hanna thame fisioterapia animal
livros do thame

Posts Tagged ‘Copa 2014’

O jogo (sujo) da impunidade

Daniel Thame

 

daniel charge cuba zapA Polícia Federal prendeu  os ex-governadores do Distrito Federal José Roberto Arruda  e Agnelo Queiroz  e o ex-vice-governador Tadeu Filippelli, que ocupava o cargo de assessor do ainda presidente Michel Temer.

Os três são alvo de uma investigação de um esquema de corrupção na reforma do estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, utilizado para a Copa de 2014 e que, a exemplo de outros estádios como os de Cuiabá, Manaus e Natal, se transformou num imenso e dispendioso elefante branco.

Verdadeiros monumentos à corrupção, plantados neste solo tropical, onde a roubalheira parece endêmica, desde que Cabral aqui aportou e Camões avisou ao Rei de Portugal que nesta terra em se plantando tudo dá.

E em seu roubando, dá mais ainda.

O Estádio Nacional (suprema ironia, Mané Garrincha, que lhe dá o nome, morreu bêbado e pobre) deveria custar R$ 600 milhões mas custou R$ 1,575 bilhão. Um ´superfaturamentozinho´ de apenas R$ 975 milhões.

Agnelo, Arruda e Tadeu não uma das pontas de um esquema que transformou a Copa num espetáculo para o torcedor (tirante aquele 7×1 que a Alemanha sapecou no Brasil) e numa maravilha para a ladroagem, que se esbaldou nos bilhões que o poder público investiu no evento.

jogo sujoMas, sabe-se lá porque que mistérios, há uma ponta que parece imune a todas as denuncias, apesar de uma CPI comandada por Romário ter revelado podridão e ladroagem em larga escala.

Trata-se da gloriosa (sic) Confederação Brasileira de Futebol, a CBF, cujos dirigentes contam com uma espécie de blindagem.

Ricardo Teixeira, ex-presidente, e Marco Polo del Nero, atual presidente, são citados em várias estripulias. Teixeira, inclusive, chegou a devolver à FIFA parte do dinheiro surrupiado.

No Brasil, continuam serelepes, leves e soltos. E daqui não saem, daqui ninguém lhes tira, porque sabem que se saírem do país, correm o risco de serem presos, como aconteceu com o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, encalacrado com a Justiça dos EUA.

Já que o Brasil, ainda que com os excessos de um judiciário cada vez mais fora de controle e com claros atropelos à Constituição, está sendo passado a limpo, a faxina deveria chegar à CBF e a seus próceres agatunados. Moralizar o mundo da bola, que mexe com a paixão de milhões de brasileiros.

Mas, por ora, ainda não chegou.

E nem se sabe se vai chegar…

Perdeu, playboy…

Ele não se conforma, mas quem ganhou foi Dilma. E nem adianta querer tomar a taça na marra

Ele não se conforma, mas quem ganhou foi Dilma. E nem adianta querer tomar a taça na marra

Sai Felipão e entra…

tiririca

Copa 2014, América Latina e ´Los 5`

Um clipe da TV Telesur exalta a unidade da América Latina na Copa do Mundo de 2014 3 tras uma mensagem do gênio Diego Maradona pela libertação de ´Los 5`, os cubanos presos
injustamente nos EUA.

Golaço de Diego.

Estudantes de Itabuna ´assistem´ festa argentina em Buenos Aires

Glauber Sousa Santos, Katiusy Franco e Sarah Thame, estudantes de Direito de FTC/Itabuna, passam férias em Buenos Aires. Lá, em menos de 24 horas, testemunharam duas festas argentinas.

A primeira, no massacre  da Alemanhã sobre o Brasil por 7×1, humilhação saudada pela torcida e pelos jornais com manchetes como “7 gols e um funeral”.

E a segunda com a heroica classificação da Argentina nos pênaltis sobre a Holanda, nos pênaltis, que garantiu a vaga na final da Copa 2014.

Após o trinfo contra a Holanda, a noite de Buenos Aires foi ´albiceleste´, como Glauber, Katiusy e Sarah puderam conferir, porque foi impossível dormir na noite em que os argentinos preferiram sonhar acordados.

Veja as fotos da festa, com fotos feitas pelos  três itabunenses:

arg 1arg 2arg 3arg 4arg 5arg 6

Um país com a sanidade em chamas

vergonha bandeira

Tudo bem que futebol é paixão, que a derrota de 7×1 para a Alemanhã doeu na alma, que muita gente está misturando Copa com eleição.

 Mas daí a queimar a bandeira do Brasil, como ocorreu em São Paulo, é de uma insanidade  vergonhosa.

 A bandeira não é o símbolo da eleição, mas do nosso país.

 Quem alimenta esse tipo de ódio?

 Ou a quem interessa esse tpo de irracionalidade?

