afirma ter o Sol que nasceu ao 2 de julho brilhado “mais que o primeiro“.

Para o senador Walter Pinheiro (PT-BA), a data é de suma importância para a história do Brasil. “Este projeto resgata a história e faz com que esse ato possa circular nos diversos cantos do país e nas escolas, para que o povo brasileiro tenha acesso à sua história, dando aos verdadeiros heróis o merecido destaque”, afirmou Pinheiro.

A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) parabenizou os deputados baianos que lutaram pelo reconhecimento da data e destacou a atuação da autora do projeto, deputada Alice Portugal (PCdoB-BA).

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) disse que, com a aprovação da matéria, o Senado ajuda a resgatar a história brasileira. O senador Romero Jucá (PMDB-RR), que presidia a sessão, parabenizou o povo baiano e a todos os que lutaram pela independência do país.

DEPUTADOS ESTADUAIS BAIANOS DESPREZAM O HINO AO 2 DE JULHO

Há mais de um ano dorme nas entranhas da Assembléia Legislativa um projeto do deputado estadual Rosemberg Pinto que torna lei a execução  do Hino ao 2 de Julho nos eventos esportivos realizados na Bahia, incluindo os jogos de Bahia e Vitória no  Campeonato Brasileiro.

Além da justiça a um dos momentos mais marcantes da história da Bahia e do Brasil, o projeto divulga  um hino especialíssimo, já que os jogos são transmitidos em rede nacional;

Nos jogos disputados no Rio Grande do Sul e no Paraná, além do Hino Nacional, é executado o Hino do Estado antes das partidas.  Coisa de quem se orgulha de sua história.

Na Bahia, que efetivamente sacramentou a Independência do Brasil, os nobres deputados não estão nem aí para o nosso maravilhoso Hino ao 2 de Julho.

Mas são ágeis, por exemplo, na hora de acrescentar mais R$ 18 mil reais para cada um na já portentosa verba de gabinete, essas de  inveja a marajá indiano. Agora são R$ 78 mil por mês para cada um.

Dá pra fazer outra independência, a financeira.

Deles, obviamente.

 

Governo convoca PMs para o retorno ao trabalho

O comandante-geral da PM, coronel Alfredo Castro, convocou, hoje pela manhã (10), os policiais militares a retomarem suas atividades normais. Segundo o coronel, os PMs que, a partir desta sexta-feira, não se apresentarem para trabalhar terão o ponto cortado e sofrerão sanções administrativas cabíveis.

O comandante-geral ressaltou os benefícios obtidos para a corporação, entre eles, a implantação escalonada da Gratificação por Atividade Policial GAP IV, a partir de novembro de 2012, de forma que todo o efetivo da Polícia Militar seja promovido até 2015 à GAP V. A GAP IV terá sua implantação concluída em 2013. Um processo de transição será implantado, em 2014, com a aplicação de uma escala intermediária equivalente à metade da diferença entre a GAP IV e a GAP V e, em novembro de 2015, todos chegarão à GAP V.

Todo o efetivo da PM terá avanços na GAP, seguindo o mesmo cronograma. Além disso, está assegurado o reajuste de 6,5%, retroativo a janeiro de 2012. Essas propostas irão assegurar ganhos escalonados no período, que chegarão a 38,89% para soldados e a 37,11% para sargentos, graduações que correspondem aos maiores contingentes da tropa.

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930