hanna thame fisioterapia animal
livros do thame

Archive for julho, 2017

Secretaria da Educação realiza encontro com gestores escolares

pinheiro

A Secretaria da Educação do Estado realiza, nestas quarta e quinta-feira (26 e 27), o “Diálogo com Gestores” escolares dos Núcleos Territoriais de Educação de Itabuna (NTE 5), Eunápolis (NTE 27) e Teixeira de Freitas (NTE 7).

A atividade será realizada no Complexo Integrado de Educação (CIE), na quarta-feira (26), das 8h às 18h, e na quinta-feira (27), das 8h às 12h, e contará com as participações do secretário Walter Pinheiro e de técnicos do órgão central, que, dentre outras questões, irão abordar o fortalecimento do eixo pedagógico das escolas.

Recôncavo Baiano investe na retomada da produção de charutos

charutos baianos

Com uma qualidade que pode ser comparada aos lendários ´puros` cubanos, o Recôncavo Baiano quer superar anos de estagnação e retomar a produção de charutos premium. Durante o Chocolat Bahia 2017, realizado em Ilhéus, onde várias marcas de charutos foram apresentadas no estande da Federação das Indústrias da Bahia, Marcos Augusto Silva, diretor executivo do Sindicato da Indústria do Tabaco da Bahia-Sinditabaco, conversou com o Blog do Thame e falou dos planos para um setor em franca expansão.

Blog do Thame- O Recôncavo Baiano há viveu um período áureo na produção de charutos. O que motivou essa queda na produção?

marcos augusto charutosMarcos Augusto- Até 1995 nós tínhamos no Recôncavo uma produção de 50 milhões de unidades de charutos premium/ano, além de cigarrilhas. Nos últimos três anos atingimos apenas 15 milhões de unidades/ano. Isso se deve a uma campanha anti-tabagista  da Organização Mundial de Saúde, que atinge fortemente o setor, afetando diretamente nosso principal mercado, a Europa.

BT- Como está esse processo de retomada da produção e conquista de novos mercados?

MA- O Sinditabaco vem investindo numa intensa promoção comercial nos últimos cinco anos. Os mercados de São Paulo e do Rio de Janeiro cresceram 25% em 2016. Com relação à Europa, estivemos recentemente em Bruxelas, na Bélgica, buscando uma renegociação do acordo comercial, já hoje nosso produto entra na Comunidade Econômica Europeia com um imposto de importação de 26%, enquanto Cuba tem 10% e a Republica Dominicana zero. Com a revisão do acordo, esperamos  competir de igual para igual.

BT- Quantas empresas produzem o charuto premium na Bahia?

MA- Temos nove empresas no Recôncavo, com 14 marcas.

charutos baianos 2BT-  O crescimento do setor pode ampliar a geração de emprego e renda. Existe demanda reprimida no mercado de charutos?

MA- A lavoura fumagueira utiliza hoje 4 mil hectares plantados, sendo dois mil de capa e dois mil de filê ou bucha, que é a parte interna do charuto, envolvendo 2.500 famílias, principalmente da agricultura familiar.

Estamos prontos para atingir em breve 20 milhões de unidades/ano, até atingir a meta de 50 milhões de unidades/ano,  porque existe uma demanda crescente por charutos premium no Brasil e no mundo.

BT- É possível competir com os charutos cubanos e os dominicanos, que hoje dominam o mercado internacional?

MA- A diferença de Cuba em relação ao charuto baiano é o glamour em torno da Ilha e o marketing governamental que é muito bem feito. Em termos de qualidade, o nosso tabaco é considerado no mundo como a pimenta e o sal, o tempero que dá sabor aos outros charutos. Todo charuto no mundo, inclusive o cubano, leva o blend baiano.  O puro baiano é diferente do puro cubano, que é plantado numa única região de Cuba, enquanto o nosso é plantado em três regiões da Bahia e por isso nós temos um blend especial, tipicamente baiano e de qualidade superior.

Indústria de calçados vai gerar 600 empregos em Macarani

wagnerA fábrica de calçados Suzana Santos deverá gerar até 600 empregos na nova unidade em Macarani, no centro-sul baiano. Hoje  (25), às 11h, o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Jaques Wagner, entrega o galpão das futuras instalações da fábrica à direção da emprega.

De acordo com a Suzano Santos, a unidade receberá R$ 2,5 milhões em investimentos. A produção deve alcançar 1,68 milhão de pares de calçados ao ano. “Não existe melhor política social do que criar emprego e renda”, afirma o secretário estadual Jaques Wagner.

