hanna thame fisioterapia animal
livros do thame

Bom pro coração. Já para a nossa economia…

trocamos ouro por espelhinhos?

Vários estudos científicos têm revelado que comer chocolate pelo menos com moderação e com freqüência (duas vezes por semana é o ideal), reduz em um terço o risco de mortalidade cardiovascular quando a pessoa já sofreu ataque cardíaco. O estudo comparou os pacientes que consumiam com as que não consumiam o produto e concluiu que o chocolate está associado a uma redução da mortalidade cardíaca em pessoas que tenham sobrevivido a um infarto.

            São as inúmeras demonstrações dos benefícios do chocolate para a saúde desde que, é claro, não seja consumido em excesso.

            Mas, os poderes do chocolate não se limitam à questão da saúde.

            Trata-se de um produto cujo consumo não para de crescer e com um imenso potencial de exploração.

            Um produto para todos os gostos e todos os bolsos, com consumidores em todos os cantos do planeta, dos mais remotos rincões às mais desenvolvidas regiões.

Afinal, quem resiste ao chocolate?

            E onde é que nós, fincados nessa terra em que se cultiva 90% do cacau, a matéria prima indispensável à produção do cada vez mais valorizado e consumido chocolate, ficamos?

            Nós simplesmente não ficamos!

            Ou melhor, ficamos assistindo os outros ganharem dinheiro, enquanto nos conformamos em ser apenas fornecedores de matéria prima.

            Ficamos com as migalhas de um bolo generoso, como se a nossa região ainda vivesse nos tempos do Brasil Colônia.

            Sem qualquer depreciação a esses heróis da obstinação que são os produtores de cacau, somos um bando de botocudos trocando frutos que valem ouro por espelhinhos e outras bugigangas.

            Fazendo a festa e a fortuna dos que transformam nossas amêndoas em pó e depois multiplicam os lucros às dezenas.

A conta é simples: enquanto o mercado de cacau em amêndoas movimenta cerca de R$ 300 milhões/ano, o setor chocolateiro fatura R$ 4 bilhões/ano.

Existe chocolate de 2 reais e chocolate de 200 reais ou até mais.

O inacreditável é que, apesar da simplicidade e da obviedade da conta, ainda não adotamos uma política efetiva de industrialização de cacau, já que o que existem hoje são iniciativas isoladas, embora bem sucedidas e que podem servir de exemplo.

A proposta do Governo Federal,  de liberar recursos para a implantação de 20 fabricas de chocolate, gerenciadas por cooperativas ou associações de produtores, ainda é incipiente, diante do tamanho do potencial sul-baiano e da demanda existente.

Enquanto essa mudança de postura não ocorrer, endividados até o pescoço e ainda sem condições de superar a devastação provocada pela vassoura de bruxa, resta aos produtores de cacau comer muito chocolate.

 Pelo menos minimiza o risco de um enfarto.

            Mas que dá um aperto no coração dá: enquanto a gente se limita a produzir matéria prima, quem ganha dinheiro é quem produz chocolate.

            Pra eles, o chocolate não faz bem apenas ao coração, mas também para o bolso.

WAGNER LANÇA PACTO PELA VIDA

O Governo da Bahia lançou oficialmente na manhã desta segunda-feira (6), no Centro de Convenções, em Salvador, o programa Pacto Pela Vida. A nova política pública de segurança do governo baiano tem como objetivo principal a redução da violência e da criminalidade, com ênfase na diminuição dos crimes contra a vida. Para isso, diversos órgãos da administração estadual atuarão de forma transversal e integrada, de modo a levar às comunidades não só ações de segurança, como outros serviços públicos essenciais.

Construído em acordo com a sociedade, o programa manterá articulação permanente com o Poder Judiciário, o Ministério Público, a Denfensoria Pública, a Assembleia Legislativa, os municípios, a União, dentre outros. Participaram do evento o governador Jaques Wagner, os ministros Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário) e José Eduardo Cardozo (Justiça), os secretários estaduais Maurício Barbosa (Segurança), Robinson Almeida (Comunicação), Jorge Solla (Saúde), Osvaldo Barreto (Educação), a presidente do Tribunal de Justiça, Telma Brito, o presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Nilo, prefeitos baianos, entre outras autoridades.

a busca pela paz: compromisso de todos

Artistas como os cantores Durval Lelys, Tatau, Léo Santana e Margareth Menezes, o ator Jackson Costa, além de representantes de entidades religiosas também estiveram na solenidade.

Suar ou chorar?

Chega de choro. Que tal suar um pouco?

O diretor geral da Ceplac, Jay Wallace, deu o tom das comemorações do Dia Internacional do Cacau.

Em seu pronunciamento, ele disse que o produtor precisa parar com a “sindrome de coitadinho” e  de ficar buscando culpados pela crise.

“Temos é que somar esforços para sair da crise. A diferença entre a lágrima e o suor é que uma é fruto do choro e o outro é fruto de trabalho”.

Recado direto aos pessimistas, que gastam chorando o tempo em que poderiam estar suando para recuperar a lavoura do cacau.

