hanna thame fisioterapia animal
camara municipal itabuna camara municipal itabuna prefeitura itabuna coronavirus 155 bom petiscos livros do thame

Archive for agosto 4th, 2013

Elogios na Chapada

O  I Encontro dos Prefeitos da Chapada Diamantina, realizado na Vila de Igatu, em Andaraí, neste fim de semana, foi marcado pela presença dos 33 prefeitos da região e dos secretários da Saúde, da Educação e da Agricultura, respectivamente Jorge Solla, Osvaldo Barreto e Eduardo Salles, aplaudidos depois que apresentaram as ações em suas pastas, bem como as políticas públicas para cada setor.

O presidente da União da União dos Municípios da Chapada, Alberto Muniz, coordenador do evento, agradeceu a Jorge Solla, afirmando que ele tem sido o melhor secretário da Saúde para a Chapada Diamantina. Aplaudido de pé, o vice-governador e secretário de Infraestrutura, Otto Alencar, também participou do evento e, ao falar sobre o trabalho realizado pelos secretários destacou a atuação de Salles na pasta da Agricultura, afirmando que “o governador Jaques Wagner foi muito feliz ao colocar o homem certo do lugar certo”.

Os prefeitos da Chapada foram unânimes com relação ao secretário da Educação, afirmando que graças à atuação de Osvaldo Barreto, este setor tem avançado muito na região.

 

As telas vivas de Nadja Alves, uma artista a ser descoberta

Se é verdade que todo artista deve ir onde o povo está, existem casos em que artista e arte ainda estão por ser descobertos. É o caso da itabunense Nadja Alves, uma artista de raro talento, em busca do merecido reconhecimento.

A expressão artística de Nadja Alves salta das telas e ganha vida nos olhos de quem observa quadros que exprimem a alma baiana em todas as suas cores e nuances. E a Bahia é o universo da artista, embora sua arte tenha todo o potencial para romper fronteiras.

A exposição Coisas da Bahia, que fica  aberta até o dia 19 de agosto no Centro Cultural Adonias Filho (segunda a domingo, das 8 às 20 horas) traz 18 obras de Nadja Alves, em que ela revela habilidade de lidar com cores e temas, dando vida a personagens do dia a dia, como  baianas do aracajé, pescadores, capoeiristas, trabalhadores rurais, etc. Grapiuna que é, as telas de Nadja também trazem a Gabriela e o cacau, da inesgotável fonte de Jorge Amado.

Nadja Alves pinta desde menina, mas só há quatro anos passou a se dedicar exclusivamente às artes plásticas. Embora tenha trabalhos adquiridos por colecionadores de Salvador, Itacaré, Minas Gerais, São Paulo e Estados Unidos, esta é sua segunda exposição. A primeira também foi no Centro Cultural Adonias Filho.

“Gostaria de apresentar meu trabalho no Shopping Jequitibá,  e  em Ilhéus, mas o artista regional ainda enfrenta barreiras”, lamenta Nadja Alves, para quem “pintar é uma terapia, a coisa que mais gosto de fazer, porque através dos quadros, posso exprimir meus sentimentos”.

Além das telas, Nadja também faz trabalhos em madeira, com as mesmas cores fortes e marcantes.

A exposição “Coisas da Bahia”  é para ver e admirar. Se tiver apoio para expandir sua arte, com o talento que tem, o limite de Nadja Alves é o mundo.

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
agosto 2013
D S T Q Q S S
« jul   set »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031