hanna thame fisioterapia animal
livros do thame

Posts Tagged ‘exposição’

Fidel es Fidel: ALBA recebe exposição de líder da revolução cubana

expo fidel

A Assembleia Legislativa da Bahia recebe entre os dias 20 e 24 de novembro, no Saguão Josaphat Marinho, a mostra “Fidel es Fidel”, com a exposição de 17 fotografias históricas do líder da revolução cubana registradas pelo fotógrafo Roberto Chile. Um dos destaques é a foto “La estrella de Fidel”, que mostra a famosa boina do revolucionário e a estrela vermelha – parte integrante da bandeira de Cuba.

Aberta ao público, a atividade antecede a Sessão Especial em Homenagem Póstuma a Fidel Castro, morto em 25 de novembro de 2016, a ser realizada no plenário da Casa na sexta-feira (24) às 9h30. Os eventos foram propostos pelo deputado estadual Marcelino Galo (PT).

 

Aberta exposição sobre Diabetes no Terminal Rodoviário de Itabuna

rota expo 1A exposição “Cara a Cara com a Diabetes”, promovida pela Rota Transportes, foi lançada na terça-feira, 14 de novembro, Dia Mundial do Diabetes, no Terminal Rodoviário de Itabuna, com as presenças do prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, da diretora de Desenvolvimento da Rota, Elaine Carletto, do coordenador do Mutirão do Diabetes, oftalmologista Rafael Andrade, militantes da saúde, imprensa e usuários dos serviços de transporte.

Composta de nove painéis móveis educativos, a exposição contém informações detalhadas sobre a diabetes e também integra a campanha do Mutirão do Diabetes, que acontece no próximo dia 25, na Praça Rio Cachoeira, em Itabuna. “O sucesso de nosso movimento está aqui, na aceitação da comunidade na prevenção ao diabetes. Itabuna dá exemplo”, disse o médico Rafael Andrade.

rota expo 3Na oportunidade, auxiliares técnicos da Secretaria de Saúde de Itabuna realizaram aferição de glicemia capilar, deram orientações e tiraram dúvidas a respeito da Diabetes. “Nosso objetivo, como uma empresa com responsabilidade social, é somar esforços em benefício da população. Estaremos sempre apoiando o Mutirão do Diabetes”, declarou a empresária Elaine Carletto, idealizadora da mostra.

A exposição “Cara a Cara com a Diabetes” ficará no hall da Rodoviária de Itabuna até o próximo dia 24. Logo após o Mutirão, no dia 25, irá integrar um evento no Colégio Estadual Félix Mendonça, de Itabuna, e depois será disponibilizada nos terminais rodoviários das cidades de Ilhéus, Eunápolis, Porto Seguro, Jequié, Jacobina, Camacã, Coaraci e Alcobaça.

Por sua vez, o prefeito Fernando Gomes elogiou a iniciativa da Rota Transportes, de toda a equipe do Mutirão do Diabetes e prometeu trabalhar para aprimorar o atendimento público da saúde em Itabuna. Estiveram também presentes, o diretor da Record TV Cabrália, Marcelo Almeida, o Ten. Cel. Marcos Chastinet de Carvalho, comandante da Companhia Independente de Polícia de Guarda, o Cap. Itamar da Encarnação Ferreira, subcomandante da Companhia Independente de Polícia Rodoviária/Itabuna, o Major Robson Farias da Silva, comandante da 68ª Companhia Independente de Polícia Militar/Ilhéus, e a gerente da Pauma- Administradora de Terminais Rodoviários, Jane Varanda.

rota expo 2

 

Ilhéus: Makalé comemora 45 anos de carreira com exposição na Galeria do Teatro

Exposição de Makalé no TMI (2)“Cores e brincadeiras, celebrando 45 anos de pintura” é a exposição que marca os 45 anos de carreira do artista plástico Carlos Alberto Alves de Moura, o Makalé. A vernissage será aberta nesta sexta-feira (17), a partir das 19 horas, na Galeria do Teatro. Além de telas já expostas em outras ocasiões, a exposição traz vários trabalhos inéditos que abordam o cotidiano e também antigas brincadeiras infantis populares. A exposição fica aberta ao público até o dia 30 deste mês.

