hanna thame fisioterapia animal
bahiagas livros do thame

Posts Tagged ‘chocolate’

Agricultura familiar da Bahia mostra qualidade de produtos no Mesa São Paulo

Mesa SP (2)

A agricultura familiar da Bahia mais uma vez marca presença no Mesa São Paulo, o evento de gastronomia mais importante da América Latina, com produtos derivados de licuri, umbu, maracujá do mato, castanha, nibs de chocolate e café, que serão apresentados por cooperativas baianas de 24 a 27 de outubro, no Memorial da América Latina, na capital paulista.

Mesa SP (1)

A ação é uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), no âmbito do projeto Bahia Produtiva, que conta com empréstimo do Banco Mundial, visando promover mais espaços de comercialização dos seus produtos das cooperativas.

Mesa SP (3)

Neste ano, o Mesa será uma plataforma de lançamento do Terra Madre 2020, que será realizado em junho, em Salvador, pelo Slow Food Brasil, em parceria com a CAR. O evento, que reúne comunidades do alimento, de acadêmicos, cozinheiros e toda a comunidade do Slow Food, acontece a cada dois anos na Itália e terá uma edição especial voltada unicamente para o Brasil.

Read the rest of this entry »

O caminho se chama Chocolate…

Nelson Leal ressalta importância da cadeia produtiva do cacau para economia baiana

leal

A importância da lavoura cacaueira da região Sul para a economia baiana e na consolidação da indústria no Estado foi destacada pelo presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), deputado Nelson Leal (PP), na manhã desta terça-feira (03). Evento aconteceu na Sala das Comissões Luís Cabral, lotada de prefeitos da região, produtores do fruto, parlamentares, representantes de entidades de classe, como a Ceplac e Câmara Setorial, e de sindicatos de trabalhadores rurais.

cacauO chefe do Legislativo estadual foi um dos palestrantes da Audiência Pública “Cacauicultura Baiana – a Cadeia Produtiva do Cacau”, promovida pela Comissão de Agricultura e Políticas Rurais da Alba, presidida pela deputada Jusmari Oliveira (PSD), em parceria com a Federação de Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia.

“O cacau já foi o principal produto de exportação da Bahia. A força da nossa indústria muito se deve à cultura do cacau. É uma alegria imensa para Casa debater tema tão importante para a economia do Estado. Quero me congratular com a Comissão de Agricultura pelo belo trabalho desenvolvido pelos deputados Jusmari Oliveira (presidente) e Sandro Régis (vice). Tenho certeza que a lavoura cacaueira voltará a ter a pujança que já teve, a partir do esforço dos produtores e o uso das novas tecnologias”, apostou, o presidente da Casa.

Read the rest of this entry »

Atil destaca chocolate do Sul da Bahia no Experiência Braztoa Nordeste

atil 2

A Associação de Turismo de Ilhéus participou do Experiência Braztoa Nordeste, que aconteceu no Porto Salvador Eventos, na capital baiana. O Experiência Braztoa é um evento em formato de roadshow onde os expositores recebem visitas de agentes de viagem, objetivando troca de negócios, conhecimentos e relacionamentos. Com modelo inovador e programação interativa, trata-se de uma  oportunidade de promoção para destinos turísticos.

atilA Atil apresentou Ilhéus para centenas de agentes de viagens, divulgando não só os atrativos, equipamentos e empreendimentos turísticos dos associados como também ofertando aos visitantes a experiência do cacau ao chocolate! Foram ofertados para degustação o  chocolate de origem, mel do cacau, nibs caramelizado, geleia de cacau, cauchaça (cachaça de cacau) e o próprio fruto! Para completar a vivência do chocolate “tree-to-bar” (do pé à barra) e encantar ainda mais o público, o stand estava ornamentado com mudas, amêndoas e o fruto do cacau; para mostrar o encadeamento do processo produtivo do chocolate da Costa do Cacau, produzido no meio da Mata Atlântica e recheado de encantos e sabores!

