hanna thame fisioterapia animal
universidade lasalle livros do thame

Posts Tagged ‘cooperação técnica’

Biofábrica e Ceplac discutem Acordo de Cooperação Técnica para multiplicação de mudas resistentes à monilíase

moniUma reunião entre a direção da Biofábrica e a Coordenação-geral de Pesquisas e Inovação da Ceplac, definiu as diretrizes para assinatura de um Acordo de Cooperação Técnica, para viabilizar a multiplicação de duas variedades resistentes à monilíase do cacaueiro. O Acordo está em construção e deve ser assinado nos próximos dias, mas a Biofábrica já trabalha na preparação de uma área onde será criado um jardim clonal, a ser utilizado como fonte de material genético para multiplicação.

A reunião teve a participação da coordenadora-geral de Pesquisa e Inovação da Ceplac, Lucimara Chiari, do coordenador adjunto José Marques Pereira, do diretor-presidente da Biofábrica, Jackson Moreira, bem como do diretor administrativo Valdemir José dos Santos, além da responsável técnica Kaleandra Freitas Sena.

Os clones Cepec 2204 e Cepec 2176, desenvolvidos pela Ceplac, estão prontos para serem multiplicados pela Biofábrica. São plantas que apresentam resistência à monilíase combinada com alta produtividade.

Read the rest of this entry »

Assinado convênio de cooperação técnica entre Uesc e o Assentamento Frei Vantuy

assenta 2

O reitor Alessandro Fernandes de Santana assinou, nesta sexta-feira (23), um Acordo de Cooperação Técnica Cientifica entre a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) com a Associação Agrícola do Projeto de Assentamento Frei Vantuy, situado no bairro Banco da Vitória, na Rodovia Jorge Amado.

 

Convênio Frei Vantuir2O ato contou com as presenças da presidente da Associação, Maisa Fontana Amaral Silva, do pró-reitor de Extensão (Proex/Uesc), professor Neurivaldo José de Guzzi Filho, professores da Instituição e representantes dos produtores assentados. A assinatura do convênio foi realizada na sala de reuniões da Reitoria.

 

O objetivo é a elaboração de atividades de pesquisa e extensão, capacitações, realização de seminários, encontros acadêmicos e programas especiais de curta duração. Além de desenvolvimento de atividade de intercambio técnico cientifico e a realização de treinamentos oferecidos, por ambos participes.

 

Visa também, gerar oportunidades para realização de programas de aprimoramento de pessoal, beneficiamento de produtos da agricultura familiar através do uso do Projeto de Extensão Programa Agroindústria da Uesc, fabricação de frutas desidratadas para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), além de outras atividades julgada de interesse comum.

 

O reitor Alessandro Fernandes de Santana lembrou que “cerca de 70% dos alimentos consumidos no Brasil são fruto da agricultura familiar. Essa aproximação entre agricultura familiar e universidade trará impactos positivos. A Uesc já desenvolve atividades semelhantes  com outros assentamentos, a exemplo do Terra  Vista, em Arataca. Esse convênio vai possibilitar adequação dos arranjos produtivos do Frei Vantuyr, gerar mais possibilidades para os produtores e espaço para transferência do conhecimento acumulado pela Academia. Esse é o papel da Universidade, transferir conhecimento através dos seus programas de pesquisa e extensão” concluiu

Walter Pinheiro discute cooperação técnica com a UNESCO

w pO secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro, discutiu a possibilidade de realização de uma cooperação técnica com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), durante reunião com o coordenador do setor de Comunicação e Informação da entidade, Adauto Cândido Soares, ocorrida nesta segunda-feira (22), na sede da Secretaria do Planejamento (Seplan), em Salvador.

De acordo com o secretário Walter Pinheiro, a ideia é que a cooperação possa contribuir para o desenvolvimento da gestão governamental, possibilitando a melhoria dos serviços públicos para o cidadão. “A Unesco apresentou uma proposta no sentido de viabilizar algo que é essencial: o aprimoramento da gestão. Então vamos, inclusive, buscar o apoio também do Governo Federal, até porque vários dos projetos que foram apresentados exigem um nível de capacitação que é o que a Secretaria do Planejamento está buscando fazer na elaboração do Plano Plurianual, da Lei de Diretrizes Orçamentárias, capacitação para o Plano Estratégico Organizacional, que é nosso plano para que as secretarias possam, cada vez mais, usando as ferramentas de gestão, ter um melhor desempenho e, consequentemente, uma maior eficiência na execução dos serviços para o cidadão. Então nós estamos discutindo e vamos avaliar a proposta da Unesco e ver as condições para implementação disso, sejam condições materiais, financeiras e até operacionais”.

Durante a reunião, Soares destacou as áreas de atuação da Unesco no Brasil e as vantagens que uma cooperação técnica pode propiciar para o estado da Bahia. “Temos conversado com a Seplan, visando a modernização do estado, e a cooperação técnica nacional é uma forma de trabalho conjunto da Unesco com o Governo da Bahia, intermediado pelo Ministério das Relações Internacionais”, disse.

UFSB e IFBaiano assinam convênio para compartilhar recursos e laboratórios

ASSINATURA DE TERMO - UFSB-IFBAIANOUm acordo de cooperação  técnica assinado hoje (30) formalizou parceria entre a Universidade Federal do Sul da Bahia UFSB e o Instituto Federal Científico e Tecnológico Baiano (IFBaiano) para o compartilhamento da estrutura do Centro de Tecnologia de Alimen tos do instituto federal. A cooperação vai permitir o compartilhamento de recursos e de espaços laboratoriais.