Natural de Recife (PE), Carlos Makalé é radicado em Ilhéus. Começou sua jornada nas artes plásticas na década de 60, quando ingressou na Escola Federal de Pernambuco. Estudou as oficinas de desenho, pintura, escultura, modelagem, tipografia, encadernação e na mesma década participou de edições do Salão dos Novos no Museu de Arte Contemporânea, em Olinda. Na década de 70 ingressou no curso de desenho e pintura da Escola de Belas Artes, da Universidade Federal de Pernambuco e nos cursos de pintura, desenho e escultura na Escola Técnica Professor Agamenon Magalhães, em Recife. Também fez cursos de desenho e decoração, na Escola Técnica Federal de Pernambuco e participou da decoração de carnaval de vários clubes com a equipe do Professor Walfrido Freire.

Makalê obra divulgaçãoO artista plástico atuou no departamento de artes do Jornal da Bahia, onde escreveu coluna de moda e ministrou curso de desenho artístico e publicitário no Instituto de Organização Nacional do Trabalho (Idort). Realizou mostras no Instituto Cultural Brasil Alemanha, no Salão de Humor de Salvador, e nas galerias Fandango (Olinda) e Bernardo Destrain. Seus trabalhos foram expostos no Clube Social de Ilhéus, na coletiva Artistas da Região do Cacau e no Museu do Cacau. Por vários anos foi um dos responsáveis pela decoração do carnaval de rua de Ilhéus.

Aposentado como desenhista técnico pela Prefeitura de Ilhéus, Carlos Makalé ministrou curso de pintura e desenho na Universidade de Santa Cruz (Uesc), promovido pelo Projeto Tosta Filho; ministrou curso de desenho e pintura pela Fundação Cultural de Ilhéus e curso de desenho e pintura organizado pelo Sesi/Ilhéus. Foi coordenador do curso de desenho e pintura da Sociedade Arte e Cultura de Ilhéus (Saci) e seus últimos trabalhos foram expostos na galeria da antiga sede do Teatro Popular de Ilhéus.

Exposição Ilhéus em Flor abre a primavera

Exposição Ilhéus em Flor abre a primavera na cidade - Internet

A primavera começa este ano, em Ilhéus, com a realização da exposição 6ª Ilhéus em Flor – Feira de Flores de Holambra (Arte, Cultura e Solidariedade), a partir de amanhã (21). O evento acontece na Avenida Soares Lopes, ao lado do Subway, das 9 às 21 horas, numa parceria da secretaria municipal de Turismo e Esportes (Setur) e da Associação Beneficente Casa da União, entre outras instituições públicas e privadas.

Durante a exposição são disponibilizadas mais de 100 espécies de flores como orquídeas, samambaias, cactos, begônias, tuias, bonsais, além de plantas ornamentais e medicinais que podem ser comercializadas a preços populares. No local, os interessados também recebem orientações de como cultivar a planta pra que ela possa prosperar e desenvolver, por meio de panfletos e de voluntários da Casa da União.

De acordo com o coordenador da Ilhéus em Flor, José Arnaldo Pereira, as plantas disponibilizadas vêm de Holambra, interior de São Paulo, que concentra a maior produção de flores ornamentais do país. Para ele, a Ilhéus em Flor atrai um grande público e contribui para que a comunidade desenvolva ainda mais o hábito de cultivar plantas e aprimorar a qualidade de vida.

“Até mesmo os floristas locais acham que após o festival cresce o interesse das pessoas pela aquisição das mudas de plantas. Eles afirmam que o movimento aumenta nas floriculturas quando a exposição acaba”, afirma Pereira. Segundo ele, as espécies mais comercializadas em Ilhéus são os bonsais, roseiras, mudas de frutíferas, orquídeas, entre outras. Os visitantes podem adquirir a muda a partir de R$ 2,00.

A 6ª Ilhéus em Flor conta com o apoio da Secretaria de Turismo para a sua realização, pois o evento atrai visitantes de outras cidades, a exemplo de Itacaré, Canavieiras, Una, Coaraci, Itabuna, entre outras. O secretário Roberto Lobão admite que a feira de flores produz um efeito positivo para o município.

STF expõe obras de Waldomiro que é de Deus, de Itagibá, de Osasco, de Goiânia, do mundo…

WD 1São 57 anos de história traduzidos em imagens e cores, muitas cores. Uma longa estrada sendo escrita com pincéis que parecem divinos – talvez até para justificar o sobrenome dele. Por tudo que tem feito nesses longos anos, Waldomiro de Deus é mesmo uma referência artística do País. Na chamada arte naif, sem dúvida que ele é o nome da vez.