Para montar o estande, a Atil contou com parceiros como  Fazenda Capela Velha, Chocolate Gabriela, Fazenda Irerê, Fazenda Porto Esperança, Chocolate Maia e a M21, que garantiu a beleza das paisagens de Ilhéus no painel de fundo  do espaço ilheense.
A nova diretoria da Atil entende que as participações em eventos promocionais são fundamentais para o fomento do turismo no município e afirmam que o Experiência Braztoa foi o marco para a volta da participação de Ilhéus  nas feiras do segmento turístico.

henrique

O cacau e seus divinos frutos: chocolate, chopp, sabonete…

a 11

Os lançamentos de novas marcas e produtos diferenciados são características do Festival Internacional do Chocolate. Em 2019 um dos produtos de maior sucesso e o chocolate Andrei Martinez, que leva o nome de seu chocolatier criador. Feito com chocolate com 53% de cacau, açúcar orgânico e leite de coco.

“Trata se de uma marca vegana, sem produtos de origem animal, que tem como diferencial o sabor mais suave, mantendo o aroma inconfundível do cacau”, afirma Andrei.

Andrei

Andrei  Martinez

O chocolate é produzido com cacau do Pará, com amêndoas especialmente selecionadas por Andrei.

“É simplesmente divino, eu diria indecente de tão delicioso”, brinca a empresária paulista Cláudia Gouveia, que descobriu a novidade durante o festival.

Chopp de nibs de cacau

a chopp

Para os apreciadores de uma bebida com personalidade, foi lançado no Espaço Economia Solidaria, no Chocolat Festival, um chopp feito com nibs de cacau, uma Session IPA de sabor marcante.

Produzido pelo microempreendedor Gustavo Bonfim, trata-se de um chopp pilsen, com lúpulo, fermento e o nibs de cacau, que garante uma bebida encorpada e de sabor marcante.

Gustavo

Gustavo Bonfim

“Valorizamos o principal produto da região, criando um chopp diferenciado, pronto para agradar um público consumidor de bebidas premium”, afirma Gustavo.

O chopp de nibs de cacau  pode ser encontrado na Kombi do Chopp Artesanal, que reúne vários produtores da bebida, e fica estacionado em pontos estratégicos do centro de Itabuna, com a Praça Camacan, Praça Rio Cachoeira e Beco do Fuxico.

Mahat, o chocolate com ´selo sustentável´

a fab pmata

A Rede de Agroecologia Povos da Mata está comercializando um novo produto, o  Mahat (Inteligência da Natureza), um chocolate com cacau e nibs de cupuaçu 72%, marca 100% orgânica.

Fabiola Ribeiro

Fabiola Ribeiro

 

De acordo com Dalila Ribeiro Almeida, uma das coordenadoras da Rede, “além do sabor marcante do cacau e do cupuaçu, o chocolate apresenta notas de café, cacau e caramelo, numa composição única e uma textura amanteigada”.

A Rede Povos da Mata é um movimento agroecológico, com foco social, econômico e ambiental, com atuação no Sul da Bahia, que já teve projetos premiados pela Fundação Banco do Brasil.
Sabonete de cacau, fórmula para a pele saudável

a mor

O cacau que deixa a pele mais saudável. Não é chocolate, mas foi uma das estrelas do Chocolat Festival, em Ilhéus. A  microempreendedora Dalila Fernandes, doutoranda em genética de plantas medicinais pela Universidade Estadual de Santa Cruz-Uesc,  criou o As d Lilás, linha de sabonetes fitoterápicos feitos com extrato de cacau.

A linha de produtos inclui cacau com café, cacau com cupuaçu, cacau com menta, cacau com caramelo, licor de cacau, cacau, maca e jasmim, creme de chantily com nibs de cacau, além de creme dental.

 

Dalila Fernandes

Dalila Fernandes

“Minha esperança parem de envenenar pra ficarem bonitas, optando por produtos naturais e saudáveis”, destaca Dalila, que cuida pessoalmente da seleção das plantas e essências.

Para quem quiser experimentar esse novidade, basta ligar (73) 98888-7802

 

Como Pode?

