hanna thame fisioterapia animal
livros do thame

Archive for novembro 10th, 2018

Artes & Artistas

Alice Masiero, arte naif em permanente construção

j 1

Juraci Masiero Pozzobon

 

Alice Masiero é uma artista descolada da arte Naif, pois suas obras estão em exposição a jato, nacional e internacional.

j 2   Alice nasceu em 1963, sua descendência italiana trás da infância a fascinação e a alegria das cores. É no cotidiano que Alice Masiero vê e cria de maneira peculiar. Usa vários materiais para dar forma nos seus trabalhos. Usa papel machê, mosaico etc… Em seu espaço é atraído pelo seu acervo particular, suas telas surgem sempre de maneira criativa colocando fragmentos do que vê de seu redor daquele momento ou de seu pensamento, um trabalho pictórico de visão lírica, sua poética é especial dela.

Alice usa seu trabalho de forma educada. A arte Naif tem suas características desajeitadas, sem perspectivas, usa todo o espaço da tela branca com elementos bem coloridos sem muita vista de nuances onde o observador interage com o que vê e sente sua vida no passado.

IARA - A VENDA

Alice busca soluções e demonstra a religiosidade bem significativa naquilo que ela sente com traços minuciosos no pontilhismo. Com isso Alice tem sua marca registrada. Ela tem um equilíbrio de personagens e de cores. Retrata a vida no campo na cidade, festas populares, festas religiosas. A técnica Naif é um jardim em permanente construção.

alice (2)

—–

juraci maziero Juraci Masiero Pozzobon, Bacharel em Artes plásticas na UNIC – Cuiabá,

Graduada em Ensino da Arte pela FASIPE e Arte Terapia pela Cândido Mendes, RJ.

Doutoranda em Epistemologia e História da Ciência pela Instituição Iesla/UNTREF – Buenos Aires, Argentina.

 

Diabetes em pequenos animais

Dra. Hannah Thame

 

HT 2Diabetes mellitus é uma das endocrinopatias mais comuns nos cães e pode ser fatal se não for diagnosticada e adequadamente tratada. A deficiência de insulina que ocorre no diabetes mellitus é resultado da incapacidade do pâncreas em secretar insulina, conhecida como diabetes mellitus insulinodependente, ou tipo 1 e/ou de ação deficiente da insulina nos tecidos , também chamada de diabetes mellitus não insulino dependente, ou tipo 2.

A etiologia do diabetes mellitus é multifatorial, ou seja, pode ser ocasionada por diversos fatores que predispõem ao desenvolvimento da doença, sendo os mais importantes: pancreatite, obesidade, infecções, doenças intercorrentes (insuficiência renal, cardiopatias), administração prolongada de fármacos, como glicocorticoides, hiperlipidemia e predisposição genética.

caes e cats da 2O clínico deve prestar atenção para não confundir a diabetes mellitus com outras doenças, devido à semelhança de seus sinais clínicos inespecíficos. Os sinais clínicos mais comuns de um paciente com diabetes são os 4 ‘P’s: poliúria (aumento da quantidade de urina), polidpsia compensatória (sede excessiva), polifagia (aumento do apetite) e perda de peso. É comum os proprietários se queixarem que o animal passou a urinar dentro de casa ou apresentou uma cegueira repentina devido à formação de catarata, a complicação mais comum no cão diabético. Devido ao comprometimento renal, o animal não consegue reabsorver a glicose levando a glicosúria (presença de glicose na urina). A incapacidade da insulina de remover o açúcar da corrente sanguínea provoca hiperglicemia e, portanto a glicose é eliminada em grande quantidade na urina.

caes e cats da 1O diagnóstico da Diabetes Mellitus requer a presença de sintomatologia característica associada a uma hiperglicemia de aparecimento agudo e persistente e de glicosúria. Alguns animais podem manifestar hiperglicemia em situações de estresse, no entanto, não apresentam glicosúria, nesse caso, o teste de frutosamina permite que o médico veterinário possa distinguir hiperglicemia ocasionada pela diabete mellitus ou por estresse.

Como forma de terapia, normalmente são instituídas aplicações de insulina modificações dietéticas, perda de peso em animais obesos, exercício moderado em cães, e medicamentos hipoglicemiantes orais em gatos. A abordagem para tratamento difere entre cães e gatos, em parte, porque a causa da doença pode ser diferente. O manejo bem sucedido ao paciente é definido pela manutenção de um peso corporal estável e melhora dos sinais clínicos, juntamente com a prevenção de cetose ou hipoglicemia. Pesquisas têm sido desenvolvidas no que se refere às terapias, visando proporcionar uma melhor qualidade de vida e maior longevidade aos pacientes.

(*) A Dra. Hannah Thame é Médica Veterinária e Mestre em Ciência Animal com ênfase em Sanidade Animal pela Universidade Estadual de Santa Cruz

Memórias de um Dinossauro

dt

Vitória da Conquista, final dos anos 80. A sucursal da TV Cabrália no Sudoeste Baiano dando os primeiros passos e lá estava eu, na fase de ajustes da equipe local de jornalismo.

