Uma aluna do curso de Enfermagem da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) foi almoçar no Restaurante Universitário, administrado pela iniciativa privada, e deparou-se com um  cardápio indigesto: encontrou restos mortais de inocente baratinha na comida, minutos após as primeiras garfadas.

A  perninha  da barata estava  “no  ponto”.

O restaurante  tem preço subsidiado e os estudantes pagam  apenas  R$ 1,00  pela refeição.

Mas, daí a incluir barata no cardápio.