hanna thame fisioterapia animal
universidade lasalle livros do thame

Viagem Solo

ana livia (3)Anna Lívia Ribeiro

Viajar sozinha nunca foi uma pretensão. Na verdade, comecei a fazê-lo por conta das contingências da vida. Confesso que no início foi difícil não ter alguém próximo para conversar, dar boas risadas, brindar uma taça de vinho ou ajudar a solucionar um perrengue. Mas, com o tempo, fui me descobrindo uma excelente companhia.

A ideia de viajar sozinha, para quem nunca passou pela experiência, pode parecer um pouco intimidadora a princípio. Muitas mulheres, ainda que tenham a vontade, deixam de viajar por receio do que possa acontecer devido ao fato de estarem sozinhas. A insegurança, o medo, a ansiedade e os questionamentos são alguns dos obstáculos que costumam aparecer. No entanto, fazer uma viagem solo não é uma “missão impossível”.

ana livia (2)Bom, o primeiro passo é sentir vontade. Mas, antes de você sair por aí atravessando o mundo sozinha, faça o seguinte: seja uma viajante na sua própria cidade. Caminhe, vá para algum ponto turístico da sua cidade e sinta-se uma verdadeira turista, tire fotos, converse com as pessoas, peça a outras pessoas para te ajudarem com as fotografias. Depois, vá a um restaurante e desfrute da sua própria companhia. Chegando em casa, avalie a experiência: como eu me senti? Achei agradável? Como foi solicitar auxílio de outras pessoas?

 

Caso as respostas não tenho sido satisfatórias, faça outros programas sozinha para ir ganhando confiança. Vá ao cinema ou quem sabe um fim de semana em uma cidade próxima à sua como uma maneira de começar a viajar sozinha.

ana livia (1)

É de praxe tomar todos os cuidados no dia a dia – não andar com celular na mão, bolsa aberta, não caminhar por lugares muito escuros e isolados… Em uma viagem solo não é diferente. Cuidado nunca é demais e mesmo eu, que viajo um bocadinho sozinha, não perco o foco no quesito segurança. Por exemplo, tenho pessoas próximas que seguem as minhas postagens (@viadestinoviagens) durante a viagem e estão avisadas que devem ir em busca de ajuda se eu parar de publicar; sempre escolho alguém que recebe todos os meus dados antes do embarque (passagens aéreas, hospedagens, roteiro da viagem); quando vou fazer algum passeio que considero mais aventureiro, deixo alguém ciente para alguma necessidade de me localizar em caso de emergência; pesquiso sobre o destino e a cultura local. Esses são alguns detalhes que ajudam a ter mais confiança e evitar problemas.

 

Então, ouso dizer que, havendo disposição e vontade, não há grandes motivos para se ter receio de enfrentar uma jornada sozinha por esse mundão (viajar sozinha não é um viajar solitário). O que me incomoda é ser abordada por homens poucos respeitosos.

 

ana livia (4)Mas vai, se joga. A sua própria companhia vale a pena. Por que esperar por outras pessoas para realizar seus próprios desejos? Acredite, você não estará sozinha! Muitas mulheres, assim como eu, estão trilhando novos rumos em viagem solo.

 

Viajar sozinha é um grande aprendizado e um desafio muito libertador. É praticar a autonomia de ser mulher e descobrir que você pode ser mais confiante do que imagina. Poderá fazer tudo o que tem vontade, na hora que quiser, demorar o quanto for necessário, estender a viagem; se tornará mais independente; fará amizades e poderá, de quebra, encontrar um grande amor!

Anna Lívia Ribeiro é ilheuense, Mãe, Avó, Pedagoga, Especialista em Educação Infantil, Mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente, Graduanda em Gestão em Turismo, Agente de Viagens.

 

Imprimir Imprimir | Enviar Enviar

Dê seu voto:

One Response to “Viagem Solo”

  • Maria De Fátima Santos Bacelar disse:

    Amei! Um incentivo as mulheres , de se descobrirem e terem mais aut confiança. Parabéns!

Leave a Reply

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
maio 2022
D S T Q Q S S
« abr   jun »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031