 

Eulina Lavigne

eulina lavigne Além de terapeuta sou, também, agricultora e busco honrar os meus ancestrais que foram pioneiros na lida com o cacau na região do Sul da Bahia. E sendo uma apaixonada pelo cacau e pelo chocolate,  em 2013, quando morava em Salvador, adquiri uma minifabriqueta de fazer chocolates. Queria fazer algo diferente.

Conheci o finado Adeir Boida, também produtor,  que na época era o representante da Cocoatown, empresa americana, que fabricava esta máquina de elaboração caseira de chocolates. Passei seis meses, após a compra do que parecia para mim um “bicho papão”. Não sabia como mexer e tinha medo de quebrar algo muito desconhecido para mim.

Na época estava fazendo parte de encontros promovidos pelo SEBRAE sobre o planejamento estratégico do cacau, onde encontrei o Adeir Boida e outros produtores. Empolgada com a máquina de fazer chocolates, a recomendei a outro produtor que imediatamente comprou e na reunião seguinte trouxe os seus chocolates para saborearmos.

foto chocolate festival 4Assistindo ao meu movimento, Adeir me perguntou se eu não tinha vergonha de recomendar a máquina e nunca ter usado a minha sob risco de não funcionar mais visto o seu desuso. Foi então que me apavorei e pedi que me fornecesse alguns grãos de cacau de qualidade já que ele havia sido premiado no festival de Paris.

O nosso primeiro chocolate jamais esquecemos. Saiu maravilhoso, recebi elogios do meu grande incentivado, o Adeir, que foi quem me orientou desde o início.

Parecia que estava cuidando de uma criança. Aprendendo a lidar com a máquina a cada dia, e tinha noites que não dormia com medo da máquina parar. Para fazer um chocolate de qualidade a máquina fica em funcionamento cerca de 24h.

Read the rest of this entry »

Chocolat Bahia 2019 consolida polo chocolateiro e impulsiona economia

foto 10

O maior evento de cacau e chocolate da América Latina. Assim pode ser definido o Chocolat Festival 2019, encerrado neste domingo (21), em Ilhéus. Realizado com o apoio do Governo do Estado, o festival reuniu cerca de 60 mil pessoas e movimentou aproximadamente R$ 15 milhões em negócios, reunindo 170  expositores e mais de 70  marcas de chocolate.

O festival possui características únicas  como produção de chocolate, mel de cacau, nibs, cauchaça, creme de, cacau caramelizado, sabonetes de cacau, etc; e uma estrada temática, a Estrada do Chocolate,  com fazendas centenárias, fábricas de chocolate, natureza exuberante.

foto chocolate festival 1O coordenador do Chocolat Festival 2019, Marco Lessa, destacou que “os resultados superaram todas as expectativas, numa  demonstração de que os consumidores passam a valorizar o chocolate de origem. Tivemos muitos lançamentos de produtos, com diversidade e inovação,  que  atraíram pessoas da região e de outros estados”. Ainda para Marcos, “é importante  conscientizar os cerca de 30 mil produtores de cacau, que sustentaram a economia sulbaiana durante décadas, de que eles podem se restabelecer dentro de um novo conceito, que é o chocolate de origem. Dessa maneira, iremos retomar, em bases sólidas e sustentáveis, o caminho do desenvolvimento”.

O Governo do Estado também marcou presença no festival com os estandes do  Centro Público de Economia Solidária (Cesol) Litoral Sul,com produtos de empreendimentos solidários e destaque para o lançamento do creme de cacau Cacauela; a Bahia Cacau, uma cooperativa que  já que comercializa chocolate e derivados no mercado paulista, a fábrica-escola do Chocolate do Centro Estadual de Educação Profissional Nelson Schau, com a instalação de uma planta industrial em que os alunos produziram chocolates e derivados de cacau, além da retomada as atividades da Câmara Setorial do Cacau, que define de ações conjuntas para o desenvolvimento da cadeia produtiva do cacau.

fabrica escola 2
Chocolate e retomada do desenvolvimento

Marly Brito

Marly Brito

A empreendedora Marly Brito destacou que “a cada ano, o festival abre a possibilidade de novos negócios e incentiva a criação de novos produtos derivados de cacau”. Gerson Marques, que produz chocolates e também atua na área de turismo rural, ressaltou que “as vendas diretas aumentaram e também os acordos comerciais com parceiros da Bahia e de outros estados, consolidando a qualidade e o potencial do chocolate, além de criar um novo atrativo para o setor turístico”.

