hanna thame fisioterapia animal
universidade lasalle livros do thame

Archive for novembro 20th, 2021

Ilhéus: História e Pertencimento

livia (2)Anna Lívia Ribeiro

 

 

foto Anna LiviaCom esse tema, realizamos o Tour Pedagógico pelo Centro Histórico de Ilhéus com os estudantes do Ensino Médio do Colégio Modelo Luis Eduardo Magalhães.

 

Uma das funções da escola é contribuir para a formação de cidadãos críticos capazes de atuar na sociedade em que vivem, de participar da construção e reconstrução da cidade porque todos os acontecimentos ocorrem em uma dimensão espacial e esse espaço é resultado das ações humanas, podendo ser analisado a partir de várias dimensões da realidade: histórica, cultural, econômica, política, demográfica e socioambiental.

livia (3)

A escola é o universo propício para estimular as pessoas a se apropriarem de todos os lugares, histórias, objetos, monumentos, tradições, saberes e fazeres herdados e produzidos pelos grupos que as constituem. O que começa como espaço indiferenciado transforma-se em lugar à medida que o conhecemos melhor e o dotamos de valor.

 

O conhecimento por parte das comunidades e dos indivíduos do seu patrimônio, da história e da cultura dos locais onde vivem é significativo para o processo de preservação dos bens culturais e também para fortalecer os sentimentos de identidade, que os façam se sentirem sujeitos ativos da história.

livia (4)

Conhecer e ocupar os lugares da cidade gera pertencimento uma vez que o conceito de lugar está relacionado à nossa identidade, com o qual criamos vínculos e demonstramos o quanto esse lugar é importante para nós. Conhecer, estudar o lugar onde nascemos e vivemos significa compreender as relações que ali acontecem, o lugar como espaço vivido e construído ao longo do dia a dia pelos indivíduos e por seus interesses.

 

Estudar a história da nossa cidade contribui para a manutenção da memória do lugar, significa resgatar e preservar a tradição daqueles que ajudaram na sua construção. É uma oportunidade, única, de compreender a nossa própria identidade.

Consta na Lei Orgânica do Município, no artigo 220 a determinação de ser incluído no currículo escolar da rede municipal de ensino, matéria que verse sobre a História do Município de Ilhéus proposta em 1995 pelo então vereador Nizan Lima. Infelizmente poucas são as escolas que atendem a essa determinação.

livia (1)

Parabenizo a diretora do colégio Rosana Barbosa e as professoras e professores da Área de Humanas Mara Setubal, Zulmara Teles, Joelson Catarino e Adailton Morais assim como a coordenadora pedagógica Ana Paiva por proporcionarem aos seus alunos essa oportunidade de construção do conhecimento para além dos muros da escola.

Ilhéus é, a cada esquina, uma aula de História, Geografia, Filosofia, Português…

Ilhéus é transversalidade. A riqueza cultural salta aos olhos e inunda todos os saberes e sentidos.

 

Seja turista em sua própria cidade!

 

——

 

Anna Lívia Ribeiro é ilheense, Mãe, Avó, Pedagoga, Especialista em Educação Infantil, Mestra em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente, Graduanda em Gestão de Turismo, Agente de Viagens.

 

A estreita ligação da Arte com o Autismo

 

A arte para o autista pode se tornar uma forma de comunicação única ou, a mais importante, criando assim uma ferramenta para ajudar o autista a relacionar-se com suas emoções.

 

O processo criativo é despertado para através da arte, reforça o bem estar físico, mental e emocional de pessoas outrora presas em seu “eu”.

Uma das características da perturbação do autismo é a dificuldade com a comunicação verbal e social. Em certos casos, eles são não verbais, incapazes de usar a fala para se comunicar, noutros casos, tem dificuldade em processar a linguagem e a transformar numa simples conversa. o autista pode também ter dificuldade em distinguir uma piada de um discurso ou sarcasmo da sinceridade.

Porém eles têm uma capacidade extraordinária de pensar visualmente “em fotografias”, transformando essa capacidade em informações visuais na expressão de idéias através de desenhos ou outros meios artísticos. Eis a porta aberta para a comunicação do autista – A ARTE

Sobram argumentos de o quanto a Arte representa uma ferramenta de grande importância na vida do indivíduo autista. Mas prefiro apresentar alguns exemplos de vidas que tem sido transformadas pela arte.