Com 22 anos de mercado, a Suzano Santos está na Bahia desde 2015. Possui unidades industriais em Itapetinga, Itarantim, Potiguará, Maiquinique e Iguaí.

Teia de Sustentabilidade reunirá instituições em defesa do meio ambiente

Para marcar a institucionalização da Teia de Sustentabilidade do Poder Judiciário da Bahia, que reunirá os Tribunais Regionais do Trabalho, Eleitoral e Federal, o Tribunal de Justiça da Bahia e o Tribunal de Contas do Estado da Bahia, será assinado nesta quarta-feira (26.07), o Protocolo de Cooperação Técnica do Comitê Interinstitucional de Gestão Socio Ambiental, com a presença dos dirigentes de todos os órgãos envolvidos. Além da assinatura do Protocolo de Cooperação Técnica, será realizado o 1º Encontro de Sustentabilidade do Poder Judiciário da Bahia, com palestras sobre o tema, e o curso Gestão Consciente, Administração Pública Eficiente (na quinta e sexta-feira). Todos os eventos acontecerão no auditório do Pleno do TRT, no bairro de Nazaré.

Em visita à  desembargadora Maria Adna Aguiar Nascimento, presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), na manhã desta segunda-feira (24.07), o presidente do TCE/BA, conselheiro Inaldo da Paixão Santos Araújo, confirmou a participação da Corte de Contas e elogiou a iniciativa do TRT, salientando a importância cada vez maior de ações que visem a preservação do meio ambiente e dos recursos renováveis do planeta. A desembargadora Maria Adna Aguiar, por sua vez, ressaltou que a questão da sustentabilidade é um dos valores que todos nós precisamos incorporar às práticas diárias, daí a necessidade de uma ação capaz de envolver diversas instituições, “pois, atuando em conjunto, poderemos implementar medidas que sejam mais eficazes e amplas e reduzir custos neste processo, aproveitando a sinergia entre os órgãos”.

Secretários de Educação tem encontro em Itabuna

Itabuna sedia amanhã (25)  o 4º Encontro do FORSEC (Fórum de Secretários de Educação da AMURC), que reúne secretários de educação e técnicos de municípios da região. O objetivo do evento é discutir sobre instrumentos para gestão financeira e trocar experiências sobre o planejamento para a Prova Brasil. Profissionais da consultoria Oficina Municipal também participarão da reunião.

“É comum que municípios de uma mesma região enfrentem desafios parecidos na gestão da educação”, explica o coordenador do projeto RAE Bahia (Rede de Apoio à Educação, iniciativa dos Institutos Natura e Arapyaú), André Lopes. “Em 2017, todos os governos municipais deverão construir e aprovar seus Planos Plurianuais (PPA), é importante que as secretarias de educação contribuam para este instrumento de planejamento da gestão”, completa.

Ainda segundo Lopes, a Prova Brasil, aplicada em alunos do 5º e do 9º ano entre 23 de outubro e 3 de novembro, é um dos termômetros da qualidade do ensino oferecido pelo sistema educacional brasileiro. “Os resultados da prova Brasil compõem o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), que apoia o MEC e as secretarias a definirem ações para aprimorar e diminuir desigualdades do sistema”, conta.

Os munícipios baianos convidados para a reunião são: Almadina, Arataca, Aurelino Leal, Barra do Rocha, Barro Preto, Buerarema, Camacã, Camamu, Canavieiras, Coaraci, Dario Meira, Firmino Alves, Floresta Azul, Gandu, Gongogi, Ibicarai, Ibicuí, Ibiranpitanga, Igrapiúna, Iguaí, Ilhéus, Itabuna, Itacaré, Itajú  do Colônia, Itajuipe, Itapé, Itapetinga, Itapitanga, Itarantim, Ituberá, Jussari, Maraú, Mascote, Nova Canaã, Pau Brasil, Santa  Cruz da Vitória, Santa Luzia, São  José da Vitória, Ubaitaba, Ubatã, Uma, Uruçuça e Wesceslau Guimaraes.

Chocolat Bahia 2017 reúne 60 mil pessoas e gera R$ 10 milhões em negócios na cidade de Ilhéus

fest choc balanço 2

Iniciado há nove anos com 13 expositores e apenas uma marca de chocolate regional, o Festival Internacional do Chocolate e Cacau, encerrado no domingo (23) em Ilhéus, possui, atualmente, números expressivos: 80 expositores e 40 marcas de chocolates premium do sul da Bahia. O Chocolat Bahia 2017, que teve o apoio do Governo do Estado, também bateu recordes de público e de negócios. Cerca de 60 mil pessoas visitaram o Centro de Convenções, gerando um movimento de R$ 10 milhões.

