hanna thame fisioterapia animal
coronavirus 155 livros do thame

pets

Lançamento de livros, escritores e muita literatura no Sul da Bahia

efs 4Efson Lima

Poderíamos dizer que a bruxa está solta. Dessa vez não é a que colocou fim a cacauicultura sul-baiana, mas a que estimula e apresenta novos traçados criativos, especialmente, o literário. Nos últimos dias, mesmo diante da pandemia, a força criativa dos escritores do sul da Bahia tem nos brindado com publicações de livros, inclusive, ampliando o rol de escritores; o mapa de escritores do sul da Bahia vai crescendo, alcançando outras cidades menores e diversificando sua composição. Os seguintes escritores publicaram ou vão publicar livros: Luh Oliveira, Ruy Póvoas, Aurora Souza, Pawlo Cidade, Roger Ferreira e Sheilla Shew. Alguns deles já consagrados com diversas obras e aceitabilidade do público e outras aceitando o desafio de se colocarem no espectro da crítica e dos leitores. Os dois grupos merecem nossa admiração. Eles vão ficando nossa identidade. Afinal, felicidade da nação que possui escritores. A nação grapiúna tem.

 

ef 1
Temos tido também diversas lives com escritores da região. São momentos que se revelam verdadeiros cafés culturais. Os participantes refletem seus processos criativos, mas colocam na ordem do dia às questões do contexto cultural, o acesso à educação de qualidade e à leitura. Leitura de mundo tão necessária para nos tirar da vala comum em que o País se meteu.
ef 3

Não é novidade que o sul da Bahia tem uma força criadora enorme. Não temos dúvida de nossos escritores consagrados. Temos escritores que receberam a premiação do Jabuti, cuja premiação é a mais importante do setor literário brasileiro. Temos editoras na região que estimulam o fazer literário, a publicação científica… São articulações necessárias para manterem acessa a chama da literatura. Há um mês pessoas se juntaram e colocaram literalmente no ar o FLISBA – Festival Literário Sul-Bahia.

ef 2
Recentemente, a Academia de Letras de Ilhéus prometeu realizar o FLIOS – Festival Literário de Ilhéus, virtualmente. As lives promovidas por Luh Oliveira e Tácio Dê são outras estratégias necessárias para a promoção da literatura, da leitura e da cultura como um todo.

efson

As lives realizadas no perfil Tertúlias no Instagram com horário nada convencional (horários quebrados) é uma experiência de seu criador, que se torna despertadora e provocadora das coisas retilíneas. Afinal, a circunferência nos é necessária, assim como as curvas da estrada de Santos (Não é Roberto Carlos?) ou as cortadas do Rio Cachoeira para vencer os obstáculos e alcançar Ilhéus e fazer uma linda Baia do Pontal. Todas elas são práticas exitosas. Seria ingratidão da minha parte não registrar a experiência do Slam Sul Bahia liderada por Magnus Viera e a live via o perfil do Flisba para comemorar o dia da Poesia. A comemoração foi com poetas, cuja matriz da gramática foi aperfeiçoada para contemplar a diversidade da periferia, do protesto e da crítica social. A diversidade é que nos oferece um sul Bahia rico e propulsor de tanta mente brilhante, agora, mais aberto e plural. Como é a vida.

 

Todas essas iniciativas são importantíssimas para que a cultura não seja algo distante dos seus fazedores e de seus apreciadores. Afinal, seria uma trágica contradição. Interessante perceber que esses construtores, idealizadores não estão só fazendo análises de conjecturas, eles estão concretizando ações que permitem nos levar para uma outra margem mais segura e acalentadora. Não nos resta dúvida que o presente está difícil, mais o futuro pode ser ainda pior ou pode ser melhor. O futuro depende também de nós e para essas pessoas que estão fazer o objetivo é que seja melhor. Elas estão “arregaçando as mangas” e demarcando um território literário. Falar, escrever são formas de apresentar saber. E saber é poder. Não nos podemos nos incomodar quando muitos falam. Afinal, o povo detém o poder. Seria uma contradição não aceitar os novos escritores, os novos e poetas e os novos fazeres. A fala é do lugar geográfico, do estar – ser no mundo.
É com essa força da escrita, que ganhamos novos livros nos últimos dias e outros que serão publicados na sequência. Vamos ler juntos esses livros. A escritora Luh Oliveira, consagrada pela força da escrita e pelos seus pares escritores e intelectuais, lançou em 09 de outubro o seu mais novo livro “Feito Cão e Gato” pela Editora Penalux. O livro é ilustrado e é voltado para o público infantil, que bom, pois, ele alcança todos nós. Antes que me esqueça a escritora é rodeada de bichos – gatos. Foi um lançamento com a presença de causos infantis. O livro pode ser adquirido pelo site: https://www.editorapenalux.com.br/loja/luh-oliveira
O professor Ruy Póvoas é mais que um escritor, é uma entidade do Sul da Bahia que reúne os melhores predicados. É mestre de todos nós nos últimos cinquenta anos. Sábio pelas vivências e pela aplicação cultural a que se propôs, tornando-o imortal. Ler as obras de Rui Póvoas é um banho em um rio de experimentações culturais. Não à toa, que no seu lançamento virtual de seus dois livros, por meio do canal da Academia de Letras de Itabuna (ALITA), que também representou o lançamento do canal da ALITA no Youtube. Mais de uma centena de pessoas compareceram para saudar o escritor. A presidente da ALITA , Silmara Oliveira, com sua voz marcante deu o tom do lançamento e nos guiou pelas obras: “A sombra no Espelho – o secreto arquivo de enigmas” e “Oratório – santuário de Antanho”, este último na segunda edição. O escritor Ruy Póvoas que é um contador fabuloso de causos nos aprofundava na obra e exigia, indiretamente, a leitura dos livros. Vamos nós fazer a leitura. Afinal, não existe melhor marketing que ingressar na mente humana povoando boas mensagens. Os livros podem ser adquiridos diretamente com o escritor pelas redes sociais.