 

Apresento aqui o artista VICTOR LIMA,

Autista 17 anos, começou seus primeiros contatos com as artes em seus primeiros anos de vida com as massinhas de modelar na escola. Atualmente Victor cria suas esculturas com muita dedicação e amor. Diz que sua arte é sua maior terapia.

Algumas de suas esculturas:

 

_ Mãe, por que algumas pessoas não tão nem aí para as artes?  Porque não        valorizam mãe? As pessoas precisam entender que o artista dá sua vida nas horas das criações !

(VICTOR LIMA)

 

KADNEY REIS

10 anos, autista, embarcou no universo das artes aos 3 anos de idade, ferramenta utilizada para que ele ficasse mais calmo e tranquilo, e tem sido uma terapia até hoje.

 

NATHANAEL SANCHES

Autista moderado, em suas criações usa a técnica de Arte Digital, uma arte desenvolvida através de programas digitais, fazendo uso do ambiente gráfico computacional

 

RÔMULO REIS

Autista, 09 anos é atraído por tudo que tem relação com o sonic. Sua arte consiste em Drawing, Rômulo é um contador de histórias pois todos os seus drawing são criados com sequências  criando histórias.

 

 

HENRIQUE FIGUEIRA

12 anos, Autista hiperativo, está em evidência no universo das Artes Plásticas no Amazonas ama pintar, fazer teatro, drawing, órfão de pai, filho único. 

 

 

Essa é apenas uma pequena apresentação da capacidade desse pequeno time representante de Artistas Autistas. Existe uma militância que trabalha de forma incansável para promover a Arte dessas grandes vidas que extrai o belo e a alegria dentro de si, explora o inexplorável para que a comunicação aconteça. Vidas talentosas, inteligentes e criativas que merecem nossos aplausos em pé. Nessa matéria, aprendi com uma ativista que promover o trabalho e o autismo não é uma forma de exclusão, pelo contrário, é mostrar são capazes e não são diferentes, são únicos!

Apoiem, compartilhem e comentem, uma forma carinhosa de apoio à Arte e ao Grupo de Artistas Autistas.

lu hw

Cartas para Ângela, de Juraci Dórea

juraci dorea_vfOscar D’Ambrosio

oscar 2A relação entre artista, obra criada, sistema institucional que avaliza e público é muito complexa. “Cartas para Ângela 1 e 2”, de Juraci Dórea (Feira de Santana, BA, 1944), trata dessas questões de uma maneira muito pessoal. São trabalhos de 1989, com carvão e PVA (acetato de polivinila) sobre tela que mesclam muitas referências.

Algumas dizem respeito ao processo criativo, em uma esfera mais conceitual, e outras são de caráter pessoal. A aparência remete a cartas de viajantes e existe ironia em relação a comissões julgadoras de arte, já que o próprio criador, em suas instalações do consagrado Projeto Terra, percebeu que era mais fácil fazê-las no sertão do que com apoio institucional.

Verificamos que as missivas, que impactam por seu tamanho desmedido (2,20 x 1,60 m) perante uma carta tradicional, são destinadas a uma certa Ângela. O nome desperta múltiplos simbolismos, pois provém do grego “Ággellos”, que significa mensageiro, e do latim “Angelus”, que quer dizer “anjo”.

A carta, que é uma mensagem, portanto, tem como destinatário um anjo. O tema envolve “engenho e arte” e comparações entre a Nona Sinfonia de Beethoven e o coaxar de sapos. O tom coloquial se mistura a míticos nomes da arte, como Duchamp e Picasso , considerados mortos em uma narrativa que encanta pela mescla entre a densidade e a leveza.

A dor e as feridas

Cleide Léria Rodrigues

 

cleide leriaQuando uma pessoa carrega uma Dor, existe dentro dela uma ferida. E tudo que esbarra nessa ferida será rejeitado por proteção.

Exemplo :  Talvez você possa conhecer uma pessoa que já passou  por situações de alcoolismo na família e sofreu com isso. Esta pessoa vai repudiar todas as outras que bebem , não por conta da pessoa em si , mas pelo comportamento de alguém que está bebendo , seja esta pessoa quem for , pode ser um familiar , namorado ou seu amigo .

As vezes criamos sentimentos que nos ferem por confusão. É preciso ficar bem atento ao que nos move, a sensação que vem do nosso coração é a origem para termos lucidez sobre o que a vida nos apresenta.