Estação Rio do BraçoUm dos destaques do festival foi o lançamento, pelo Governo da Bahia, da Estrada do Chocolate, a primeira estrada temática do estado, que irá abranger os municípios de Ilhéus e Uruçuca. No roteiro, os turistas poderão conhecer a cultura do cacau e produção do chocolate, através de visitas a fazendas/fábricas de chocolate gourmet existentes ao longo da rodovia BA-262, com sítios históricos, rios, cachoeiras e áreas de preservação ambiental.
cecilia gomes
“O resultado é totalmente positivo, com a rede hoteleira ocupada, milhares de pessoas visitando os estandes, ampliação dos espaços do pavilhão de feiras, o que impulsiona a economia. Estamos consolidando Ilhéus como a capital brasileira do Cacau e do Chocolate de Origem”, destacou o secretário estadual de Turismo da Bahia, José Alves.
fest choc balanço 4
Além dos estandes para lançamento e comercialização de chocolates produzidos no sul da Bahia, o festival abriga eventos como o Fórum Brasileiro do Cacau e Chocolate, Cozinha Show, Cozinha Kids, Ateliê do Chocolate, Pavilhão da Economia Criativa e o Espaço Cultural do Cacau, com shows de artistas regionais, além de visitas a fazendas de cacau que fabricam chocolate.

Novos negócios 

estrada chocolate 1

O produtor de cacau, Fernando Botelho, que investiu na elaboração de chocolates premium, disse que a cada ano, o festival ganha uma nova dimensão, com o surgimento de novas marcas e a expansão dos negócios, mostrando que o caminho é a verticalização da lavoura cacaueira. “Nosso chocolate foi lançado há três anos no festival e, além das vendas diretas durante o evento, captamos nossos negócios e nos consolidamos no mercado”, afirmou Cecília Gomes.

marco lessa

O idealizador e coordenador do Festival Internacional do Cacau e do Chocolate, Marco Lessa, ressaltou que o apoio do Governo da Bahia tem sido fundamental, não apenas na realização do evento, mas na transformação de uma região que só produzia amêndoas e hoje produz chocolates finos, com alto valor agregado. “O festival não se limita aos quatro dias do evento, ele tem desdobramentos durante todo o ano, nos negócios, no surgimento e crescimento de marcas, no estímulo ao empreendedorismo e na divulgação da região cacaueira no Brasil e no exterior. Essa é uma plataforma de fomento, de geração de emprego e renda, de estímulo à produção, de esperança na retomada do desenvolvimento em bases sustentáveis”, finalizou.

 

E o pato, ó…

gasolina

Governo quer tornar Planserv mais forte

Um dos maiores planos de saúde do Brasil está perto de se tornar também um dos mais modernos. Esta é a missão dada pelo Governo do Estado ao Planserv, que lança, em agosto, licitação para contratar uma empresa especializada para aprimoramento da gestão do plano dos servidores públicos estaduais. Mais forte e moderno, o Planserv vai melhorar a assistência e o atendimento a 500 mil servidores do Estado e seus familiares. O Termo de Referência da contratação da empresa já está disponível no site comprasnet.ba.gov.br.

“A gestão da assistência permanecerá sob o comando do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Administração [Saeb]. A contratação desse apoio operacional visa principalmente otimizar a gestão do Planserv, tornando-o melhor para seus beneficiários”, afirmou a coordenadora-geral do plano, Cristina Cardoso.

Esse e outros pontos foram esclarecidos em audiência pública realizada em Salvador, na última terça-feira (18). Participaram do encontro, conduzido por Cristina Cardoso, representantes de empresas locais e de outros estados que, até a data de publicação do edital, podem enviar questionamentos a respeito do assunto para o endereço consulta.publica@planserv.ba.gov.br.

Read the rest of this entry »

Jequié inicia cadastramento biométrico

O Tribunal Regional Eleitoral espera que mais de 95 mil eleitores de Jequié façam o cadastramento biométrico para votar no próximo ano. O procedimento deve ser feito de segunda a sexta-feira, das 8 às 14 horas, no Fórum Eleitoral.A Justiça Eleitoral alerta que o cadastramento em Jequié é obrigatório e prossegue até 31 de janeiro. Quem não informar os dados até o prazo final terá o título cancelado, ficando impossibilitado de votar até regularizar a situação.

