hanna thame fisioterapia animal
livros do thame

VIAGRA ELÉTRICO


O casal de velhinhos, já batendo na casa dos 80 anos, decide comemorar 60 anos de união visitando o local onde se conheceram.

Os dois estavam almoçando no mesmo restaurante daquela época, lembrando o início do romance, quando a velhinha se lembrou:
-Aqui perto tem uma cerca onde a gente fez amor pela primeira vez…

Num rompante, o velhinho propôs:
-Vamos fazer de novo, como daquela vez?

A velhinha topou e um guarda que ouvia a conversa na mesa ao lado foi atrás deles e se escondeu ao lado de uma árvore.

O casal chegou e foi logo tirando a roupa e quando o velhinho abraçou a velhinha e eles se encostaram na cerca, começaram a gemer, tremer, urrar até que minutos depois caíram, os olhos virados, peladões e exaustos, na grama.

O guarda, que nunca havia presenciado um sexo tão selvagem daquele jeito, não se conteve e perguntou:
-Quando jovens vocês faziam sexo assim?

E o velhinho:
-Nem tanto, naquele tempo a cerca não era eletrificada…

FARDÃO E CANA: NASCE A ALAMBIQUE.


Itabuna não tinha nenhuma Academia de Letras.

Aí ganhou uma: a AGRAL, Academia Grapiuna de Letras. Nem bem os primeiros literatos ascenderam à imortalidade, surgiu mais uma, a ALITA, Academia de Letras de Itabuna.
Como fardão onde cabem dois, também cabem três, está surgindo a Academia de Letras, Artes, Música, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopias, Etc.; a ALAMBIQUE.

Para ser imortal na novel academia, dois requisitos básicos: ter pelo menos rabiscado algumas garatujas em papel de pão e gostar de uma birita (cachaça, cerveja, uísque, vinho, uísque e quetais).

A Comissão Provisória da ALAMBIQUE é formada por este blogueiro (ora forçado a uma temporada de Liber), Marival Guedes, Walmir Rosário, Luiz Conceição, Domingos Matos e Juarez Vicente, que democraticamente nem foram consultados, mas já estão devidamente imortalizados.

Aliás, com tanto imortal em Itabuna vai ter funerária mudando de ramo pra não falir.

TOM RIBEIRO É BONDE SEM FREIO


O apresentador Tom Ribeiro, da TV Cabrália/Record News deu um show de criatividade nesta quinta-feira, ao abrir o programa Alerta Total montado numa carroça.

Foi uma brincadeira bem humorada com a torcida do Flamengo, depois que a carroça do Ceará tirou o bonde sem freio rubro-negro dos trilhos da Copa do Brasil.

Quem está disparando mesmo é o Tom Ribeiro, campeão de audiência em todo o Sul da Bahia com o Alerta Total.

JOGADA ENSAIADA

Batendo falta com essa “categoria”, esse argentino vai acabar sendo contratado
pelo Colo Colo para disputar a 2a. Divisão do Baianão em 2012.

Pontaria assim, nem os cobradores de penalti do Vasco tem.

ERA UMA VEZ UM FRUTO DE OURO


Um cacaueiro tão bonito com um fruto tão vistoso parece até peça de decoração.

E é peça de decoração mesmo.

Embora natural, o cacaueiro faz parte do paisagismo da área externa do Hotel Tarik Fontes.

Um fruto de ouro, que alguns, como o dono do hotel, o médico Eduardo Fontes, souberam colher e gerar novos empreendimentos.

E outros, apostando que o ouro seria eterno e infinito, nem tanto…

SOLLA TRAZ MAIS RECURSOS PARA SAÚDE DE ITABUNA

O secretário estadual da Saúde, Jorge Solla, estará nesta terça-feira (10/5) em Itabuna, onde assina o 2º termo aditivo para o Hospital de Base Luis Eduardo Magalhães. Este termo prevê a incorporação de cirurgias bariátricas (cinco ao mês), ampliação do financiamento para a realização de neurocirurgias, tomografias e mamografias e alocação de um recurso fixo de incentivo no valor de R$ 20 mil/mês para a unidade se caracterizar como de referência regional para a captação de órgãos e tecidos para transplante.
O secretário assina também convênios com a Santa Casa de Misericórdia, para os hospitais Manoel Novaes, Calixto Midlej Filho e São Lucas, no valor anual de R$ 7,4 milhões. No Manoel Novaes o convênio será para a realização de procedimentos clínicos e cirúrgicos, atendimento de urgência referenciada e não referenciada e serviço de apoio diagnóstico e terapêutico.
No Hospital São Lucas o contrato visa a execução de serviços complementares de saúde nas áreas ambulatorial e hospitalar. Já no Calixto Midlej serão executados serviços de alta complexidade Cardiovascular, Nefrologia, Neurocirurgia, Oncologia, retirada de órgãos e tecidos e cirurgia bariátrica.

