camara itabuna
livros do thame

Posts Tagged ‘assassinato’

Jovem que matou ex-namorada é preso em igreja na Bahia

Leonardo e Paola: separação e morte

Acabou a fuga do jovem Leonardo Possato Bento , 23 anos, apontado como o autor do homicídio que teve como vítima a ex-namorada dele, Paola Souza Magnago, de 20 anos, morta com seis tiros quando seguia para o trabalho,  por volta das 4h30 da madrugada do último dia 7 de fevereiro. A vítima residia no Parque Residencial Jardim Laguna,  em Linhares (ES) e foi surpreendia por Leonardo perto de casa.

Leonardo estava sendo procurado pela Polícia Civil de Linhares, após fugir em um Corsa vermelho. Ele foi localizado escondido em Teixeira de Freitas, na Bahia, e teria sido preso dentro de uma igreja.

Ao comentar sobre a morte da filha, o encarregado administrativo Vagner Benha Magnago disse que a prisão de Leonardo minimizaria a dor da família, mas declarou que “se lei Maria da Penha funcionasse”, Paola estaria viva, referindo-se ao que chamou de descaso quando foi denunciar o ex-namorado dela à Polícia Civil.

Traficante é preso por assassinato em Conquista

Autor de vários homicídios em Vitória da Conquista, Marcelo Santos Santana, o “Marcelinho”, de 19 anos, foi preso em flagrante um dia depois de ter assassinado Genildo de Jesus Andrade, no bairro Bruno Bacelar, naquele município.  Segundo o delegado Neuberto Costa, titular da Delegacia de Homicídios (DH), o criminoso integra uma quadrilha que atua no bairro Nossa Senhora Aparecida.

Uma equipe do Serviço de Investigação de Local de Crime (SILC), com o apoio do Grupo de Apoio Tático (GAT), prendeu o homicida em sua residência, tendo testemunhas o apontado como autor da morte de Genildo. Autuado em flagrante por este crime, ele também foi indiciado em inquérito policial por homicídio qualificado, formação de quadrilha armada e porte ilegal de arma. “Marcelinho” já está no Presídio Nilton Gonçalves.

Adolescentes matam amigo por dívida de drogas em Conquista

Investigadores da Delegacia de Homicídios (DH/Conquista) apreenderam dois adolescentes de 16 anos, acusados de matar a tiros Leonardo Santos Almeida, o ”Deda”, de 20 anos, na noite do dia anterior, em uma mata existente no bairro Nossa Senhora da Aparecida, na periferia de Vitória da Conquista. Deda era amigo da dupla.

Os moradores ouviram disparos de tiros por volta das 19 horas e resolveram ligar para a polícia, que foi ao local, mas só conseguiu encontrar o corpo de Leonardo na manhã seguinte, uma vez que a área era extensa. Investigações da DH em torno do crime levaram os policiais até a casa dos dois adolescentes, que confessaram o crime.

Acompanhados dos pais, os garotos disseram na delegacia ter disparado dois tiros cada um contra Deda, jogando a arma, em seguida, um revolver calibre 38, na própria mata. Os adolescentes alegaram que cometeram o crime porque Leonardo havia comprado drogas fiado e estava devendo dinheiro.

Com passagem pela polícia por tráfico de drogas, furto e roubo de motocicletas na região, os adolescentes foram apresentados ao Ministério Público e à Vara da Infância e Juventude, para medidas socioeducativas prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Caso Matsunaga: babá revela que Elize comprou serra elétrica antes de matar e esquartejar marido

modelo de serra utilizado por Elize para esquartejar Marcos

Em novo depoimento à polícia nesta quarta-feira, uma das babás da filha do casal Matsunaga afirmou que Elize, 30, comprou uma serra elétrica portátil no dia em que Marcos foi morto e esquartejado.

A serra elétrica foi adquirida em Cascavel, no oeste do Paraná, pouco antes de Elize, a filha e a babá retornarem para São Paulo, no dia 19 de maio.

A babá Mauriceia José Gonçalves dos Santos, 42, contou que as três passaram alguns dias em Chopinzinho (PR) e, antes de se dirigirem ao aeroporto em Cascável para pegar o voo de volta para São Paulo, Elize parou em uma loja para comprar o aparelho.

