hanna thame fisioterapia animal
bahiagas livros do thame

Archive for abril 9th, 2014

Desapertem os cintos, o avião sumiu…

Não cai, mas por favor, não sai

Não cai, mas por favor, não sai

É de bom alvitre que as autoridades e o trade turístico em Ilhéus fiquem atentos e se mobilizem.

Além de aviões e urubus, existem nos céus sinalizações de que a TAM estaria prestes a suspender os voos de terças e quintas feiras no aeroporto de Ilhéus, levando as linhas para Porto Seguro.

A ameaça de confirmar a cidade sofre um baque, já que menos vôos significam menos gente embarcado e desembarcando na cidade.

Ruim para o turismo, ruim para o comércio e industria, ruim para todo mundo.

O coração da agropecuária: Assistência Técnica ao Produtor


Eduardo Salles*

 eduardo-sallesAssistência Técnica e Extensão Rural (ATER) pode ser explicada como o processo de capacitar o agricultor, viabilizando o acesso a novas tecnologias e conhecimentos, tendo como meta o aumento da produção e da produtividade, gerando mais renda e melhor qualidade de vida no campo.

Para tanto, é imprescindível que os governos façam investimentos específicos e que sejam implementadas políticas públicas que permitam a adoção de tecnologias e capacitem o agricultor, dando-lhes ferramentas que o tornem competitivos no mercado.

A Bahia possui o maior contingente de agricultores familiares do país, 665 mil famílias, que representam 15% do Brasil. Daí porque o governo baiano elegeu a agricultura familiar como prioridade, e tem executando políticas públicas focadas para fortalecer esse segmento.

Quando assumi a Secretaria de Agricultura me assustei com a quantidade de agricultores familiares endividados no estado. Eram aproximadamente 200 mil inadimplentes com os agentes financeiros, especialmente os BB e BNB. Duzentos e quarenta e dois municípios dos 417 do estado estavam com o crédito rural travado, sem poder solicitar nenhum recurso por terem ultrapassado 15% de inadimplência .

A causa deste número preocupante era a falta de assistência técnica. A Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), vinculada à Secretaria de Agricultura, naquela altura responsável quase que exclusivamente pela ATER no estado, encontrava-se em situação tão calamitosa que o governador quando assumiu em 2007 avaliou se a fechava e criava uma nova, mas como os funcionários seriam muito prejudicados neste processo, resolveu recuperá-la.

Essa empresa só prestava assistência a 80 mil agricultores que representam 12% do total. Sem assistência o produtor não conseguia transformar o crédito numa garantia de aumento de produtividade, produção e lucro. Aplicava mal os recursos e não conseguia pagar a dívida, que virava um tormento na sua vida pessoal e o impedia de avançar no seu negócio com sustentabilidade, muitas vezes originando a desistência de continuar no campo, causando o êxodo rural.

Travamos, durante estes quatro anos, batalhas duras e constantes na Bahia e em Brasília, buscando a edição de medidas provisórias e leis que permitissem as renegociações destas dívidas para destravar o crédito no Brasil e especialmente no Nordeste brasileiro. Não vencemos a guerra, mas vencemos diversas batalhas. Diversas MPs e leis possibilitaram que realizássemos mutirões de renegociações, que permitiram reduzir em mais de 50% o número de endividados no estado e consequentemente permitindo o acesso ao crédito.

Moral da história: sem assistência técnica, o crédito rural não cumpre o seu papel.

Clara está a importância da EBDA para o estado, que avançou exponencialmente nos números da agricultura familiar, mesmo na situação dramática e quase falimentar que se encontrava a EBDA, graças à presença de verdadeiros heróis e guerreiros nos seus quadros (claro que existem também maus funcionários, como em qualquer outra empresa, e estes devem ser extirpados do quadro funcional).