Tempos tão ´dinossauricos´ quer as matérias eram enviadas de ônibus para Itabuna em fitas U Matic e editadas para entrarem nos telejornais.

Eis que o repórter Junior Patente chega da rua com a reportagem da prisão de quatro jovens, com uma senhora quantidade de maconha.

Fita pronta pra ser enviada, o então editor de jornalismo, cujo nome não vem ao caso (gracias Moro!), me diz:

-Essa matéria não pode sair, porque é tudo filho de gente conhecida.

Por “conhecida”, entenda-se, gente com grana ou com poder político.

Fui na jugular:

-E se fosse gente pobre, poderia sair?

O silêncio ensurdecedor do editor foi a resposta que eu esperava.

A matéria saiu e o editor demitiu-se logo depois, embora os jovens nem chegaram a sentir o gostinho da cadeia.

Afinal, em qualquer tempo, certas coisas definitivamente ´não vem ao caso`…

Fugir, lutar, ficar imobilizado ou sacudir a poeira e seguir?

Eulina Lavigne

 

eulina lavigneDurante os meus 57 anos de idade eu jamais presenciei uma eleição que causasse tanta polêmica, discórdias, agressões, rupturas e experiências traumáticas.

A experiência traumática passa a ser traumática, já comentei em artigo anterior, não pelo evento em si, e sim pela forma como o nosso sistema nervoso reage diante do evento. Esta é uma visão trazida por Peter Levini em sua abordagem terapêutica denominada Experiência Somática.

paz interior 2Nestas eleições, percebi que as estratégias de defesa diante dos seus resultados, são semelhantes às utilizadas pelos animais. Os animais quando se encontram diante de situações de ameaça, fogem, quando percebem que o risco de sucumbir é alto; lutam, quando percebem que existe a possibilidade de sobreviver ou se congelam, se fingem de morto, quando percebem que o risco de morrer é elevado.

Depois que o seu predador se retira, acreditando que ele está morto, a presa se sacode, integra o ocorrido e segue o seu caminho. E é exatamente esta sacudida que permite o seu sistema nervoso descarregar e o trauma não se instalar.

Pois bem, tenho observado que muitos eleitores diante dos resultados das urnas, estão deixando o país, em um movimento de fuga, outros estão entrando na energia da guerra, e esta é a mais perigosa pois entra na disputa do “matar ou morrer”, agem mais pelo instinto e outros estão completamente imobilizados, o que também é um risco pois é aí que o trauma se instala.

 

Read the rest of this entry »

Foto José Nazal

Foz do Rio Tijuípe, limitando os municípios de Uruçuca (margem direita) e Itacaré (margem esquerda). Um dos rio mais limpos e conservados do litoral sul da Bahia,  integra a Bacia do Rio de Contas (ou Rio das Contas como observam alguns)

Foz do Rio Tijuípe, limitando os municípios de Uruçuca (margem direita) e Itacaré (margem esquerda). Um dos rio mais limpos e conservados do litoral sul da Bahia, integra a Bacia do Rio de Contas (ou Rio das Contas como observam alguns)

Educação Digital: o necessário olhar dos pais para o comportamento virtual dos filhos

Débora Spagnol

 

Debora SpagnolOs abandonos afetivos e materiais são assuntos recorrentes quando de se trata da omissão dos pais nas relações familiares. Mas há uma nova e também preocupante forma de abandono e que, não obstante tenha características próprias, pode resultar em intensos prejuízos emocionais e sociais aos filhos menores: o “abandono digital”.

Em termos simples, a expressão traduz a negligência manifesta por omissão dos pais que, descuidando da segurança dos filhos no ambiente digital, não atuam no sentido de evitar os efeitos nocivos das redes sociais diante das inúmeras situações de risco e vulnerabilidade a que os mesmos estão expostos. (1)

É inegável a constante e cada vez maior influência da tecnologia no seio da sociedade, da escola e, principalmente, das famílias. Desde bebês, as crianças são expostas ao uso cada vez maior de aparelhos conectados à internet: das babás eletrônicas aos smartphones, há uma infinidade de opções de dispositivos que prometem não somente garantir a segurança dos pequenos, mas principalmente sua interação com o mundo.

Nesse cenário, a educação digital se mostra uma pauta necessária no dia a dia das famílias. Dada a natural vulnerabilidade das crianças  e jovens, que reflete diretamente na ausência de autonomia legal para responder por determinadas situações, compete aos pais orientá-los para o uso consciente e responsável das mídias.

O conceito de “educação digital”, porém, vai além das habilidades e conhecimentos práticos acerca do uso da tecnologia: saber ligar o smartphone, baixar vídeos, mandar e receber mensagens interfere muito pouco na qualificação do usuário se ele, ao invés de compartilhar notícias relevantes e de fonte confiável, profere ofensas e dissemina mentiras. Read the rest of this entry »

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
novembro 2018
D S T Q Q S S
« out   dez »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930