Você já sentiu rejeitado em algum momento da sua vida?

Você sabia ? Que rejeição, é ego ferido e percepção equivocada?

Quando nos sentimos rejeitados é porque nosso ego foi ferido , ou por uma percepção errada da realidade ou porque dentro de nós existe a rejeição e quando temos esses sentimentos isso causa Dor , insegurança, tristeza, medo , deixamos de expressar nossos sentimentos por vergonha e o medo do julgamento.

Mas há muitas coisas que não se manifestam em nossa vida porque não é para ser … E ponto. Talvez porque não faça parte do nosso projeto de vida , ou dos nossos sonhos , e insistimos em continuar vitimizados , julgando que fomos rejeitados .Mas na verdade não era para ser !

Vou citar um exemplo que já aconteceu comigo e talvez já tenha acontecido com você também, então vamos fazer essa reflexão:

Muitas vezes queremos algo como a amizade de alguém, mas essa pessoa não tem afinidade com a gente e não quer ser nosso amiga(o) , ou namorada(o) – porque não era para ser da gente, simplesmente assim e, tudo bem, mas nós sentimos rejeitados pela pessoa.

As vezes aquele namorado(a) não faz parte do nosso propósito de vida, e queremos insistir em algo que não é para ser nosso e sofremos sem saber que a pessoa se afastou  e pronto . Aí vem aquela sensação de julgamentos de rejeição de inferioridade de abandono de ser incapaz. Quando na verdade é só porque não era para ser mesmo namoro é sim só amizade.

Existe outras situações que acontecem muito : como exemplo:

Filhos que sente-se rejeitados pelos pais em algum momento, mas na verdade foi só uma percepção distorcida da realidade.

Mas uma das piores rejeições vem de dentro , após um trauma de uma crença ou porque não nos aceitamos .

Muitas vezes rejeitamos a nós mesmos e nos abandonamos . Esta é a rejeição mais profunda , que traz um sofrimento profundo e difícil de ser detectada e percebida.

E tudo que está dentro de nós será refletido fora ;

Então quando sentimos a rejeição, é necessário olhar para dentro de si , fazer um trabalho de autoconhecimento, autocuidado .

Se for preciso buscar fazer uma psicoterapia , o profissional psicólogo vai te orientar nessa caminhada, vai te acolher  , o psicólogo vai te guiar com o tratamento adequado com técnicas científicas e assim você vai se descobrir e se aceitar vai ter saúde emocional e qualidade de vida ser leve e feliz.

Um grande abraço!

Cleide Léria Rodrigues Psicóloga Clínica  – CRP03 18383.

Contato (73)988182419.

Itabuna Bahia Brasil .

 

 

Vídeo publicitário do Governo da Bahia vence Prêmio Profissionais do Ano da Rede Globo

O vídeo “Naquela Mesa”, que faz parte de uma das campanhas publicitárias do Governo do Estado da Bahia para conscientizar sobre os fortes efeitos da pandemia do Covid-19, é um dos vencedores do 43° Prêmio Profissionais do Ano, organizado pela Rede Globo e considerado por muitos o maior prêmio da propaganda brasileira. A divulgação dos vencedores aconteceu nesta sexta-feira (19) e consagrou o vídeo baiano na categoria nacional “Valor Social”.

“É uma conquista grandiosa não só para o Governo da Bahia, mas para nosso estado. Esta é uma das maiores premiacões deste segmento em todo o país e, além de reconhecer a qualidade do trabalho que temos desenvolvido na comunicação, mostra mais uma vez a sensibilidade e responsabilidade com a qual este tema tem sido tratado pelo governador Rui Costa e pelo governo como um todo”, comentou André Curvello, titular da Secretaria de Comunicação Social do Estado, que assina a campanha.

Diretor de criação na Agência Morya, responsável pela produção do vídeo, Bruno Cartaxo destaca o cuidado da equipe no processo criativo. “O desafio era criar um filme para o Governo da Bahia com a temática de prevenção à Covid19 no período da Páscoa,quando as famílias sempre se reúnem para celebrar a data. O tema já tinha sido abordado de diversas maneiras e buscamos uma solução diferente, que saísse do lugar comum, impactasse e chamasse atenção das pessoas”, disse o diretor, ao comentar a conquista disputada por agências de publicidade de todo o país.

Read the rest of this entry »

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
novembro 2021
D S T Q Q S S
« out   dez »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930