O reflexo desse trabalho pode ser visto nos números, que por si só apontam a evolução da agricultura familiar. Em 2007, apenas 80 mil agricultores possuíam a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), que na prática é a carteira de identidade do agricultor e que permite o acesso a todas as políticas públicas. Hoje esse número passa de 600 mil. No programa Seguro Garantia Safra, em 2007 eram apenas 54 municípios participantes, com 6 mil agricultores aderidos, números que hoje saltaram para 330 municípios e 300 mil agricultores aderidos. Em termos da ATER, em 2007 eram somente 80 mil produtores atendidos, e hoje passamos de 300 mil (contando com as ATERs tercerizadas), sem falar nos demais programas municipais, estaduais e federais conduzidos com sucesso por essa empresa.

Daqui para frente, acredito que a EBDA terá que assumir dois outros papéis fundamentais, de coordenadora e fiscalizadora das empresas terceirizadas de ATERs, já que seria impossível ela somente prestar ATER a 665 mil agricultores.

Ao longo desses anos, mesmo com recursos muito escassos (a secretaria toda possui somente 1% do orçamento do estado) trabalhamos, dentro do possível, para reestruturar a empresa. Nesse caminho, efetivamos por duas vezes um aumento real de salário, primeiramente de 30% e depois mais 5,5%, também conseguimos ajustar um outro pleito dos funcionários que foi a inclusão dos servidores aposentados no plano de saúde.

Além disso, diversas ações foram adotadas para melhorar as condições de trabalho, como reforma de escritórios locais, sede, centro de treinamento e estações experimentais, compra de 700 veículos novos, 1.500 computadores, GPS e impressoras, e criação de sistemas eficientes informatizados de controles administrativos e de ações em campo.

Contratamos também centenas de funcionários provisórios para atender a convênios de milhões de reais que firmamos com o governo federal. Elaboramos, aprovamos no Conselho e propusemos à Secretaria de Administração uma estruturação organizacional da empresa e um plano de cargos e salários que ajustasse as discrepâncias, principalmente o irrisório salário inicial de cerca de R$ 1,5 mil para nível superior, gratificasse os funcionários eficientes, premiasse os mestres e doutores. E após estes ajustes nossa proposta era de concurso público imediato.

No entanto, sempre esbarrávamos numa questão: nada poderia ser efetivado sem que primeiro fosse resolvida a questão do passivo. Esse passivo que se acumulou por décadas e muitos funcionários infelizmente faleceram sem poder usufruir dele. Durante minha gestão a frente da secretaria, fui o primeiro a sentar com o sindicato para negociar. Com a nova diretoria do sindicato ajustamos trabalhar separadamente os dissídios de outros passivos. Parece que a decisão foi correta, os cálculos foram consolidados conjuntamente e uma proposta do governo estará saindo da fôrma em breve. Infelizmente não pude como secretário efetivar este tão sonhado acordo, mas espero que Deus ilumine a todos para que um acordo possível e que agrade a ambos os lados seja efetivado para que a greve dos funcionários da EBDA seja encerrada e possamos avançar na reestruturação dessa empresa que é o coração da agropecuária baiana.

 

* Eduardo Salles é engenheiro agrônomo e mestre em engenharia agrícola pela Universidade Federal de Viçosa, ex-secretário de agricultura da Bahia e ex-presidente do Conselho Nacional de Secretários de Agricultura (Conseagri). Foi presidente da Associação de Produtores de Café da Bahia e também da Câmara de Comércio Brasil/Portugal e é, há 14 anos, diretor da Associação Comercial da Bahia.

Ford inaugura em Camaçari a primeira fábrica de motores do Nordeste

ford

A Ford inaugurou na manhã desta quarta-feira (9), em Camaçari, a primeira fábrica de motores automotivos da região Nordeste do Brasil. A cerimônia de inauguração contou com a presença do governador Jaques Wagner e do ministro dos Transportes, César Borges. Com investimento de R$ 400 milhões, a fábrica de motores gerou 300 empregos, 90% deles de baianos, principalmente mulheres e afrodescendentes.

Durante a inauguração, o governador destacou que “a fábrica materializa a consolidação deste parque automotivo, que vai além da produção de veículos e é um centro de desenvolvimento de alta tecnologia, mostrando a capacidade de trabalho dos baianos, homens e mulheres que fazem dessa unidade uma referência global da Ford”.

