hanna thame fisioterapia animal
livros do thame

Archive for setembro 6th, 2011

Baianas de acarajé denunciam perseguição

existe algo mais baiano do que a baiana do acarajé?

A ameaça à preservação da cultura das baianas de acarajé e perseguição da Secretaria de Serviços Públicos de Salvador (SESP) às quituteiras que comercializam seus produtos nos pontos da cidade marcaram o encontro na Assembléia Legislativa, que reuniu representantes da Secretaria de Patrimônio da União (SPU), das secretarias estaduais de Promoção da Igualdade (Sepromi) e de Políticas para a Mulher (SPM) e a Associação estadual das Baianas de Acarajé e Mingau (Abam).

 Segundo vários depoimentos, a atividade das baianas de acarajé nas praias tem sido colocada em suspeição pela SESP, que é acusada de impedir a instalação dos tabuleiros sob alegação de infringir a mesma norma federal que proibiu e retirou as barracas de praia na capital. “O verão vai chegar e não temos uma solução. Porque a Sesp persegue tanto as baianas?”, questionou Jacilene dos Santos, uma das diretoras da Abam.

 Rita Santos, presidente da entidade que reúne quase 4 mil baianas de acarajé, revelou que conflitou argumento do órgão municipal com ofício resposta da Superintendência de Patrimônio da União na Bahia à associação. “Temos um documento da SPU afirmando que não é da sua competência a questão; mas eles alegam que não possuem tal documento”, afirmou Rita.

 Para encaminhar uma solução, o presidente da Comissão de Igualdade, deputado Bira Corôa (PT), solicitou a Artur Chagas que forneça à Prefeitura de Salvador os esclarecimentos necessários sobre competência do órgão e reitere o que foi discutido em audiência pública na Casa. O deputado Sidelvan Nóbrega (PRB), proponente da audiência, requereu a mesma documentação para que o colegiado publicize a informação para outros municípios e quer envolver a categoria nas discussões sobre a Copa 2014.

 Bolinho de Jesus – Tombado como patrimônio nacional em 2004 pelo Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o acarajé também estaria sendo ameaçado enquanto bem imaterial. “Além de desrespeito em relação ao que trata o decreto municipal 12.175/1998, como a padronização da indumentária e do tabuleiro, temos assistido uma descaracterização no aspecto religioso e cultural”, afirmou Rita.

 A fala da presidente da Abam foi acompanhada de diversos pronunciamentos em tom de protesto. “Não tem como separar o acarajé do candomblé. Esse bolinho de Jesus merece repúdio!”, disse uma das baianas sobre a venda do acarajé por evangélicos, que mudaram o nome da mais famosa iguaria baiana para ‘bolinho de Jesus’.

 Para muitos presentes, esse é mais um caso de manifestação de intolerância religiosa e preconceito. “Vender acarajé é profissão do povo de candomblé”, afirmou Ieda Ferreira, que é serventuária do Detran e religiosa do candomblé.

 

 

Casa Valduga consolida parceria para elaboração de suco na Bahia

Jaques Wagner, Eduardo Salles e Loemir De Paris, dirigente da Valduga

Depois dos diversos investimentos feitos no setor vinícola, tanto em tecnologia para elaboração de vinhos quanto para o desenvolvimento do enoturismo, a Casa Valduga está apostando para valer em outro segmento. A empresa gaúcha pretende investir cerca de R$ 10 milhões em uma fábrica de sucos, que será construída em Juazeiro, na Bahia.

Para isso, foi consolidada, no final de julho, durante a 22ª edição da Feira Nacional de Agricultura Irrigada – Fenagri 2011, que aconteceu na Bahia, uma parceria com a Special Fruit, uma das maiores produtoras de manga e uva de mesa do Vale do São Francisco, o que proporciona, segundo o diretor administrativo e financeiro, Loemir De Paris, uma experiência consolidada com a cultura local, fazendo, com isso, que o empreendimento obtenha sucesso.

De acordo com De Paris, a família Valduga sempre teve o sonho de empreender no Vale do São Francisco. ?Diante do crescimento no consumo no Brasil de sucos prontos para beber, surgiu a oportunidade de uma parceria no Estado da Bahia. O Vale do São Francisco foi escolhido devido a qualidade e quantidade de frutas tropicais lá produzidas, além dos incentivos fiscais dados por aquele governo. Nos surpreendeu a vontade política daquele Estado em atrair esta fábrica, demonstrado, com isso, uma visão de futuro?, destaca o diretor.

Conforme De Paris, o projeto inicial, que ainda está em estudo, contará com uma área construída de 5 mil metros quadrados. A previsão é de que a fábrica de sucos seja inaugurada no início de2013. Apartir daí serão elaborados sucos de manga, goiaba, acerola, romã, maracujá, entre outros. A estimativa é de que sejam investidos R$ 10 milhões. A capacidade média e diária de processamento será de 25 toneladas de frutas e cerca de 1,5 mil litros de suco.

O projeto dos Valduga também prevê instalações voltadas ao enoturismo, já que existe a ideia de construir, futuramente, uma champanheria e elaborar espumantes.

Na Serra Gaúcha, a família Valduga também elabora sucos de uva artesanais com a marca Casa de Madeira. Além disso, a empresa também produz geléias, doces e vinagres balsâmicos à base de vinho.

CONQUISTA AVANÇA, “NÓS EMPACA”

Metrópole. E nós aqui discutindo divisas de território

Ilhéus e Itabuna  disparam jacas e caranguejos entre si, numa briga por meio metro de terra, envolvidas em disputas paroquiais..Enquanto isso, Vitória da Conquista está prestes a se tornar a terceira Região Metropolitana da Bahia, que já  possui as regiões metropolitanas de Salvador e Feira de Santana.

