(do Pimenta) -O texto-base da Reforma Trabalhista foi aprovado ontem (26), por 296 votos a 177. Dos 35 deputados federais baianos presentes, 19 votaram a favor da proposta do Governo Temer.

A reforma ainda terá que ser apreciada no Senado Federal. Caso seja aprovada sem mudança também na Câmara Alta, a proposta provocará quase 100 mudanças na CLT, o que é visto por muitos como “mutilação” e não avanço.

A proposta do governo prevê parcelamento de férias em até 3 vezes, banco de horas, mudança na jornada de trabalho e acaba com a chamada “hora de percurso” (tempo gasto entre longas distâncias da residência ao trabalho), além de extinguir a obrigatoriedade do imposto sindical.

Porém, privilegia negociação entre patrões e empregados. Ou seja, o negociado terá mais força que o legislado. Não poderão ser negociados, de acordo com a reforma, FGTS, seguro-desemprego e 13º salário. Com a reforma também surge o contrato de trabalho intermitente, em que o empregado poderá trabalhar por horas ou dias negociados com o empregador, o que, na interpretação de especialistas, acabará por transformar o trabalho em “bico”, prejudicando o contratado.

Confira como votaram os deputados baianos:

Afonso Florence (PT) – Não
Alice Portugal (PCdoB) – Não
Antonio Brito (PSD) – Não
Arthur Oliveira Maia (PPS) – Sim
Bacelar (PTN) – Não
Bebeto (PSB) – Não
Benito Gama (PTB) – Sim
Cacá Leão (PP) – Sim
Caetano (PT) – Não
Claudio Cajado (DEM) – Sim
Davidson Magalhães (PCdoB) – Não
Elmar Nascimento (DEM) – Sim
Erivelton Santana (PEN) – Sim
Félix Mendonça Júnior (PDT) – Não
Irmão Lazaro (PSC) – Não
João Carlos Bacelar (PR) Sim
Jorge Solla (PT) Não
José Carlos Aleluia (DEM) – Sim
José Carlos Araújo (PR) – Sim
José Nunes (PSD) – Não
José Rocha (PR) – Sim
Jutahy Junior (PSDB) – Sim
Lucio Vieira Lima (PMDB) – Sim
Márcio Marinho (PRB) – Sim
Negromonte Jr. (PP) – Sim
Nelson Pellegrino (PT) – Não
Pastor Luciano Braga (PRB) – Sim
Paulo Azi (DEM) – Sim
Paulo Magalhães (PSD) – Sim
Roberto Britto (PP) – Sim
Robinson Almeida (PT) – Não
Ronaldo Carletto (PP) – Sim
Uldurico Junior (PV) – Não
Valmir Assunção (PT) – Não
Waldenor Pereira (PT) – Não