A unidade vai montar até 210 mil conjuntos do tipo 1.0 3C Duplo Comando Flex, que irão equipar os novos modelos da linha Ford KA. Considerado um produto global, os novos motores têm um conceito inovador de engenharia que promete maior desempenho e economia de combustível.

Governador Jaques Wagner inaugura a fábrica de motores da Ford em Camaçari.

Presa quadrilha que atacava fazendas no interior da Bahia

 

fazendaUma operação deflagrada pela Delegacia Territorial (DT) de Jacobina desarticulou uma quadrilha envolvida em assaltos a propriedades rurais, tráfico e homicídios, naquela região. Cinco pessoas foram presas e um adolescente apreendido, além de cinco armas, três delas de grosso calibre, mais de 6 quilos de maconha, meio quilo de cocaína e 200 gramas de crack.

No momento da prisão, Antonio Luiz Teixeira Leite Júnior, o “Juninho”, de 22 anos, um dos líderes do bando, Anderson Santos Silva, de 18, Clebson Santos de Jesus, 20, Adailton de Souza, 22, Francisco Carneiro dos Santos Filho, 23, e um garoto de 17 anos estavam com as drogas, armas e vários eletrodomésticos provenientes dos assaltos às fazendas da região.

A polícia apurou que Clebson já cumpriu pena na Penitenciaria Lemos de Brito, em Salvador, e Francisco é fugitivo da DT de Capim Grosso, onde estava preso por homicídio. Com exceção do garoto, encaminhado ao Ministério Público, todos foram autuados pelo delegado Humberto Marino por tráfico de drogas, associação para o tráfico, porte ilegal de armas e formação de quadrilha.

 

Irmãos, agora só falta o poder

igreja

Unopar realiza formatura de seis turmas em Ilhéus

colação unopar ilheus  3A Unopar-Polo de Ilhéus realizou no último final de semana a formatura das turmas 2013.2 dos cursos de Administração, Ciências Contábeis, Gestão Ambiental, Pedagogia, Recursos Humanos e Serviço Social. A solenidade, realizada no Centro de Convenções, contou com a participação de 58 formandos e reuniu cerca de 1200 pessoas, entre diretores e professores da Unopar, familiares e amigos, que justos celebraram uma conquista comemorada em clima de alegria e emoção.

Em seu discurso em nome das turmas, Nalu Selma de Oliveira Souza destacou que “nada detém a vontade, a determinação e o compromisso. Com a globalização e aceleração de novas tecnologias, a acirrada competitividade, o aprendizado é fundamental para o desenvolvimento pleno do ser humano. Não parar de estudar nunca!”.

colação unopar lheus 4Os novos profissionais homenagearam  com placas  a  paraninfa Helena Maria Póvoas Campos, diretor geral da Unopar/Ilhéus Pedro Almeida Filho e os professores Joice Ferreira Pacheco, Bruno Luiz da Silveira Benevides, Reinaldo Martins Lemos, Rones Flasgordes Souza,  André Lopes Lima dos Santos, Eneide Mendonça Oliveira, Claudia de Souza Ribeiro, Ana Claudia Yamamoto Hora, Adriana Paula Montenegro Cintra e Lia Nascimento de Matos Andrade. Também foram homenageados o funcionário Joedson Mendes Santos e o amigo da turma Cledson Quinto dos Santos.

Em seu pronunciamento, o diretor geral da Unopar/Ilhéus Pedro Almeida Filho ressaltou “a instituição sente-se orgulhosa em disponibilizar ao mercado profissionais  qualificados e dedicados a profissão que abraçaram. Esse período de convivência na Unopar certamente ficará marcado para todos, porque foi um período de aprendizagem, de crescimento e de integração. Vocês são vencedores e esse é o primeiro passo de novas conquista que virão”.

A solenidade de colação de grau das turmas 2013.2 da Unopar Ilheus, que incluiu a aula da saudade, culto ecumênico e confecção dos convites foi organizada pela Capelo Eventos e Formaturas.

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
abril 2014
D S T Q Q S S
« mar   mai »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930