Segundo o presidente do TRE/BA, José Edivaldo Rocha Rotondano, a preocupação maior é com as pessoas que dependem do programa Bolsa Família. “O cancelamento do título implica em várias penalidades e uma delas é a suspensão de benefícios pagos pelo Governo Federal”, explica. Ele faz um apelo aos gestores para que mobilizem a população.

Para agilizar o cadastramento biométrico, o TRE está assinando convênios com as prefeituras baianas. Já fez parceria com Jequié e, no início do próximo mês, assinará convênios com as prefeituras de Itabuna e Ilhéus.

O cadastramento é obrigatório para os eleitores ilheenses, que podem optar entre o Fórum Eleitoral, das 8h às 15h; a Biblioteca Municipal Adonias Filho, das 8h às 18h; e o serviço de agendamento, em www.sac.ba.gov.br.

Governo do Estado lança em Ilhéus a Estrada do Chocolate

estrada chocolate 1O Governo do Estado lançou o projeto de implantação da Estrada do Chocolate em Ilhéus, no sul da Bahia, durante o Festival Internacional do Chocolate e Cacau – Chocolat Bahia 2017. No roteiro, os turistas conhecerão a cultura do cacau e a produção do chocolate, por meio de visitas a fazendas existentes ao longo da BA-262, com sítios históricos, rios, cachoeiras e áreas de preservação ambiental.

Este será o primeiro roteiro turístico temático da Bahia e, inicialmente, vai abranger os municípios de Ilhéus e Uruçuca. O projeto foi lançado pelo secretário do Planejamento e vice-governador, João Leão, neste sábado (22), com as presenças dos secretários de Turismo, José Alves, e Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues, além do coordenador do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, Jonas Paulo.

estrada chocolate 3Na apresentação do projeto, João Leão destacou que “existem cidades no Brasil e no mundo que não produzem uma única amêndoa de cacau e vivem exclusivamente do chocolate. O Governo da Bahia está somando esforços com os empresários e outras instituições, como prefeituras e universidades, no sentido de impulsionar a produção de chocolate e fazer com que essa região de torne um polo de atração de investimentos, impulsionando o turismo e a economia como um todo”.

O roteiro começa a operar a partir de agosto. Ele inclui ainda as fábricas do parque moageiro de cacau, no Distrito Industrial de Ilhéus, fazendas/fábrica de chocolate gourmet, fazendas de cacau com acervo histórico-arquitetônico, Estação Rio do Braço, arquitetônico da sede do antigo distrito de Ilhéus e a Biofábrica do Cacau.

A Estrada do Chocolate também lembra os cenários da obra imortal do escritor Jorge Amado, conhecida em todo o mundo. “Essa é uma região única, com uma cultura e história que giram em torno do cacau e que vamos transformar também na região do chocolate de origem”, acrescentou Leão.

Desenvolvimento regional

O secretário de Turismo explicou que “as pessoas que visitarem o sul da Bahia poderão conhecer todo o processo, de cultivo, colheita, preparação das amêndoas e produção do chocolate, adquirindo marcas de qualidade”. Jonas Paulo lembrou que “a meta do Governo da Bahia é a retomada do desenvolvimento regional, e a Estrada do Chocolate é estratégica porque atua como polo difusor da produção verticalizada, além do forte atrativo turístico”, destacando o casamento entre as belezas naturais da região e o sabor do chocolate premium.

Já Jerônimo Rodrigues ressaltou que “a Estrada do Chocolate abrange várias propriedades da agricultura familiar, que vem recebendo recursos do Governo do Estado para capacitação e ampliação de toda a cadeia produtiva. O nosso diferencial será a amêndoa de qualidade, o chocolate de origem e o respeito ao meio ambiente com a conservação da Mata Atlântica.”

Com apoio do Governo da Bahia, o Festival Internacional do Chocolate e Cacau reúne cerca de 80 expositores e apresenta 40 marcas de chocolates finos. O evento acontece até este domingo (23), no Centro de Convenções de Ilhéus.

