hanna thame fisioterapia animal
universidade lasalle livros do thame

A posse de Efson Lima na Academia de Letras de Ilhéus

BT EfsonJane Hilda Badaró

Em noite de 22 de abril de 2022, a nossa Academia de Letras de Ilhéus esteve iluminada, ainda mais, com a posse do confrade Efson Lima. Narrou-se, naquela oportunidade, uma história de transbordar emoções, de fazer aguar muitos olhos, inclusive os meus. Uma história de superação e vitória, digna de aplausos.
Contou-se que uma família humilde, de trabalhadores das roças de cacau – composta por sr. Daniel, d. Maria Geni e seus 9 filhos – morava em uma casinha de taipá, na zona rural de Itapé, na Bahia. Que, movida pela necessidade de novas perspectivas, a família deixou a roça, seus roçados, e a única vida que conheciam, para aventurar num mundo novo, numa cidade, numa zona urbana, em busca de melhores condições de sobrevivência. Juntos, colocaram os poucos pertences que tinham – entre eles o amado cachorrinho Gazo – em cima de um caminhão, subiram na boléia, e vieram para Ilhéus.
Daqui nada conheciam, e a luta foi árdua. Moraram em vários endereços, tantas quantos os parcos recursos financeiros iam permitindo. Os esforços foram grandes, mas, sempre havia honradez, dignidade e esperança.
Pois bem, nesta noite de abril do ano de dois mil e vinte e dois, noite iluminada de alegria, a família viu chegar um dos seus filhos na Casa de Abel: Efson Lima – que aprendeu a ler por si só, com a determinação e a curiosidade de menino inteligente, – cresceu, estudou, aproveitou oportunidades, cativou pessoas e espaços distribuindo a simpatia que lhe é nata, tornou-se doutor e professor em Direito, articulista, cultor da arte e cultura, e assim, brilhantemente pavimentou seu caminho…

Chegou neste sodalício, nesta confraria, nesta casa por onde passou e passam tantas inteligências de reconhecimento local, regional, nacional… chegou onde pretendeu chegar, por que assim fez por merecer. Faz por merecer.
D. Maria Geni, que há poucos meses fez a passagem para outro plano, esteve presente todo o tempo, porque esta história de glória é muito dela também. Sr. Daniel e todos os seus filhos estavam ali.
efson imortal
A representação dos capicongos e dos habitantes dos morros ilheenses, enfim, chegou na Academia de Letras de Ilhéus. Emoção não faltou quando das belas palavras do agora confrade Efson Lima e da oração de saudação proferida com muita sensibilidade pela confreira Maria Luiza Heine. Casa cheia, lotada!
Representatividades diversas. Familia numerosa, professor Antonio Sá da UFBA – orientador de Efson no Doutorado em Direito, prof. Alderacy docente de Efson no cursinho preparatório para o vestibular à epoca oferecido gratuitamente pela UESC, ex-vereadora Marlucia Paixão, Superintendente estadual de Economia Solidária Milton Barbosa, presidente do Lions Clube Ilheus Norte Lucimar Bitar, Eliene Hygino , guardiã da ALI, alguns municípios vizinhos se fizeram presentes, vereador Cláudio Magalhães de Ilhéus e da Vereadora Wilmaci Oliveira de Itabuna, representação da OAB com dra. Vanessa Gerson e seu dr.Fred, Secretária de Cultura de Itajuipe Silmara Oliveira, Secretário Municipal de Itacaré, Membro da Academia de Itabuna, escritor e ex-prefeito de Itororó Adroaldo Almeida, poetas, artistas, militantes da cultura grapiúna, integrantes do coletivo FLISBA (Festival Literário Sul Baiano) enfim, uma lista grande de pessoas e instituições por ele cativadas.
Estavam presentes os acadêmicos Pawlo Cidade, Jane Hilda, Aleilton Fonseca também na representação da Academia de Letras da Bahia, Ramayana Vargens, Antonio Lopes, Josevandro Nascimento, Antonio Carlos Hygino, Luh Oliveira, André Rosa, Maria Luiza Heine, Anarleide Menezes, Gerson dos Anjos, Fabrício Brandão.
Fotógrafos com seus cliks, e um saboroso coquetel assinado por Alana Maron. Sim. Uma noite memorável! Emocionante! Que seja bem vindo o confrade Efson. Que seja muito bem vindo! Arregaça as mangas, nobre amigo, pois na missão de servir à pátria cultuando a literatura, a cultura e as artes, a Academia de Letras tem muito trabalho, e a nós, acadêmicos, cabe o dever de fazer acontecer.
Um salve para Yolando Souza, Mestre de Cerimônia. Amigo da ALI. Pessoa do mais fino trato. Mui gratos!
E viva a Academia de Letras de Ilhéus, que seus 63 anos de existência se prolonguem para a imortalidade…sempre lembrada por muitas e muitas gerações!
Imprimir Imprimir | Enviar Enviar

Dê seu voto:

Leave a Reply

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
abril 2022
D S T Q Q S S
« mar   mai »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930