Missão (quase) impossível: sem Neymar e com a arbitragem e a mídia contra

Eduardo Guimarães

eduardo guimaraesPela lógica, o Brasil passar pela Alemanha deveria ser quase impossível. Apesar da brilhante vitória contra a Colômbia – que calou a boca de uma legião de críticos cegos ou mal-intencionados –, a equipe de Felipão é inexperiente em Copas do Mundo e não contará com o astro Neymar, que participou de metade das jogadas que resultaram em gols.

Como se fosse pouco, provavelmente a Seleção ainda enfrentará outra arbitragem acovardada que irá prejudicá-la como fez em quatro dos cinco jogos da Copa de 2014. E, para completar o grau de dificuldade dessa missão quase impossível, ainda passará os próximos dias sendo triturada por uma mídia que enfiou na cabeça que Dilma só será reeleita se o Brasil for campeão.

O desfalque de Thiago Silva pode ser um problema menor. Apesar de sua boa atuação contra a Colômbia e da dita liderança que exerce no time – que fez dele capitão –, não se pode esquecer do descontrole emocional que demonstrou no jogo contra o Chile e que, em outro momento de grande tensão, poderia ressurgir.

Ainda assim, Thiago era parte do esquema que Felipão montou. Esquema que terá que ser totalmente redesenhado.

Contudo, esses garotos têm sido brilhantes, na opinião deste blog. Não é pouco o que enfrentaram até aqui, para chegar aonde chegaram. A começar pelos protestos contra a Copa. Ninguém com um mínimo de bom senso pode acreditar que os protestos não afetaram o emocional de uma equipe tão jovem e, até menos de um mês atrás, praticamente virgem em uma competição desse calibre. Muito pelo contrário.

Os protestos contra a Copa intimidaram a torcida. Pela primeira vez, o Brasil entrava numa Copa sem entusiasmo do país, sem ruas e carros enfeitados. Os garotos de Felipão sabiam que corriam o risco de, jogando em casa, serem vaiados nos estádios.

Read the rest of this entry »

Familiares de jogadores holandeses usam metrô no último dia de Copa na Bahia

metrolanda 1Desde a inauguração, 105 mil pessoas usaram o Metrô de Salvador e, no sabado (5), último dia da Copa do Mundo Fifa Brasil 2014, na Arena Fonte Nova, os familiares de jogadores da Holanda optaram por usar esse meio de transporte para ir ao estádio ver o confronto contra a Costa Rica.

Pai do zagueiro Vlaar, Peter Vlaar diz ter gostado do serviço prestado no metrô e usou o transporte neste sábado pela segunda vez. “Andei de metrô aqui pela primeira vez no jogo contra a Espanha e gostei. Te deixa bem perto do estádio, é limpo e o atendimento funciona bem”. Peter elogiou ainda as belezas naturais do estado. “Gostaria de voltar à Bahia quando estiver de férias para frequentar as belas praias”.

Ainda no grupo de familiares dos holandeses, estavam o filho pequeno de Robben e o pai do atacante, que também se mostrou satisfeito com o metrô. “Essa também é a segunda vez que uso. Gostei porque não tem tanta gente, [e] é organizado”, disse Hans Robben, em referência ao sistema de operação que foi exclusivo para torcedores em dias de jogos na Arena Fonte Nova.

Neymar grita de dor e a enfermeira ´beijinho, beijinho, tchau, tchau´

Enfermeira filma chegada de Neymar ao hospital após joelhada de Zuñiga que tirou craque da Copa do Mundo.

Enquanto Neymar grita de dor, a enfermeira já está de olho nos seus 15 minutos de fama…

bandeira 13

Esse e o nosso país, essa é a nossa bandeira.

 A nossa Seleção é o Brasil, na paixão pelo futebol, na fantasia do jogo bem jogado, nas estrelas de um time pentacampeão que deve respeitar o adversário mas não deve temer ninguém.

 Hoje é dia de futebol, dia de Brasil, dia de dar mais um passo rumo ao hexa.

 Gol neles, Brasil!

 

Golaço fora de campo: jogadores da Seleção da Argélia doam prêmio da Copa para palestinos

argelia

A Seleção da Argélia foi uma das sensações desta Copa do Mundo. Além de surpreender com o bom futebol apresentado, que rendeu uma inesperada classificação às oitavas de final do torneio e uma eliminação apenas na prorrogação diante da poderosa Alemanha, a seleção argelina também impressiona por outro gesto: os jogadores resolveram doar todo o dinheiro do “bicho” para a população palestina da Faixa de Gaza.

“Eles precisam mais do que nós”, justifica o atacante, e craque do time, Islam Slimani, autor do heroico gol contra Rússia, que garantiu o acesso à fase seguinte — feito que pôs pela primeira vez na história dois times africanos entre os 16 melhores do Mundial de futebol.

Pela participação nas oitavas de final, a Fifa paga US$ 9 milhões de prêmio a cada seleção classificada. O montante, segundo garantiu Slimani, que atua no Sporting, de Portugal, será doado aos palestinos.

 

 

No meio do caminho há uma Colômbia

Drummond e a Copa: chegou a hora do futebol-poesia...

Drummond e a Copa: chegou a hora do futebol-poesia…

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031