hanna thame fisioterapia animal
prefeitura ilheus livros do thame

Posts Tagged ‘bolsa família’

Juninho Espoliano e a Bolsa Família. “Casar com pobre dá nisso…”

Mais de 2,8 mil pessoas tiveram benefícios do Bolsa Família suspensos em Itabuna

Dois mil benefícios são bloqueados e suspensos em itabuna Foto Waldir Gomes (1)Mais de 2.800 benefícios do Programa Bolsa Família foram suspensos em Itabuna, após constatação de irregularidades no recebimento de valores repassados pelo Governo Federal. Segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS), desse total, 2.049 benefícios foram bloqueados e 760 foram cancelados. Pelo menos 482 famílias repassaram informações inverídicas, conforme dados disponibilizados para a SAS.

A titular da SAS, Sandra Neilma Costa explicou que a decisão de suspensão dos benefícios partiu da Controladoria-Geral da União (CGU) e do Ministério da Transparência, que a partir de análises em outras bases de dados oficiais constataram que as famílias com o beneficio cancelado declararam renda familiar incorreta  e podem sofrer processo administrativo. “Além de sanções legais, elas também podem ser obrigadas a devolver os valores recebidos sendo impossibilitados de retornar ao programa”.

Read the rest of this entry »

O Silêncio dos Indecentes

Jovem sergipana devolve cartão do Bolsa Família a Lula após se formar pelo Prouni

bolsa

(Do Brasil de Fato) Iva Mayara é sergipana de Aracaju. Aos 13 anos “fugiu de casa” grávida para morar com o namorado no Morro do Avião, na periferia de Aracaju. “Eu casei e engravidei muito cedo, uma das oportunidades que eu tive foi receber o Bolsa Família”, conta. A garantia dessa renda mensal fez com que Mayara, mesmo com uma filha pequena e todo o trabalho doméstico da casa, conseguisse continuar estudando e terminar o ensino médio.

Nesse período a família dela também teve acesso ao Programa Minha Casa, Minha Vida, numa parceria entre o governo federal e o governo de Sergipe, na gestão do ex-governador Marcelo Déda (PT), falecido em 2013, de quem faz questão de lembrar com carinho. A casa fica localizada no bairro 7 de Março, e é um dos principais orgulhos de Mayara. “Ter uma casa boa, limpa, para mim e para minha família, um lugar seguro onde a gente pudesse chegar todas as noites, foi um alegria sem tamanho”.

Depois que conseguiu sua casa, Mayara ingressou na faculdade pelo Prouni (Programa Universidade para Todos) e se formou em Administração de Empresas. Na sequência, ela fez o desligamento voluntário do Bolsa Família. “Em todos esses momentos da minha vida o Bolsa Família foi quem mais me ajudou , inclusive na faculdade”, relata a jovem, que diz que o dinheiro do Bolsa Família foi o que garantiu que conseguisse pagar a internet, concluir o curso feito pelo sistema de Educação à Distância (EAD) e “alimentar a minha família nos períodos que não tínhamos [dinheiro]”. Agora, ela é cadastradora do Bolsa Família no bairro onde mora. “É uma forma de retribuir o que fizeram por mim”.

“Só quem sabe a dificuldade é quem passa. Ter aquele dinheirinho todo final de mês para comprar alimentação ou outra coisa é um alívio. Para as mulheres que estão numa situação precária, é realmente uma coisa muito valiosa”, ressalta.

Com redução de 543 mil benefícios em 1 mês, Bolsa Família tem maior corte da história

Do UOL: O número de beneficiários pagos pelo Bolsa Família em julho registrou a maior redução em relação a um mês anterior desde o lançamento do programa, em 2003. Entre junho e o mês passado, o número de benefícios encolheu em 543 mil famílias. Segundo apurou o UOL, o corte inclui suspensões para avaliação e cancelamentos.

Ao todo, o programa pagou 12.740.640 famílias em julho. O número de bolsas pagas foi o menor desde julho de 2010, quando foram pagas 12.582.844 bolsas. Se compararmos julho de 2014 com o mesmo mês de 2017, houve uma redução de 1,5 milhão de bolsas pagas.

Mesmo com os cortes, ainda há mais de meio milhão de famílias na lista de espera para ingressar no programa, sem previsão. Questionado pela reportagem, o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário culpou a política econômica do governo Dilma Rousseff (2011-16) pela redução.

(…)

Questionado sobre os cortes pelo UOL, o MDS enviou nota em que não explica a redução e culpa, de forma genérica, a “condução desastrosa da política econômica brasileira e a irresponsabilidade fiscal do governo Dilma Rousseff (PT)”, que “ainda geram impacto na vida dos brasileiros”.

(…)

Procurada para comentar as declarações, a ex-presidente Dilma disse, em nota, que é “estarrecedor” o corte em programas sociais em período de crise e classificou a decisão do seu ex-vice como “muito grave”.

A ex-presidente disse ainda que o corte mostra que o “Palácio do Planalto fez uma opção clara pelos mais ricos”. “Essas 543 mil famílias retiradas agora do programa custariam menos de R$ 100 milhões por mês. O governo ilegítimo vai colocar a conta do pato nas costas dos mais pobres”, declarou.