Obras do pintor estarão expostas na mostra “O Olhar de Waldomiro,  57 anos de pintura”, na  sede do Supremo Tribunal Federal a partir de terça-feira, 13, ficando até o final de agosto no Hall Ministro Menezes Direito. No convite do STF, o pintor que por um bom tempo morou em Osasco, é louvado por retratar o cotidiano brasileiro em traços simples e com cores marcantes.

Waldomiro de Deus tem um enorme reconhecimento fora do Brasil. Baiano de Itagibá, aos 14 anos estava pelas ruas paulistas como engraxate, mas no início da década de 60 teria a vida mudada pelo pincel.

Quando voltou à Bahia em 1965, foi como participante da I Bienal Nacional de Artes Plásticas em Salvador, evento que o lançou para o mundo. Tanto é que há esse apontamento de Jorge Amado: “É realmente de Deus esse Waldomiro, que reinventa a vida com a pureza de sua ingênua sabedoria. Um poeta do povo, um mágico.”

As obras do artista são referências catedráticas, temas de mestrados nas principais universidades. São mais de 3.500 obras, e há 25 anos ele brinda a arte em parceira com a esposa Lourdes de Deus, igualmente uma artista plástica de ponta. Por anos o casal morou em Osasco e atualmente vive em Goiânia. (do QG Noticias/Goiânia)

Hospital da Mulher expõe telas pintadas por pacientes com câncer

mc 1

As pacientes em tratamento oncológico no Hospital da Mulher participaram nesta terça-feira (16) do lançamento de uma exposição de telas pintadas por elas mesmas durante as intervenções de arteterapia. As doze telas podem ser visitadas pelo público até o dia 31 de maio, na entrada na unidade hospitalar.

mc 2 A iniciativa partiu de Clíssia Morgana, 33 anos, que encontrou no desenho e na pintura uma forma de amenizar os sintomas da doença. Foi ela também que batizou a exposição com o nome “Borboletas: Transformação”. “Me sinto muito feliz porque uma coisa que era só minha agora é de um todo. Eu vou sair do hospital e a minha sementinha vai continuar aqui”, comemora Clíssia.

A introdução da arteterapia no tratamento oncológico é bastante trabalhada por psicoterapeutas atualmente, como conta a coordenadora do serviço de Psicologia, Márcia Aquino.“A mulher consegue externar toda a angústia, tristezas e alegrias que ela sente. Participar deste projeto hoje é muito gratificante para elas”, afirma a psicóloga. A ferramenta funciona como um complemento aos demais métodos terapêuticos e ajuda a desenvolver a autoestima da mulher e liberar a subjetividade através dos sentimentos.

mc 3  Nas telas, as pacientes expressaram seus sentimentos, ideias e memórias. Clíssia pintou uma borboleta, que para ela simboliza a transformação do momento que ela está vivendo. Já a paciente Ijaílta Lima, reproduziu uma referência ao lugar em que vive bons momentos ao lado da família. “A gente sempre vai lá, fica o final de semana, então eu desenhei o sitiozinho da minha filha em Minas Gerais”, contou Ijaílta, que adorou a experiência de criar algo novo, pois até então, só havia pintado desenhos que já existiam.

As pacientes em tratamento oncológico no Hospital da Mulher participaram nesta terça-feira (16) do lançamento de uma exposição de telas pintadas por elas mesmas durante as intervenções de arteterapia. As doze telas podem ser visitadas pelo público até o dia 31 de maio, na entrada na unidade hospitalar.

A iniciativa partiu de Clíssia Morgana, 33 anos, que encontrou no desenho e na pintura uma forma de amenizar os sintomas da doença. Foi ela também que batizou a exposição com o nome “Borboletas: Transformação”. “Me sinto muito feliz porque uma coisa que era só minha agora é de um todo. Eu vou sair do hospital e a minha sementinha vai continuar aqui”, comemora Clíssia.

A introdução da arteterapia no tratamento oncológico é bastante trabalhada por psicoterapeutas atualmente, como conta a coordenadora do serviço de Psicologia, Márcia Aquino.“A mulher consegue externar toda a angústia, tristezas e alegrias que ela sente. Participar deste projeto hoje é muito gratificante para elas”, afirma a psicóloga. A ferramenta funciona como um complemento aos demais métodos terapêuticos e ajuda a desenvolver a autoestima da mulher e liberar a subjetividade através dos sentimentos.