 

A escritora Aurora Souza, de Coaraci, está publicando seu quarto livro, que recebeu o título “ Em busca de mim”. Esse seu livro recebe o selo da Cogito Editora, de Salvador. O livro chega grande. A professora Aurora é experimentada, ela faz da literatura a força de traduzir os sentimentos, narra os desafios da vida e nos capitaneia para perseguir os destinos do dia a dia. A obra recebe o prefácio de Hussiane Amaral, cuja breve leitura feita por Ivan Almeida, na live, deixou o livro mais apetitoso e mais caro. não corra leitor, você é responsável pelo sucesso dos nossos escritores. Você que oferece vida as obras publicadas. Você é o juiz e o mais fiel intérprete de uma obra. A sua sentença é mais esperada de um escritor. O lançamento foi carregado de muito afeto dos presentes. Certamente refletiu o conteúdo do livro.

 

Em 7 de novembro será a vez do lançamento do livro “ Poeta de nada” de Roger Ferreira, em Itacaré, precisamente, no distrito de Taboquinhas. Certamente, será um dia de glória para um jovem negro e do interior, do interior da Bahia. O livro vem com a força das redes sociais, vem com a potência de quem faz do meio ambiente o seu habitat mais que natural ao respeita o bem viver. Vem da competência de quem faz dos perrengues da vida asas para voar, daquele que transforma os murmúrios (necessários) em motivos para questionar a ordem e requerer a plena cidadania do povo negro. Não é qualquer lançamento é sem dúvida um livro que requer nossa atenção. Compete-nos dar asas aos jovens escritores, pois, deles brotam as esperanças que por vezes nos faltam durante o dia e recorremos aos descansos da noite para socorrer nos no dia seguinte. De Itabuna partirá uma caravana composta por Tácio Dê, Sheilla Shew e Walmir do Carmo. Mais que um lançamento de livro será um show. Eu fico daqui imaginando como Adonias Filhos não está feliz, pois, só estamos confirmando a profecia dele, que segundo ele além de cacau o sul da Bahia tem escritores como frutos.

 

Por fim, mas não é o fim, temos a poeta Sheilla Shew, de Buerarema, que está radicada em Itabuna. Ela vai publicar em breve seu primeiro livro: “Estado de Poesia”, que já está entrando em processo de editoração. O livro recebeu prefácio de Luh Oliveira e apresentação de Marcelo Ganem. A obra passou por um longo processos criativo, reúne textos da adolescência e da fase adulta da autor. Os poemas refletem sobre as vivências da escritora e os desafios prospectados. Afinal, a poesia é veia aberta.

 

 

O escritor Pawlo Cidade, com tantas habilidades, postou fotos em suas redes sociais do seu mais novo filho caçula e que, em breve, presencialmente, lançará o livro” Rio das Almas” pela Editora Chiado. O lançamento será nos próximos quinze dias. Que venham mais livros. É potência. Potência é força criativa. É a capacidade de questionar o velho conservador e acrescentar o novo. Não estou a falar de substituição, mas de possibilitar que o novo surja. A convivência do velho conservador e o novo nos possibilitam uma excelente simbiose.

Vamos saborear mais de 300 páginas do Rio das Almas. Para o autor, “Uns dirão que Rio das Almas é uma história de pecados; outros, que se trata de uma alegoria da morte. Para mim, que a escrevi, é a vida de um velho apaixonado e seu inimigo desequilibrado; de uma Maria que virou bicho, de muitas Marias de muitos segredos, e de um excomungado. É uma história de mil contos, três assombrações e um monstro. É uma absurda história de uns santos Demônios e de uns demônios Santos.” O livro está à venda pelo site:

https://www.travessa.com.br/rio-das-almas-1-ed-2020/artigo/681c835e-5a09-4bc3-866f-f68171026178
Sabe por que não é o fim das publicações e do movimento literário que tem ganhado força no sul da Bahia? Pois, em dúvida, veremos publicações de Tácio Dê, Magnus Vieira, Igor Luiz… são jovens e adultos que estão prospectando fazeres literários. Resta nos comemorar. Viva a plêiade de escritores. Viva o encontro dos mais velhos com os novos escritores. Veremos também em breve o lançamento da Antologia Bardos Baianos – Litoral Sul, cujo livro reúne poetas que estão publicando pela primeira vez. Temos também a coletânea “Primavera Literária, que decorre do Flisba. O mapa de autores do sul da Bahia está ficando maior. Vem outras ações literárias. Vem a mistura da literatura com o audiovisual. Vem a mistura da literatura com o teatro. Essas ações fortalecem a rede sociocultural.

Efson Lima – doutor, mestre e bacharel em direito/UFBA. Escreve nas horas não-vagas do dia. Professor universitário. Coordenador do Laboratório em Empreendedorismo, Criatividade e Inovação ( LABECI)/F2J.

Imprimir Imprimir | Enviar Enviar

Dê seu voto:

Leave a Reply

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
outubro 2020
D S T Q Q S S
« set   nov »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031