Sul da Bahia, do cacau ao chocolate

 

chocolate 2

Do cacau ao chocolate. Essa é a nova realidade do Sul da Bahia, após décadas como região produtora de amêndoas. A cada dia, novos empreendedores passam a investir na produção de chocolates finos, apostando num mercado consumidor em expansão no Brasil e no Exterior. O Chocolat Bahia 2017, Festival Internacional do Chocolate e Cacau, que está sendo realizado em Ilhéus, com o apoio do Governo da Bahia, é uma oportunidade de apresentar novos produtos, adquirir e trocar conhecimentos e ampliar os negócios. São   cerca de 40 marcas de chocolates regionais em exibição, cada uma com sua característica, mas com a marca do cacau de qualidade, fruto de investimentos na modernização da lavoura.

hans schaeppi

Hans Schaeppi é um pioneiro. Há 32 anos ele implantou a primeira fábrica de chocolate caseiro do Nordeste. “Foi um grande desafio, porque havia uma cultura de produzir amêndoas e percebi que era preciso investir no produto final. Hoje vejo com alegria a Região partindo para a verticalizado e se tornando a terra do Cacau e do Chocolate”, afirma. Atualmente, Hans produz cerca de duas mil toneladas/ano, comercializa os produtos em todo o país e busca atingir o mercado chinês.

henrique almeida

O setor de chocolates premium cresce cerca de 10% ao ano no Brasil, enquanto o mercado tradicional cresce apenas 2%. Henrique Almeida é outro exemplo de produtor de cacau que apostou no chocolate. Da terceira geração de uma família de produtores de cacau, há 5 anos, ele  começou a produzir chocolate. Investiu em amêndoas de qualidade, cursos de capacitação e hoje comercializa o chocolate premium em grandes redes da Bahia e do Sul/Sudeste do país. O próximo passo é o mercado árabe e os Estados Unidos. “Cacau e alimento e também e prazer. Nosso foco é a qualidade é esse é o caminho da região. O negócio Cacau só é viável se atrelado ao chocolate”,destaca

leo maia

O mercado de chocolate também atrai jovens empreendedores como Leonardo  Maia. Com pós graduação em Gestão de Negócios em Cacau e Chocolate ele está produzindo chocolates finos com 50% e 70% de cacau.  “Na  infância sempre tive muito contato com fazendas de cacau e sempre que podia acompanhava os trabalhadores nos tratos e colheita do cacau. E em minhas viagens para outros países tive a oportunidade de experimentar diversos tipos de chocolates e percebi que o nosso cacau do Sul da Bahia tem um potencial grande a ser explorado”, afirma.

 

AGRICULTURA FAMILIAR

carine assunção

A produção de chocolate também é incentivada na agricultura familiar, que responde por 90% da produção de cacau no Sul da Bahia. A Cooperativa de Serviços Sustentáveis da Bahia conta com 300 associados e produz chocolates caseiros e achocolatado com 30% de cacau. Beneficiados com recursos do Programa Bahia Produtiva, do Governo do Estado, os agricultores familiares pretendem investir na produção de cacau organico, que agrega valor ao chocolate e derivados. “Nossos produtos já são consumidos na merenda escolar e com o chocolate de origem vamos buscar novos mercados, gerando mais renda no setor rural”, destaca Carine Assunção, coordenadora da cooperativa.

gildeon

Com 420 associados, a Cooperativa de Agricultores Familiares do Sul da Bahia, também atendida pelo Bahia Produtiva, produz chocolates finos e achocolatados e está criando uma linha exclusiva para os supermercados. “Com assistência técnica e capacitação vamos melhorar cada vez mais a qualidade e criar novos canais de comercialização” , diz o diretor da Coopesulba, Gildeon Farias.

gerson marques

Gerson Marques, presidente da Chocosul  destaca que “a produção de chocolate é uma alternativa viável, num processo que está se consolidando. Dos 40 produtores, 38 produzem o próprio cacau. São empreendedores que foram para as fazendas, reorganizaram a produção, com uma nova mentalidade, investindo em amêndoas de qualidade superior”. “Essa é uma estratégia que terá impactos positivos na economia regional, com a melhoria da produtividade e consequentemente do preço final. O modelo antigo, de mero fornecedor de matéria prima, está superado. Hoje o caminho é a verticalização, valorizando principalmente a produção de chocolates fino, de cacau orgânico que tem alto valor agregado”.

O imortal Jorge Amado feito de chocolate. Uma deliciosa homenagem ao nosso eterno Menino Grapiuna

O imortal Jorge Amado feito de chocolate. Uma deliciosa homenagem ao nosso eterno Menino Grapiuna

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
julho 2017
D S T Q Q S S
« jun   ago »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031