Nas telas, as pacientes expressaram seus sentimentos, ideias e memórias. Clíssia pintou uma borboleta, que para ela simboliza a transformação do momento que ela está vivendo. Já a paciente Ijaílta Lima, reproduziu uma referência ao lugar em que vive bons momentos ao lado da família. “A gente sempre vai lá, fica o final de semana, então eu desenhei o sitiozinho da minha filha em Minas Gerais”, contou Ijaílta, que adorou a experiência de criar algo novo, pois até então, só havia pintado desenhos que já existiam.

Ilhéus realiza exposição de pinturas feitas por moradores de rua

rua 2

A Prefeitura de Ilhéus, através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), em parceria com a Associação Ilheense de Bodyboarding, promove, entre os dias 28 de junho (aniversário do município) e 4 de julho, a exposição “Olhar Invisível”. As pinturas, resultado de oficinas de arte terapia desenvolvidas por moradores de rua atendidos pelo programa municipal Centro Pop, estarão em exibição na Rua Jorge Amado, a partir das 9h.

A intenção, de acordo com o titular da SDS, Kácio Brandão, é divulgar as oficinas de arte terapia realizadas com as pessoas em situação de rua da cidade. Através de um facilitador de arte, esse público atendido pode desenvolver habilidades que nem eles imaginavam dominar, ao passo em que essa atividade permite que se reaproximem da sociedade, argumenta Brandão.

rua 3O projeto conta com o apoio da Associação Ilheense de Bodyboaring, incentivadora da ideia de expor a arte que é feita pelos moradores de rua. Para o diretor da entidade, Victor Kruschewsky, “é de suma importância buscar o retorno dessas pessoas a um convívio social mais humanizado e essas é uma das formas”.

Geraldine Belmont e a arte como ferramenta da conservação ambiental

gb 3Estiagem prolongada na Bahia resultando em falta de água, enchentes absurdas em Paris, calor de verão em junho na Bahia e frio desproporcional na Suíça. Isso é o aqui agora. Lendo entre as linhas no inicio do século 21, a artista suíça nascida em Nova Iorque Geraldine Belmont formada em artes plásticas pela ECAL (Ecole Cantonale d’Art de Lausanne) deixou uma carreira promissora no Velho Continente para se dedicar a preservação do meio ambiente e desenvolver trabalhos relacionados a proteção dos ecossistemas da Mata Atlântica, especialmente em relação a gestão de resíduos sólidos.

Radicada na Bahia desde 2004, ela está expondo seus trabalhos artísticos pela primeira vez no Brasil graças ao incentivo de Ruy Penalva e Ativa Ideia Produção cultural e comunicação. Com as questões ambientais afetando o cotidiano, a exposição MUT está aberta ao público até 18 de junho na Biblioteca Municipal Adonias Filho, em Ilhéus.

gb 2A partir de reflexões que surgiram ao longo do seu envolvimento com a preservação ambiental e a sociedade contemporânea, a proposta de Geraldine é questionar o sistema de valores,  com obras sóbrias e aéreas. Mut – o nome da exposição –  é um dos nomes da deusa egípcia que simboliza os valores maternais. “Ela é a rainha das deusas, associada a todas as aguas de quais nascem toda forma de vida e o seu símbolo é o urubu que aparece cobrindo a cabeça da deusa nos hieróglifos”, diz a artista, que  escolheu esse nome para a exposição “como emblema da sua proposta artística: representando a beleza, harmonia e leveza em assuntos e objetos que o publico normalmente desprezaria”.

gb 1 Urubus, insetos e cenas post-apocalípticas constituam o universo dessas obras que oferecem uma reflexão crítica junto a uma representação estética. Da mesma forma que um alquimista procura transformar ferro em ouro, Geraldine Belmont procura transformar o hediondo em maravilhoso afim de suscitar no espectador uma reflexão sobre um sistema de valores que corre em direção a perda do nossos recursos naturais – a perda do nosso sustento e de qualquer conforto adquirido pelo consumo desfreado de bens que a final não são essenciais.

Finas e delicadas, as obras de nanquim e aquarelas sobre papel nos convida a viajar entre o passado (com desenhos de nanquim que lembram gravuras antigas) e o futuro (com cenas pós-apocalíticas de paisagem urbano invadido por plantas tropicais) para questionar o momento presente.

