hanna thame fisioterapia animal
livros do thame

Archive for abril 13th, 2019

Produção de chocolates de origem impulsiona turismo no Sul da Bahia

CHOCOLATE E TURISMO - DANIEL THAME (5)

Uma região celebrizada em todo o mundo pelas obras magistrais do escritor Jorge Amado com seus coronéis, jagunços, trabalhadores, etc. e cenários de fantasia como o Vesúvio de Nacib e Gabriela, o Bataclan de Maria Machadão e suas moçoilas dadivosas e o universo único das fazendas de cacau. A esse universo, que faz do Sul da Bahia um local que encanta pessoas do Brasil e do Exterior, soma-se um emergente polo de produção de chocolates de origem, com mais de 40 marcas apresentadas e comercializadas no Chocolat Festival, realizado no Parque do Ibirapuera, em São Paulo.

CHOCOLATE E TURISMO - DANIEL THAME (6)

Um pouco desse cenário mágico está sendo mostrado no estande do Governo da Bahia no evento, que inclui modelos de barcaça e fermentação de cacau, mudas de cacaueiros produzidos pela Biofábrica e uma exposição fotográfica com a história do chamado fruto de ouro, desde os maias até sua chegada ao Sul da Bahia.

CHOCOLATE E TURISMO - DANIEL THAME (7)

O secretário estadual de Turismo, Fausto Franco afirma que “a criação do polo chocolateiro vai potencializar o setor, agregando um produto de excelência, com a rica história do cacau, às belezas naturais, com praias exuberantes, Mata Atlântica preservada e um grande patrimônio cultural e arquitetônico, que já fazem de Ilhéus e Itacaré destinos turísticos que atraem pessoas do Brasil e do Exterior”.

 

estrada do chocolate 1

Além de incentivar a produção de cacau de qualidade e chocolates de origem, o Governo da Bahia implantou a Estrada do Chocolate, a primeira rota temática do Estado. São 44 quilômetros entre a primeira fábrica do chocolate caseiro, localizada no Distrito Industrial de Ilhéus, e o entroncamento com a BR 101, no município de Uruçuca, num trajeto que inclui fazendas de cacau e as belezas naturais como rios, cachoeiras e áreas de preservação ambiental. A rota também passa pelas fábricas do parque moageiro de cacau, no Distrito Industrial de Ilhéus, fazendas/fábrica de chocolate gourmet, a Estação Rio do Braço, sede do antigo distrito de Ilhéus e a Biofábrica do Cacau.

JORGE CHOCOLATE E TURISMO - DANIEL THAME (3)

Para Marco Lessa, coordenador do Chocolat Festival, que produz chocolates premium em Ilhéus, destaca que “o Sul da Bahia tem de grande diferencial em relação a outras regiões do mundo, porque depois que as pessoas conhecem o chocolate feito com cacau baiano, ele vivencia um pouco da nossa rica história, o compromisso com a conservação ambiental”. “O chocolate associado ao turismo, oferece experiências únicas, num pacote completo que vai da gastronomia ao convívio com a natureza. A agroindústria e o turismo são alternativas efetivamente viáveis para o desenvolvimento regional”, afirma Lessa.

 

Governo da Bahia define novo modelo de manejo de cultivo de cacau cabruca

cacau cabruca 1

O Governo da Bahia publica na próxima semana a portaria que dá novas diretrizes ao manejo de cacau no Sul da Bahia, conhecido como ‘Portaria da Cabruca’. O anúncio foi feito pelo secretário estadual do Meio Ambiente, João Carlos Oliveira, durante palestra sobre políticas públicas para o cacau e incentivos a legislação ambiental, no Chocolat Festival, que acontece até amanhã (14) na Bienal do Ibirapuera, em São Paulo.

sema cabruca (3)A portaria incentiva a produção de cacau em áreas de mata nativa, com sombreamento, passando da média atual de 300 para 700 pés de cacau por hectare, preservando a Mata Atlântica, um sistema manejo moderno, que vai possibilitar o aumento da produção e da produtividade no Sul da Bahia. “Isso representa um avanço muito grande, era reivindicação dos produtores de cacau, cuja efetivação pelo Governo do Estado se deu num processo de construção coletiva com a participação de pesquisadores e técnicos da Universidade Estadual de Santa Cruz, Inema, Ceplac, Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Meio Ambiente e associações de produtores”, afirma o secretário.

 

“O cacau é uma planta conservacionista e graças a esse cultivo o Sul da Bahia possui grandes áreas de Mata Atlântica. É um produto inserido na sustentabilidade econômica, social cultural e ambiental”, finaliza João Carlos Oliveira.

Biofábrica expõe nova tecnologia de produção de mudas de cacau no Chocolat Festival em SP

biofA Biofábrica de Cacau participa da primeira edição do Chocolat São Paulo 2019, na Bienal. O festival leva à capital paulista marcas de chocolate de origem e representações da cadeia produtiva, como a Biofábrica, que representa a origem com sua produção de mudas de cacau.

