ato de vandalismo contra a memória de Jorge Amado

estátua fica na entrada da Ferradas, onde Jorge nasceu

A estátua do escritor Jorge Amado, colocada na entrada do bairro de Ferradas, em Itabuna, para homenagear o centenário do escritor, foi atingida com vários tiros de revólver, além de ser alvejada com pedradas. O ato de vandalismo danificou a estátua, obra do escultor Lavrud Durval,  feita em resina bronzinada e com cerca de dois metros de altura.

Os tiros atingiram várias partes da estátua do escritor, nascido em agosto de 1912  em Ferradas, então distrito e hoje bairro de Itabuna. Moradores alegam ter ouvido os tiros, mas não tem qualquer suspeita sobre os autores do ato de vandalismo, já que a estátua fica às margens da rodovia BR 415, a cerca de 500 metros da área urbana do bairro.

Embora nascido em Ferradas/Itabuna, Jorge Amado é mais venerado em Ilhéus, onde passou parte da infância e, na juventude,  escreveu seu primeiro romance, “O País do Carnaval”.A relação dos moradores de Ferradas com Jorge Amado sempre foi de indiferença. Moradores mais antigos lembram que no romance ´Terras do Sem Fim´ e na autobiografia ´Navegação de Cabotagem´, o escritor se referiu a Ferradas como “o cu do mundo”.

Lavrud Durval considerou o ato de vandalismo como “uma vergonha para a cidade” e disse que pretende reconstruir a estátua, desde que a prefeitura garanta a segurança no local. “Não adianta refazer o trabalho e depois destruírem de novo”, afirma o escultor.