A babá contou à polícia que retirou a serra elétrica de uma das malas da viagem já no apartamento do casal. Naquele dia, Elize dispensou Mauriceia, que foi embora, e disse que ela mesma guardaria as roupas e o aparelho.

Read the rest of this entry »

Guardador de carro é preso por matar vizinho que devia R$ 150

Acusado de ter assassinado com três tiros Jerônimo Santos Brito, um vizinho que devia a quantia de R$ 150, o guardador de carros Alexandre dos Santos Leal, de 19 anos, foi preso, por uma equipe da 1ª Delegacia de Homicídios (DH/Atlântico), no Campo da Pólvora, onde trabalhava como guardador de carros. O crime ocorreu no dia 10 de maio de 2011, em Brotas, onde residiam.

O guardador de carros disse ao titular da 1ª DH, delegado Juvêncio Mendes Menezes, que matou Jerônimo porque este se recusava a pagar o valor combinado para um serviço de pedreiro prestado por ele na casa da vítima, que havia sido reformada. Em seu depoimento, confirmou ser usuário de crack e que precisava dos R$ 150 para saldar débitos com traficantes.

Com mandado de prisão preventiva em aberto, cumprido pelos investigadores do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), Alexandre agora está custodiado na carceragem do Complexo Policial da Baixa do Fiscal, à disposição da Justiça.

 

CASO YOKI: PROMOTOR ACREDITA QUE ELIZE MATSUNAGA NÃO AGIU SOZINHA

Elize mostra como tsria matado Marcos. Ela fez tudo sozinha?

O  promotor José Carlos Cosenzo, responsável pela acusação de  Elize Matsunaga,  ex-garota de programa  e  assassina confessa  do marido, do ex-diretor da Yoki, Marcos Matsunaga, afirmou na manhã desta quarta-feira (22) ao R7 que ainda não está descartada a participação de outra pessoa no esquartejamento e ocultação do cadáver da vítima. Segundo ele, várias versões estão sendo investigadas e não há dúvidas de que Elize — mulher do empresário — agiu sozinha ao balear o marido. O laudo da reconstituição do crime ainda não chegou oficialmente às mãos do promotor. Com base nas fotos que vazaram, ele acredita que a versão de Elize durante a simulação do crime está equivocada.

— Se ela atirou a quase 2 m de distância, é uma mentira porque o tiro provocou queimaduras. Isso só acontece se o tiro é a queima roupa, em uma distância muito curta.

Na visão de Cosenzo, a reconstituição tem um valor extremamente interessante, mas diz que a versão da ré é mentirosa e não tem sustentação. A possibilidade de pedir uma nova reconstituição do caso está descartada por enquanto. Para o promotor,  as histórias contadas pela acusada são contraditórias e nada bate. Primeiro, ela contou que Marcos Matsunaga havia sido sequestrado. Depois, disse que foi um crime passional. Na visão de Cosenzo, se fosse passional, ela ligaria para a polícia.

— Eu acho que foi um crime com motivo  torpe . Ela não queria perder o casamento, o status e a riqueza. A situação está delineada e tecnicamente provada.

Poucos dias após o crime, o promotor disse que o assassinato teve ingrediente de natureza patrimonial. Com a morte do marido, ela teria direito a um seguro de R$ 600 mil e teria a filha como uma das herdeiras do patrimônio de Matsunaga. Segundo ele, Elize ficaria com uma situação financeira invejável.

Fotos vazadas -Fotos da que mostram a versão de Elize Matsunaga para o assassinato do marido, ex-diretor da Yoki, Marcos Matsunaga, vazaram. Na reconstituição do crime, a mulher deu detalhes de como matou e esquartejou o executivo.

As imagens, que teriam sido feitas no apartamento  do casal simulam a discussão que Elize teve com o marido durante o jantar. É ela mesma quem aparece junto com um perito que faz o papel de Marcos Matsunaga. Segundo a reconstituição, depois de ser agredida  com um  tapa  no rosto, ela foi até uma cômoda, perto do bar, e pegou uma arma. Nesse trajeto, segundo a mulher, os xingamentos contra ela e a família continuaram.