Para Leo Maia, que aproveitou o evento para lançar o chocolate branco com nibs de cacau, “esse é um mercado que exige sempre inovações capazes de cativar e atrair novos consumidores. As vendas foram ótimas”. Fernando Modaka, um dos pioneiros na produção de chocolate de origem, disse que “esse movimento que estamos vivendo no Sul da Bahia é fantástico, agrega valor o nosso principal produto, o cacau, tornando a região conhecida pelo chocolate de qualidade”.

Cristiano Vilela

Cristiano Vilela

A difusão de novas tecnologias também tem sido uma das tônicas do festival. O diretor executivo do Centro de Inovação do Cacau, da Universidade Estadual de Santa Cruz, Cristiano Vilela destacou que “o Sul da Bahia passa por um processo de modernização e valorização do cacau  e na qualidade do chocolate”.  O vice-presidente da Federação da Agricultura do Estado da Bahia-FAEB, Guilherme Moura, avaliou que “o Festival do Chocolate já se tornou uma referência no Brasil  com sua característica única de unir produção de cacau e de chocolate, além de impulsionar toda a revitalização cadeia produtiva e movimentar a economia”.

Além da comercialização de chocolate e outros produtos o festival contou com eventos como Cozinha Show, ChocoDay, Ateliê do Chocolate, Cozinha Kids, Espaço Cutural do Cacau, com apresentação  de artistas regionais, exposição História do Cacau, palestras, workshops e o Fórum Brasileiro do Cacau, com foco na sustentabilidade e avanços tecnológicos.

foto chocolate festival 4

O Chocolat Bahia – 11 ° Festival Internacional do Chocolate e Cacau contou com a parceria do Governo da Bahia, através das secretarias do Turismo, do Desenvolvimento Econômico, da Agricultura, do Desenvolvimento Rural, CAR, e apoio financeiro do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura, assim como da Prefeitura Municipal de Ilhéus, Sebrae, Governo do Pará, Banco do Nordeste, Bahiagás, Sicredi e Chocolates Harald. O evento também tem apoio institucional da CEPLAC, Instituto Biofábrica, UESC, GAP, entre outras instituições. O Chocolat Bahia é uma realização da MVU Eventos.

Industrialização do cacau baiano movimenta R$ 1,3 bilhão em investimentos

cacauO cacau da Bahia vai além das 123 mil toneladas produzidas por ano e lidera nacionalmente também no setor industrial. No estado, os cinco empreendimentos do setor, incentivados pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), já injetaram cerca de R$ 1,3 bilhão em investimentos e geram juntos 1,2 mil empregos diretos. O forte da industrialização do cacau é a região sul, mas também tem presença marcante na capital e já exportou até loja artesanal para Paris.

Reinventado, o segmento cacaueiro tem visibilidade nacional com o Chocolat Bahia Festival, cuja 11ª edição começou na quinta-feira (18), em Ilhéus. Os números positivos se refletem ainda no processamento das amêndoas de cacau. A indústria moageira produz 270 mil toneladas por ano. Dados da SDE revelam a diversidade da cadeia produtiva baiana, que vai do cacau em pó aos chocolates gourmet, com nibs de cacau.

“A Bahia ocupa espaço importante no cultivo do fruto e no desenvolvimento econômico, especialmente no sul e extremo sul. O cacau se reinventou depois da vassoura de bruxa e temos uma nova oportunidade de crescimento territorial, com grandes variedades e com potencialidade sustentável do cultivo. A industrialização vem como reforço e essa cadeia tem movimentado a economia baiana, gerado empregos e tornado o estado referência mundial, seja no cacau ou no chocolate”, afirma o vice-governador e titular da SDE, João Leão.