O MUNDO FINGE QUE NÃO VÊ


O Relator Especial do Conselho de Direitos Humanos da ONU sobre os Territórios Palestinos, Richard Falk, emitiu um relatório ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, alertando para a gravidade da situação das crianças palestinas devido à ocupação israelense, afirmando que elas continuam sendo submetidas a ataques, abusos e prisões.

Falk observou que políticas como expansão dos assentamentos, demolição de casas e deslocamento forçado de famílias têm um grande impacto nas crianças palestinas, notando também que muitas delas têm sido presas, detidas e abusadas arbitrariamente. Ele disse também que as crianças palestinas continuam privadas do seu direito à educação, citando números que indicam uma carência de 40 mil salas de aula no início do ano escolar de 2010-2011, além das dificuldades em obter permissões para a construção de novas escolas.

O Relator Especial pediu à comunidade internacional que “não poupe esforços para convencer Israel a cumprir com suas obrigações” e suspender as atividades de assentamento ilegais e prolongadas, e que respeite o direito à autodeterminação do povo palestino. Ele afirmou ainda que os autores das violações contra as crianças palestinas devem ser responsabilizados.

DIVINA ESTUPIDEZ

(foto Pimenta na Muqueca)

E o velho prédio do Colégio Divina Providência veio mesmo abaixo, transformando em entulho uma parte significativa da história de Itabuna.

A rapidez e a maneira sombria com que se cometeu essa divina estupidez, com a demolição na calada da noite, faz supor que alguém recebeu uma divina graça e não foi necessariamente da Providência Divina.

Amém!

BARBAS DE MOLHO

Por uma causa social, um cachê de 500 mil reais, destinado a projetos do Instituto
Airton Senna na Bahia, o governador Jaques Wagner tirou a barba que cultivava há
mais de 34 anos.

O dinheiro servirá para capacitação destinado a jovens de escolas públicas nos bairros do Calabar e Alto das Pombas, periferia de Salvador.

Um choque de auto-estima

Durante décadas, Itabuna foi uma das cidades mais importantes da Bahia e chegou a ocupar o posto de terceira maior economia do Estado, superada apenas por Feira de Santana e por Salvador, a capital.

Sem ser necessariamente uma grande produtora de cacau, por conta de sua modesta extensão territorial, Itabuna converteu-se no pólo de comércio e prestação serviços de uma região com cerca de 100 municípios, impulsionados, todos eles, por um único (e à época altamente rentável) produto.

A cidade, vigorosa em sua economia, atraiu uma leva de empreendimentos que a modernizaram e lhe deram ares de metrópole.

Era a Capital do Cacau, como diziam seus moradores, rumo a seu futuro dourado.

A vassoura-de-bruxa, em duas décadas, interrompeu a marcha e reduziu o crescimento da cidade. Ainda assim, fruto do espírito empreendedor de sua gente, uma característica marcante, Itabuna ampliou o setor de serviços e viu nascer pólos de ensino superior e de saúde privada.

A crise, entretanto, revelou aquilo que os momentos de fartura mascaravam: os imensos problemas estruturais de uma cidade sem planejamento, que cresceu de forma desordenada e que não consegue atender demandas básicas de seus moradores, como saúde pública, educação, saneamento e inclusão social.

O preço de ser a “Capital do Cacau” (agora, entre aspas) foi altíssimo: milhares de pessoas, despejadas das propriedades rurais por conta da crise do cacau, migraram para Itabuna, formando grandes bolsões de miséria na periferia, gente quase sempre sem qualificação profissional e, por conta dessa mesma crise, sem mercado de trabalho.

Itabuna, ainda é uma grande cidade, mas estagnou-se. Foi superada, com folga, por Vitória da Conquista e, se não houver mudanças drásticas, corre o risco de, em menos de uma década, ser ultrapassada por Barreiras, Santo Antonio de Jesus, Eunápolis e Teixeira de Freitas, que vem ostentado saltos significativos em suas economias.

Quem visita Vitória da Conquista, Teixeira de Freitas e Santo Antonio de Jesus, encontra cidades que tem problemas sim, mas respiram desenvolvimento.

