hanna thame fisioterapia animal
bahiagas livros do thame

Archive for setembro 9th, 2011

VAQUINHA TIRA PROFESSORA QUE NÃO PAGOU PENSÃO DA CADEIA

livre e com o amor das filhas

A professora Elenísia Borges da Silva, 41 anos, presa na ultima segunda-feira  em Ubaitaba por não pagar a pensão alimentícia de duas filhas, foi solta no final da tarde de hoje. Uma vaquinha organizada por um radialista garantiu o pagamento da pensão, no valor de 4 mil reais, solicitada pelo ex-marido Ademilson Tibúcio dos Santos, 40 anos. Moradores de Ubaitaba e Aurelino Leal se uniram numa ação de solidariedade e arrecadaram o dinheiro em menos de uma hora.

As filhas, que eram contrárias à posição do pai, comemoraram a libertação da mãe e uma delas decidiu voltar a morar com a professora, o que elimina a necessidade do pagamento da pensão, já que a outra filha trabalha.

Elenisia  ganha mil reais por mês como professora e  é diabética. “Acabou o pesadelo, é maravilhoso receber o carinho de minhas filhas  e saber que sou tão querida pelos moradores”, disse, ao deixar a prisão.

Ademilson Tibúcio dos Santos, que é vendedor de abará em Itacaré deve usar bem os quatro mil reais, porque depois e levar  a ex-mulher à prisão deve estar com “um imenso cartaz” junto aos clientes.

Secretário de Agricultura sugere união para defender os interesses do cacau

a união faz açucar e -principalmente- faz a força

Reunindo pesquisadores da Ceplac, Embrapa, Uesc, Unicamp, USP, Secretaria estadual da Agricultura através da EBDA e Adab, o Projeto Renorbio, que incorporou o Renorbio-Vassoura de Bruxa do Cacaueiro, (Renobruxa), foi lançado oficialmente na manhã desta sexta-feira, (9), na superintendência da Ceplac, na rodovia Ilhéus/Itabuna, marcando um novo tempo na pesquisa do cacau. A somatória de esforços de instituições de pesquisas, desenvolvimento e Inovação com o objetivo de encontrar as alternativas para o controle da vassoura de bruxa foi destacada pelo secretário da Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, como um exemplo a ser seguido por todos os elos da cacauicultura.

“Os produtores de cacau precisam abandonar as vaidades e diferenças e se unir por uma região melhor. É preciso quebrar o paradigma de que nessa região nunca haverá entendimento entre as várias correntes do cacau. A união dos pesquisadores, que estamos vendo aqui hoje no lançamento desse importante projeto, deve ser um exemplo para todos. Só assim superaremos a crise que já dura duas décadas, para entrar num ciclo de desenvolvimento sustentável”, ressaltou, destacando que o governo da Bahia não tem medido esforços para que o cacau e o Sul do Estado vivam um novo momento.

O secretário Eduardo Salles alertou para o risco da monilíase do cacaueiro, chamando a atenção para a necessidade de ações efetivas de pesquisa para evitar que a praga, ainda ausente, atinja o Brasil e a Bahia. A doença já foi registrada no Peru, a 80 quilômetros da fronteira com o Acre. “Não podemos repetir o erro da vassoura-de-bruxa, quando tivemos que atuar como bombeiros. No caso da monilíase, devemos evitar o incêndio, já que a doença é altamente danosa para a lavoura”, disse, propondo um termo aditivo ao projeto Renorbio para a pesquisa da doença.

O projeto Renorbio-Vassoura de Bruxa tem (Renobruxa), visa a revitalização da cacauicultura baiana e dinamização da cacauicultura nacional, através do controle da doença, por meio do desenvolvimento de novas variedades para plantio, com adequada qualidade de produto, boas características gerais e maior durabilidade de resistência, a partir da acumulação de genes e utilização de variedades com diferentes conjuntos de genes associados a este caráter, conforme destacou Luis Antonio Barreto de Castro, ex-presidente do Fundo Setorial do Agronegócio do Ministério da Ciência e Tecnologia, um dos articuladores da Rede Renorbio.

Governo da Bahia apresenta o EIA Rima do Complexo Porto Sul

relatório é fundamental para início das obras

Técnicos da Casa Civil do Governo do Estado da Bahia e da empresa Hydros Engenharia e Planejamento entregaram, durante reunião no Centro de Convenções de Ilhéus, os primeiros estudos do EIA Rima (Estudos de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental) elaborado para a implantação do Complexo Intermodal Porto Sul. Segundo o coordenador de Projetos Estratégicos da Casa Civil, Eracy Lafuentes Pereira, os estudos precedem os procedimentos do licenciamento ambiental e servirão de critérios técnicos para a avaliação da comunidade e órgãos técnicos.

Presentes à reunião, o prefeito de Ilhéus em exercício, Mário Alexandre, que junto com secretários municipais, conheceram algumas peculiaridades do projeto e realizaram consultas sobre o trabalho apresentado. No final do encontro, que contou com a participação do prefeito de Uruçuca, Moacyr Leite, e do secretário da Agricultura de Itabuna, Antônio Marcelino, os relatórios foram entregue à Prefeitura de Ilhéus e Uruçuca, em mídia digital e material impresso para que possam ser analisados e oferecidos subsídios para eventuais revisões.

Informa o chefe de Gabinete do Prefeito de Ilhéus, José Nazal, que a partir desta segunda-feira (12), o EIA Rima estará à disposição de instituições e cidadãos para que possam tomar conhecimento dos estudos efetuados. O mesmo material será entregue às setes cidades da área de influência do Complexo Intermodal Porto Sul, para que possam fazer uma avaliação do impacto ambiental em cada um desses municípios. “Através desse estudo os municípios poderão verificar qual o impacto ambiental e expor suas pretensões e necessidades”, considerou Eracy Lafuentes.

O próximo passo, segundo José Nazal é aguardar a publicação do edital para a realização da audiência pública, que deverá ser realizada no dia 29 de outubro. Na reunião, o prefeito em exercício Mário Alexandre, questionou se os estudos contemplavam as questões sociais e econômicas, em virtude do local escolhido ser uma área de pequenos produtores rurais ativos e não poderão sofrer qualquer interrupção nas suas atividades. “Temos que buscar o desenvolvimento, porém devemos preservar as pessoas envolvidas, para que não sofram prejuízos de ordem econômica ou social na rotina de trabalho”, defendeu.

Os técnicos da Hydros Engenharia, Sandro Camargo e Pablo Cotsifis, fizeram uma exposição dos impactos ambientais e disseram que todo o trabalho levou em conta os aspectos naturais, no sentido de implantar o projeto observando as possibilidades de possibilitar que as intervenções sejam feitas alterando o mínimo possível. Observou, Eracy Lafuentes, que os impactos devem ser visto sob dois aspectos: negativos e positivos, levando em conta as compensações previstas na legislação, e que serão seguidas à risca pelo poder público e empresas privadas envolvidas no projeto.

E O MENGÃO, HEIN? DEU PUM!

o jegue morre, mas o gambá tira de letra

Se contra o Bahia a desculpa pela derrota do Flamengo foi um  sonoro “pum” desferido por um jogador durante a prelação, de quem é a culpa pela derrota, de virada, pelo Corinthians?

Possivelmente das m… que o time vem fazendo em campo. De quase-lider do Brasileirão, o Mengão já patina no 5º. lugar, segurando-se como pode na zona de classificação para a Libertadores.

Saiam da frente, que o bonde sem freio destrambelhou de vez.

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
setembro 2011
D S T Q Q S S
« ago   out »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930