camara itabuna
livros do thame

Posts Tagged ‘fazendeiros’

Força Nacional de Segurança começa a atuar em Buerarema

Tropas da Força Nacional de Segurança começam, hoje (19), a agir em áreas de conflito entre fazendeiros e índios tupinambás no sul da Bahia.

Aproximadamente 40 homens chegaram à região. Eles se apresentam no 15º Batalhão da PM, em Itabuna, de onde se deslocam para o centro do conflito, entre Buerarema e Una. Mais homens da Força Nacional devem chegar, a depender da situação nos próximos dias.

De acordo com avaliação preliminar dos órgãos de segurança, os conflitos tiveram a participação de “não índios”, o que reforçaria a necessidade de monitorar os grupos que promoveram arruaças e confrontos nas últimas semanas.

Pela manhã, o comando da tropa da Força Nacional se reuniu na Polícia Federal para definir o plano de ação. Desde o início do ano, são contabilizadas 63 invasões por parte de índios tupinambás. (do Pimenta)

 

Presos integrantes de quadrilha que lesou fazendeiros em R$ 1 milhão

Porteira fechada e golpe em fazendeiros

Com as prisões de Paulo Roberto Campos de Souza, de 35 anos, e Carlito Ferreira dos Santos, 49, a Polícia Civil desmantelou um esquema que causou prejuízos de aproximadamente R$ 1 milhão a dois fazendeiros do Sul da Bahia. A dupla simulava a compra de propriedades rurais com cheques e documentos falsos e, posteriormente, revendia equipamentos e gado antes que as vítimas descobrissem a fraude.

Conhecido como “Porteira Fechada”, o golpe foi revelado, nesta quarta-feira (7), pelo delegado Cléber Rocha Andrade, titular da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR) de Vitória da Conquista, cujas equipes deram apoio às investigações iniciadas há três meses por investigadores da DRFR/Eunápolis e Delegacia Territorial (DT) de Potiraguá.

Segundo o delegado, Paulo e Carlito integram uma quadrilha que atuava na região de Eunápolis, Belmonte e Potiraguá e que tinha o hábito de se reunir em Conquista para planejar os golpes. O bando chegou a adquirir duas fazendas por oito e doze milhões, respectivamente, com documentos fraudados. Os proprietários só descobriram as fraudes depois que móveis, animais e equipamentos foram vendidos pelos estelionatários.

A polícia chegou até Paulo Roberto e Carlito depois de rastrear os receptadores do gado retirado das fazendas. Na DT/Potiraguá, cidade onde foi presa, eles foram reconhecidos por uma das vítimas, confessando participação nos golpes e delatando os demais comparsas envolvidos. Todos terão suas prisões solicitadas à Justiça nos próximos dias. Paulo e Carlito permanecem custodiados na carceragem da unidade policial.

STF JULGA A FAVOR DOS PATAXÓS NO SUL DA BAHIA

54 mil hectares  são dos pataxós

Acabou agora o julgamento da questão da disputa de terras entre pataxós hã hã hãe e fazendeiros no Sul da Bahia. Por 7×1, o Supremo Tribunal Federal acatou a ação que determina a nulidade aos títulos de posse e a concessão de uma área de 54 mil hectares em Pau Brasil, Camacan e Itaju do Colônia aos índios.

Os produtores rurais que estão fora da área demarcada pela Funai não serão atingidos. O STF determinou ainda a indenização aos fazendeiros que terão que deixar suas terras, por conta dos benefícios realizados.

A Fundação Nacional do Índio (Funai), autora da ação, dizia que produtores ocupam de forma irregular as terras da União habitadas pelos índios pataxó hã-hã-hãe. Os agricultores, contraditavam, afirmando que são legítimos possuidores dessa área e que os pataxós e outras tribos nunca a ocuparam.

 O julgamento põe fim a uma disputa que já dura mais de três décadas. Resta saber se será suficiente para devolver a paz a uma área em permanente tensão.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL JULGA QUESTÃO DAS TERRAS INDIGENAS NO SUL DA BAHIA

O Supremo Tribunal Federal está julgando neste momento a questão da disputa entre índios e pataxós e fazendeiros pela posse de uma área de 54 mil hectares em Pau Brasil, Camacan e Itaju do Colonia, no Sul da Bahia.

O julgamento começou há cerca de 40 minutos e a relatora do caso, ministra Carmen Lucia, votou pela nulidade dos títulos de posse concedidos aos fazendeiros e medição da área a ser entregue aos pataxós.

Acompanhe o julgamento ao vivo na TV Justiça

http://www.tvjustica.jus.br/assista_online.php

 

SECA AFETA PRODUÇÃO LEITEIRA NO SUL DA BAHIA

Como se já não bastasse o conflito entre índios e fazendeiros na maior bacia leiteira do Sul da Bahia, agora vêm a seca.
A reportagem é do site Mercado do Cacau

Força Nacional reforça segurança em área de conflito entre índios e fazendeiros

Um novo efetivo da Força Nacional de Segurança Pública desembarcou em Ilhéus, no Sul da Bahia, para intervir nos conflitos entre índios e fazendeiros da região. Eles já foram encaminhados para as cidades de Camacã e Pau Brasil, principais zonas de disputa por terras.

De acordo o delegado do Comando de Operações Táticas (COT) da Polícia Federal, Carlos Farias, o novo efetivo conta com 85 policiais federais. A primeira tropa do COT que saiu de Brasília para Ilhéus chegou na Bahia no último dia 22.