Parece simplório, mas o itabunense ao entrar nessas cidades, com acessos bem cuidados, ruas e avenidas limpas e prédios comerciais bem conservados, não consegue deixar de traçar um paralelo com Itabuna e seus acessos, seja os da BR 101, seja os da BR 415 tomados pelo mato e pela sujeira, com as ruas esburacadas logo nas entradas da cidade.

Para quem aprendeu a amar essa cidade, caso deste escriba, é de se lamentar ver Itabuna ficando para trás, como se alguma bruxa amarrasse os ponteiros do relógio do tempo e do progresso.

Lamentações? Bruxarias?

Nada disso! O que Itabuna precisa mesmo é de um choque de auto-estima, daqueles que envolvem o poder público e a sociedade organizada.

Que os governantes efetivamente governem, que nossas entidades representativas deixem de ser apenas bajuladoras do governante de plantão e que os itabunenses rompam esse comodismo que está fazendo a cidade perder espaço para outros municípios.

Sejamos condutores do destino da nossa cidade e não apenas passageiros de um bonde sem freio e, nessa longa estrada da vida, sem motorista.

A ARCA DE NOÉ BRASILEIRA


Esse texto quem me passou foi o Nérope Martinelli. Desconheço o autor, mas é a cara do Brasil.

Está aí a obra do Porto Sul, que não me deixa mentir.

Amém

-0-0-0-

Um dia, o Deus abriu uma janela entre as nuvens do céu, chamou Noé que morava no Brasil e ordenou-lhe:

– Antes de 21 de dezembro de 2011 farei chover ininterruptamente durante 40 dias e 40 noites, até que o Brasil seja coberto pelas águas. Os maus serão destruídos, mas quero salvar os justos e um casal de cada espécie animal. Vai e constrói uma arca de madeira. Você tem seis meses para fazer isso.

No tempo certo, os trovões deram o aviso e os relâmpagos cruzaram o céu.
Noé chorava, ajoelhado no quintal de sua casa, quando ouviu a voz do Senhor soar furiosa, entre as nuvens:
– Onde está a arca, Noé?
– Perdoe-me, Senhor suplicou o homem. Fiz o que pude, mas encontrei dificuldades imensas: primeiro tentei obter uma licença da Prefeitura,
mas para isto, além das altas taxas para obter o alvará, me pediram ainda uma contribuição para a campanha de eleição do prefeito.

Precisando de dinheiro, fui aos bancos e não consegui empréstimo, mesmo aceitando aquelas taxas de juros …

O Corpo de Bombeiros exigiu um sistema de prevenção de incêndio, mas consegui contornar, subornando um funcionário.

Começaram então os problemas com o IBAMA para a extração da madeira.
Eu disse que eram ordens SUAS, mas eles só queriam saber se eu tinha um “Projeto de Reflorestamento ” e um tal de “Plano de Manejo “.

Neste meio tempo eles descobriram também uns casais de
animais guardados em meu quintal. Além da pesada multa, o fiscal falou em “Prisão Inafiançável ” e eu acabei tendo que matar o fiscal, porque, para este crime, a lei é mais branda.

Quando resolvi começar a obra, na raça, apareceu o CREA e me multou porque eu não tinha um Engenheiro Naval responsável pela construção.

Depois apareceu o Sindicato exigindo que eu contratasse seus marceneiros com garantia de emprego por um ano.

Veio em seguida a Receita Federal, falando em ” sinais exteriores de riqueza ” e também me multou.

Finalmente, quando a Secretaria Municipal do Meio Ambiente pediu o ” Relatório de Impacto Ambiental ” sobre a zona a ser inundada, mostrei o mapa do Brasil.

Aí, quiseram me internar num Hospital Psiquiátrico!

Sorte que o INSS estava de greve…

Noé terminou o relato chorando, mas notando que o céu clareava perguntou:
– Senhor, então não irás mais destruir o Brasil?

– Não! – respondeu a Voz entre as nuvens

– Pelo que ouvi de ti, Noé, cheguei tarde!

URUBU DEPENADO

Depois que o Palmeiras levou 6×0 do Coritiba, teve mais.

Jogando no Rio, o Flamengo, campeão carioca, perdeu para o Ceará por 2×1 e agora tem que ganhar por dois gols de diferença no jogo de volta. De lambuja, o Mengo viu ruir uma invencibilidade de mais de vinte jogos.

Ta feia a coisa…

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
outubro 2017
D S T Q Q S S
« set    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031