ENFIM, UMA SÓ VOZ

A união não faz apenas açuçar, faz a força. (foto: Pedro Augusto)

A união de esforços tem sido a tônica de todos os discursos nas comemorações do Dia Internacional do Cacau. Ao contrário de anos anteriores, rusgas foram deixadas de fora e há um consenso de que só uma ampla mobilização de todos os segmentos da lavoura fará o PAC do Cacau cumprir seu papel na retomada do desenvolvimento regional.

Não é nada, não é nada, na verdade é muita coisa mesmo!

ACABA A GREVE NAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS

O Governo do Estado e os professores das universidades estaduais entraram em acordo com isso chega ao fim a greve que já durava dois meses, deixando cerca de 60 mil alunos sem aulas naUneb, Uefs, Uesc e Uesb. Uma reunião entre reitores, professores e o secretário de Relações Institucionais, Cézar Lisboa, acertou os termos do acordo. O governo recuou da proibição de novos aumentos salariais nos próximos quatro anos, a limitação ficará em vigor até 2012. e em troca, os professores tiveram o cronograma de incorporações da gratificação sobre condições especiais de trabalho (CET) – de 70% sobre o salário base – garantido apenas para os próximos dois anos. Antes, o governo oferecia a incorporação parcelada até 2014. Desta forma, 36% da CET será incorporada aos salários até outubro de 2013.

O fim da greve será referendado em assembléias nas universidades e a expectativa é de que as aulas recomecem no início desta semana.

 

PARECE SONHO, QUE SE TORNE REALIDADE

 

Como nos velhos tempos. Como nos novos tempos? 

 

Estão sendo realizadas neste momento as comemorações do Dia Internacional do Cacau. O evento acontece na sede regional da Ceplac e tem como tema Modernização da Gestão.

Presentes às comemorações o diretor geral da Ceplac, Jay Wallace, o deputado federal Geraldo Simões, os prefeitos de Ilhéus e Itabuna,  Newton Lima e Nilton Azevedo, o representante da Seagri Antonio Almeida Junior, o presidente da APC Henrique Almeida, o presidente da Amurc Moacir Leite, além de dirigentes de entidades ligadas ao cacau e produtores rurais.

O que mais chama a atenção está do lado de fora do auditório do Cepec, onde acontecem as atividades.

 Trata-se de um vistoso cacaueiro com  mais de 200 frutos, todos sadios e imunes à vassoura-de-bruxa. Um sinal inequívoco de que, com recursos disponíveis e técnicas adequadas de manejo, é possível, sim, transformar a recuperação da lavoura cacaueira uma realidade e não apenas um discurso bruxeleante.

JANTAR BENEFICENTE DA UNIJORGE

Formandus de Gastronomia da Unijorge Salvador promoveram jantar beneficente pra comemorar formatura.

Um belo exemplo de solidariedade. Veja o vídeo:

MENSAJERO DEL DIABLO

A partir deste final de semana, iniciaremos uma série de reminiscências sobre a nossa  militância (militância soa muito petista), digamos atuação  no  rádio em Osasco (SP), Itabuna (BA) e na TV Cabralia.

Essa aconteceu num carnaval que passou:

1981, Radio Difusora Oeste, Osasco. Nas emissoras do interior, a Equipe de Esportes é uma espécie de faz tudo. Cobre de eleição a velório. Carnaval, então, é quase uma obrigação.
E lá estávamos nós cobrindo o Carnaval, que em São Paulo é (ou era) nos clubes e não ao ar livre, como na Bahia.
Se já é um porre cobrir carnaval de rua, imagine-se nos clubes fechados, transmitindo aquela barulheira insuportável e entrevistando bêbados que não dizem nada com nada.

A transmissão começava as 10 da noite, parava as 11 e retornava meia-noite, avançando pela madrugada.
A parada de uma hora nada tinha a ver com descanso. Naquela época, as igrejas evangélicas já viam no rádio um excelente veículo para difundir a fé cristã e aumentar o rebanho. E aquele horário era comprado por uma dessas igrejas.

Ocorre que, não contente em divulgar a palavra de Deus, o pastor simplesmente esculhambava a cobertura do carnaval, que por acaso era feita na mesma emissora em que ele estava falando.
O mínimo que dizia no ar era que a gente atuava como mensageiros do diabo. E, ao final do programa, ainda sugeria que as pessoas desligassem o rádio.

Eram cinco noites de carnaval, cinco noites de cobertura.
Na terceira noite, deu um problema no equipamento e fui até a sede da emissora fazer a substituição. Eis que, ao me dirigir à sala da técnica, que ficava nos fundos do prédio, deparo com o tal pastor encostado no muro, fazendo uma oração, digamos, mais íntima com uma de suas fiéis. Quase a tradução literal do “crescei-vos e multiplicai-vos”.

Uma chance daquelas, caída dos céus (ops!) não era para ser desperdiçada. E eu não desperdicei:
-Pastor, se nós somos mensageiros do diabo o senhor é o que, devorador de ovelhas?
Nos dias seguintes, se não fez elogios à nossa equipe pela brilhante cobertura da maior festa popular do Brasil (radialista adora uma frase pomposa!), o pastor pelo menos nos deixou em paz.
E certamente passou a ter mais cuidado em suas pegações, perdão, pregações para as ovelhinhas dadivosas.