Segundo uma estimativa da Fundação Nacional do Índio (Funai), cerca de 65 fazendas já foram tomadas pela população indígena desde o início do ano, quando a disputa de décadas se acirrou. Informações do Correio da Bahia.

AGENTES DA POLICIA FEDERAL REFORÇAM SEGURANÇA EM ÁREA DE CONFLITO ENTRE ÍNDIOS E FAZENDEIROS

Cerca de agentes da Polícia Federal, deslocados de Brasília, vão  reforçar a segurança na área do conflito entre índios e fazendeiros no Sul da Bahia. Eles fazem parte do Comando de Operações Táticas e estão atuando em Itaju do Colônia, Pau Brasil e Camacan, cidades onde a disputa pela posse de terras criou um clima de guerra.

A PF também deve convocar agentes de Salvador, caso a situação  não se normalize. Indios e fazendeiros se acusam mutuamente por atos de violência que incluem agressões, troca de tiros, depredação de propriedades e roubo de gado.

CONFLITO EM PAU BRASIL: PATAXÓS SUSPEITOS DE INCENDIAR CAMINHÃO DE GADO

Índios pataxós Hã-hã-hãe são suspeitos de incendiar caminhão que transporta gado, na manhã sábado no município de Pau Brasil.

Segundo o site Tempo Jornalismo, as primeiras informações dão conta que o caminhão estava entrando na propriedade do fazendeiro Raimundo Alves, quando os indígenas surpreenderam, atiraram nos pneus, obrigaram o motorista descer, jogaram gasolina e atearam fogo.

O caminhão estava sendo conduzido pelo motorista Raimundo de Jesus Santos, 57 anos, que levava doze vaqueiros para ajudar a retirar da fazenda Monte Alegre 960 cabeças de gado estão em poder dos índios.

Antes do episódio, foi feito acordo com o proprietário do rebanho, informando que os indígenas entregariam o gado em seu poder na manhã deste sábado, mas eles descumpriram o acordo e incendiaram o cainhão que teria ido buscar o rebanho.

De acordo com o site, os índios que participaram do ataque são da região conflituosa em Pau Brasil e são liderados pelo cacique Nailton.

A polícia civil disse que irá apurar o fato.

“Marcha pela Paz” em Itajú do Colônia

Diante da intensidade dos conflitos entre índios e fazendeiros nas últimas semanas, familiares das vítimas do confronto e demais representantes da sociedade de Itajú do Colônia estarão realizando nesta quarta-feira (18), a partir das 8;00 horas a “Marcha pela Paz”, que percorrerá as principais ruas da cidade e se concentrará na praça Santo Antônio, localizada  no centro.

A manifestação tem o intuito de conscientizar a comunidade em conflito sobre a importância do restabelecimento da paz e segurança na cidade.

ÍNDIO É ÍNDIO, FAZENDEIRO É FAZENDEIRO E BANDIDO É BANDIDO

Nesta disputa pela posse de terras que está espalhando o terror na zona rural de Itajú do Colônia e Pau Brasil, no Sul da Bahia, tem fazendeiros querendo se manter numa terra que não invadiram nem ocuparam ilegalmente e tem índios lutando por uma terra de onde seus avós e pais expulsos décadas atrás e que julgam um direito histórico.

Mas também tem muito bandido se aproveitando da situação para saquear fazendas, roubar gado e cometer outras barbaridades, sempre andando em bandos e muito bem armados.

Entre índios e fazendeiros, que prevaleça o diálogo.

Pra bandido, o negócio não é dar terra.

É botar na  cadeia mesmo.

Polícia Federal apreende armas em área de conflitos entre índios e fazendeiros

A Delegacia da Polícia Federal de Ilhéus já cumpriu 15 dos 23 mandados de busca e apreensão expedidos pela justiça, a partir de denúncias de que fazendeiros estariam sendo expulsos de suas terras por índios armados. Os mandados visam localizar armamentos e impedir conflitos na área de Itaju da Colônia. Na manhã de ontem (9), duas equipes da PF atuam para executar os demais mandados.

Foram recolhidas espirgandas, revólveres e munição. Os policiais receberam reforço da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe). Índios e fazendeiros disputam 54 mil hectares de terras. Desde o início do ano, 48 fazendas foram invadidas por indígenas.

Para a Funai, todo o território alvo das disputa entre índios e fazendeiros em Itaju do Colônia faz parte de reserva indígena demarcada em 1936. Os fazendeiros, a maioria com títulos de posse dados pelo estado a partir da década de 40, contestam e também reivindicam a posse.

A ação que deve decidir com quem ficam as terras está no Supremo Tribunal Federal. Os índios dizem que são os donos das terras e querem que o Supremo anule os títulos de propriedade obtidos pelos fazendeiros.

Nesta quinta-feira (8), as buscas começaram por propriedade que fica nas proximidades do município de Pau Brasil. Só os policiais tiveram acesso ao local. Depois de quase uma hora de trabalho, eles deixaram uma propriedade rural sem nenhum material apreendido.

Em outra fazenda, os agentes encontraram sinais de vandalismo. Havia uma casa totalmente destruída. Só uma parte da construção estava de pé. No meio dos escombros, foram encontradas roupas e suplementos para alimentar o gado. Nenhum índio foi encontrado no local.

A região disputada tem 20 mil cabeças de gado registradas pela Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab). De acordo com o Sindicato dos Produtores Rurais de Itaju do Colônia, quatro mil bovinos estão desaparecidos. (com informações de O Trombone)

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
agosto 2014
D S T Q Q S S
« jul    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31