hanna thame fisioterapia animal
bahiagas livros do thame

Archive for setembro 26th, 2011

SUSPENSO O EMBARQUE DE SOJA PELO PORTO DE ILHEUS

a soja sai de ilheus e vai para um porto privado

As empresa que exportavam soja pelo Porto de Ilhéus decidiram suspender as operações por causa da redução da profundidade do  cais de atracação, atualmente abaixo dos 9,5 metros, o que compromete a movimentação dos navios. O calado mínimo para operar com segurança é de10 metros. A Codeba se comprometeu a realizar a dragagem no local, mas até agora a obra não saiu do campo da promessa. Toda a soja que deixa de embarcar no Porto de Ilhéus é embarcada num posto privado na Baia de Aratu, o TPC.

 Além da perda da soja, o Porto de Ilhéus poderá perder parte dos navios de turismo que fazem escalas na cidade durante o verão. Esse tipo de operação gera pouca receita para a Codeba, mas é fundamental para a economia ilheense, que tem no turismo uma de suas principais atividades econômicas.

 

PÁSSAROS SILVESTRES APREENDIDOS NA BR 101

Tupinambás lembram massacre na praia em Ilhéus

Reza a lenda que o mar ficou vermelho, de tanto sangue

Aconteceu no domingo a 12ª. Caminhada em Memória aos Mártires do Massacre do Rio Cururupe, realizada pela comunidade indígena Tupinambá de Olivença em Ilhéus. O evento contou com a participação de mais de mil índios e começou com uma dança tradicional (porancyn), na Praça Cláudio Magalhães, em frente à Igreja Nossa Senhora da Escada em Olivença. Os indígenas   foram caminhando até a praia do Cururupe. Um percurso de oito km, relembrando a batalha dos nadadores, em 1559, onde ocorreu um dos maiores  massacres indígenas da história das Américas.  

Na época,  os índios foram cercados pelos homens do então governador geral do Brasil, Mem de Sá. Massacrados e acuados na praia, a maioria morreu afogada. Os corpos foram estendidos um após o outro, somando seis léguas de índios mortos.

 A caminhada relembra também o  líder conhecido como Caboclo Marcelino, considerado na época um comunista pelos coronéis do cacau, que lutou para defender o povo Tupinambá na década de 30 contra a ganância dos que se achavam donos das terras indígenas, no que ficou conhecido pelos anciões da comunidade como “A revolta do Caboclo Marcelino”.

 

EIS A OUTRA QUE ARRUMEI EM SUNPOLO!

e aí, vai encarar essa loira? é só 1 real

Chega ao fim o mistério que durante três dias catalisou as atenções deste blog, do país e quiçá do planeta.

Revelo aqui, sem rodeios, subterfúgios ou photoshops enganosos a outra que arrumei durante uma breve estadia em Sunpolo.

A Outra, no caso, é uma cerveja (argh!) que custa apenas 1 real a latinha e  pode ser encontrada nos melhores (ou seria nos piores?) bares da periferia profunda da Grande São Paulo.

A Outra (e apenas uma mísera latinha) já está incorporada ao patrimônio da Academia de Letras, Artes, Musicas, Birita, Inutilidades, Quimeras, Utopias Etc, onde deverá permanecer por toda a eternidade, posto que o imortal da  Alambique que se  atrever a degustar (ou seria desgostar?) essa bomba, será automaticamente “desimortalizado”.

 

 

Confissões das Mulheres de 30, em Ilhéus

As mulheres de 30 confessam

Após bem sucedida temporadaem São Paulo, chega à Ilhéus o espetáculo Confissões das Mulheres de 30, uma dramaturgia de Domingos de Oliveira. O espetáculo, que já foi visto por 250 mil pessoas, retrata preocupações, amores e temores das balzaquianas vividos com doses generosas de humor. Uma comédia sobre a rotina feminina que, nesta etapa da vida, volta com quadros inéditos.

A obra é interpretada pelas atrizes trintonas Juliana Araripe, Camila Raffanti e Patricia Bouson, com direção do Coletivo de Criação Mano que da Hora, grupo de artistas da área de música, foto, vídeo e teatro, e supervisão de Eduardo Wotzik. A peça estará em cartaz no próximo final de semana, dias 01 e 02 de outubro, às 20h, no Teatro Municipal de Ilhéus, centro. Os ingressos custam R$ 50,00 inteira e R$ 25,00, meia. A classificação é 14 anos.

 No espetáculo, as personagens fazem piada com questões do universo feminino, como descontrole emocional, filhos, primeiro namorado após a separação e trabalho. “A comédia alivia o peso do cotidiano. É importante para a mulher viver momentos em que se distancie dos problemas. Rir cura”, diz Camila Raffanti. “A idéia é que elas possam contar suas histórias da maneira mais autoral e original possível, já que têm conhecimento da causa”, complementa o diretor carioca Eduardo Wotzik, que busca conferir às intérpretes total liberdade.

Alto estilo

Eduardo Salles

Eleito por unanimidade há menos de um mês, o presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, organizou a primeira reunião de sua gestão em alto estilo. A reunião vai acontecer na próxima semana, dia 3 de outubro, em Brasília, com a presença confirmada de 25 dos 27 secretários estaduais. Na programação, inicialmente, um jantar com o ministro do Desenvolvimento Agrário, MDA, Afonso Florence, e sua equipe, e no dia seguinte, (4) reunião com os deputados da Comissão de Agricultura da Câmara Federal.

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
setembro 2011
D S T Q Q S S
« ago   out »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930