Os visitantes podem visitar o estande e conhecer a tecnologia Biofábrica até domingo (14). A instituição participa do evento em parceria com o Governo do Estado da Bahia, por meio das secretarias de Desenvolvimento Rural, de Turismo e de Desenvolvimento Econômico.

Para simbolizar a abertura do evento, uma muda de cacau produzida pela Biofábrica foi plantada na Bienal. “Para nós é uma honra representar a Bahia na produção de mudas de cacau, expondo nossa tecnologia para visitantes de várias partes do mundo e gerando oportunidades de negócios para nosso estado, que é o maior produtor de cacau do Brasil”, destaca o diretor presidente da Biofábrica, Lanns Almeida.

O secretário de Turismo da Bahia, Fausto Franco, visitou o estande da Biofábrica e ressaltou a importância de ter a instituição no Chocolat São Paulo. “É muito importante o governo da Bahia estar apoiando o festival e divulgar o chocolate e o cacau para o Brasil e para o mundo, fomentando o turismo e levantando a curiosidade dos visitantes para conhecer a Costa do Cacau. A parceria com a Biofábrica agrega ainda mais valor. Agradeço à Biofábrica por somar forças para divulgar o nosso cacau para o mundo”.

Rui chega à 500ª viagem com média de uma cidade a cada três dias

Foto_Mateus Pereira_GOVBAPrestes a alcançar a marca de 500 viagens de trabalho realizadas ao interior da Bahia, o governador Rui Costa foi a Sapeaçu na última quinta-feira (11). Na região, ele entregou a recuperação da BA 120, no trecho entre Sapeaçu e Castro Alves, entre outras ações. Esta foi a 499ª viagem em 1.566 dias de governo, o que representa uma cidade visitada a cada três dias. Ao longo de quatro anos, três meses e 15 dias, o governador esteve em 255 municípios diferentes.

A 500ª viagem será para Morro do Chapéu, na próxima segunda-feira (15). No município, Rui vai inaugurar a restauração e pavimentação da BA-144, no trecho de 73 quilômetros que ligam Morro do Chapéu a Várzea Nova e ao povoado de Lages do Batata, em Jacobina. Ele também autorizará a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) a celebrar três convênios com associações de agricultores familiares e fará a entrega de tratores a 20 municípios da região.

Além de inaugurações importantes e históricas, como a rodovia que será entregue em Morro do Chapéu, Rui estabeleceu uma rotina de visitas a escolas e unidades de saúde nas viagens ao interior da Bahia. Nesses quatro anos, 329 instituições de ensino receberam a visita do governador, sendo 203 escolas estaduais.

Em 2019, além ouvir demandas do corpo docente e dos alunos, Rui passou a realizar encontros de trabalho com diretores, vice-diretores e coordenadores pedagógicos. O objetivo é estabelecer estratégias para melhorar a aprendizagem dos estudantes. A primeira reunião ocorreu em fevereiro, em Alagoinhas, seguida por outras cinco no interior do estado.

Read the rest of this entry »

É proibido fumar?

A0 PÉ DA GOIABEIRA lopes

O ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão (governo Dilma) conta que recebeu, tal como ocorreu recentemente com o ministro atual, o ex-juiz Sérgio Moro, representantes da indústria tabagista, que lhe propunham uma ação junto ao ministro da Fazenda para baixar a alíquota de IPI de uma nova classe de cigarros de “baixo custo”. Era, explicaram os tais representantes, uma forma de concorrer com os cigarros paraguaios contrabandeados para o Brasil. Segundo eles, relata o ex-ministro, os cigarros paraguaios causavam prejuízo à indústria brasileira (pela concorrência desleal) e também causavam um rombo na arrecadação. A alternativa seria, pois, a indústria nacional entrar nesse segmento de atender tabagistas de baixa renda. Claro, com apoio do Estado, para oferecer um produto muito mais nocivo aos mais pobres.

O então ministro repeliu a proposta, categoricamente, por entender que a solução para a concorrência desleal do país vizinho seria uma ação mais contundente contra o contrabando, não, porém, estimular a indústria tabagista brasileira, quando o esforço em saúde pública era eliminar, ou, pelo menos, reduzir drasticamente o consumo de tabaco, que não só causa doenças letais com muito sofrimento aos que não conseguem largar o hábito, como também impõe um custo elevado ao sistema de público de saúde.

A julgar pelo noticiário, essa verdade elementar (o dano que o fumo causa à população e aos cofres do Estado) parece muito complexa  para o entendimento do ex-juiz de Curitiba, surpreendentemente alçado à cadeira de Ministro da Justiça: ele anunciou que pretende criar uma comissão para estudar a redução da alíquota, de acordo  informações dos jornais comunistas Folha de São Paulo e O Globo.