No corredor, Elize teria encontrado o marido e teria sido desafiada a atirar. De acordo com a versão da mulher, o executivo foi atingido e caiu no corredor. As imagens mostram que a mulher foi até o lugar onde o casal guardava armas e desmontou a que usou para matar o marido. Ele foi até a lavanderia para começar a limpeza da casa e usou os produtos que tinha na despensa. O corpo do marido foi arrastado até o quarto de hospedes e ficou ali até o outro dia pela manhã, quando Elize começou o esquartejamento.

ASSENTADOS DO MST PEDEM AGILIDADE NA APURAÇÃO DE ASSASSINATO

Moradores do Assentamento Frei Vantui, ligado ao MST,  na rodovia Ilhéus-Itabuna, realizaram um ato cobrando agilidade na apuração dos responsáveis pela morte da ex-assentada Genilce Pereira dos Santos, de 59 anos.

Genilce era secretária do assentamento e foi encontrada morta no dia 18 de julho, na casa onde morava. Ela vinha sofrendo ameaças por denunciar irregularidades no assentamento. Mais de um mês após o crime, a polícia não concluiu as investigações.

MOTOTAXISTA É FUZILADO NA FRENTE DOS FILHOS

O mototaxista Jackson Guimarães Silva, de 23 anos, foi assassinado na noite de ontem, na Rua G, no bairro Vila Anália, em Itabuna. No mesmo local, um homem identificado apenas como Beto também foi baleado, mas conseguiu sobreviver.

A namorada de Jackson, informou a polícia que ele assistia o jogo na sua companhia e de outras quatro pessoas, quando os homens chegaram atirando. Segundo a mulher, Jackson ainda correu para o quarto onde estavam os dois filhos dele, um de 6 e outro de 11 anos, mas morreu ao lado das crianças.

De acordo com uma testemunha, foram seis atiradores, entre eles rapazes com aparência bem jovens.  Jackson era morador do bairro João Soares e trabalhava na Central do bairro de Fátima. Beto foi socorrido por uma equipe do Samu e encaminhado ao Hospital de Base Luis Eduardo Magalhães.

Preso traficante que mandou matar garota de programa viciada em drogas

Adelson Oliveira Silva, de 35 anos, foi preso, na terça-feira (10), por investigadores da Delegacia de Homicídios (DH) de Vitória da Conquista, pelo envolvimento no homicídio da garota de programa Daiane Ferreira Soares, morta a tiros no povoado de Veredinha, em junho deste ano.

No imóvel ocupado por ele, a polícia encontrou vários cachimbos usados de crack, embalagens de drogas e de preservativos, além de cerca de R$ 1,5 mil, em espécie, indicando que o local é usado para prostituição, consumo e venda de drogas.

Segundo o delegado Neuberto Costa, titular da DH/Conquista, as investigações apontam que Adelson gerencia o tráfico de drogas na localidade da Veredinha, localizado às margens da BR – 116, na região de Conquista. A morte de Daiane tem relação com o tráfico, pois a vítima era usuária de drogas.

Adelson já tinha passagens pela polícia por tráfico de drogas e receptação, sendo transferido ainda na terça-feira (10) para o sistema prisional. A polícia busca agora identificar os autores dos disparos que mataram Daiane. Durante a fuga, os assassinos trocaram tiros com a Polícia Militar e deixaram para trás duas armas de fogo e o veículo utilizado no crime.

CASO YOKI: JUSTIÇA NEGA LIBERDADE PARA VIUVA QUE MATOU E ESQUARTEJOU EMPRESÁRIO

Elize vai continuar numa cela menor do que a cama de sua cobertura

A Justiça em Cotia, na Grande São Paulo, negou o pedido da defesa de Elize Araújo Kitano Matsunaga, de 30 anos, para que a viúva do diretor da Yoki Marcos Kitano Matsunaga, de 41 anos, indiciada pelo assassinato do marido, respondesse pelo crime solta. Em seu despacho, o juiz Théo Assuar Gragnano, o mesmo que decretou a prisão temporária de Elize em 4 de junho, negou a solicitação do advogado de Elize, Luciano Santoro.