O acordo trata do compartilhamento da estrutura laboratorial do IF Baiano, transferência de recursos financeiros da UFSB e emprego compartilhado dos recursos humanos das duas instituições. Isso vai abrir caminho para projetos e programas de ensino, pesquisa e extensão. O IFBaiano e a UFSB já trabalham em parceria acadêmica desde 2015, e a negociação para a construção da proposta começou em abril de 2016. O início dos contatos se deu com o pedido encaminhado pelo Centro de Formação em Tecno-Ciências e Inovação (CF-TCI) à Coordenação de Apoio Institucional a Pesquisa e Projetos, setor da Pró-Reitoria de Planejamento e Administração (Propa).

A nova iniciativa visa aproveitar o espaço do Centro de Tecnologia de  Alimentos do Campus Uruçuca do IFBaiano. O CTA possui quatro salas de aula; cinco laboratórios analíticos (microbiologia, bioprocessos, química, análise sensorial e análise de alimentos); uma sala de reuniões; quatro gabinetes para professores; quatro depósitos para insumos; depósito para produtos acabados, banheiros e vestiários; cinco laboratórios para processamento de alimentos (um para processamento de leite e derivados, um para processamento de carne e pescados, um para processamento de vegetais, um para panificação e tubérculos e um para processamento de cacau e chocolate); uma área de convivência e uma área de utilidades industriais (vapor, ar comprimido, água gelada).

A expectativa é de alavancar o desenvolvimento da região nos setores de biotecnologia e tecnologia de alimentos através dos diversos tipos de projetos que podem ser conduzidos a partir dessa parceria, e também por meio da formação de profissionais especializados nesses setores.

Em visita à Coréia, Secretário da Saúde anuncia ampliação da cooperação com empresa sul-coreana

corO secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, em missão pela Coréia do Sul, representou nesta terça-feira (15) o governador Rui Costa na inauguração da nova fábrica da indústria sul-coreana Genbody Inc., parceira da Bahiafarma na produção de testes rápidos diagnósticos.

Segundo Vilas-Boas, a intenção da parceria produtiva Genbody-Bahiafarma é aplicar a tecnologia mais recente, tanto em seus produtos como em sua planta e maquinaria. Para tanto, estão sendo investidos R$16 milhões em uma linha de produção na sede da Bahiafarma, em Simões-Filho (BA), para atender toda a necessidade do Ministério da Saúde.

A parceria entre a Bahiafarma e a Genbody Inc. resultou no primeiro teste rápido para Zika produzido por um laboratório oficial brasileiro. A cooperação evoluiu para incluir testes de dengue, chikungunya, sífilis, além de febre amarela e outras doenças virais. A perspectiva é firmar a Bahiafarma como parceiro preferencial do SUS na área de testes diagnósticos.

Ceplac, Nestlé e Biofábrica fazem cooperação técnica no cacau

Cooperação técnica beneficia produção de cacau na Bahia

Um projeto de cooperação foi debatido na Superintendência de Desenvolvimento da Região Cacaueira da Ceplac no Estado da Bahia com a Nestlé, Secretaria de Agricultura da Bahia e Instituto Biofábrica de Cacau. O projeto prevê implantação de até cinco mil hectares de sistemas agroflorestais (cacau e seringueira), com foco na agricultura familiar; recuperação de 300 hectares de cacau para demonstrar a sustentabilidade do cacau-cabruca; outros 300 hectares de cacau irrigado no Extremo-Sul baiano ou regiões de expansão; custeio de insumos dos experimentos e transferência de protocolo científico à Ceplac pela empresa mundial de chocolate.
       O projeto de sustentabilidade, que deve ser assinado em fevereiro de 2012, reuniu o gerente do Departamento Agrícola da Nestlé, Terence Spencer Blaines, o gerente da Nestlé Itabuna, Luis Pereira da Silva Junior; e o representante da Seagri Antonio Almeida Junior, que foram recebidos pelo superintendente da Ceplac Juvenal Maynart Cunha. Na Superintendência, na rodovia Ilhéus-Itabuna, estavam o chefe do Centro de Pesquisas do Cacau da Ceplac (Cepec), Adonias de Castro Virgens Filho, e pesquisadores Uilson Lopes e Antonio Zugaib; o coordenador-adjunto do Centro de Extensão da Ceplac (Cenex), Milton Conceição, e os técnicos Geraldo Dantas Landim e João Manuel de Afonso e Henrique de Almeida, do Instituto Biofábrica de Cacau.
       Pelo projeto, caberá à Ceplac, órgão da administração direta do Ministério da Agricultura, a coordenação e formulação de documento de cooperação dentro do conceito da conservação produtiva. À Nestlé, enquanto empresa mundial comprometida com a sustentabilidade, compete a transferência da tecnologia de embriogênese somática para produção em laboratório de mudas resistentes à doenças em processo simplificado, além de dar suporte ao melhoramento genético com vistas à resistência do cacaueiro à vassoura-de-bruxa e a monília, cujo fungo se constitui em ameaça à cacauicultura nacional.
       A segunda maior processadora de cacau e chocolate do mundo também se comprometeu em liberar protocolos científicos que, adicionados ao material genético de qualidade que a Ceplac possui, permita a produção em larga escala de materiais que sejam utilizados pelos produtores de cacau. A Nestlé desenvolve projetos de pesquisa na Costa do Marfim e Indonésia e a transferência da tecnologia ao Brasil, através da Ceplac, alimenta a expectativa de bons frutos para a cacauicultura brasileira e, particularmente, à cacauicultura baiana na opinião do chefe do Cepec, Adonias de Castro Virgens Filho.

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
agosto 2022
D S T Q Q S S
« jul    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031