hanna thame fisioterapia animal
festival chocolate bahiagas universidade lasalle coronavirus 155 livros do thame

“Na Bahia perdemos muito tempo desmentindo Fake News”, diz secretário de Comunicação

andre cMauricio Leiro, do site Bahia Notícias- O secretário de Comunicação da Bahia, André Curvello, reclama que o estado perde muito tempo para “desmentir fake news” durante a pandemia do novo coronavírus. “Tem o desgaste físico e emocional. Antes mesmo da pandemia. Com a pandemia isso ficou mais grave”, criticou.

“É um vírus a fake. A mentira é absurdamente perversa. Na pandemia, o poder público tem a responsabilidade de informar. Quando você enfrenta uma tempestade de mentiras isso se torna mais grave. É um exército e uma guerra que não tem fim. É um exército poderoso sem o compromisso com a sociedade. São pessoas sem ética”, disse ao Bahia Notícias.

Curvello acredita que existam dois fatores que influenciam nas notícias falsas. “O Brasil é um dos países do mundo que mais utiliza o celular e o WhatsApp. Tem pesquisas que apontam que 62% da população não se preocupa com a verdade do conteúdo. Fica muito difícil”, explicou.

Outro aspecto teria vínculo com o governo federal. “Tem características culturais que ascenderam na Europa. É um movimento do mundo. A extrema direita está bastante ativa. Se tenta descredibilizar as instituições democráticas, os políticos. Começam a atacar os poderes e o objetivo é criar o clima de caos e escolherem figuras para levantar novamente a sociedade. O clima chegou ao Brasil”, disse.

O secretário aponta que na Bahia o fenômeno é igual e existe uma disputa ideológica que permeia o Brasil e o estado. “Tive uma reunião com os secretários de Comunicação do Nordeste. Os atos são iguais. Em todos os estados. Encaminhamos para a Comissão de Fake News. Com o agravamento da pandemia eles voltam atacar”, disse.

“São os mesmos métodos no Brasil inteiro. São relatos iguais. É um nível de energia que a gente gasta muito forte. Não temos ferramentas de controle. Hoje não tem mais que se esconder. Eles mostram a cara. Isso, quando você se mostra, ganha mais credibilidade. Enfrentamos a pandemia e o vírus da notícia”, acrescentou.

Curvello comentou que a situação da pandemia é dramática e que as pessoas têm levado como se fosse o “um jogo de Bahia e Vitória”. “São oportunistas irresponsáveis. Negar a vacina, negar o vírus e a doença estimula pessoas a negarem. Quando falamos do toque de recolher, eles começam a colocar o caos. O exército tem soldados em todas as classes sociais. Eles não se preocupam com o drama da falta de leitos. Na ideia que eles tem. Isso gera o colapso social”, completou.

 

 

Imprimir Imprimir | Enviar Enviar

Dê seu voto:

Leave a Reply

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
março 2021
D S T Q Q S S
« fev   abr »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031