Segundo Eugênio Aragão, baixar a alíquota do imposto para cigarros faz bem à indústria, mas faz muito mal à sociedade, que tem que arcar com os custos do tabagismo.

Querer baixar IPI para uma classe de cigarros de “baixo custo” – e, claro, de baixíssima qualidade – é fazer o governo subvencionar mata-ratos para pobres.

Só falta o cinismo aqui (são palavras do ex-ministro Aragão): “afinal, pobre já não se envenena com mata-ratos paraguaios? Deixe-os se envenenarem com o brasileiro, que, ao menos, traz receita para o Estado e lucro para a indústria!”

“A proposta, já se vê, é indecente e imoral. Seria mais producente que Moro se empenhasse na repressão ao contrabando. Afinal, reprimir é com ele mesmo! Mas não nos faça de idiotas, sugerindo que cigarro barato para pobre faz bem ao Brasil!”

O novo ministro da Saúde, o economista Abraham Weintraub, já mostrou que, em matéria de inteligência, caráter e incompetência está à altura do capitão que o nomeou. “O socialismo é a aids, o comunismo é a doença oportunista”, disse o grande homem. No ano passado (o que certamente o credenciou a ser ministro do capitão), ele se saiu com este disparate:

“…Os comunistas são o topo do país. Eles são o topo das organizações financeiras; eles são os donos dos jornais; eles são os donos das grandes empresas; eles são os donos dos monopólios…

O textinho seria apenas mais uma bizarrice desse governo tosco. Mas é criminoso, do ponto de vista ético (por não citar a fonte) e do ponto de vista humano (por ser a fonte quem é). O texto é de Hitler, substituindo “judeus” por “comunistas”: O que o Brasil pode esperar de gente com tamanha (falta de) qualificação? Eis a fala nazista, d 1930:

“…Os judeus são o topo do país. Eles são o topo das organizações financeiras; eles são os donos dos jornais; eles são os donos das grandes empresas; eles são os donos dos monopólios…”

 

E por falar em comunistas, o ministrão da Economia deixou escapar, durante reunião com empresários, que “Lula nunca roubou nem um tostão”. A frase caiu como uma bomba, pois Paulo Guedes, pelas rodas em que anda (incluindo o colega da Justiça, Sérgio Moro), é muito bem informado. Claro que o ato falho (?) lhe custou caro: os bolsonaros, prontamente, o rebaixaram de “Posto Ipiranga do governo” a “perigoso comunista”.

 

(As diatribes do Barão e sua equipe são publicadas as terça e sábdos, quer chova, quer faça sol)

 

A Marcha a Brasília – Unidos Pelo Brasil…

Luciano  Veiga

 

A XXII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, com o tema “Unidos Pelo Brasil” foi encerrada nesta quinta-feira, dia 11, onde estiveram presentes em torno de nove mil municipalistas, que foram mais uma vez defender, em regra, a sobrevivência de um ente federado que vem desde da sua condição de independência garantida pela Constituição de 88, assumindo atribuições nas diversas áreas que antes cabiam em especial a União.

Ao longo das XXII marchas, algumas conquistas importantes foram obtidas, no âmbito do Executivo, do luciano veiga (2)Legislativo e do Judiciário. Destaca-se à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 391/2017, que acrescenta mais 1% ao primeiro decêndio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) no mês de setembro de cada ano (em análise). Projeto de lei que libera R$ 10 bilhões para Estados e Municípios, repartição de 70% dos recursos do bônus de assinatura dessa cessão onerosa para Estados e Municípios, além dos 70% dos royalties gerados através da exploração desses campos localizados na área do pré-sal.

Ministérios anunciaram também apoio aos municípios, a exemplo do Ministério da Saúde, que por sua vez, anunciou a intenção de publicar nos próximos dias uma revisão do programa Estratégia Saúde da Família (ESF), a do Desenvolvimento Regional onde serão oferecidos R$ 26,9 bilhões em investimentos por meio do Plano Nacional de Segurança Hídrica, para garantir até 2035, abastecimentos e atividades produtivas. Outros R$ 4 bilhões serão disponibilizados pela pasta nos próximos 4 anos, pelo Pró-Cidades dentre outros. Nas casas legislativas houve avanços no Plenário do Senado ao aprovar a PEC 61/2015, que destina recursos do orçamento direto para Estados e Municípios, no Congresso Nacional a favor do pacto federativo, aprovando as matérias positivas, como a Nova Previdência, e impedindo o avanço daquelas com impacto negativo. Os presidentes das duas frentes municipalistas – Pacto Federativo e Defesa dos Municípios – reforçaram o papel da Confederação no apoio técnico e na articulação política em prol dos Municípios.

Read the rest of this entry »

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
abril 2019
D S T Q Q S S
« mar   mai »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930