“A alegação da requerente no sentido de que não há outras diligências pendentes de realização carece de comprovação e é infirmada pela circunstância de o inquérito não ter sido relatado pela autoridade policial. Não se pode, à míngua de qualquer elemento probatório, presumir que a autoridade policial esteja protelando desnecessariamente a conclusão das investigações. indefiro o pedido de revogação da prisão temporária”, escreveu o juiz Gragnano em sua decisão. A defesa queria a revogação da prisão por entender que ela é “ilegítima” já que a Polícia Civil informou que o caso está encerrado, restando apenas os resultados dos laudos periciais.

Marcos Kitano Matsunaga foi morto com um tiro na cabeça e esquartejado com uma faca na noite de 19 de maio no apartamento do casal, na Zona Oeste da capital paulista. Elize, que foi garota de programa, descobriu que ele estava tendo um caso com outra garota de programa.. A mulher, que fiNo dia 27 do mês passado, pedaços do corpo foram encontrados em sacos plásticos em Cotia.

Elize foi presa no dia 5 de junho. O prazo da prisão é de 30 dias. Ela confessou ter matado o marido e está detida na Cadeia Pública de uma delegacia em Itapevi, também na Grande SP. Elize teria se queixado que sua cela na cadeia é menor do que a cama do quarto do apartamento de cobertura em que vivia com Marcos.

 

MORTE DA PROFESSORA RAYLUCIENE. UM CRIME (AINDA) SEM CASTIGO

um casal desfeito, mas até agora só quem pagou foi a vítima

Desde 25 de janeiro de 2009 que amigos e familiares da professora Rayluciene Castro Néry assassinada a tiros dentro de um quarto da sua casa próximo ao Hospital Pediátrico Manoel Novaes, em Itabuna, não dão trégua para a impunidade. De lá pra cá já foram realizados vários protestos, e no próximo dia 25 (sexta-feira) outra manifestação será realizada na Praça José Bastos, em frente ao Fórum Ruy Barbosa.

A data é proposital, pois haverá um júri também relacionado com a violência doméstica. Desta feita o julgamento será referente à morte da ex-secretária da Santa Casa de Misericórdia Eliane Almeida. No banco dos réus sentará o motorista Francisco Lins, assassino confesso preso desde 2011.

O principal suspeito de matar a professora em 2009 é o tecnólogo Everaldo Marques de Souza marido da vítima. Há dois anos, a polícia investigou e descobriu que antes de Rayluciene ser executada, apenas ele estava na casa do casal. Porém, no momento do assassinato ele havia saído minutos antes para comprar pão, inclusive, esse é o único álibi do acusado.

Segundo a família, a justiça ainda não decidiu em julgar o tecnólogo por falta de provas materiais. (do Agora na Rede)

POLICIA APURA LAVAGEM DE DINHEIRO NO SINDICATO DOS RODOVIÁRIOS DA BAHIA

A Polícia Civil abriu um segundo inquérito policial, como consequência do primeiro inquérito que elucidou a morte do sindicalista Paulo Colombiano e sua esposa Catarina Galindo, para investigar desvio e lavagem de dinheiro no Sindicato dos Rodoviários da Bahia.

Segundo o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, em análise de documentos já foram detectados diversas irregularidades que vão de empréstimos para diretores, da ordem de R$ 1,4 milhão, e que não foram devolvidos para o sindicato; pagamentos irregulares para gráfica e postos de combustíveis e propriedades em nomes de dirigentes da entidade ou seus  parentes que são indícios de lavagem do dinheiro desviado.

Para Maurício Barbosa “o crime está elucidado”. Quem puxou o gatilho, fazendo referência a dois motoqueiros que, segundo depoimento de Edilson Duarte de Araújo, um dos três executores do crime já presos, foram contratados para finalizar o crime, e outros desdobramentos, referindo-se aos crimes de desvio, lavagem de dinheiro e peculato, orquestrados por dirigentes sindicais, agora é uma questão de tempo serem também elucidados pela continuidade das investigações.

 

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
julho 2014
D S T Q Q S S
« jun    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031