Dilma disse ainda que o argumento de falta de recursos não se justifica, uma vez que houve liberação de “dinheiro a deputados para arquivar uma denúncia”, o que torna “inadmissível reduzir os programas sociais”. “Justamente o Bolsa Família que protege as famílias brasileiras mais pobres. As ‘bolsas’ concedidas em menos de seis meses pelo governo ilegítimo representam quase metade do Bolsa Família anual”, pontuou.

143 mil voltam ao Bolsa Família. Fila de espera é de 525 mil

ESPECIAL SOBRE O BOLSA FAMILIA.FRANCISCA AMANCIO DO NASCIMENTO,68 ANOS RECEBE O BOLSA FAMILIA E SUA FILHA NOEMIA CRISTINA DO NASCIMENTO COM SEU FILHO DEFICIENTE GABRIEL. FOTO:EMANUEL AMARAL/RELEASE

Mais de 143 mil famílias retornaram ao Bolsa Família neste ano devido ao aumento da taxa de desemprego provocado pela forte crise econômica que se instalou no país. A fila de espera também cresceu.

Ela chegou a estar zerada nos meses de janeiro e fevereiro, mas aumentou gradualmente e atingiu 525 mil famílias. O ministro do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), Osmar Terra, informou que pretende acabar com a espera ainda em agosto. Mesmo com a restrição orçamentária do governo federal, o ministério teria orçamento suficiente para atender esse público. (do Valor Economico)

Gestantes recebem repelentes em Ilhéus

 

repeFoi iniciada hoje, 27, a distribuição dos repelentes adquiridos pelo Ministério da Saúde para as gestantes beneficiárias do programa Bolsa Família, em Ilhéus, realizada na Farmácia Pública Municipal, localizada no bairro Boa Vista, Rua Teodoro Sampaio, das 7h30min às 12 horas, e das 13 às 17 horas. “Para retirar o produto, basta apresentar documento de identificação com foto, comprovante de residência, e cartões do Bolsa Família, da gestante e do SUS”, afirmou o coordenador de Assistência Farmacêutica da Secretaria de Saúde de Ilhéus, Marco Aurélio Mendes.

O primeiro lote foi recebido pela Secretaria de Saúde do Município, no último dia 22, com 2.216 unidades de repelentes, suficiente para a demanda de dois meses, segundo Mendes.  A proteção do produto ocorre por até 10 horas contra insetos como o Aedes aegypti, Culex e Anopheles aquasalis, pernilongos e outros mosquitos que também transmitem doenças.

Informações da Secretaria da Saúde do Estado dão conta que esses repelentes podem ser utilizados por gestantes durante todo o período gestacional, mas não devem ser utilizados em crianças menores de 12 anos, pois a fórmula contém concentração da substância ativa DEET (N,N-dietil-meta-toluamida)  superior a 10%, sendo de 15%. O repelente deve ser aplicado apenas nas áreas expostas do corpo, e não por debaixo de roupas.

Para utilização segura do produto e mais informações, as gestantes devem seguir as instruções de uso descritas no rótulo do produto. Em caso de intoxicação e/ou reação adversa, procurar o Centro Antiveneno da Bahia – CIAVE – no telefone 08002844343, ou o Serviço de Saúde mais próximo levando a embalagem ou rótulo do produto.

Golpe amplia pobreza de faz 500 mil famílias retornarem ao Bolsa Família

golpeo(do Brasil 247) – O golpe de 2016, semeado em 2015 pela aliança entre Aécio Neves (PSDB-MG) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ), fez com que quase 1 milhão de famílias retornassem à situação de pobreza extrema no Brasil e voltassem ao Bolsa Família.

No ano passado, o desastre econômico produzido por Michel Temer levou 519,5 mil famílias de volta ao Bolsa Família.

O número é recorde e revela a quantidade de brasileiros que voltaram à situação de pobreza extrema, recorrendo novamente ao benefício.

Em 2015, quando o Brasil foi governado na prática pela aliança do “quanto pior, melhor”, feita entre Aécio e Cunha, outras 423,6 mil famílias retornaram ao Bolsa Família.

Ou seja: o custo do golpe é de quase 1 milhão a mais de famílias em situação de extrema pobreza.

Neste dois anos, em que a presidente Dilma Rousseff foi primeiro sabotada por Aécio e Cunha e depois derrubada por Temer, 5 milhões de brasileiros perderam seus empregos.

Os dados são de reportagem da jornalista Renata Mariz, publicada no jornal O Globo.

 

Governo Federal cancela 759 cadastros do Bolsa Família em Itabuna

bfA partir do dia 17 um total de 759 famílias de Itabuna não receberá mais os benefícios do Bolsa Família depois que foram cancelados pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) por conter inconsistências. Como parte da ação de qualificar a focalização do Programa Bolsa Família foi concluído nesta semana o maior cruzamento já realizado na história do Programa, que permitiu identificar inconsistências cadastrais em benefícios pagos pelo Governo Federal.