O Governo da  Bahia determinou que as  secretarias estaduais de Desenvolvimento Urbano de  Planejamento, a Casa Civil e a Superintendência de Estudos Econômicos (SEI) formarão equipes especializadas para desenvolver estudos, visando à criação da RM de Vitória da Conquista.

Alguém a de perguntar o que Conquista tem que Ilhéus e Itabuna não têm?

Para encontrar a resposta, recomenda-se pegar a BA 415 e fazer uma visita a cidade do Sudoeste Baiano.

É como sair do planeta estagnação e desembarcar no planeta desenvolvimento.

Aviso aos navegantes: antes que mandem esse blogueiro se mudar de mala, cuia, charutos cubanos e fornido estoque de cachaça para Conquista, que tal se a gente parasse com esse provincianismo besta e trabalhasse para fortalecer as duas cidades, fazendo do eixo Ilhéus-Itabuna um grande pólo de desenvolvimento?

Condições para isso existem, com a implantação do Porto Sul, da Ferrovia Oeste Leste, da Universidade Federal e a chegada do gás natural.

Mas, se não mudarmos a mentalidade…

 

Policial é autuado por crime de extorsão

mudou de lado, dançou

Autuado em flagrante por crime de extorsão mediante seqüestro, o investigador de polícia Rubens Rocha Vila Flor Júnior, 39, está custodiado na Corregedoria da Polícia Civil (Correpol) por ter extorquido R$ 3,8 mil, anel, corrente e um telefone celular do autônomo Mateus Andrade.  Policiais da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV) o surpreenderam no bairro de Brotas, dentro de um veículo Fox com a vítima algemada, de quem tentara receber R$15 mil.

Rubens Rocha, lotado na 34ª Delegacia Territorial (DT), em Portão, abordou Mateus por volta de 8 horas, quando este saía de sua residência, situada num trecho da Estrada da Rainha próximo ao bairro Caixa D’Água. Conduzindo um Fox, de cor prata, e armado com uma pistola ponto 40, exigiu que o rapaz entrasse no carro, acusando-o de envolvimento com o tráfico de drogas. Segundo a corregedora chefe, delegada Iracema Silva de Jesus, as investigações não apontaram qualquer relação da vítima com o tráfico ou outro delito.

Vizinhos de Matheus Rocha anotaram a placa do Fox que seguiu em direção ignorada, e informaram o número e as características do automóvel à polícia, através do telefone 190. Acionada pela Centel, uma guarnição da DRFRV localizou o Fox por volta de 11 horas, nas imediações da maternidade Iperba. A vítima informou à equipe daquela delegacia especializada estar sendo extorquida por Rubens, que ao ser identificado como um policial civil foi encaminhado para a Correpol, na Chapada do Rio Vermelho.

 Na Corregedoria, o delegado Miguel Cicerelli autuou Rubens Rocha Vila Flor Júnior por extorsão mediante seqüestro, mantendo apreendida a pistola ponto 40, e o veículo Fox, bem como os pertences da vítima, que será submetida a exame de corpo de delito no Departamento de Polícia Técnica (DPT). Um veículo Golf que fora visto por testemunhas nas imediações da residência de Mateus quando da chegada de Rubens Rocha, bem como seu ocupante, estão sendo investigados.

Potencial de energia limpa atrai mais investimentos estrangeiros para a Bahia

A alta capacidade de geração de energia limpa na Bahia é um dos destaques do programa de rádio do governador Jaques Wagner. Na edição desta semana, Wagner diz que o estado tem potencial de produção de 14 mil megawatts de energia elétrica a partir da matriz eólica, uma importante fonte de eletricidade oriunda da força dos ventos e considerada limpa porque não gera poluição e não agride o meio ambiente.

O governador reforça o compromisso de trazer mais investimentos, aproveitar a força da nossa natureza, gerando mais emprego, mais riqueza e inclusão social, principalmente, para as cidades do interior. A Bahia tem hoje a segunda maior reserva de produção de energia eólica do País, o que vem despertando o interesse de “uma empresa argentina, uma empresa Dinamarca, que querem vir aqui se instalar”, além das outras empresas estrangeiras em funcionamento ou em fase de instalação.

 

STOCK CAR

 

Wagner ainda fala do sucesso de mais uma etapa da Stock Car disputada no último fim de semana, de inaugurações no interior e na capital do estado, e encerra o programa falando da importância cívica da comemoração da Independência do Brasil. “É bom lembrar sempre do 07 de setembro, sempre aliado ao 02 de julho, que foi a independência definitiva, quando os nossos heróis baianos se libertaram do domínio português”.

Sobre a Stock Car, o governador entende que a competição se tornou um importante investimento na atração de turistas e geração de oportunidades de negócios para a Bahia, além de “ajudar a aumentar a autoestima do nosso povo”. A prova está no seu terceiro ano de disputa como inovação de circuito de rua e cumpre papel importante na oferta de emprego e renda, contribuindo na divulgação do destino Salvador enquanto turismo esportivo. Segundo Wagner, o Estado demonstrou “competência para organizar um grande evento e já começam a chegar, inclusive, propostas de outras competições na área de automobilismo, querendo vir aqui para esse Circuito Ayrton Senna, que é o circuito do CAB”.

Daniel Thame
Daniel Thame, jornalista no Sul da Bahia, com experiência em radio, tevê, jornal, assessoria de imprensa e marketing político danielthame@gmail.com

Busca por data
setembro 2011
D S T Q Q S S
« ago   out »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930