hanna thame fisioterapia animal
coronavirus 155 bom petiscos livros do thame

Deixa a mulher falar

Ellen Prince

 

ellen princeSabe aquele hábito chato que alguns homens tem, em interromper a fala de uma mulher? Num debate, ou reunião, por exemplo. Uma mulher tenta expor suas ideias, seu ponto de vista, e sem conseguir concluir seu raciocínio, simplesmente é interrompida no meio do caminho. Pois é, esse hábito tem nome: manterrupting. A palavra é uma junção de “man” (homem) e “interrupting” (interrupção) e, em tradução livre, quer dizer “homens que interrompem”.

O que aparentemente é algo minimalista demais para se identificar e compreender, a medida que vamos observando situações semelhantes com outras mulheres, percebemos que há um padrão, uma frequência com que esse comportamento por parte dos homens acontecem.Isso parte de uma construção do homem como o líder, engajado na sociedade em todas as suas esferas, tendo espaço, voz e poder de decisão. Paralelamente a isso, as mulheres foram criadas para serem do lar, sem terem espaço de fala. Do início de tudo aos dias de hoje, houve muita evolução, mas dentro desse processo evolutivo, certas raízes permanecem. O manterrupting é uma dessas consequências. É como se o que a mulher tem a dizer, não fosse tão importante quanto o que o homem diz, por se entender que não temos o direito a ter opinião e nem inteligência o suficiente para tal, principalmente quando essa opinião vai de contra o ponto de vista masculino, ou de algum modo, ainda que parta da mesma linha de raciocínio, se sobreponha ao mesmo.

       Esse comportamento se cruza com a constante subestimação intelectual que as mulheres sofrem. Não importa o quanto a mulher é inteligente, ela sempre será mais questionada e mais desacreditada que o homem. Como se não fossemos capazes de produzir intelectualmente, num nível digno de respeito e entendimento. Não se trata de quantidade, e sim, de valor social. Machismo não é somente Estupro, violência doméstica, restrição econômica, submissão e subserviência. Gestos que parecem inofensivos, como o hábito de interromper a fala feminina, na verdade roubam nossa força, nosso espaço e limitam as nossas possibilidades.

—————

Ellen Prince é estudante de Ciências Contábeis, pesquisadora e militante dos direitos da mulher

Imprimir Imprimir | Enviar Enviar

Dê seu voto:

Leave a Reply

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
junho 2018
D S T Q Q S S
« mai   jul »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930