Read the rest of this entry »

Documentário mostra cacau como um dos alimentos brasileiros que correm risco de extinção

Produção de Cacau Cabruca Agroecológico no Assentamento Terra Vista, em Arataca

Produção de Cacau Cabruca Agroecológico no Assentamento Terra Vista, em Arataca

(Instituto Cabruca)-Não são apenas os animais que correm risco de extinção, muitos alimentos também, como o buriti, a castanha do Brasil, a baunilha do cerrado, a tainha, entre outros. A série documental “SEMENTES DO AMANHÔ tem o objetivo de resgatar a história dessas espécies alimentícias brasileiras, por meio de um olhar contemporâneo, mostrando a teia de relações humanas e ambientais que há por trás da sua cadeia produtiva.

Com 13 episódios que mostram um panorama geral de cada item nas comunidades onde são produzidos, a série apresentada por Nanda Barreto investiga a origem da extinção e guia o telespectador na descoberta da biodiversidade brasileira. Com isso, pretende provocar a conscientização das pessoas e buscar caminhos para a preservação das culturas alimentares e humanas, numa perspectiva de sustentabilidade. Read the rest of this entry »

Bahia Cacau, exemplo a ser seguido

Josias Gomes

 josias 2A Bahia Cacau gerida pela COOPFESBA (Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidário da Bacia do Rio Salgado e Adjacências) é a primeira fábrica de chocolate da Agricultura Familiar no Brasil e vem revolucionando a indústria do chocolate.

O fomento do Governo do Estado, através da SDR e o Programa Bahia Produtiva, foi decisivo para o desenvolvimento e expansão desse promissor mercado. Até o momento, foram feitos investimentos de R$877 mil com foco na qualidade da amêndoa, oriundas do plantio ao chocolate no município R$ 1,9 milhão no acesso ao mercado e mais de R$ 642 em assistência técnica.

bahia cacau (1)A maneira como a Cooperativa realiza o seu cultivo merece destaque. É a famosa “cabruca”, feita sob a sombra das imensas florestas de Mata Atlântica da região Sul da Bahia, seguindo os saudáveis processos de controle agroflorestais. Este controle de qualidade é um diferencial de mercado. Os consumidores estão dispostos a pagar mais por produtos que tenham compromisso socioambiental e valores agregados. Pensando no mercado externo, este valor agregado sobe consideravelmente.

A Bahia Cacau tem em seu portfólio barras de chocolate com 35%, 50%, 60% e 70% cacau, amêndoas torradas e processadas em nibs e bombons recheados com frutas. Tanto potencial reunido só poderia resultar em um show de vendas na Naturaltech.

Parabéns companheiros e companheiras da Bahia Cacau, um dos stands mais saborosos da exposição!

Josias Gomes – Deputado Federal (licenciado) do PT/Bahia e atualmente titular da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). Se concorda, compartilhe

 

Produção de cacau no Sul da Bahia é reinventada e estado lidera ranking no país

Cacau (3)(do G1, com Rede Bahia)-Com mais de 200 mil toneladas produzidas entre 2017 e 2018, a Bahia tem liderado a produção de cacau no Brasil, em uma disputa concorrida com o Pará, que é o segundo maior produtor do país. E, neste ano, a previsão é de que o estado seja destaque nacional novamente.

A TV Bahia exibiu a oitava reportagem do projeto “Avança”, que trata sobre o desenvolvimento econômico do estado, e mostra segmentos que são destaque, setores com alta produtividade, exemplos de negócios e utilização de tecnologia. A produção de cacau no sul do estado foi tema da reportagem.

Em 2017, a Bahia teve 88,6 mil toneladas do fruto, enquanto o Pará somou cerca de 57 mil. Em 2018, a produção baiana chegou a 122,6 mil toneladas e a paraense ficou perto em 116,1 mil. Neste ano, a previsão é que o Pará chegue a 113 mil toneladas e a Bahia mantenha a produção perto de 120 mil.

A maior parte do cacau baiano sai do litoral sul, que ainda lida com a devastação da praga conhecida como vassoura de bruxa. Por lá, os produtores tiveram que reinventar as fazendas e apresentaram bons resultados com as mudanças.

Read the rest of this entry »

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930