De um total de 1.694 beneficiários foram efetuados bloqueios de 935 beneficiários que, contudo, poderão comparecer ao setor do Bolsa Família da Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS), das 8 às 14 horas para atualizar o cadastro. Segundo o secretário Evandro Pereira Filho as famílias vão passar por avaliação para possam ter a possibilidade do desbloqueio pela gestora municipal do Programa Bolsa Família, já os benefícios cancelados, só podem ser revistos pelo MDSA.

“Brasil caminha para voltar ao Mapa da Fome”, alerta Valmir Assunção

walmir-a(do Bahia247)- O bloqueio de benefícios de mais de 667 mil usuários do programa Bolsa Família, feito pelo de Michel Temer, deixou o deputado federal baiano Valmir Assunção (PT) “indignado”. Ele disse nesta terça-feira (8) que “o governo golpista e sua base aliada estão usurpando os direitos, os benefícios e até o sonho do povo brasileiro”. Para Assunção, o governo Temer usa o pretexto de ‘encontrar irregularidades’ “para esconder o direcionamento da gestão para a suspensão dos programas sociais criados pelo PT para tirar o povo da miséria”.

“O Brasil caminha para retornar ao mapa da fome, de onde tinha saído com os governos do PT. O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário usa os artifícios de irregularidades para cancelar e bloquear mais de 1,136 milhão de famílias do programa social. 469 mil foram cancelados e 667 mil foram bloqueados pelo governo Temer. Esses cancelamentos valem para o mês de novembro e a gestão federal pretende ficar com mais de R$ 1,024 bilhão – valor relacionado ao pagamento do Bolsa Família. São esses tipos de ações que estão fazendo economia para entregar as riquezas do país e ajudar os correligionários em ‘tenebrosas transações'”, dispara Valmir.

De acordo com informações do governo federal, as famílias que tiveram o benefício bloqueado têm até três meses para comprovar que cumprem os requisitos do programa para voltar a receber os valores. O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário ainda chamou 1,4 milhão de famílias para fazer atualização cadastral em janeiro de 2017.

Governo Temer corta 600 mil beneficiários do Bolsa Familia em setembro

bolsa fO governo de Michel Temer (PMDB) quer mudar as regras de acesso e permanência do Bolsa Família. Técnicos dos ministérios do Desenvolvimento Social e Agrário, Planejamento e Fazenda está finalizando um decreto para regulamentar as modificações. Algumas delas são o cruzamento com seis bases de dados oficiais no momento da inscrição no programa, para evitar falsas declarações de renda; os integrantes da família deverão possuir CPF; haverá redução em duas vezes da tolerância para que participantes que caiam na “malha fina” do programa sejam desligados. Atualmente, o benefício é perdido na terceira ocorrência. De acordo com O Globo, as medidas deverão dificultar o acesso ao Bolsa Família.

“O Bolsa Família não pode ser um destino das pessoas. É preciso ser criterioso na hora de conceder e também criar portas de saída para os que realmente precisam do apoio governamental”, justificou Osmar Terra, ministro do Desenvolvimento Social e Agrário. O governo argumenta que há necessidade de colocar regras mais consistentes de checagem dos critérios exigidos pelo programa e há perspectiva de desligar 600 mil famílias na folha de pagamento já em setembro. Desde maio, quando Temer assumiu a presidência, foram feitos 916 mil cancelamentos. Em todo ano de 2015, foram realizados 1,3 milhão de cancelamentos.

Outra medida estudada pelo governo é cancelar automaticamente o benefício na segunda vez que a família for notificada por inconsistências cadastrais, como uma malha fina do programa. Atualmente isso ocorre na terceira ocorrência. Políticos também são alvo das mudanças e os dados dos eleitos no pleito de outubro serão repassados ao Ministério do Desenvolvimento Social mostrarão se existe algum beneficiado vencedor nas urnas. Eventuais beneficiários deverão ser cortados do programa.

Temer não paga reajuste do Bolsa Família concedido por Dilma

bolsa FO presidente interino Michel Temer não concedeu o reajuste de 9% previsto para este mês aos beneficiários do programa Bolsa Família. A informação foi confirmada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, responsável pela gestão do programa, que atende 13,9 milhões de famílias no país.

O anúncio do reajuste foi feito pela presidente Dilma Rousseff durante ato no dia 1º de maio, em São Paulo. O reajuste elevou o benefício médio para R$ 176

 

“O governo Dilma ficou dois anos sem dar reajuste no Bolsa Família. Estamos fazendo uma avaliação nos cortes promovidos pelo governo anterior, que chegam a R$ 1,6 bilhão, para poder conceder o reajuste”, informou o ministério em nota ao portal UOL. O texto diz ainda que não há data para a conclusão de estudos sobre as possibilidades de reajuste do benefício.

O pagamento do benefício do mês de junho começou nesta sexta-feira (17), contemplando as famílias com número final de inscrição “1”. Ao todo, o pagamento do programa social ocorre em dez datas diferentes. Este mês, o calendário oficial vai até o dia 30 de junho, quando são pagos os beneficiários com número final “0”. (Brasil 247)

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
abril 2018
D S T Q Q S S
« mar    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930