Estudantes promovem Festival Gastronômico em Itabuna

Delícias que aguçam o paladar, iguarias da cozinha brasileira que fazem bem à saúde. Quem quiser fazer tais descobertas pode se agendar para este sábado (4), quando será realizado o II Festival Gastronômico Sabores e Saberes, do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) em Biotecnologia e Saúde, em Itabuna. O evento, que será realizado das 17 às 22h, no Grapiúna Esporte Clube, próximo à rodoviária, será aberto ao público, que poderá provar alguns alimentos a serem comercializados no local.

Esta atividade é uma ação prevista nas matrizes curriculares dos cursos técnicos da Educação Profissional da Bahia. Nesta edição, a feira pretende resgatar um pouco da história da gastronomia do Amazonas, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, seja do ponto de vista cultural e socioeconômico, ou da importância da nutrição e dietética. Serão enfatizadas as técnicas adequadas para a preparação dos alimentos.

Vale a pena conferir e degustar!

MARCAS NO PLANETA, MARCAS NO SUL DA BAHIA

uma herança para nossos netos, bisnetos...

 

Que marcas você quer deixar no planeta? É com esse questionamento que a Semana do Meio Ambiente da Bahia Mineração (Bamin) pretende provocar uma ampla e profunda reflexão sobre preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. As atividades vão envolver todas as comunidades de influência do Projeto Pedra de Ferro, nas regiões de Ilhéus e Caetité, que participarão de cursos, palestras, exposições, concursos, mutirões de limpeza e plantio de árvores. As atividades da Semana do Meio Ambiente da Bamin vão de 3 a  15 de junho “É um momento para refletir sobre o presente e o futuro,  disseminando novas práticas, novos hábitos para proteger e recuperar a natureza. Para isto,  a educação ambiental é fundamental. Neste sentido, programamos cursos e exposições e outras atividades que vão colaborar na formação desta consciência em crianças e adultos”, explica o vice-presidente executivo da Bamin, Clovis Torres.

  A programação da Semana do Meio Ambiente da Bamin na região de Ilhéus já foi antecipada com o início dos cursos de capacitação de professores da rede pública com foco na educação ambiental e de formação de monitores mirins da Lagoa Encantada. Os projetos sociais e ambientais desenvolvidos há mais de dois anos pela Bamin poderão ser conhecidos no estande montado na Praça J.J. Seabra, onde acontecem ainda uma série de palestras, oficina, distribuição de material educativo e troca de garrafas PET por mudas de espécies da Mata Atlântica e frutíferas.

 As garrafas serão matéria prima para a confecção de vários objetos pelo  grupo Arte e Vida, da Ponta da Tulha, que transforma materiais recicláveis em arte. O grupo faz parte do Transformar, projeto desenvolvido pela Bamin em parceria com o Instituto Aliança, que une incentivo ao empreendedorismo local e geração de renda nas comunidades da zona norte da cidade. A Semana em Ilhéus terá ainda caminhada ecológica e apresentações teatrais nas localidades de Aritaguá, Sambaituba e Lagoa Encantada.

O FUTEBOL NO TUNEL DO TEMPO

esse não se compara

Santos e Penãrol farão a final da Libertadores 2011.

É como se o futebol entrasse no túnel do tempo, com um revival entre aquele Santos incomparável de Pelé contra o grande Peñarol de Pedro Rocha.

Um prato cheio para os saudosistas, que são de um tempo em que futebol era mais arte do que correria.

Pena que seja um prato feito para os cronistas esportivos da babação já começam a comparar Neymar a Pelé, dando outra dimensão à decisão da Libertadores.

Menos, companheirada, menos.

Neymar, mesmo sendo extra-classe, ainda nem pode ser comparado a Lionel Messi.

E Pelé, bem, Pelé é apenasmente incomparável

Wagner participa do lançamento do Programa Brasil sem Miséria

 

Wagner com Dilma: redução da miséria na Bahia

O Programa Brasil sem Miséria foi lançado na manhã desta quinta-feira (2), em Brasília, para retirar 16,2 milhões de pessoas da situação de extrema pobreza, a maioria na região Nordeste. Para isto, até dezembro de 2013, deverão ser incluídas mais 800 mil famílias no programa Bolsa Família. O governador Jaques Wagner esteve presente na solenidade realizada no Palácio do Planalto.

“Nós vamos atuar de forma diferente, usando programas diferentes para a cidade, para a área rural e para o campo. Através de cada um dos três pilares do programa, transferência de renda, inclusão produtiva e acesso aos serviços públicos, pretendemos melhorar a vida de 16 milhões de brasileiros, que ainda estão na pobreza extrema”, disse a presidente Dilma Rousseff.

Por meio do Brasil sem Miséria, o governo federal cria também o Programa Água para Todos, nos moldes do Luz para Todos. Outra estratégia anunciada pela ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, envolve a educação, a geração de ocupação e renda, a concessão de microcrédito a empreendedores individuais, a qualificação profissional e o incentivo à economia solidária.

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930