Biblioteca Municipal de Ilhéus recebe exposição de artista plástica suíça Geraldine Belmont

suiça 3A Biblioteca Municipal Adonias Filho, em Ilhéus, recebe, na quinta-feira, dia 9, às 19h, a abertura da exposição MUT, da artista plástica suíça Geraldine Belmont. As obras estarão disponíveis para visitação gratuita do dia 10 ao dia 18 de junho, de segunda à sexta, das 9h às 18h e aos sábados, das 8h às 12h. O evento é uma realização da Ativa Idéia Produção Cultural e Comunicação com apoio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult).

Com quatro séries de sete obras apresentadas para exposição, com um total de 23 obras, todas no papel, usando tinta ou aquarela, a artista Geraldine resgata a beleza, harmonia e leveza em assuntos e objetos que o público normalmente desprezaria. São eles urubus, insetos e cenas pós-apocalípticas, que constituem o universo dessas obras e oferecem um conteúdo crítico junto a uma representação estética.

suiça 1Geraldine explica que a escolha pelo nome MUT representa a sua proposta artística, inspirado em um dos nomes da deusa egípcia e simboliza os valores maternais. Rainha das deusas, associada a todas as águas, de quais nascem toda forma de vida, e o seu símbolo é o urubu, que aparece cobrindo a cabeça da deusa nos hieróglifos. Da mesma forma que um alquimista procura transformar ferro em ouro, a artista busca transformar o hediondo em maravilhoso.

 Geraldine Belsuiça 2mont – Chegou ao Brasil em 2004, com o objetivo de desenvolver trabalhos relacionados à proteção do meio ambiente (Mata Atlântica), especialmente em relação aos resíduos sólidos. Trabalha em Ilhéus e região (Marau, Itabuna, Itacaré, Una) há 12 anos e, pela primeira vez desde que se mudou para o município, Geraldine expõe seus trabalhos artísticos, inspirados do seu trabalho ambiental e da riqueza da biodiversidade oferecida pela Mata Atlântica.

expolourdes

Internos da Penitenciária Lemos Brito expõem obras no Salvador Shopping

Lemos 2

Obras de mosaico produzidas por internos da Penitenciária Lemos Brito que participam do projeto Libertarte estão em expostas no Salvador Shopping. O projeto que busca a reinserção social através da arte é resultado de parceria entre a Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização do Estado (Seap) e o artista plástico Eliezer Nobre. As peças estão à venda, e parte dos recursos arrecadados será revertida para seus autores.

Lemos 1De acordo com a Seap, a Oficina de Mosaico ministrada pelo artista plástico é um projeto-piloto que hoje envolve 15 internos. Seu principal objetivo é promover a ressocialização, através de práticas que auxiliem na sua educação, na capacitação profissional e na busca da conscientização psicológica e social. A proposta é que, com o sucesso da iniciativa, ela seja ampliada, atingindo ainda mais internos.

A mostra aberta em dezembro, com a participação de detentos, com cerca de 50 mosaicos, mas muitos deles já foram comercializados no stand montado no 2º piso do shopping (próximo às lojas Dumond e Limits).  Além de beneficiar seus autores, os recursos obtidos com a venda das obras serão usados para cobrir os gastos com o custo da oficina.

Karine Lopes expõe no Espaço Cidadelle

karineA artista plástica itabunense Karine Lopes, realiza uma exposição de pinturas no Espaço Cidadelle, às margens da rodovia Jorge Amado, km 24, imediações do Condomínio Residencial Cidadelle House. Karine está expondo 8 telas e a exposição vai até o próximo dia 3 de agosto.

As telas a são de vários tamanhos, predominando o 70×90 cms, e estão sendo comercializadas a preços acessíveis para os visitantes. Estão expostos os trabalhos: Estilo Romero Britto (modelo: José Alfredo, que é filho da artista), Estilo Romero Britto (modelo: Mari), Estilo desenho animado, Estilo pop colorido (Ivete Sangalo), Estilo pop colorido (modelo: Daniela Ligtnher), Estilo Pop colorido (Claudia Leite), Estilo preto e branco fundo colorido, Estilo preto e branco (modelo: Juliana Soledade).

De uma família de artistas, Karine Magnavita Lopes de Araújo, nasceu em Itabuna e deu seus primeiros passos na pintura sob orientação e os olhares atentos da tia Maria Emília “Mel” Lopes, outra artista local. Aliás, os dotes artísticos foram herdados da avó materna, que pintava, bordava, costurava, esculpia e restaurava imagens. No meio artístico Karine Lopes é conhecida também pelo pseudônimo Lylle.

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930